segunda-feira, agosto 30, 2004

O BASEADO MAIS BEM FUMADO DA HISTÓRIA COMPLETA 40 ANOS

Confiram a excelente matéria que seu menino Alexandre Trabalho Sujo Matias fez para dona Folha sobre os quarenta anos do lendário encontro entre os Beatles e Bob Dylan no Delmonico Hotel, em Nova Iorque. Na ocasião, os Beatles, que só eram chegados nas bolinhas estimulantes (como visto no filme Backbeat Os Cinco Rapazes de Liverpool, quem não viu deve alugar hoje e isso é uma ordem), foram apresentados à uma bela duma marofa pelo maconheiro / menestrel / andarilho / vagabundo / judeu Bob Zimermman. Resultado: um novo mundo se abriu para os Fab Four e algumas obras primas até hoje insuperáveis foram paridas pelo grupo. Isso é que é um baseado bem fumado, dôdjão! Leiam a matéria e confirmem a teoria. Fica a sugestão para os companheiros rockloquetes tocarem pelo menos uma música dos álbuns citados na matéria do senhor Matias essa semana, em homenagem a tão importante e frutífero encontro. (cof! cof!)

Jimmy Page, o melhor guitarrista inglês?

A edição de agosto da revista inglesa Mojo, traz na sua capa o nosso Jaiminho Pagina, e encartada na sensacional entrevista realizada pela revista com Page e Jeff Beck(que são amigos desde a adolecencia)vem uma lista com os maiores guitarristas ingleses da historia,que reproduzo no final.Na entrevista,repito sensacional, os dois fazem um historico de como os branquelos rapazes ingleses,Beck, Page e Clapton, oriundos do "Lace Curtain Land", que são cidades industriais ao redor de Londres(algo como o ABC paulista),de origem operaria, foram influenciados pelo blues e pela marginalizada cultura negra norte-americana, e se transformaram,com excessão do genio Hendrix, nos mais influentes musicos do pós-guerra.Agora que tudo já foi dito e feito, fica parecendo que a jornada foi fácil e que o caminho para o mega estrelato já estava pavimentado.Muito pelo contrario, a Historia que esse caras protagonizaram é uma das coisas mais improvaveis que poderiam acontecer, coisa de um mundo experimentando profundas transformações sociais depois dos horrores da II Grande Guerra.O relato de Page e Beck,que na entrevista ficam medindo quem era mais pobre, é pungente e emocionante, alem de contar o impressionante trabalho de inovação e invenção sonora realizado por eles. Esses são os caras que realmente criaram e forjaram as tecnicas de guitarra moderna,que todos,fora Hendrix,copiaram, só isso.No final os dois prometem um inedito trabalho conjunto.Segue a lista da Mojo:

1-)Jimmy Page,segundo a Mojo "o maior mestre das cordas de todos os tempos"
2-)Jeff Beck
3-)Eric Clapton
4-)Keith Richards
5-)Hank Marvin, dos Shadows
6-)Peter Green,do Fleetwood Mac original
7-)Bert Jansch, musico folk
8-)Pete Townsend
9-)George Harrison
10-)Roobert Fripp
11-)David Gilmour
12-)The Edge
13-)John McLaughlin
14-)Mick Jones, do Clash
15-)Richard Thompson, do Fairport Covention
ainda Johnny Marr,Brian May,Kevin Shields,Tommy Iommi e Jonny Greenwood

sexta-feira, agosto 27, 2004

GARFIELD JÁ ERA! E MIRACLEMAN NA REDE.

Que mané filme de Garfield, porra nenhuma. Esqueçam o superado gato laranja fã de lasanhas e deixem que o tio Chico aqui lhes apresente o felino que vai dominar o século 21: Bucky Katt, um siamês ultraegocêntrico que tem suas tirinhas diárias (em inglês) apresentadas aqui. Absolutamente insuportável, o senhor Katt é o centro das atenções na tirinha Get Fuzzy, de Darby Conley, e tem como coadjuvantes o seu paciente dono Rob Wilco e o cachorro estúpido e fofinho (sempre tem um, né?) Satchel Pooch. De rachar o bico. Depois não digam seu tio Chico nunca lhes apresentou coisas novas e legais.

Outra dica que já era para ter dado faz tempo aqui vai fazer a alegria dos fãs de Alan Moore (AKA Deus. Ou o Diabo?). O site Miracleman Brasil disponibiliza todas (sim, TODAS) as edições da revista Miracleman escaneadas, inclusive a inédita fase Neil Gaiman, nunca publicada no Brasil. A fase Moore foi porcamente publicada por aqui no final da década de 80. Moore, que abriu mão dos direitos do personagem para Gaiman, criou aqui as bases para a revolução em quadrinhos que ele detonaria na poderosa DC Comics com Monstro do Pântano, V de Vingança e Watchmen. Quer ler Miracleman em quadrinhos primorosos, desenhados por artistas ingleses de primeira linha como Stephen Bisette e Alan Davis? Click right here, young fella.

Semana que vem eu volto a falar de rock. Por sinal, ainda estou devendo um texto sobre o Steely Dan... Semana que vem eu posto. Juro. Quer dizer, acho que sim.

Califórnia nos seventies, skates, hard rock clássico, revolução jovem. Quer mais o quê de um filme?

