sexta-feira, setembro 29, 2006

COMO ERA GOSTOSA A MINHA MPB

Instiga (SP) e Seu Zé (RN) demonstram pegada inspirada na MPB dos anos '70 e potencial nas suas estréias em CD, apesar das muitas arestas a aparar

Ao ouvir o Máquina Milenar, CD de estréia da banda campineira Instiga, lançado em fevereiro de 2005, fiquei com a pulga atrás da orelha, pois o disco parece uma obra completamente descolada da realidade atual do rock, sem seguir tendências de mercado. O Instiga não emula bandinhas estrangeiras, não tem sequer cacoete das ondas punk ou pós punk tão em voga na atualidade, o que aliás, é muito bom. Certo, aqui e ali é possível pegar algo de Los Hermanos, mas mesmo essa referência ainda é muito tênue, muito frágil para estabelecer uma influência. A MPB dos anos 1970 de nomes como Ednardo, Fagner e Chico Buarque parece o principal ponto de partida da banda, liderada pela voz rouca de Christian Camilo. As vezes parece uma coisa meio esquizofrênica, o ouvinte fica na dúvida se o som da banda é resultante de uma personalidade fortíssima que se fecha para influências externas ou se é exatamente o contrário, de uma falta de personalidade alarmante, pois salvo as influências mais básicas, pouco se consegue depreender, na audição do disco, das intenções e do background dos seus autores. Apesar do sabor algo démodé que permeia quase todo o disco, a Instiga conseguiu cravar alguns bons momentos, como "Faber Castell" (talvez a faixa mais redonda de todo o disco) e "Fim do dia". Segundo o material de divulgação, a banda entrou para a história da música independente nacional ao se tornar a primeira banda brasileira a estrear na programação da webrádio Woxy. A despeito da grandiosidade (ou não) do feito, seria mais legal se a Instiga conseguisse entrar na história da música pela qualidade de suas canções. Mas isso, quem sabe, mais para adiante, após o devido amadurecimento das composições e influências... A Instiga é formada por Christian Camilo (voz e violão), Heitor Pellegrina (baixo), Guilherme Molina (guitarra) e Pedro Leite (bateria).

Mais redonda em sua proposta, a banda potiguar Seu Zé vem colecionando elogios com seu promissor primeiro trabalho, Festival do desconcerto, um disco quase conceitual que também aposta na mistura rock/mpb e, a bem da verdade, acerta tanto quanto erra nos alvos em que mirou. As influências são óbvias: Zé Ramalho, Fagner (olha ele aí de novo), Led Zeppelin, Chico Buarque, Gonzagão, Secos & Molhados. A certa altura do disco, o ouvinte fica a se perguntar da legitimidade de letras como "eu vou partir, vou deixar meu sertão / com esperança na alma e enxada na mão", entoadas por jovens de aparência tão classe média. Essa faixa, por exemplo, "Plantando no céu e colhendo no inferno" não faria feio num concurso colegial, mas parece ingênua e recorrente aqui. Da mesma forma, suponho que Antônio Conselheiro já teve seu nome citado e homenageado em canções, cordéis e poemas o bastante. Para que mais uma então, pelamordedeus? E singelamente intitulada "Antônio Conselheiro", ainda por cima? Confesso que não tenho mais muita paciência para esse tipo de coisa. Cioso da sua tarefa, contudo, o blogueiro obstinado fruiu do disquinho até o fim, e como sempre, captou aqui e ali seus pontos positivos, como "Soldado de Deus, mercenário do diabo", "Sai galada" (uma bom tratado sobre a ressaca) e "A viagem" (a melhor faixa que o Cordel do Fogo Encantado não gravou).

