quarta-feira, agosto 30, 2006

MARK MILLAR E A SAGRAÇÃO DA SACANAGEM


Fantasiar que é Jesus Cristo reencarnado na Terra não é tão incomum entre crianças. Eu mesmo tinha momentos de devaneios quando era guri. Me achava tão puro, mas tão puro, que eu só podia ser Deus. (Lembrei que na graphic novel Persépolis [Vol. 1], da iraniana Marjane Satrapi, ela fala de uma memória mais ou menos parecida de sua infância). Vai que um guri de doze anos (já não tão puro, como qualquer guri de doze anos) descobre que é mesmo? Digo, O Filho de Deus, Jesus Cristo reencarnado?

Em Chosen - O Eleito do Senhor, Mark Millar nos oferece a sua visão usualmente perversa dessa suposição. Se tem alguém aí que não está ligado, Millar é um escocês cachaceiro que milita na linha de frente dos melhores escritores britânicos de quadrinhos e autor de Os Supremos, Wanted - Procurado e Super-Homem: Entre a foice e o martelo, entre outros. Chosen conta a história de Jody Christianson - JC, claro - um garoto de 12 anos como outro qualquer, do tipo que esconde Playboys no mato com os amigos e que, num belo dia, sofre um pequeno acidente, quando um caminhão de 16 rodas e não sei quantas toneladas despenca de uma ponte e cai bem em cima dele.

Para surpresa geral, ele sai sem um arranhão debaixo do bicho. Depois disso é aquela história: água em vinho, levanta-te e anda, etc. Como de costume, Mark Millar, auxiliado pelos ótimos desenhos de Peter Gross (Os Livros da Magia), brinda o leitor com o texto afiado de sempre, tanto na narração em primeira pessoa do personagem principal - vinte anos depois dos acontecimentos mostrados na história -, quanto nos diálogos, verdadeiros tiroteios verbais.

Todos os detalhes significativos da mitologia cristã e pistas para o leitor matar a pegadinha millariana estão espalhadas pelas páginas de Chosen, e até um divertido e dissimulado paralelismo com Star Wars é proposto pelo autor, que aliás, pelos seus depoimentos incluídos nos extras desta edição da Mythos, se divertiu muito escrevendo a obra - ao mesmo tempo em que dava vários perdidos por email nos editores da Dark Horse, editora americana original. O cara simplesmente não explicou aos editores sobre o que se tratava Chosen, até que estivesse pronta, desenhada e colorida. Aliás, um belo colorido da esposa de Gross, a artista plástica Jeanne McGee.

Se fosse para recomendar a alguém, Chosen é mais um produto com a marca registrada Mark Millar: personagens densos, texto sacana, narrativa enxuta, ágil e gostosa de ler, algum sensacionalismo e um final absolutamente ultrajante. Tem até quem não goste, mas quer saber? Eu não levo fé neles.

Chosen - O Eleito do Senhor saiu pela Mythos já tem algum tempo, mas procurando, ainda é possível encontra-la em algumas bancas de Salvador. Custa R$ 24,90 e tá valendo o preço, pois além de ser material de primeira, é uma edição rica, vitaminada com vários "extras": uma apresentação muito bacana de Simon Pegg (ator e roteirista do genial filme Shaun of the dead - Todo mundo quase morto, no Brasil), galeria de capas, um bate-papo entre os autores, a hilária troca de emails entre Mark Millar e os editores da Dark Horse, biografias, um making of com Peter Gross e até dois posfácios escritos por religiosos, o Irmão John Hanson (Ordem de São Benedito, Abadia de São João Collegville, Minnesota) e Irmão Richard Hendrik (Capelão da Ordem dos Frades Menores, Mosteiro de São Francisco, Blanchardstown, Dublin). Deus te abençoe, Mark Millar.