Segue uma cult-dica bacana q postei no www.unyahna.br/frenteverso.
Dogtown and Z-Boys ? Onde tudo começou EUA, 2002. Documentário, 91 min. Direção: Stacy Peralta. Elenco: Sean Penn (narrador), Jay Adams, Tony Alva, Stacy Peralta.
Califórnia, anos 1970. Jovens surfistas ligeiramente desajustados de uma vizinhança pobre (a Dogtown do título) sofrem com a pior seca de todos os tempos, ocorrida no verão de ?74. Com o mar fraco, os surfistas pegam seus velhos skates, então esquecidos e fora de moda, e começam a aplicar suas manobras de surf sobre as pranchas com rodinhas nas calçadas inclinadas de escolas abandonadas. Paralelo a isso, o sol inclemente, quase um cúmplice, começa a secar as piscinas da vizinhança. Ousados, os skatistas invadem as casas com bomba e tudo para terminar de esvazia-las e cair dentro com o skate antes que a polícia chegasse. Nascia aí, de forma completamente despretensiosa e clandestina, um ramo da cultura jovem que hoje, completamente globalizada, enche de dinheiro o bolso de muita gente e movimenta campeonatos, revistas especializadas e muitas, mas muitas bandas de rock que se especializaram no som que faz a trilha sonora dessa rapaziada, o skate punk / hardcore contemporâneo de bandas como Fugazi, Offspring etc. Essa história, aqui resumida em suas linhas gerais, é apresentada neste excelente documentário com muitos depoimentos de pioneiros do skate radical como Jay Adams, Tony Alva e Stacy Peralta, também diretor do filme. Esses aí, e mais alguns outros, foram os primeiros skatistas da história a conseguirem patrocínio formal, no caso da loja Zephyr, daí o Z-Boys do título. Muitas imagens da época enriquecem e tornam ainda mais interessante o documentário, que na trilha sonora só apresenta bandas clássicas do hard rock da época, como Led Zeppelin, ZZ Top, Thin Lizzy, Alice Cooper, Black Sabbath, T-Rex e outros potentados do gênero. Califórnia, anos 70, skates, manobras radicais, rock pesado. O que mais um adolescente poderia querer? Só para terminar: a narração é do oscarizado Sean Penn, e a película ganhou prêmio de melhor filme no Spirit Awards (o Oscar do cinema independente) em Sundance, onde seu diretor (Stacy Peralta) foi também laureado. Disponível nas melhores locadoras da cidade.

quarta-feira, agosto 25, 2004

GUIZZZMO no II Festival de Música Educadora FM

Sim, os caras são meus coligados, e também por isso estou colocando este post aqui. A Guizzzmo, projeto bala de Vandex e Apú (que se apresenta com a igualmente grande Roney Jorge e os Ladrões de Bicicleta esse fim de semana no Teatro do Sesi), está concorrendo no II Festival de Música Educadora FM, com a música Amarílis, um tango rock torto que só poderia ter saído mesmo das cabeças daqueles doidões. No site da Educadora você pode ouvir em streaming todas as músicas concorrentes, inclusive a já clássica Amarílis, mas eu, como você (opa), nem perderia meu tempo. Votaria nela imediatamente pelo email festivaleducadora@irdeb.ba.gov.br - ou através do telefone 339 -1186. E também iria para o show, sexta e sábado, logo depois de ouvir o Rock Loco desta mesma sexta que contará com as presenças da dupla insana. (Aí, Vandson! Aí, Apú! Depois cês me pagam aquela celva!)

terça-feira, agosto 24, 2004

A agenda da semana Rock Loco é que nem...

... o Brasil nas Olimpíadas: você só acredita se quiser.

TERÇA, 24 de agosto: Luciano & Roney recebem a jornalista Gabriela Almeida do burnbahiaburn, entre outros sites, para trocar uma idéia sobre rocks, toques, cliques, claques, blips e tóims.

QUARTA, 25 agosto: Nem Big Brother nem Braminha querem brincar com ninguém essa semana, pois não enviaram nomes de convidados para incluir na agenda. A bola é deles, então pronto. Mas o programa vai ser Loco, como sempre.

QUINTA, 26 de agosto: Mário & Sora em noite estritamente feminina: as jornalistas Yara Vasku e Neyse Cunha, mais a videomaker Bel Pedra invadem o estúdio e botam pra ver tálba lascar com os locutores e a amiga dona de casa. Saia Justa é pinto (opa) perto disso aqui. (Mário já adiantou q vai ficar caladinho, só na técnica.)

SEXTA, 27 de agosto: Mário e Chicão (fazem fé e) recebem a Guizzzmo para um papo transcendental com os doidivanas Vandex e Apú sobre mamãe, disco voador e mp3, bem como suas inter-relações, usos e costumes na sociedade contemporânea. Sacou, bicho?

Frase da semana: "Quem merece medalha de ouro mesmo é a sensacional equipe do Rock Loco. E me esqueçam!" Dayane dos Santos, ginasta.

Agradecimentos à companheira Greyce pelo toque das "Gabrielas".

segunda-feira, agosto 23, 2004

RAUL SEIXAS MERECE TAMBÉM

A despeito de toda aquela multidão chatíssima de raulseixistas q cerca o mito Raul, é preciso reconhecer q o homem era foda pracaralho e dificilmente surgirá outro artista de rock nesta cidade tão completo quanto ele. Ele foi um produto de seu tempo e de todas as confluências que desembocaram na construção de sua persona e pensamento, que era absolutamente erudito e popular, ao mesmo tempo. O cara era formado em filosofia pela UFBA, mas se amarrava em rock n' roll e cultura popular nordestina (e aquela galerinha de São Lázaro que ainda se acha o supra sumo da modernidade nem desconfia q seu modelo de comportamento foi inaugurado por Raul há décadas. Ou não...). Bom, toda essa lenga lenga é para deixar registrada a homenagem do Rock Loco ao Maluco Beleza, por ocasião dos quinze anos de sua morte, em 21 de agosto de 1989. Qdo chegamos lá, sexta passada, encontramos o Capitão Adenílton, que nos passou manuscrito em uma folha de caderno um poema, q segundo o próprio, é de autoria de Sílvio Passos, amigo pessoal de Raul e fundador do maior e mais importante fã-clube, do cara, o Raul Rock Club. Gostamos do poema, lemos no ar e reproduzimos aqui para quem perdeu no programa. (Ou ouviu e não entendeu, por q a gente tava bebum.)