MAIS ALTO QUE A VIDA
Recentemente chegado às locadoras, o documentário Heavy metal: louder than life não apresenta muitas novidades para os conhecedores do gênero, mas concede aos fãs saborosos depoimentos de luminares do metal contando histórias do arco da velha. Nomes como Dee Snider (Twisted Sister), Ian Paice (Deep Purple), Phil Philthy Animal Taylor (Motorhead) Geezer Butler (Black Sabbath), Ronnie James Dio (Rainbow, Sabbath, Dio), Stephen Percy (Ratt), John Sykes & Steve Gorhan (Thin Lizzy) e Bernie Marsden e Micky Moody (Whitesnake), entre vários outros, além de empresários, produtores e jornalistas de publicações especializadas como Kerrang! e Metal Hammer. Um trabalho de fôlego do documentarista - e fã - Dick Carruthers, que faz uma varredura do gênero desde os seus primórdios, nos anos 1960, até bandas que ele aponta como o futuro do estilo, como In Flames, Mastodon e Craddle of Filth. Louder than life não está muito interessado em fechar questões como qual seria o primeiro disco do metal (o primeiro do Sabbath? Led Zeppelin II? O primeiro do Blue Cheer?), e sim, em contar histórias, louvar os grandes nomes e pintar um grande painel do metal de todos os tempos. Boa distração para fãs e bom ponto de partida para neófitos em partes iguais. No disco 2 recheado de extras, destaque para uma entrevista de meia hora com Dee Snider, uma figuraça que se revela mais consciente e lúcido que 99% dos seus pares e um segmento com a hilariante banda Metal Skool, a resposta de Los Angeles para o The Darkness, elevada à enésima potência em purpurina, laquê e roupas extravagantes. De rachar o bico.

GUITAR HEROES EM TRÂNSITO - Como já se sabe, Cândido Nariga Soto Martinez Jr., o fantástico guitarrista da Theatro de Seraphin, deixou a banda para se dedicar apenas à Cascadura, com quem já vinha tocando há algum tempo. Espertos, os ex-companheiros da Theatro logo recrutaram César Vieira, lendário guitarrista da extinta brincando de deus, que tava dando sopa na cidade, sem tocar com ninguém, já há alguns meses. No fim das contas, pode-se dizer que ganharam as duas bandas e o público baiano, que acompanhará a adaptação de César em sua nova banda - e vice-versa. Muita sorte e rock n roll tanto para a Theatro quanto para a Cascadura, que elas merecem.

UM BOM MOTIVO PARA METER A MÃO NA CARTEIRA - Finalmente chegou às lojas o primeiro e aguardado disco solo de Paulinho Oliveira, guitarrista da primeira divisão do rock baiano, que tocou na Stone Bull e Cascadura (no tempo que ainda era Dr.). "UM BOM MOTIVO" está disponível no estúdio de Alvaro Tattoo, na loja Perola Negra (canela e itaigara) e na Flashpoint do Barra. Tem uma resenha sobre no blog Clash City Rockers.

AGENDA

Os Mizeravão - Eu cavo, tu cavas, ele cava, nós cavamos, vós cavais, eles cavam...não é bonito mas é profundo. Assim também o é, o show dos Os Mizeravão, não tem frescura, esse negócio de "nhe, nhe, nhe", mas é profundo, com letras que atingem o fundinho do seu coração, insultos que doem na intimidade de seus ouvido, poesias que te deixam completamente ensopado e humectantemente inebriado de sofreguidão, ...pois então, porque motivo ainda te recusas a acreditar, que é o evento mais hot, hot, hot deste sabado a noite...vai lá Participação especialissima nas pick ups do DJ Roger n´Roll Sábado 30/09, Casa da Dinha, Horário: 22:00hs, Ingresso: 10,00 até 23:30 e 15,00 após 23:31

ZecaCuryDamm e Flowers - Com lotação esgotada no domingo passado ZecaCuryDamm continua na Casa da Dinha, Concebida pelos músicos e amigos Damm (vocal, violão e guitarra), Cury (bateria) e Zeca (baixo e percussão), a ZecaCuryDamm incorporou ainda o tecladista Nando e o baixista Vítor, formando A Formidável Família Musical. Recem chegada de uma turné pelo sul do país a banda mantem uma agenda lotada para os próximos meses. Não perca, último domingo na Casa da Dinha. Domingo 01/10,, Casa da Dinha Horário: 19:00, Ingresso:10,00

Os Abalos de Sábado a Noite - com as bandas: Demoiselle, Pessoas Invisíveis, Matiz e DJ OX. Dia: 30/09 (Sábado), Local: Zauber (Ladeira da Misericórdia - Centro), Ingresso: R$ 5,00

Halloween com Retrofoguetes & Cascadura - Dia: 06/10 (Sexta-feira), Local: Zauber Multicultura (Ladeira da Misericórdia, atrás da prefeitura), Horário: 22:00Ingresso: R$ 12,00 (R$ 15,00 depois da meia-noite), Serão aceitos todos os cartões de crédito, tanto na bilheteria do show como no bar, Traje preto ou fantasia

sábado, setembro 23, 2006

PHODCAST EM TRANSE !

