sexta-feira, janeiro 28, 2005

NÃO VOTE NO ROCK LOCO!

O Rock Loco está concorrendo em duas categorias no Prêmio Rock Independente BA 2004: Imprensa Escrita (jornal e internet) e Veículo de Comunicação (rádio e TV). Por favor, não votem no Rock Loco. Sabe como é, vai que a gente ganha, vamos ter que subir no palco (?) pra receber o prêmio, fazer aqueles estúpidos discursos de agradecimento (eu queria agradecer a minha mãe, e coisas do tipo...), nãããããão. Isso sem contar que eu fico parecendo um garçom de botequim vestindo smoking. Não. Nos poupem dessa espinhosa tarefa. Por favor, não votem no Rock Loco, valeu? Nããããããããõ façam isso, ok? Não mesmo. Nein. Non. Nyet. Please, no.

Em todo caso, vcs podem clicar nesse link e votar nos seus preferidos em cada categoria, desde que, mais uma vez, não votem no Rock Loco: Prêmio Rock Independente BA 2004.

Obrigado.

(Pronto, agora é só esperar que minha psicologia infantil funcione...)

19 comentários:

Anônimo disse...

Chico, meu velho...prêmio pelo lance burocrático nem precisa dizer que o Rock Loco não precisa devido à fidelidade do espírito anarquista do programa...mas, porra, que vcs merecem, merecem...melhor seria um bom apoio cultural para alavancar a divulgação do Rock Loco...avante!

Anônimo disse...

Chico, meu velho...prêmio pelo lance burocrático nem precisa dizer que o Rock Loco não precisa devido à fidelidade do espírito anarquista do programa...mas, porra, que vcs merecem, merecem...melhor seria um bom apoio cultural para alavancar a divulgação do Rock Loco...avante!
Cláudio Moreira

Anônimo disse...

Sua psicologia infantil já funcionou. Votei no Rock Loco. Pronto. Abç.

Marcos

marciorocks disse...

Xiiiii rapá, sem querer meu dedo escorregou e apertou o botão direito do mouse na bolinha que confere o voto ao Rock Loco... mas foi sem querer mesmo, viu? Desculpaê!

marciorocks disse...

Seu sacaninha... você deveria estar trabalhando é com Duda Mendonça(longe das rinhas...). Esse seu marketing do "faça o contrário" funciona mesmo viu? Psicologia infantil uma ova! Marketeiro escroto... hehehe

Anônimo disse...

é isso masmo márcio, o que ele quer mesmo é subir no palco "travadinho" e agradecer aos amigos, ouvintes e cybers que colocaram o Rock Loco lá...depois chamar Carol e fazer alguma declaração de amor...e, por fim, fechar o discurso, dizendo que não esperava numca na vida ganhar qualquer prêmio...depois, nós vamos todos para o red river comeorar e caimos na gandaia até de manhã na casa de cebola, é claro...pronto...que dia vai ser a festa de entrega da premiação?tô dentro...cláudio esc

Anônimo disse...

Errata
é isso mesmo márcio, o que ele quer mesmo é subir no palco "travadinho" e agradecer aos amigos, ouvintes e cybers que colocaram o Rock Loco lá...depois chamar Carol e fazer alguma declaração de amor...e, por fim, fechar o discurso, dizendo que não esperava numca na vida ganhar qualquer prêmio...depois, nós vamos todos para o red river comemorar e caimos na "gandaia" até a tarde do dia seguinte na casa de cebola, é claro...pronto...que dia vai ser a festa de entrega da premiação?...tô dentro...cláudio esc

marciorocks disse...

Pô, Claúdio, vê se para com essa nóia de perfeccionismo, repetindo os posts toda vez que achar que saiu errado. Deu pra entender tudo no primeiro, viu véi? Abração!

Anônimo disse...

Sua psicologia funcionou tão bem que eu votei no Rock Loco, mesmo sem nunca ter ouvido o programa - aqui em casa não pega... vou pedir para um maigo meu gravar os programas na casa dele, ficou com inveja quando ele me fala as loucuras que rolam por aí. Até mais.
sid.

Anônimo disse...

O projeto Caxerê Na Festa De Iemanjá tem como proposta, original e inédita, unir artistas e músicos independentes de Salvador, levando um espetáculo percussivo para o bairro do Rio Vermelho, durante a Festa de Iemanjá, proporcionando a população contato com artistas locais, ampliando democraticamente, as opções de fruição artística da população baiana, como também, divulgar e incentivar a promoção de artistas emergentes que vêm se destacando no cenário musical soteropolitano.
Convidamos você a participar da nossa 3ª caminhada percussiva, no dia 2 de fevereiro de 2005, onde se garante a presença de celebridades, músicos, artistas plásticos, jornalistas, atletas e figuras marcantes freqüentadoras do Rio Vermelho.
O movimento percussivo Caxerê faz uma fusão de ritmos afro-brasileiros com células rítmicas do drum n? bass e do funk. As células rítmicas são tocadas pelos integrantes do grupo e não por utensílios eletrônicos.
O Caxerê é composto por 50 (cinqüenta) músicos das principais bandas/artistas ?alternativos? de Salvador, dentre elas: A Volante do Sargento Bezerra, Alhos e Bugalhos, Cacimba, Cascadura, Forró no Kilo, Mosiah, Mano Véio, Navio Negreiro, Pé de Serra Beira Mar, Radiola, Scambo, Zaccatimuana, Zambotronic, Zulus entre outros artistas que garantem o brilho e a animação do grupo durante toda a sua apresentação, tocando instrumentos percussivos variados como: xequerê, agogô, cowbell, triângulo, zabumba, timbal, taró (caixa) e alfaia.
Idealizado e produzido por Igor Caxixi, percussionista e morador do bairro do Rio Vermelho, o Caxerê foi lançado no dia 2 de Fevereiro de 2003, em plena Festa de Iemanjá, no tradicional bairro cultural de Salvador, o Rio Vermelho.
Um cortejo que apresentará a aliança da nossa música entre músicos de bandas distintas e de diferentes ritmos, unidos em uma única banda, proporcionando à população jovem contato com artistas locais, facilitando e ampliando o acesso da população baiana a novas opções culturais.