NO VINTE E UM DE AGOSTO
VI O JORNAL SOBRE A MESA
LOGO NA PRIMEIRA PÁGINA
ESTAVA A TRISTE SURPRESA
DA MORTE EU TENHO QUEIXAS
ELA LEVOU RAUL SEIXAS
NOSSO MALUCO BELEZA
RAUL FEZ A SUA PARTE
FAÇA A SUA, MEU IRMÃO
VAMOS PARTIR PARA A LUTA
SEM ESSA DE DEPRESSÃO
PODE IR FUNDO, NÃO TEMA
A DROGA DESSE SISTEMA
TERÁ QUE TER UMA SOLUÇÃO.

Bacana, hein?

EU MEREÇO

Sexta passada o programa foi uma escória. Fiquei bebum, fiquei com soluço, os convidados (Apú e Pedro Bó) não foram (rá, rá, rá, me conta uma novidade), não tinha notícia, não tinha enquete, não tinha porra nenhuma. Só três bebuns (Mário, eu e um brother meu, Dino, q quebrou um galhão. Valeu, véio!) falando bobagens (qual a atleta mais gostosa das olimpíadas etc) e colocando uns rocks legais. Pelo menos nisso, a gente se garantiu. Aí o programa tava tipo quase acabando, na penúltima música, eu já ia colocar a última e dar boa noite, quando toca o telefone:
- Alô?, era uma voz de mulher.
- Rock Loco, boa noite, vc está no ar, quer pedir alguma música?, Mário perguntou, na maior boa educação. Aí responde a criatura:
- Ah, o Rock Loco ainda não acabou não, é?
- Nããããããão!, eu gritei. E larguei Passion, do Killing Chainsaw, no juízo da maldita que esperava o Boa Noite Meu Amor, programa do companheiro Eriberto que entrava após o Rock Loco ás sextas (agora é um programa de dance mix) .
Nos divertimos um bocado com a escaldação, demos muita risada e fui pra casa. Lá chegando , a patroa me esperava com o pau de macarrão em mãos:
- O programa de hoje foi muito ruim, vc está desleixado, ficando bêbado e falando muita besteira. Não leva mais notícias, não fala mais das bandas, não faz mais enquete. E que negócio é esse de atleta mais gostosa?
Eu mereço. Mea culpa, mea maxima culpa. Sexta que vem prometo levar notícias, ficar (quase) sóbrio e entrevistar os convidados com o profissionalismo que meu diploma de jornalista exige. Se bem q conversando com Mário Jorge sobre isso, ele disse que os melhores programas são aqueles que a gente fica mais bêbado e fala mais bobagem. Que fazer, meu Santo Kid Vinil? Que fazer?

As apostas da Rolling Stone

A veterana e venerada revista americana ainda todo ano indica suas apostas sobre quem se destacará no mundo pop, a "Hot List", e como sempre causa rebuliço.Vejamos algumas destas apostas:
Banda-The Killers
Nativa da pouco tradicional em termos de rock Las Vegas(para os gringos Sin City),o som da banda é descrito como uma mistura de guitarra glam bem pesada, beats de sintetizador estilo anos 80, vocais atormentados e graciosos, tipo uma uma mistura de Morrisey com Duran Duran.Musica para dançar com letras com significado.Estouraram primeiro na Inglaterra e fazem agora o caminho de casa com o lançamento do primeiro album "Hot Fuss" e foram adotados pelo proprio idolo deles, Morrisey.Pelo visto as escavações musicais dos anos 80 continuam.
Garota do momento-Lindsay Lohan
A perfeita "bimbo" americana, dezoito aninhos e um par de peitos que causam polemica,ela jura que são reais,ninguem acredita.A exemplo de Britney era do Mickey Mouse Club, ate que explodiu como a ninfeta da vez nos filmes ,Parent Trap, Confessions of a Teenage Drama Queen e no apimementadissimo Mean Girls.Este ano foi a apresentadora mais jovem do MTV Movie Awards.Good-bye Britney, hello Lindsay.
Seguem mais algumas penadas da R.S.
Banda de Metal-Atreyu, abre para o Sabbath na Ozz-Fest
Indie Rapper(???)-Buck 65, favoritos do Radiohead
Produtor-Butch Walker: Sevendust, American Hi-Fi,Donnas...
Cena Quente-Cena rock do CAMBODIA, relançamento de discos pre-Kmer Vermelho
Banda de Emo-Core-Taking Back Sunday
Selo-Ghostly International, de musica eletronica
Remixers-Ratatat, novaiorquinos, hip hop com rock
Revista-Arthur, distribuida de gratis em alguns cafés,entrevistas com Iggy Pop e o novo idolo folk Davendra Banhart, leitores como Thurston Moore.
Ator- Gael Garcia Bernal,com elogios a atuação em Diarios de Motocicleta
Atriz-Bryce Dallas Howard, filha do diretor Ron Howard, mas favorita de de diretores como M.Shyamalan,com quem fez "The Village".
Artistas Plasticos-Design Academy, holandeses situados em Eidhoven na vanguarda do design
Forma de protesto contra Bush-Fuck the Vote, movimento politico aonde garotas do partido democrata transam com eleitores de Bush, em troca eles se abstem no dia da votação,É VERO!!
Teoria de conspiração- A votação americana será cancelada devido a um ataque terrorista, extremamente conveniente pra Bush.

sábado, agosto 21, 2004

chicão,eu amo o led!