Ta no ar, gravado no Estudio em Transe com Berlinda, e canjas luxuosas de Candido" McFly"! Vandex ! Ozzy Osbourne! Andre! Cebola! Batata! Maionese ! Vai Lá! No www.rockloco.podomatic.com !

segunda-feira, setembro 11, 2006

CARLOS LOPES E O PRINCÍPIO LEMMY KILMINSTER

Primeiro disco do power trio Mustang até que não é mau - se você não exigir muito além do seu costumeiro it's only rock n' roll.

Rocknrolljunkfood (Old School Nice Lessons Records - 2002), cd de estréia da Mustang (não confundir com a banda de country axé geriátrico Mustangs - no plural, de Salvador), é um daqueles discos para o qual sempre valerá a velha máxima de Lemmy, eterno band leader do Mötorhead, segundo a qual "rock n' roll bom é aquele que faz seus pais reclamarem do barulho". Quer dizer, se até seus pais já se acostumaram com o rock que você ouve, é por que tem alguma coisa errada com ele...

À moda do velho Lemmy, esse é um disco de rock no sentido mais convencional possível do termo: ruidoso, alto, musculoso, veloz como o carro que lhe cedeu o nome, pé-na-porta-soco-na-cara. O negócio é tão brabo que a rigor, esse disco nada mais é que o registro de um ensaio gravado ao vivo em três (!) canais. Enfim: ele é tão mau que pode coçar o saco na sua frente e cuspir no seu chão, sem qualquer cerimônia (até por que se cuspisse na sua cara, já seria outra coisa: punk).

Esse tipo de proposta é perigosa, pois pode cair na caricaturização de um The Darkness (descontada a viadagem), por exemplo. Sorte que no comando desta empreitada, temos um Carlos Lopes, puta velhíssima do underground carioca, o homem por trás da Dorsal Atlântica, uma das melhores bandas de metal brasileiras de todos os tempos. De modo que a proposta de resgate da espontaneidade e colhões (guts) do rock n' roll, inspirada na velha escola de bandas como o próprio Motorhead, AC/DC, MC5 e New York Dolls, entre muitas outras, acaba vingando nas 16 faixas do CD. Muitas delas - as mais pesadas, como Bloody barbecue rock n' roll e Supermacho (uma das poucas que não gostei), poderiam estar em algum disco da Dorsal, feitos os devidos ajustes de arranjo. Outras, contudo, como The ides of March, Black Maria e Melissa, explicitam as influências glam da banda, lembrando muito David Bowie, Sweet e até Alice Cooper, cantor cujo timbre Lopes nos lembra em seus momentos menos rasgados. Já como guitarrista, ele pode até não sair esmerilhando nos solos (como se dizia antigamente), mas solta suas faíscas em riffs matadores, como os de Social security e Principles.

Conceitualmente, para a Mustang, a barbárie já está instalada faz tempo e as ampulhetas jazem estilhaçadas no chão - o próprio conceito de tempo já não importa mais. O importante é o aqui agora e expressar tudo o que se sente e se quer dizer, pilhar a cultura pop, cair na estrada e aumentar o volume, por que afinal de contas, isso aí é que é rock n' roll.

Como já disse, acho tal discurso perigoso, até por que quem só segue esse princípio, acaba formatando e por conseguinte, encaretando o rock n' roll - que, por definição, prescinde de regras e formatações de qualquer tipo. Querer prender este senhor sessentão num formato qualquer é ignorar seu potencial infinito de se reinventar. E de mais a mais, eu já não moro com meus pais faz tempo...

Enfim, apesar de algumas reservas, Rocknrolljunkfood é um disco bom de se ouvir numa daquelas sextas-feiras brabas, com muita cerveja e varando a noite. Mas no sábado de manhã você vai guarda-lo com todo o carinho de volta na prateleira, de onde só sairá para a próxima jornada longa noite adentro...