CLIPE CLAUSTROFOBIA - E o vídeo clipe do rock baiano está em alta, todo mundo se coçando e fazendo o seu do jeito que dá, com resultados irregulares, mas nunca passando em branco, marcando presença em festivais, competições e ganhando seus prêmios (veja o post anterior). Rapazes batalhadores, a Mirabolix lança o seu primeiro clipe na rede, da música "Tudo de Novo; Começo sem Fim", dirigido e produzido por Renato Gaiarsa e Rodrigo Luna. Eles mesmos, os recém-premiados no Festival Gramado Cine e Vídeo, pelo clipe de "Non Enhanced Head CT", da Plane of Mine. No clipe da Mirabolix, não tão rico quanto esse primeiro, a dupla compensa as limitações de produção com uma dose de criatividade, apresentando a banda tocando dentro de um apartamento qualquer, enquanto um sujeito meio agoniado tenta sair de casa, sem conseguir, o que dá um certo clima claustrofóbico ao vídeo. Duas cenas são especialmente bacanas. Uma é quando o cara resolve descer a escada do prédio e por mais que tente, não consegue sair do 5º andar. A outra mostra o mesmo ator três vezes em cena, fazendo coisas diferentes. Pra mim que sou leigo, deu pra ficar coçando a cabeça. "Duh, como é que eles fizeram isso"? Assista.

SENHOR F NA ESCOLA - Baixe as músicas da coletânea Terceira onda - O Novo rock de Brasília, parte do Senhor F na Escola. Inclui capa e encarte para você montar seu CD bonitinho. Tem Beto Só, Móveis Coloniais de Acaju, Sapatos Bicolores, Suíte Super Luxo e Gramofocas, entre outras bandas.

HORA DO ROCK 31.08 - No programa Hora do Rock de hoje tem Teenage Fanclub (música do disco novo, Man Made), Primal Scream (idem, do Riot City Blues), inédita do Radiohead, Lush, Pulp, Ride, Galaxie 500, New Folk Implosion, Raveonettes, Yeah Yeah Yeahs, Strokes, Raconteurs, Dandy Warhols e Klaxons. Para ouvir: toda quinta, às 21h, na Globo FM (90,1 em Salvador-Ba), ou no podcast, onde estão disponíveis também os programas anteriores: http://horadorock.podomatic.com.

AGENDÃO

Pela Primeira Vez no Brasil... - A banda Punk de Portland (USA), Clorox Girls estará em tour pelo Brasil nos meses de agosto e setembro, passando por Salvador também: Bandas CLOROX GIRLS (EUA) (www.myspace.com/cloroxgirls), PATO ROCKO (www.purevolume.com/patorocko), THE HONKERS (www.myspace.com/thehonkers) Sábado, 02.09, Calypso Bar (rio vermelho), Ingresso: 6 reais (no local), 19h (em ponto).

Boogie Nights - Uma festa clássica e tradicional do público Rock de Salvador. Um festa onde vc ouve aquelas músicas que só estando numa Boogie Night para admitir gostar, tipo Tina Charles cantando "I Love To Love".Aliás só admitir gostar porque é o senhor Big Bross o responsável por transformar a seleção musical em uma verdadeira trilha sonora. Por sinal, trilha que promete ser a the best de todas as Boogies já realizadas, já que o rapaz não se apresenta aqui há algum tempo e vai partir logo depois do evento. Ou seja uma festa de retorno e de despedida. Uma festa para ouvir Os Hits Clássicos do Big Bross.Uma festa para estar presente e marcar presença em nome dos velhos tempos. Sábado 02/09, Horário: 22:00hs, Casa Azul, (Rua Caetano Moura (principal da Federação), entre a entrada de São Lázaro e o Cepah ), Ingresso:10,00 e 5 (para estudantes e afins).

Maniac Metal Fight 2 - 2ª Etapa - GLORIUS, AGNES DARK E BRAVUS Idearium Bar Rio Vermelho , Sábado, 02.09, Horário:ÀS 20H, Ingresso: R$8,00, Á venda: Maniac Records (3354-1735),Andarilho Urbano(3450-4533) Smile (3322-1907) e Alpha Vídeo (3494-5728).