Chicão, meu velho, é claro que o led é o máximo, tanto que tocamos Rain Song no programa.Não sei se vc ouviu desde o começo, mas eu criticava justamente as pessoas que usam o argumento(indie babaca) de que o led é virtuoso.É mesmo, mas e daí?Guimarães Rosa também era, assim como kubrick entre outros gênios.O virtuosismo do led, como bem disse vc, não está amarrado a ataques de egos inflados, é tocar muito bem a serviço da arte.Além de lançarem um dvd de seis horas que não consegui desgrudar o olho, sem dúvida lançaram cinco discos obrigatórios . No mais um grande abraço do seu colega de profissão e amigo do rock.Ah!Obrigado pela defesa que fizeram vc e sora a minha pessoa.Abraços.Ronei j.

Ps: Osvaldão, sua boneca vai pelo correio, valeu o elogio!

quarta-feira, agosto 18, 2004

London arena

O Omelete (www.omelete.com.br), além de ser o melhor site sobre cultura pop em geral com matérias e notícias atualíssimas sobre cinema, quadrinhos e rock, tb conta com bons colunistas, como o Juliano Zappia, q assina a coluna London Arena, direto da ilha do norte. A coluna desse mês em especial é bem interessante, por q ele antecipa q a finada e saudosa Bizz deverá voltar, e para ajudar a galera envolvida na empreitada, Juliano faz uma análise do periclitante cenário das revistas de música pop na Inglaterra, entre outros bons textos. Dêem um saque, q não custa nada:
http://www.omelete.com.br/musica/artigos/base_para_artigos.asp?artigo=2125

terça-feira, agosto 17, 2004

Érika não foi, mas quem esteve nessa terça no Rock Loco foi Bruno, ex-Nicest, atual baixista da Satélite do Amor e guitarrista, vocalista, líder e compositor da banda Partido Alto. O Prince do rock baiano? Sei lá. Sei que rendeu um programa massa. Aliás, depois que passamosa receber convidados com frequência estamos batendo nossos próprios recordes de audiência e de telefonemas.
As enquetes também vem contribuindo (que música de um álbum clássico você não gosta?)

Semana que vem vamos receber uma mulher (Finalmente) a neo-jornalista Gabriela Almeida (ela tem uma homônima no rock baiano, mas ela não é a vocalista da Satélite do Amor).

Veja aqui a sequência do programa dessa terça:

Frank Black + Teenage Fanclub - Handyman (cover de James Taylor)
Hurtmold - Credenciais
Foo Fighters - Walking After You

Jon Spencer Blues Explosion - High Gear
Korn - Got the Life
Queens of the Stone Age - The Sky is Fallin

Ira! - Bebendo Vinho
Los Canos - Mercadologia
Os Zumbis do Espaço - Nos Braços da Vampira

Virna Lisi - Eu Quero Essa Mulher (cover de Monsueto Menezes)
Ronnie Von - De como meu Herói Flash Gordon
Módulo 1000 - Teclados

Led Zeppelin - The Rain Song

Gloria Record - My Funeral Party
Gentle Waves - Hangman in the Shadow
Echo & The Bunnymen - Heaven Up Here

Proto - Encarando a Face do Mal
Mercenárias - Há dez mil anos parados
Richard Hawley - Darlin
Television - Days

(cabra cega) Textículos de Mary - Todinha Sua

ROCK BAMBA



Atenção, macacada. Nos próximos dias 27 e 28 (sexta e sábado) dois apresentadores do ROCK LOCO estarão nos palcos (os Jorges que sobraram depois da saída de Don: Ronei e Mário, o chefinho).

Ronei Jorge e os Ladrões de Bicicleta e Guizzzmo se apresentam no Teatro do SESI, às 23:30. No repertório dos shows, as duas bandas devem reunir músicas de seus novos discos, lançados esse ano: o EP A Dois e o disco Macaca (respectivamente).

Apesar de serem trabalhos de estréia, os integrantes das duas bandas são veteranos no rock baiano. Os cabeças da Guizzzmo, Vandex & Apú, são oriundos da saudosa Úteros em Fúria, e hoje vem tirando um som inventivo, viajante, bem diferente do que praticavam em sua antiga banda.

Ronei Jorge, por sua vez, era líder da Saci Tric, expoente do rock na Bahia nos anos 90. Em seu novo trabalho se manteve a influência da música brasileira, que ganhou traços garageiros e reforço de novos arranjos com os Ladrões de Bicicleta. A banda estará comemorando seu aniversário de um ano durante o show.

Ótima oportunidade de conferir o som dessas duas revelações na música baiana.


SERVIÇO:
Ronei Jorge e os Ladrões de Bicicleta e Guizzzmo
Quando: 27 e 28 de Agosto (sexta e sábado)
Onde: Teatro do Sesi, Rio Vermelho
Horário: 23:30
Quanto: R$8,00
* (o ingresso dá direito a um desconto de R$2,00 para A Festa 3, que acontece no dia 27, no Idearium)

CONTATO: Greice Schneider
203.6281 / 9113.0490
greice@claque.com.br

GUIZZZMO:
www.tramavirtual.com.br/guizzzmo
RONEI JORGE E OS LADRÕES DE BICICLETA
www.claque.com.br/rjladroesdebicicleta

ÉRICA, LOS CANOS, SPUTTER, APÚ E PEDRO BÓ FAZEM A SEMANA MAIS LOCA DO ROCK LOCO

A SEMANA DO ROCK LOCO É QUE NEM A SEMANA EM BRASÍLIA: COMEÇA NA TERÇA E TERMINA NA QUINTA. OPA! NA VERDADE, TERMINA NA SEXTA. PÔ! O ROCK LOCO TRABALHA MAIS Q AQUELA GENTALHA. ASSIM, ATÉ A GENTE! VAMO SE CANDIDATAR!
A SEGUIR, EM CARÁTER EXTRAORDINÁRIO (POR Q INÉDITO), A FANTÁSTICA AGENDA DA SEMANA ROCK LOCO. TOMEM NOTA E SE PROGRAMEM, CACETA!