DEMOISELLE BOTANDO AS MANGUINHAS DE FORA - A Demoiselle, banda dos ex-Cascadura Ricardo The Flash Alves e Toni Oliveira, que segue tocando pelos bares da cidade, lançou também seu primeiro clipe no You Tube, já viu? Eu, não! E não é por que não quisesse, é por que no momento, não tenho como, mesmo. A banda também enviou um outro link onde se lê Demoiselle e Barão Vermelho no You Tube, mas eu também não tenho idéia do que seja (além do que o título entrega). Para saber mais sobre a Demoiselle, é melhor ir no site deles, por que, como vocês já devem ter percebido, eu tô mais por fora que umbigo de vedete.

POR JÚPITER (MAÇÃ)! - Parabéns para Jamile Vasconcelos e o pessoal que botou o Projeto Gira Independente pra, uh, girar semana passada na Zauber. Compareci no primeiro dia, com Júpiter Maçã e Retrofoguetes, e gostei bastante do rock. Bom astral, som razoável, o povo a fim da puteira generalizada. Devido ao meu usual e lamentável estado etílico, me furtarei de considerações mais profundas sobre os shows em si. Retrofoguetes foi lindo como sempre. Já o Júpiter, com uma banda enxuta, economizou também nas palavras e foi direto ao rock, abrindo o show em clima carnavalesco, com a bela Marchinha Psicótica do Dr. Stu. Daí em diante, tocou quase todo o repertório do seu melhor disco, A Sétima efervescência (1997), mais algumas músicas de discos mais recentes, com os quais não sou muito familiarizado. O interessante é que ele atualizou o arranjo de várias daquelas faixas clássicas do Sétima..., dando-lhes um sabor Franz Ferdinand / The Rapture. E não é que ficou massa? Bom, pelo menos, no estado semi-selvagem em que me encontrava, era tudo o que eu podia querer: som de puteira. Grande night, e que venham outras edições do Gira.

O MESSIAS EM SALVADOR - Sábado agora (16.09) tem lançamento da graphic novel O Messias, dos baianos Gonçalo Júnior e Flávio Luiz na Galeria do Livro. Flávio, como leitores mais assíduos deste blog já sabem, é o talentoso cartunista do jornal Correio da Bahia e autor do gibi Jayne Mastodonte, entre outras criações. Gonçalo é o jornalista especializado em quadrinhos mais hypado do momento, autor de obras como Tentação à italiana, A Guerra dos Gibis e O Homem Abril. No lançamento, só Flávio, que é uma figuraça simpaticíssima, estará presente para autografar os exemplares. O Messias é um romance gráfico mudo sobre a guerra do tráfico contra o poder instituído, uma realidade bem presente no Brasil em 2006, com tendência de piorar. O álbum estará a venda pelo módico preço de R$ 29,00 e vale bastante a pena. Sábado, 16.09, a partir das 16h, na Galeria do Livro (Boulevard 161, Itaigara).

AGENDA

FÁBIO CASCADURA ROCK'N ROLL SOUL!!! No Balcão Botequim (Curva da Paciência - Rio Vermelho). Nesta quinta, 14/09, a partir das 21h (pontualmente!). Couvert R$ 5,00.

CASCADURA "Das Antigas Acústico"! Balcão Botequim (Curva da Paciência - Rio Vermelho) Dia 17/09 (domingo) Às 18hs R$ 10,00 (lotação 100 pessoas) Apoio: Álvaro Tattoo, Marinho Guitars, Red Pigs MC e Ricardo Ferro Design.

quinta-feira, setembro 07, 2006

terça-feira, setembro 05, 2006

Phodcast 11

No www.rockloco.podomatic.com. Estrelando Nei Bahia( finalmente entregando os hypeiros da cidade) , Candido McFly, Yuri Britto, Cebola, Sandy e Priscilla.Depois voltem pro post abaixo. O Rock Loco exige uma CPR!!!!!! ( comissao parlamentar do rock) pra este premio suspeito. Cade os dolares Luciano? Isto nao se faz, onde ja se viu, vice-lanterna é....