Terreiro Circular - Cabruêra (PB) e Lampirônicos e participações de Vjs e Djs Sábado 02/09, Zauber Multicultura, (Ladeira da Misericórdia, nº 11, atrás da prefeitura), Horário: 22:00, Ingressos limitados!! R$ 15,00 (R$ 20,00 depois de meia noite), OBS1: Todos os cartões de crédito serão aceitos, tanto na bilheteria como no bar. Obs: ingressos antecipados na loja Mídia Louca(Rua Fonte do Boi, Rio Vermelho). Apoio: SESC-BA, CCM comunicação, Álvaro Tattoo, mídiaLouca, Se Ligue.

Projeto Domingo no Parque Show de Eduardo Dusek - Horário :11:00, Grátis Parque da Cidade, Av. ACM.

Tom Zé e Zeu Britto - O projeto Balança a Concha será realizado de setembro a dezembro, na Concha Acústica do TCA, sempre em um domingo por mês, com uma programação diversificada. No dia 03/09, o projeto apresenta Tom Zé e Zéu Britto, às 18 horas. Os ingressos custam R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia) mais a doação de um livro. Concha Acustica (Campo Grande), Domingo 03/09, Horário :18 horas, Ingressos : R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia)mais a doação de um livro. os Livros arrecadados pelo Projeto Balança a Concha, Serão doados para as Bibliotecas públicas do Estado da Bahia.

Jupiter Maçã pela Primeira vez em Salvador - Pela primeira vez em Salvador, uma das mais cultuadas bandas do rock brasileiro: Júpiter Maçã (RS)! É uma Iniciativa do Gira Independente projeto voltado ao fortalecimento da música independente na Bahia, que contará com a seguinte programação: 03/set - Júpiter Maçã (RS) e Retrofoguetes, 19h, R$ 15,00 06/set - Móveis Coloniais de Acaju (DF), Zackarias Nepomuceno (PB) e Ronei Jorge e os Ladrões de Bicicleta. 22h. R$ 12,00 e R$ 15,00 (depois de meia-noite) 09/set - Invasão Alienígena na NAVE. 22h. R$ 10,00 Zauber Multicultura Lad. da Misericórdia - atrás da Prefeitura.

INDEPENDÊNCIA DO ROCK !!! - SHOW: STANCIA & DEMOISELLEDATA: 06/09 - VÉSPERA DE FERIADOLOCAL: THE DUBLINERS IRISH PUB - PORTO DA BARRA. HORÁRIO: 21 HS.Valor: R$ 10,00 (com direito a duas bebidas)

terça-feira, agosto 22, 2006

TALENTO MAIS QUE VISÍVEL

EP demo do Pessoas Invisíveis - projeto de Bruno Carvalho que, com menos de 4 meses de formação, venceu a etapa Norte/Nordeste do concurso Trama Universitário - confirma os elogios recebidos e evidencia o talento do band leader para compor belas canções.