TERÇA, 17 DE AGOSTO: ÉRICA MARTINS, EX-PENÉLOPE, CONTA TUDO E UM POUCO MAIS SOBRE O FIM DA BANDA E O INÍCIO DA CARREIRA SOLO PARA RONEY & LUCIANO.

QUARTA, 18 DE AGOSTO: A SENSACIONAL LOS CANOS BATE UM PAPO COM BRAMINHA & BIG BROTHER E RESPONDE A PERGUNTA QUE NÃO QUER CALAR: AFINAL, MARY DO STRIP COLABORA COM A BANDA, OU É PURA MALDADE DO PESSOAL?

QUINTA, 19 DE AGOSTO: MÁRIO & SORA MAIA DESENCAVAM NOVAS E HILARIANTES REVELAÇÕES DE RODRIGO SPUTTER CHAGAS, FIGURA FOLCLÓRICA E VOCALISTA DA EXTRAORDINÁRIA THE HONKERS.

SEXTA, 20 DE AGOSTO: MÁRIO & CHICÃO DETONAM + UMA ESTONTEANTE EDIÇÃO DO ROCK LOCO A 300 KM/H, COM AS PRESENÇAS DE APÚ MARESIA (GUITARRISTA) E PEDRO BÓ (BAIXISTA), DA BANDA SANGRIA.

domingo, agosto 15, 2004

DOMENICA POP



Para quem encara os finais das tardes de domingo apenas como momento para se preparar pra recomeçar a rotina da semana,pode mudar de planos. Periodicamente, aos domingos, o Projeto Domenica Pop coloca na agenda dos fãs de música pop e de rock uma série de shows com as principais bandas baianas de ambos os estilos, que recebem uma banda iniciante ou uma visitante. A estréia do projeto presenteia o público com o reencontro de duas das melhores bandas da nova safra, Brinde e Soma, com show de abertura da novata Partido Alto. O Domenica Pop, que exibirá ainda videoclipes e shows inéditos, será realizado no bar TangoLomango (Rua Alagoas, nº58, na Pituba). Os shows começam sempre às 18 horas em ponto e terminam às 22 horas. O preço é de apenas R$5 (cinco reais).

O projeto é uma boa oportunidade para conhecer bandas que trafegam entre a linguagem pop e os ruídos das guitarras do velho e o bom rock´n´roll. Bandas que vem ganhando respeito e espaço em festivais e na mídia Brasil afora. Bandas como a Brinde, que traz fortes influências do rock dos anos 60, em especial os Beatles, e o Brit Pop dos anos 90, de nomes como Oasis e Blur. Formado por três jovens músicos, Henrique Neves (vocal e guitarra), Leno Blumetti (baixo) e Voltz (bateria), o grupo apresenta um guitar rock altamente pop, lindas melodias e refrões para cantar junto.

A Brinde lança ainda este mês seu primeiro CD, "Histórias sem Meio, Começo e Fim", que será lançado por um dos principais selos independentes do Brasil, o Mostro Records, de Goiânia. Apontada como revelação no último Festival de Verão com direito a duas matérias no Jornal Hoje (Rede Globo), ogrupo estará no próximo mês num festival em Recife e, em novembro, será uma das atrações do Goiânia Noise, um dos maiores festivais de rock do país. Formada em 2001, a banda já se apresentou em diversas capitais, como Rio de Janeiro, Goiânia, Brasília e Aracaju sempre com boa receptividade de público e crítica.

A Soma é outra banda que vem chamando atenção. Com um EP, "Eu, o Alien", lançado pelo selo baiano Big Bross, o quarteto - formado por Rafael (voz , guitarra), Josh (guitarra), Rogério (baixo, backing vocals) e Duda (bateria) - também foi destaque em outras capitais (Rio de Janeiro e Goiânia, por exemplo). A música do grupo tem influências no rock inglês dos anos 90, de bandas como Radiohead e Oasis, e do canadense Jeff Buckley. O resultado é um trabalho autoral com canções elaboradas, carregadas de melancolia, com letras profundas e recheadas de emoção. A banda está preparando trabalho novo a ser lançado ainda este ano.

Além de reunir bandas consagradas, a proposta do Domenica Pop é de apresentar novidades e apresenta em sua primeira edição a banda Partido Alto. Se engana quem pensou em samba. Nada disso. A banda, que conta com Bruno (guitarra e voz), João (baixo) e Lucas (bateria), faz rock, rock dos bons, com influência de gente do quilate de Pixies, Los Hermanos, Beatles, Pavement e Mundo Livre S/A.

