segunda-feira, janeiro 17, 2005

ADEUS, ARMANDO

O velho jornalista, um dos últimos bastiões de integridade e ética na profissão, deu adeus ao futebol e seu uísquezinho ao cair da tarde. Ficam suas preciosas lições, espalhadas em inúmeras crônicas impressas em todos os jornais de Salvador e transmitidas pela Rádio Sociedade AM e pelo Cartão Verde Bahia da TVE (Oscar: aquele abraço, amigo).

Em um lugar e época de jornalista big bosta Brasil (que coisa podre, ridícula e lamentável), o exemplo de Armando Oliveira, com sua inteligência aguda, fala mansa, texto limpo e objetivo, servirá somente para aqueles que tem olhos para ler, ouvidos para ouvir e cérebro para pensar.

E aos estagiários que hj lotam as redações, um conselho: procurem saber quem foi Armando Oliveira pra ver se vcs tiram o pé da lama. (Ainda que eu duvide, visto que até a diferença óbvia e gritante entre hardcore melódico e rock de gente grande passa batida hj em dia).

Esse roqueloquete aqui lamenta muito o falecimento de Armando Oliveira, um amigo pessoal de minha família e tb meu. Lamenta ainda mais ter perdido contato com o mestre após o desaparecimento de sua mãe e avó (a quem ele visitava regularmente, para o já citado uísquinho no happy hour), e dessa forma, não ter podido absorver um pouco mais de sua presença agradabilíssima e lições inesquecíveis.

A Bahia fica menos inteligente e íntegra a partir de hoje.

6 comentários:

marciorocks disse...

Pô Chicão, então você conheceu Armando Oliveira? Cara, fiquei realmente emocionado hoje de manhã quando, assistindo ao programa de Varela, soube desta triste notícia. Emoção, porque surpresa, lamento, porque perda, eu assistia ao programa de TV que ele participava e sempre notava e admirava sua ELOQUÊNCIA nos comentários, ELEGÂNCIA e PRESTEZA ao fazê-los. Percebia que ele estava bastante magro, até abatido, mas nunca associava aquilo a alguma doença, até porque desconhecia que ele estava com câncer. Compartilho este momento com você e com todos que o admiravam.

osvaldo disse...

Perdemos nossa referencia na imprensa esportiva e talvez de todas as areas do jornalismo baiano.Todos nós do Rock Loco estamos de luto.

Franchico disse...

é isso aí, Márcio, vc definiu melhor do que eu o estilo Armando Oliveira de jornalismo: antes de tudo, ele era um homem de uma elegância à toda prova e isso sobressaía tanto em seus textos, qto em suas falas na TV ou no rádio. e isso é um valor fundamental e cada vez mais desprezado hj em dia: elegância. hj vale tudo pra se dar bem: até jogar o diploma no lixo e participar do big bosta em nome de uma certa "curiosidade intelectual". tem que ser MUITO babaca mesmo, viu. faça-me uma garapa.

aproveitando: Ô Franciel: cadê? é pontocompontobr, man. vc mandou pro email certo?

m vitor disse...

Só agora soube do acontecido...é chocante...realmente o Armando marcou época. Apesar de não conhecê-lo pessoalmente ouvi muitos jogos do baêa comentados por ele, e assino em baixo de tudo que foi escrito e comentado aqui. Descance em paz Armando!

Anônimo disse...

Nei Bahia

Chiquito, que fala aqui é alguem que não suporta jornalistas esportivos, com raras exceções, Armando uma delas;(meu pai odeia mais do que eu, mais Armando pra ele também era uma exceção). Fazendo um paralelo com nossa praia principal, é triste você ter uma voz dessas restrita a nossa tão ignorante Bahia, quando o resto do país se contenta com Miltons merdas da vida; é o mesmo que ter visto o Deadbillies e saber que a maioria dos mortais não saberá que eles existiram.

Hoje o padrão é achar tudo lindo: o jogador é lindo, o treinador é lindo, a torcida é linda(mesmo que seja um gang disfarçada), a parceria é linda...e por aí vaí.
Armandão vai deixar saudades.

Franchico disse...

Ivete é linda, Daniela é linda, Carlinhos é lindo, Rapazola é lindo, o Tchan é lindo, Durval é lindo, Ricardo é lindo, o Psirico é lindo, o Chiclete então, nem se fala. Ainda bem que todo mundo aqui é feio e mal encarado. E se orgulha disso.

Apareça sempre, Nei.