De cara, saudado pelos que já ouviram como uma das boas novidades do rock baiano e premiado pelo Projeto Trama Universitário como melhor banda nova na etapa Norte / Nordeste, o Pessoas Invisíveis de Bruno Carvalho, que também toca guitarra no Honkers, Vendo 147 e Fontaka, já chegou causando espécie no cenário. Ouvindo o primeiro EP demo, é possível constatar que não era só hype o boca a boca intenso acerca da banda. O fato é que o negócio é bom mesmo. Em apenas seis faixas, Bruno cravou seis belas canções, baseadas em melodias doces, riffs certeiros e letras românticas (não-piegas, é bom reiterar), que lembram ora um Guided by Voices de boa safra, ora um Los Hermanos destituído do complexo de Chico Buate e da entojada carioquice que fez tanta gente desistir do grupo de Marcelo Camelo. Ora afagam o ouvinte, como em Tudo é seu, ora tocam o puteiro no ambiente, como em Do lado errado (3ª faixa) ou 97 (5ª). A faixa de abertura, Começo do fim, é um rockão de responsa, com um lindo riff (aquele que Bob Pollard esqueceu de gravar) e também uma das melhores canções do ano no rock local - um ano especialmente inspirado, é bom lembrar, com CDs históricos do Cascadura, Ronei Jorge & OLDB, Paulinho Oliveira e Theatro de Seraphin, entre outros. Seis faixas que transcorrem inteirinhas, sem que o dedo do ouvinte siga o impulso tantas vezes recorrente de apertar o botão "skip" do player. Sem dúvida, uma estréia muito promissora, e mais uma carta na mesa do rock baiano. Bruno, que nos Honkers não parecia dar pistas do que compunha para si mesmo em casa, começou muito bem o Pessoas Invisíveis, e para alegria geral da comunidade rocker, deve continuar levando as duas bandas em paralelo enquanto espera uma definição da Trama quanto à turnê prometida aos vencedores do concurso Trama Universitário. Ao vivo, Bruno conta com os músicos Bernardo Moscovits (baixo), André Sober (guitarra) e Glauco Neves (bateria) "não como meros escudeiros, e sim, membros fixos da banda", como faz questão de frisar no release. O negócio agora é ir em frente, que o mais importante, a música - essa já está garantida.
(Foto do P.I. no Calypso surrupiada do fotolog http://ubbibr.fotolog.com/p_invisiveis)

Para baixar todas as músicas do EP e saber um pouco mais sobre a banda, acesse o site do Pessoas Invisíveis no Trama Virtual.

GALGOS ALADOS PARA A BAHIA - Este blog ficou bem feliz com as merecidas premiações que dois clipes do rock baiano ganharam no XIV Gramado Cine Vídeo, na semana passada. Quem trouxe os troféus do galgo alado para Salvador foram o decano do videoclipe baiano, Alexandre Xanxa Guena, com Sete sete (Ronei Jorge & Os Ladrões de Bicicleta), melhor videoclipe na categoria Universitário Brasileiro; e a dupla Rodrigo Luna e Renato C. Gaiarsa, melhor videoclipe / musical na categoria independente, com o clipe Non enhanced head, da boa banda Plane of Mine (cujo CD de estréia, muito bem produzido, vem sendo bastante elogiado por aí - mas eu ainda não ouvi - só conheço a música do clipe. Se alguém da banda tiver interesse em me passar o CD, por favor, entre em contato pelo email ao lado, valeu?). O mais legal disso não são nem os prêmios em si, mas a certeza que temos, vendo os clipes, que a premiação é mais que merecida, visto que ambos os vídeos são muito legais. Veja a lista completa dos premiados do XIV Gramado Cine Vídeo neste link aqui. Por outro lado, realmente é uma pena que Acerto de contas, o caprichado clipe de Ricardo Spencer para a música homônima da Sangria, não tenha cravado uma indicação na categoria Videoclipe Independente do VMB 2006. Culpa dessa molecada que só ouve hardcore dor de corno, por que esses clipes de nulidades como Hateen e NX Zero, só agradam mesmo aos incautos e/ou adolescentes punheteiros.