Anônimo disse...

Esse negócio de projeto Caxerê tá parecendo coisa de axezeiro. È triste saber que o Cascadura tá nessa.
Colé, véio!! As outras bandas até pelos nomes e o que elas representam não causa surpresa. Se vacilar para o
ano estarão no calendário oficial da Bahiatursa, no jornal do meio dia da TV Bahia (asco arghh) e vão ser mais um Cortejo Afro e ainda serão ¨dirigidös¨ pelo
MALA do Arto Lindsey. Xô AXEZEIROS!!!!
Ass:
BRIGADA ROCK AND ROLL - Pelo fim da mediocridade

Anônimo disse...

Com certeza. Estando aqui na Bahia todo radicalismo em relação a essa corja que no fundo aspira a um tapinha nas costas de Caetano Veloso é pouco. Percussão de cú é rola (foi mal aí).

osvaldo disse...

Querido Projeto Caxerê,
Não leve a mal, mas este blogger é dedicado`a musica e a cultura pop ligada ao rock e afins.Estes espaços são rarissimos na terra do Psirico. Infelizmente nestes casos o radicalismo se justifica. Não temos nada contra vcs, que podem até estar com boa intenção, mas acho tem muitos e muitos outros espaços pra vcs divulgarem seus projetos. Boa Sorte.

Anônimo disse...

Projeto Caxerê? QUIPORRÉSSA!! Esses caras pensam que ser alternativo é batucar um tambor, usar aquela faixinha ridícula no cabelo e achar que o mundo Olinda.
Esse pessoal parece fazer ponto lá no Casarão Santa Luzia, frequentar a Chapada e ficar tomando banho nu em bando e acha a Bahia o paraiso musical. Sarta fora BUNDA MOLES e vão tocar na banda de Brown que ele vai gostar.

Franchico disse...

OBRIGADO, MEUS AMIGOS.

Anônimo disse...

Será que a solução pra tanta mediocridade é sempre criticar??? Cadê a atitude, tão pregada pela galera do rock?? Tantos comentários inúteis melhoram o quê???
Salvador é província e nunca vai deixar de ser porque todos tem o rei na barriga, cada um acha que bota mais pra fuder do que os outros. As patotinhas, seja lá de que estilo façam parte, não diferem tanto assim quanto vcs pensam. Salvador nunca será metrópole, cosmopolita, cidade do mundo, enquanto as cabeças pensantes tiverem compartamentos tão provincianos. A diferença de usar faixa na cabeça e tocar percussão não é tão grande quanto usar preto e ir pro pó-e-tudo se reunir em volta do balcão. Nem menos digna do que se vestir de hippie e tomar banho nú na chapada, nem melhor ou pior do que tomar um E e ir pruma rave qualquer. Apenas diferentes. O carinha deu mole em postar um release num espaço que não é pra divulgação, mas daí sair metendo o pau em tudo e todos, só porque pensam ou agem diferentes, é somente um indício de que ainda teremos que penar muito pra viver numa cidade melhor, porque a galera que diz fazer diferente mantém os preconceitos, as idéias pré-concebidas, e ainda não percebeu que os movimentos de contracultura se desenvolvem a partir da união de cabeças pensantes, oriundas de fontes e correntes distintas, formando a pluralidade, a diversidade. Deixem de lado esse pensamento coronelista de que vcs botam pra fuder. Estamos em 2005. E depois ainda querem dizer que são fãs de Science... Vocês não são de nada.

osvaldo disse...

Não discuto com anônimo.

Anônimo disse...

aposto que esse cara que citou Science só começou a se interessar pela mistureba sonora depois do mangue beat...antes não estava nem aí...modista às avessas...

marciorocks disse...

Polêmica mais sem sentido... Tem gente que ainda não cresceu mesmo, ficam dando uma de retrógados quando o mundo precisa evoluir, esse papo imbecil de "foda-se o axé". Foda-se mesmo, mas não um projeto cultural que nada tem a ver com o "axé-baba" pejorativo que só faz idiotizar os reais valores artísticos musicais que existem por aqui e ainda alguns, amantes do Rock'n'Roll(tb sou um), ficam gastando energia tentando competir em vez de fazer sua parte num contexto em separado. Alguns me conhecem, acho besteira se esconder como anônimo, mas concordo com cada ponto, vírgula, reticência e interrogação do anônimo lá antes do último coment de Osvaldo, cara legal que, por sinal, fez um comentário bastante maduro da primeira vez.