Ficha técnica:

O que: Domenica Pop
Quem: Soma, Brinde (show de abertura: Partido Alto)
Onde: Bar Tangolomango (Rua Alagoas,58 - Pituba)
Quando: 22 de agosto (domingo)- 18 horas
Quanto: R$5

sexta-feira, agosto 13, 2004

De grandes bandas, pau no pc e gato preto

A série "Grandes bandas q se vc ainda não conhece, devia conhecer" continua semana q vem, com o Steely Dan. Hj vou tocar as duas, tanto a banda q inaugurou a série, Manic Street Preachers, qto a próxima, acima citada, entre muitas outras coisas, inclusive, algumas novidades. E num tem convidado. Por q não. Mas semana q vem, sim. Mas só abro no dia, por razões já explicitadas alguns posts mais abaixo. Meu computador no trabalho deu pau de novo, portanto, não reparem se semana q vem, a atualização demorar mais um pouco. Não é sempre q o PC da patroa tá liberado. E acho q já tô dando satisfação até demais. É isso, bom fim de semana, e ouçam o prog hoje, terça, quarta, quinta e sexta q vem de novo. Evitem gatos pretos e passar debaixo de escadas até a meia noite. E como diriam os Manics, stay beautiful.

quinta-feira, agosto 12, 2004

STROKES, RODOX, ROCK COMO VEÍCULO

Acabei de ouvir seu Lúcio Ribeiro dizer na Basil2000: "Strokes no Brasil só em 2005. Eventuais "embaços" na organização brazuca inviabilizaram a vinda do grupo novaiorquino em novembro". Segundo notícias divulgadas pelo newsletter da banda, agora eles estão se trancando no estúdio para gravar o terceiro disco. Portanto, estrada de novo, só paroano.
E parece que a uruca q rolou no último sábado no show do Rodox, foi a pá de cal q faltava para enterrar a banda. No fotolog de Nancyta (http://www.fotolog.net/grazzer/?pid=8031227), q inclusive se recusou a tocar, e com razão, diga-se, tem mais detalhes. Agora vejam só a notinha q saiu na Folha sobre o fim do Rodox:

12/08/2004 - 04h50 Diferenças de religião provocam fim da banda Rodox
da Folha de S.Paulo
O vocalista e líder do Rodox, Rodolfo Abrantes, decidiu "paralisar por tempo indeterminado" as atividades da banda, formada em 2001 com a saída dele do Raimundos. Convertido à religião evangélica e vivendo em Camboriú, Abrantes disse que o grupo não estava conseguindo cumprir seu objetivo inicial de "levar a mensagem do evangelho ao meio secular". O último show antes do anúncio aconteceu no sábado, em Salvador.

Pô, "meio secular"? "Mensagem do evangelho"? Rock né pra isso não, seu dotô! Se liga! Falando sério, é aquela velha história, q muita gente não entendeu ainda: o Rock, o bom rock, o rock de verdade, não se presta a ser veículo de propaganda pra ninguém, nem pra religião, nem pra partido, nem pra ong, grupo terrorista, o caralho q for. O rock não serve pra nada. Só para ser ele mesmo, o que já está de ótimo tamanho. Pelo menos na visão deste rockeiro véio aqui. O q não inviabiliza o rock como veículo para expressão de visões políticas e / ou espirituais, como faziam tão bem os Dead Kennedys e o U2, cada um à sua maneira. O q não dá é querer doutrinar as pessoas através do rock. Aí acontece isso aí que aconteceu com o Rodox: naufrágio. Sinceramente, já foi tarde. Por mim, q vá cantar na sua igreja e deixe quem quiser comer sua pilha, q coma, sem forcação de barra.

terça-feira, agosto 10, 2004

Grandes bandas q se vc não conhece, devia conhecer: MANIC STREET PREACHERS

Libraries gave us power,
then work came and made us free.
What price now, for a shallow piece of dignity
?
A design for life, faixa de abertura do disco Everything must go

Muita gente só conhece essa banda galesa pelo fato de que, em 1995, uma noite antes da banda partir em tournée pelos EUA, o guitarrista Richey James desapareceu da face da Terra e desde então, nunca mais foi visto. Injustiça. O MSP, que durante o estouro brit pop dos anos 90 era considerada uma das bandas mais odiadas da Grã-Bretanha, devido à sua postura tipo foda-se para aquela cena, é uma das grandes bandas dos últimos anos na opinião deste humilde jornalista. Podemos dividir a carreira do MSP em duas fases: antes e depois do sumiço do guitarrista doidão. Dessa primeira fase, confesso que sei e ouvi muito pouco. Basicamente, só um especial que a TV Bandeirantes exibiu em 1993 do festival de Reading de 92, onde eles detonaram um som bem glitter, inclusive no visual de viadinhos purpurinados. Mas o som era o bicho, gostei de cara. Pesado, rápido, emocionado, ligeiramente tosco. Como eu gravei em vhs esse especial na época, ainda ouvi bastante aquelas duas ou três músicas dos Manics. Gostei especialmente de uma que, soube anos depois, era cover duma música do filme M.A.S.H., de Robert Altman: Suicide is painless, maravilhosa (o filme tb, pode alugar sem medo). Só para encerrar sobre essa primeira fase, Richey James era tão louco, que, perguntado por um repórter se suas atitudes autodestrutivas eram para valer ou se era marketing mesmo, o cara escreveu com um estilete no braço: 4 real. Após o desaparecimento de James, os Manics lançaram em 1996 aquele que, para muitos é o seu melhor álbum até hoje: Everything Must Go, um dos melhores discos não-ouvidos dos anos 90. Infelizmente nunca lançado no Brasil, esse disco chegou a ser comprável por aqui na época que um Real era igual a um dólar. Um brother meu comprou esse disco na época e encheu meu saco até que eu o ouvisse. Maravilhado, gravei-o em uma fitinha cassete que guardo até hoje. Anos depois, baixei várias faixas, mas ainda pretendo tê-lo, original. Sabe aqueles discos bons do início ao fim, que vc não pula nem uma faixinha sequer? Esse é um deles. Melodioso, incrivelmente bem tocado, Everything... ainda contém letras extraordinárias e demolidoras contra o viciado e fracassado modo de vida ocidental. É daquele tipo de letra que quando vc lê (ou ouve), fica até aliviado, tipo: porra, graças a Deus que ainda tem gente que pensa direito nesse mundo, vide o trechinho colocado como epígrafe lá em cima. James Dean Bradfield, o guitarrista e vocalista, bate um bolão com a sensibilidade e a emoção à flor da pele (argh, clichê!) demonstrada em faixas como Kevin Carter, All surface no feeling, a faixa título e no resto do disco todo. Mais do que recomendado. Após o divisor de águas Everything... o MSP ainda lançou This Is My Truth Tell Me Yours (1998), Know Your Enemy (2001), Forever Delayed (2002) e Lipstick Traces - A Secret History of Manic Street Preachers (2003). E na boa: qualquer um desses vale a pena. Para o neófito interessado, sugiro o Forever delayed, coletânea de hits lançada no Brasil e facilmente encontrável por aí. Já o Lipstick traces é coletânea de lados b de singles e covers bacanas como Nirvana (Been a son), Clash (Train in vain, Whats my name), Guns n Roses (a porrada clássica Its so easy), Happy Mondays, Primal Scream e outros. Dica: na Escalpo dá para alugar ? e copiar ? os ótimos This is my truth e Know your enemy. Da fase Richey James eu nunca sequer vi um disco, mas nos links abaixo vocês podem saber mais ; ver e ouvir, tb ; sobre a banda em ambas as fases. E no Rock Loco tb, já que volta e meia, eu toco alguma coisa da banda. Eu me amarro, e espero q vcs também.
http://www.manics.co.uk/manics/
http://www.staybeautiful.net/