BANDAS QUE CHEGAM HÁ POUCO DE FORA - Não temos Claro q é rock, Tim Fest, Motomix, nem nenhum desses outros eventos chics alternativos patrocinados por grandes empresas de telefonia, mas em compensação, tem uma galera que não tá nem aí e arregaçou as mangas, trazendo bandas inéditas para Salvador, nos próximos dias. Os destaques vão para a banda homocore (ou punk gay?) Clorox Girls (Portland, EUA) e o genial Júpiter Maçã (RS). O primeiro toca no Calypso no 1º de setembro (sexta-feira), com os Honkers e Pato Rocko. Já o gaúcho psicodélico, aguardado há anos por aqui, desde que lançou o clássico A Sétima Efervescência (1998), toca domingo (3) na Zauber, com os Retrofoguetes, dentro do projeto Gira Independente, que no dia 6 ainda traz para a mesma Zauber a brasiliense Móveis Coloniais de Acaju, Zackarias Nepomuceno (PB) e Ronei Jorge & OLDB. Já no dia 9, encerrando o projeto, festa Nave, pela primeira vez com DJs estrangeiros, no caso, Jan68 (Alemanha) e Charles Morgan (Inglaterra), mais os locais Marcela Bellas, Vicente e os anfitriões Luciano el Cabong Matos e Janocide. Nights que prometem, a conferir.

Iº SEMINÁRIO DE HQ
- Quem tiver de bobeira nesse sábado de manhã (infelizmente, não será o meu caso), pode ir assistir (e participar) da Mesa redonda "O desenho de humor e os quadrinhos na Bahia", com mediação do jornalista Gutemberg Cruz e participação de alguns dos maiores cartunistas da terra, como Flávio Luiz (Correio da Bahia, O Messias, Jayne Mastodonte), Cedraz (Turma do Xaxado), Luís Augusto (Fala, Menino!), Hector Sallas e professor Wilton Bernardo. O bate papo será na Faculdade de Arquitetura da Unifacs (campus de Amaralina), às 9h da matina. É tomar aquela agüinha de coco com duas aspirinas pra curar a ressaca e ir lá conferir. O evento tem a coordenação do artista plástico Chico Mazzoni e maiores informações podem ser conseguidas pelo telefone 3344-7255. Além dessa mesa redonda, o Iº Seminário de HQ ainda conta com palestras de Daniel Paz (na terça 29.08) e Workshop de Charges, Caricaturas e Cartoons na quinta (31.08), com Marto Souza e Marcos Queiroz.
AGENDÃO

Fale mais universitário - 24 de agosto, com Canal Zero / Cascadura / Hajoe - Horário: A partir das 22hrs. - Local:Rock In Rio Café Salvador - Preço: R$ 5,00 venda antecipada e R$ 10,00 na porta - Vendas: DCEs Ufba, Ucsal, Unifacs, Fib, Ftc, Jorge Amado, Rui Barbosa e Universo

Berlinda, Pessoas Invisíveis e Estrada Perdida - 25 de agosto, na Zauber, 21h30 - 7 reais.

JAZZ ROCK QUARTET SEXTA-FEIRA NO CALYPSO - Dia 25/08, Show Vale quanto pesa - O som do Quarteto mescla o som de Billy Cobham com Jimmy Hendrix e Novos Baianos. Foi formada em 2005 inicialmente para acompanhar o guitarrista Luciano Sousa (ex-Som Nosso de Cada Dia). É formada ainda por Didi Gomes (baixo), Lula Nascimento (bateria) e Tavinho Magalhães (guitarra). Enfim, um supergrupo.Primeira banda: JAZZ ROCK QUARTET - Segunda: ALEX POCHAT E OS 5 ELEMENTOS - Horário: 23h30. Vá. Abra sua mente e presencie um verdadeiro delírio sonoro.

"ENQUANTO ISSO, NA SALA DE JUSTIÇA..." - I Festa a Fantasia no Zauber Multicultura. Use a imaginação e saia da normalidade... + Retrofoguetes + ZecaCurydamm + DJ Mangaio (Lampirônicos) + Chill Out (2º andar) + VJ - Projeção de filmes E mais: Malabaristas e Pirofagistas Decoração e iluminação estilizadas As primeiras 40 mulheres fantasiadas ganham um drink flambado. Dia 26 de agosto, às 22hLocal: Zauber Multicultura, Comércio Ingressos a R$ 12 e R$ 15 depois da meia noite. Realização: Líbelula Produções.