segunda-feira, setembro 04, 2006

RONEI JORGE FAZ BARBA, CABELO E BIGODE NO PRÊMIO BAHIA ROCK INDEPENDENTE 2005

E deu Roninho na cabeça do Prêmio Bahia Rock independente 2005. Ronei Jorge & Os Ladrões de Bicleta levaram os primeiros lugares nas principais categorias: de Melhor Banda e Melhor Disco, com seu CD de estréia. Por apenas um pentelhésimo de 2 pontos percentuais, quase levam a categoria de Melhor Banda ao vivo, que ficou mesmo com os imbatíveis Retrofoguetes. Bacana também ver a Mirabolix, banda que levo fé, vencer bonito na categoria Melhor Banda Revelação. Não poderia deixar de registrar a satisfação deste blog em envergar com muita dignidade a vice-lanterna da categoria Imprensa/Inernet, à frente apenas da coluna Discomania (Correio da Bahia), de Hagamenon Brito. Mamãe, essa é pra você. Parabéns à todos os participantes e especialmente à Luciano El Cabong Matos, que organiza esse prêmio sozinho. Esse ano, a entrega será no show do vencedor Ronei Jorge & OLDB, dentro do Projeto Gira Independente, que será nessa quarta, 6 de setembro, na Zauber. Acompanhem os resultados a seguir (vencedores em negrito).


Prêmio Bahia Rock independente 2005 - Resultados

1. MELHOR BANDA:
- Dr. Cascadura = 15,2%
- Retrofoguetes = 22,8%
- Ronei Jorge e os Ladrões de Bicicleta = 35,7%
- Sangria = 8,8%
- The Honkers = 17,5%

2. MELHOR CD:
- Azul e Roxo, Tara_Code = 12,4%
- Deep vision of unreality, Veuliah = 5%
- O que me ensinaram a pensar, Malcom = 16,9%
- Revés de um Si Bemol, Mirabolix = 23,7%
- Ronei Jorge e os Ladrões de Bicicleta, RJLB = 42%

3. MELHOR EP/DEMO:
- Amanhecer em Minas Gerais, Starla = 16,9%
- Dramorama, Soma = 25,7%
- Lou, Lou = 36,8%
- Tecnologia S/A, Tritor = 7,4%
- Canto dos malditos na terra do nunca, CMTN = 13,2%

4. MELHOR BANDA AO VIVO:
- Dr. Cascadura = 15,6%
- Retrofoguetes = 27,5%
- Ronei Jorge e os Ladrões de Bicicleta = 25,6%
- Sangria = 6,9%
- The Honkers = 24,4%

5. BANDA REVELAÇÃO:
- Canto dos malditos na terra do nunca = 16,9%
- o vestido preto de valentina = 3,4%
- Malcom = 27,7%
- Mirabolix = 30,4%
- Starla = 21,6%

6. MELHOR BANDA DO INTERIOR:
- 5 contra 1 (Poções) = 8,9%
- Ardefeto (Vitória da Conquista) = 9,8%
- Cama de Jornal (Vitória da Conquista) = 9,8%
- Declinium (Dias D'Ávila) = 49%
- Lp e os Compactos (Feira de Santana) = 22,5%

7. MELHOR BANDA VISITANTE:
- Cachorro Grande (RS) = 52,3%
- Gram (SP) = 32,8%
- Nervoso e os Calmantes (RJ) = 7,2%
- MQN (GO) = 2,3%
- Wry (SP) = 4,8%

8. MELHOR SELO:
- Atalho = 41,7%
- Estopim = 2,3%
- Frangote = 10,6%
- Maniac = 9,8%
- Big Bross = 35,6%

9. MELHOR ESPAÇO PARA SHOWS:
- Calypso = 15,9%
- Casarão Santa Luzia = 10,6%
- Miss Modular = 53,8%
- Rock in Rio = 12,9%
- Zauber = 6,8%

10.MELHOR EVENTO:
- Beatles Social Club = 17,5%
- Big Beats = 13,3%
- Gravação do dvd da brincado de deus = 2,5%
- Mercado Cultural = 25%
- Seletiva Claro que é rock = 41,7%

11.MELHOR EVENTO NO INTERIOR:
- A Conquista do Rock (Vitória da Conquista) = 19,8%
- Cacau Ouro Festival (Itabuna) = 4,1%
- Conquista Rock Festival II (Vitória da Conquista) = 16,6
- Pólo Rock Festival ? 2ª Edição (Camaçari) =38,2%
- Rock Rio São Francisco 2 (Bom Jesus da Lapa) = 11,3%

12.MELHOR FESTA:
- 8 ou 80 = 13%
- Boogie Nights = 18,7%
- Nave = 31,8%
- Os Maicols = 27%
- Soul Sundays = 9,5%