segunda-feira, agosto 09, 2004

COMMENTS LIBERADO PRA GALERA!

A partir deste post, os comentários estão liberados para a galera que quiser se manifestar e / ou mandar recados para os integrantes da gloriosa equipe Rock Loco. Isso vale tb para meus admiradores do blog de Big, q já podem me insultar aqui mesmo, ao invés de ficar poluindo o Bigbross e torrando a paciência do home. Se me encherem muito o saco tb, eu tiro os comments e pronto. Para comentar é só clicar na frase post comments anonimously (ou algo parecido). Juízo.

Los Canos, literalmente falando

Eu e Mário pedimos desculpas aos ouvintes que grudaram seus ouvidos no radinho de pilha sexta-feira passada, na doce ilusão de ouvir os sábios ensinamentos de Cebola & Cláudio Escória, convidados da noite, que deram o cano na galera. A culpa é minha. Culpa de ter acreditado na palavra de um sujeito que leva a palavra Escória como sobrenome. Cebola está isento, nem cheguei a combinar nada com ele. O chato foi o estardalhaço q fizemos com a presença de ambos no programa, o email q enviei pro povo... Não estamos livres de que algo do tipo aconteça de novo, mas pelo menos, de agora em diante, só vou anunciar convidados após a devida confirmação verbal do próprio, no dia do programa.

quinta-feira, agosto 05, 2004

Abaixo o Nepotismo!

Um pesado golpe foi desferido contra a dinastia dos Jorge, notorios praticantes do nepotismo no Rock. Don, o caçula da linhagem, preocupado em não acabar como seus irmãos mais velhos, os debochados praticantes dos excessos do rock Mario e Roney, resolveu tomar tenência na vida e mudou seu horario na Faculdade para o periodo noturno, para que possa trampar em periodo integral. Don, desde a semana retrasada, comanda a numerosa equipe do Jornal da MTV-Bahia, equipe esta composta por cinegrafista(Don), editor(Don), contra-regra(Don) e diretor de imagens(Don).Vai ao ar aos sabados as 5 da tarde, e por enquanto com duração de 1 minuto. Parece pouco, mas acreditem, suamos sangue para poder ter este espaço. Quando a faculdade der uma tregua, Don participará dos programas, porque uma vez rock loco, sempre rock loco. Assume seu lugar ninguem mais,ninguem menos que Rogerio Big Brother, o big boss do rock da Bahia. Bigs, que ja era participante fixo dos programas ás quartas agora comanda de vez a bagaça. O problema agora é que sobrou pra mim,que agora tenho dois chefes, Mario Jorge, o chefão do Rock Loco, e Bigs, o big boss do Rock baiano.Que cazzo devo fazer?

DUPLA DUZINFERNO

O Rock Loco de sexta contará com a presença de duas das mais carismáticas e controversas figuras do rock circuitão Pós Tudo / Calypso. É coisa fina, de botar outras duplas memoráveis como Tom & Jerry, Jagger & Richards e Romário & Ronaldinho no chinelo. Eles não são de banda, mas são personalidades importantíssimas no contexto do rock soteropolitano. Até já demos um grau no banheiro do estúdio. Como já foi dito em outro post, quem ouvir, verá. Amanhã eu revelo a identidade dos figuras. Nesta sexta, a partir das 20 horas.