Declinium, Theo e Os Irmãos da Bailarina e The Honkers! - 26 de agosto, sábado, Café Calypso - 6 reais - 22 horas

Amplitude Rock 1ª Edição - Com as bandas: Minerva, INtra, Meteora, Maré de Março e Malcolm. Local: Idearium Bar, a partir das 19 horas. Ingresso: R$ 6,00 (No local).

Plane Of Mine - Dia 27 (domingo), no Dubliners' Irish Pub

terça-feira, agosto 15, 2006

O LIXO E A FÚRIA - DESSA VEZ DOS DOIS LADOS DO ATLÂNTICO

Fodástico documentário Punk: Attitude, de Don Letts, conta história do movimento, apoiado na história paralela dos USA e UK.

Jamaicano radicado em Londres, nos anos 1970 Don Letts era DJ do Roxy, principal clube punk de Londres. Munido de sua super oito, registrou os primórdios da cena que explodia, gerando o clássico Punk Rock Movie (1978). Além disso, tocou no efêmero Big Audio Dynamite de Mick Jones e também assina um outro documentário, Westway to the world, sobre o The Clash. Ou seja, credenciais e propriedade sobre o assunto não faltam ao diretor.

Punk: Attitude é um abrangente raio x do movimento/fenômeno do punk rock, enfeixando diversos depoimentos de luminares do estilo, tanto dos Estados Unidos quanto da Inglaterra, evitando aquela abordagem mais bairrista de um Mate-me por favor, por exemplo. Ainda que no filme, Letts deixe claro que as raízes do movimento são obviamente americanas, como o é o próprio rock n' roll em si. "Elvis era punk e Chuck Berry, Jerry Lee e Little Richard também, sem dúvida", diz um sempre contundente Henry Rollins, logo no início do filme.

O que Letts faz é galvanizar a conexão USA-UK, ligando os pontos New York Dolls-Malcolm McLaren-Sex Pistols, sem deixar de dar o devido crédito ao rock de garagem americano dos anos 1960 (Stooges, Blues Magoos, 13th Floor Elevators, os Nuggets de Lenny Kaye) e bandas como Velvet Underground de um lado e The Dictators do outro, esta última apontada por muitos como a verdadeira raiz do som dos Ramones.

Outros aspectos abordados são a importância do reggae na formação da cena londrina - com Siouxsie Sioux declarando que os punks ouviam - basicamente - reggae naquela época (cortesia do então DJ Letts, o que desembocou na cena Two Tone dos Specials e Madness); e as cenas hardcore americana da costa leste (Black Flag, Agnostic Front, Bad Brains) e oeste (Dead Kennedys, Circle Jerks).

Um outro dado interessante é como Letts enfatiza nos depoimentos dos entrevistados o desprendimento dos reais ideólogos do punk pelos detalhes superficiais que viriam a ser adotados pela massa ignara como os dogmas do movimento. Como disse (mais uma vez) Henry Rollins, "você nunca viu ninguém dos Pistols, Clash ou Ramones de alfinete espetado na bochecha". Quando o punk estourou, a coisa mais comum pelas ruas de Londres ou Nova Iorque eram jovens uniformizados de punks, com moicanos, alfinetes etc. Mais ou menos o que aconteceu com grunge na década de 1990 e o emo hoje em dia. Jello Biafra em pessoa admite que o punk hoje em dia é "só mais um rótulo nas prateleiras das lojas de discos, uma invenção da indústria fonográfica". O peso de uma declaração dessas, saída da boca do líder dos Dead Kennedys me parece bastante evidente. Biafra, aliás, não se furta em mostrar o dedo médio em riste e dizer fuck you em alto e bom som para os governos e corporações, num dos momentos mais contundentes do filme.