13.IMPRENSA E INTERNET:
- Bahia Rock = 64,8%
- Caderno Dez = 15,2%
- Discomania = 2,4%
- El Cabong = 9,6%
- Rock Loco = 8%

14.TV/ RÁDIO:
- 16 Toneladas (Educadora Fm) = 8,6%
- Hora do Rock (Globo Fm) = 14,7%
- Curto Circuito (Transamérica Fm) = 49%
- O Novo Rock Baiano (TVE) = 14,7%
- Soterópolis (TVE) = 12,7%

ROCK N' GERAL 05.09 - O Rock n' Geral é o programa comandado pelo chapa Eduardo Bastos na Rádio Educadora FM 107,5 todas as terças, sempre as 21h. E a partir dessa semana, você sempre poderá saber o que rola no programa da semana aqui no Rock Loco, do mesmo jeito que já rola com o Hora do Rock. Sem mais delongas, segue a ótima programação de amanhã. Do release: Amanhã, às 21h, vamos tocar um show da última turnê do Thin Lizzy (cortesia de Cláudio 'Esc' Moreira) em junho de 83, no Hammersmith Odeon, de Londres, com a participação de membros de todas as formações. Entre as músicas, The Boys Are Back in Town, Waiting For An Alibi e Emerald. Já na terça, dia 12 de setembro, a atração é a banda paraibana Zefirina Bomba, com entrevista com os caras e tudo.


AGENDÃO

Projeto Gira Independente traz volta aos palcos de Ronei Jorge e os Ladrões de Bicicleta com repertório novo e lançamento do segundo clipe além de estréia na Bahia da big band Móveis Coloniais de Acaju (DF) e Zackarias Nepomuceno (PB) Liberdade de amarras dos gêneros e rótulos é o que une as três atrações do segundo dia do GIRA INDEPENDENTE APRESENTA. O show acontece na Zauber, no dia 6 de setembro (véspera de feriado) e promove o encontro entre Móveis Coloniais de Acaju (DF), Zackarias Nepomuceno (PB) e os baianos Ronei Jorge e os Ladrões de Bicicleta. Sem rédeas e com um punhado de personalidade, cada uma das bandas apresenta sua receita de se relacionar com a música brasileira. O show marca a volta aos palcos dos baianos Ronei Jorge e os Ladrões de Bicicleta. Depois de meses sem fazer shows, a banda traz repertório novo, numa amostra do que virá no próximo disco, além das músicas já na ponta da língua do primeiro CD lançado no início do ano. Quarta 06/09 Horário:22h Ingresso: R$12 (R$15 depois da meia-noite), na Zauber Multicultura (Ladeira da Misericórdia, nº 11, atrás da prefeitura).

Tomada Rock Festival 2 - Salvador era a única grande capital brasileira que não tinha um festival realmente independente. Pensando nisso, quatro selos independentes de Salvador, Estopim Records, Atalhos Discos, Maniac Records e Big Bross Records, fizeram em Novembro de 2005 o TOMADA ROCK FESTIVAL. O evento ocorreu no Rock In Rio Café e contou com 06 bandas. O TOMADA ROCK FESTIVAL 2 será realizado em 06 de setembro (véspera de feriado) ás 20H novamente no Rock In Rio Café, com as bandas Theatro de Seraphim, Plane of Mine, Sangria, Lou, Flauer e Mirabolix os ingressos serão vendidos em 6 pontos de vendas:Andarilho Urbano, PIDA, Alpha Vídeo, Smile Stamps, Rock Store e Maniac Records e custarão R$10 antecipados e R$12 na porta. Quarta 06/09 Horário : 20:00hs, Rock'n Rio Café( Aeroclube Plaza Show).

Pôr-do-Som: Radiola, na versão unplugged - Todos os Domingos de Setembro, o Pôr-do-Som mostrará um show da Radiola diferente. As músicas contidas em Dois de Fevereiro ganharam uma nova leitura, mais "light", algo entre o elétrico e o acústico. Ao contrário do se pensa em relação às apresentações desse tipo, a Radiola garante um show bem dançante, como sempre é característico da banda. Os ingressos para o Pôr-do-Som custam 7 reais. Horário: A partir das 18h30Ingresso: R$ 7,00, 10.09 Domingo, Barraco (Porto da Barra, em frente ao Forte de Santa Maria).