quarta-feira, agosto 04, 2004

BORN TO BE WILD IN MY MIND

Dizem que o primeiro sinal de que estamos ficando velhos é quando passamos a maior parte do tempo relembrando do passado, ao invés de viver o presente e planejar o futuro. Não sei se é o meu caso, afinal, este egocêntrico aqui conta com apenas 32 primaveras (bem vividas, sim senhor) em seu currículo, mas ontem, ao ouvir a versão do The Cult para o clássico ultramanjado Born to be wild, do dinossauro Steppenwolf, a fumaça de tempos há muito passados me envolveu por alguns instantes, conduzindo-me de volta ao longínquo ano de 1987, quando comprei o disco que continha esta cover, o Electric. Já gostava do Cult desde o Love, primeiro disco deles a sair no Brasil, que tinha os hits She sells sanctuary e Revolution. Em outros posts sobre essa época, lembrei que meus amigos, então metaleiros incorrigíveis, execravam qualquer banda cujo nome começasse com The. The Cure, The Smiths, The Jesus and Mary Chain, The Cult, e até mesmo The Beatles e The Rolling Stones eram sistematicamente rechaçados nas tardes que passávamos juntos após a aula em intermináveis audições de bandas como Iron Maiden, Kiss, AC/DC, Led Zeppelin, Black Sabbath, Deep Purple e outras bandas de metal das quais só se ouvia falar na época, como Helloween, Omen, Raven, Samson, Def Leppard, Grim Reaper e outras que não lembro agora. Nenhuma delas tinha ?The? no nome. Para ouvi-las, valia tudo. Gravar do Píer Rock Transamérica (uma verdadeira escola, ouvi muita coisa pela primeira vez nele), gravar dos amigos, perambular pelo centro da cidade (na Gioventu, na Avenida Sete, tinha de tudo). O preconceito era tal, que, em um determinado número da revista Bizz, veio encartado um flexi-disc dos Smiths: ?Still ill? era a única faixa. Era a primeira vez que saía alguma coisa dos Smiths no Brasil. Pois bem: os vermes pegaram MEU flexi-disc dos Smiths, da MINHA Bizz e, depois de amassa-lo impiedosamente, lançaram o resto pela janela do apartamento do Bruno Uzêda. Além de Bruno, participaram deste ato de vandalismo, os senhores Rozendo Loyola e Emerson Borel. Mas eu tô me estendendo demais. Pois então. Quando comprei o Electric do Cult, eu imediatamente despiroquei. Ouvi o disco não sei quantas vezes seguidas. No dia seguinte, levei-o a casa de Emerson, que com sua óbvia má-vontade com as bandas ?The?, não queria ouvir o disco. ?É pesado, rapaz, larga mão de ser besta e bota aí?. Logo na primeira música, caiu o véu do preconceito (eita lugarzinho comum ruim danado). Emerson viu que as bandas ?The? tinham o seu valor e sabiam tocar pesado e sabiam fazer grandes solos de guitarra. Logo depois, o levamos à casa de Bruno para mostrar a boa-nova e também por que Emerson queria grava-lo em uma fita. É possível que tenha começado aí o processo de corte do cordão umbilical de Emerson do metal tradicional rumo ao rock n? roll furioso e alto-astral que caracterizaria o som da Úteros em Fúria após a sua entrada na banda, em 1988. É possível. Também é possível que tudo aquilo, toda aquela música já estivesse com ele desde o início, desde que ele nasceu. Seja qual for que tenha sido meu papel nessa história, o de catalisador ou de cortador de cordão umbilical, eu fico feliz só de fazer parte dela. E tudo isso por que Roney e Luciano fizeram um programa só de covers ontem à noite.

segunda-feira, agosto 02, 2004

Ativismo contra o mau gosto é solução?

Saiu no Laboratório Pop (http://www.labpop.com.br/edicoes/edicao_20040730/mat_20040730_vig.htm) entrevista com um doidão californiano que alerta as pessoas contra o mau gosto musical na porta de shows do Linkin Park, Evanescence, Aguillera, Nickelback e outras nulidades. No site do ativista contra o mau gosto tem vídeos em quicktime das manifestações. http://www.youhavebadtasteinmusic.com/ Perfeito. Vamo juntar a galera do Rock Loco e fazer manifestações contra o lixo musical na porta dos shows de Emerson Nogueira, Ana Carolina, Charlie Brown Jr, Detonautas, Zélia Duncan, Ivete Sangalo, Carlinhos Brown... Quem tá comigo? Já pensou, eu, Mário, Sora, Roney, Luciano, Braminha e Don Jorge fazendo barricada na porta do mega show de arrocha q vai ter no 11 de setembro: NO PASSARÁN! Rááááááá! Pelo menos ia chamar a atenção pro programa.

domingo, agosto 01, 2004

Cd´s em decomposição

Vejam só esta que eu pesquei na ultima Rolling Stone:

Michele Youket, americana de Washington D.C.,começou a notar que varios cd´s da sua coleção particular estavam apresentando pequenas bolhas e se oxidando, e ficando inutilizados.Como cientista chefe do departamento de pesquisa de preservação da biblioteca do congresso americano,que detem varios titulos em cd-rom, resolveu conduzir a mais extensa pesquisa publica já feita sobre o assunto e suas conclusões iniciais podem ter implicações gravissimas para a industria de cd´s.A tecnologia que já tem 22 anos,e que foi vendida pela industria fonografica como indestrutivel,é sim de fato destrutivel.Uma mesma pesquisa conduzida por Dan Koster,da Universidade de Queens,na Carolina do Norte, chegou a conclusão semelheante.As primeiras consequencias são na propria biblioteca do congresso americano;a pesquisa de Michele vai ser apresentada para uma comissão que vai decidir se os titulos em cd-rom vão ser substituidos por outro tipo de midia .O estudo não conseguiu determinar quanto tempo duram os cds,mas uma coisa é certa,os cds fabricados ha 20 /15 anos atras usavam materiais de qualidade inferior aos atuais e é bastante provavel que os nosso cds mais antigos estejam com os dias contados..Os cds mais recentes usam materiais que garatem maior durabilidade,e os cientistas apostam que eles duram 70/80 anos.Em todo caso menos que o vinil.E em pensar que grande parte das pessoas com mais de 35 anos substituiram a maior parte das suas coleções de disco de vinil para cd,o que proporcionou o maior boom da industria fonografica de todos os tempos,entre os anos 80 e 90.E isto sem falar na qualidade inferior de audio da maioria dos cds em relação ao vinil,fato este só corrigido recentemente pelas tecnologias do Dvd-Audio e do SACD.Fomos roubados escandalosamente.