Ao longo do documentário, o que vemos é uma abordagem paralela para Estados Unidos e Inglaterra, com o diretor dando voz tanto aos principais nomes de um lado do Atlântico, quanto ao outro. Pela América, temos depoimentos preciosos de integrantes do New York Dolls (Sylvain Sylvain, Arthur Kane, David Johansen), MC-5 (Wayne Kramer), Jelo Biafra (Dead Kennedys), Tommy Ramone, Henry Rollins (Black Flag), Darryl Jenifer (Bad Brains), Legs McNeill (Mate-me por favor), Glenn Branca, Ari Up (The Slits), Thurston Moore (Sonic Youth), Jim Jarmusch, Mary Harron (cineasta de Um tiro para Andy Warhol), entre outros. E pela Inglaterra, Siouxsie Sioux, Mick Jones e Paul Simonon (Clash), Glen Matlock (Sex Pistols), Poly Styrene (X-Ray Spex), Captain Sensible (The Damned), Howard Devoto (Magazine), Chrissie Hynde (que é americana, mas estava em Londres na época) e outros.

Daí a impressionante abrangência de Punk: Attitude, um documentário de apenas 88 minutos, que, graças à brilhante invenção do DVD Bônus, é vitaminado com mais de 2 horas de extras pulverizados em 15 itens, como As Mulheres Punks, As Gravadoras, O Comportamento Punk, Origens e Influências do Punk, Punk como Cultura e Arte, Inglaterra vs Estados Unidos etc...

Punk: Attitude foi lançado em DVD duplo no Brasil e já está a venda por aí, além de disponível nas menos piores locadoras da sua cidade. Se não for comprar, vale copiar, pois é material de consulta de primeira. Na verdade, devia desde já ser adotado na grade curricular das escolas de ensino básico, quem sabe assim as próximas gerações não cresciam tão otárias e facilmente influenciáveis.

Se depois de assistir a Punk: Attitude, você por acaso for acometido(a) de uma certa ânsia em cometer atos de vandalismo contra propriedades públicas e/ou privadas, meus parabéns. Isso significa que você ainda está vivo. Ping!
VIVA FAUSTINO! - Este Rock Loco deseja longa vida ao blog brother Miguel Cordeiro Arquivos, veículo para o sempre controverso - e necessário - artista plástico, escritor e músico Miguel Cordeiro, o eterno Koyote, pai do Faustino e co-autor de Symca-Chambord. Para visitar regularmente.

INSTIGAÇÃO - Recebi pelo email blogrockloco@yahoo.com.br material da banda Instiga, de Campinas (SP), que atiçou minha curiosidade com as seguintes palavras: "foi a primeira banda nacional a emplacar duas musicas com letras em português na Woxy, conceituada radio norte-americana respeitada em todo mundo pela sua qualidade e variedade musical. De estilo batizado pelos norte-americanos como "Brazilian pop" em referencia ao movimento ingles "britpop"que invadiu os Eua nos anos 90, a banda prepara seu segundo álbum com prévia de lançamento para este primeiro semestre." O site da banda é http://www.instiga.com/. Tô no aguardo do disquinho que o Christian, vocal e guitarra, ficou de me mandar para que eu possa conferir. Aproveito e reitero que este blog continua aceitando material (releases, fotos, discos, dinheiro etc), das bandas que queiram dar (hum!) um alô por aqui. O caminho é este: blogrockloco@yahoo.com.br.

MALDITOS HIPPIES SUJOS - Será que teremos o prazer de assistir nas telonas de Salvador ao filme Wood & Stock - Sexo, orégano e rock n' roll? Para quem (ainda) não sabe, trata-se de uma animação em longa metragem com os clássicos personagens do Angeli, uma dupla de hippies velhos e sujos. O negócio é fazer figa e torcer para que chegue por aqui antes do DVD nas locadoras, coisa que tem acontecido com bastante freqüência com os filmes do chamado circuito alternativo. Leia aqui a resenha do Omelete para Wood & Stock.

EXPO BEATLES - Chega a Salvador a partir de amanhã (16 de agosto) a exposição Beatles Exhibition, segundo a divulgação do evento, um "verdadeiro desfile de atrações e raridades, como o cabelo de John Lennon, réplicas de roupas e instrumentos, fotos autografadas, além de coleções de discos e compactos de vinil". Diz que ainda vai ter todo tipo de badulaque relacionado aos Fab Four, como selos, chicletes, relógios, gravatas, miniaturas e etc. Na foto que recebi, mas não consegui postar, réplicas dos trajes do Sargeant Peppers e também dos paletós da fase inicial. Vale uma visita. De 16 a 31 de agosto, na Praça Dorival Caymmi, segundo piso do Shopping Iguatemi.

TOP 20 - Outro blog brother, o Clash City Rockers, agora sob o comando de Cebola e Nei Bahia, está reeditando uma votação que fez bastante sucesso na blogosfera rocker local no ano passado. Só que, em vez dos 20 melhores discos, a votação da vez é nas 20 melhores canções de todos os tempos. Mas deixa mestre Cebola explicar isso melhor: "20 canções de todos os tempos. As melhores, e seus intérpretes, é claro. Vai rolar um cd disso, Almirante Nelson garante. Todo mundo manda as suas vinte via coments e o resto é com a gente: Cd pirataço, com capinha e selo de garantia, quiçá encarte com comentários IMpertinentes e opiniões malévolas com as vinte mais mais." O caminho é este: http://clashcityrockers.blogspot.com/
HORA DO ROCK 17.08 - o programa Hora do Rock de hoje destaca The Tears, o projeto de Brett Anderson e Bernard Butler (ambos ex-Suede), além de Morrissey, Lloyd Cole, NIck Cave, Tindersticks, Leonard Cohen, Nick Drake, Delgados, Weezer, Grandaddy, Sonic Youth, Pavement e Dinosaur Jr. Para ouvir: toda quinta, às 21h, na Globo FM (90,1 em Salvador-Ba), ou no podcast, onde estão disponíveis também todos os programas anteriores: http://horadorock.podomatic.com .

AGENDA
Alvaro Lemos e Os Romeus - Catequizando as Muriçocas - Uma celebração para questionar os valores do homem e da sociedade é a proposta do show Catequizando as Muriçocas que se vale da irreverência crítica e do bom humor para exorcizar todos os pudores recentes ou milenares que humanidade vêm acumulando em suas consciências. A banda liderada pelo músico Álvaro Lemos (voz, vocal e direção musical) conta ainda com Tadeu Mascarenhas (teclado e direção musical), Marcelo Velanes (baixo), Márcio Pereira (guitarra), Saulo Gama (acordeão), Lallo (bateria) e os estreantes Sandra Simões e Tonih Vinih (vozes e vocais). Há quatro anos e meio na estrada, a banda já se apresentou em projetos importantes como o "Música no Parque", "Circuito Cultural Banco do Brasil", "Mercado Cultural" etc. Em 2004 o trabalho foi contemplado com o Prêmio Braskem de Música" Teatro ACBEU (Corredor da Vitória) Quinta 17/08, Horário: 20 horas - Ingresso: R$ 14,00 e 7,00
Festival de Inferno de Salvador - Com Los Canos, Paulinho Oliveira, Vinil 69, Dj´s Borisbilly e Cebola - Local: Zauber Multicultura, Ladeira da Misericórdia, atrás da prefeitura - 18/08 ( sexta ) 22h - R$ 10.
JAZZ ROCK QUARTET SEXTA-FEIRA NO CALYPSO - Dias 18 e 25/08, Show Vale quanto pesa - O som do Quarteto mescla o som de Billy Cobham com Jimmy Hendrix e Novos Baianos. Foi formada em 2005 inicialmente para acompanhar o guitarrista Luciano Sousa (ex-Som Nosso de Cada Dia). É formada ainda por Didi Gomes (baixo), Lula Nascimento (bateria) e Tavinho Magalhães (guitarra). Enfim, um supergrupo.Primeira banda: JAZZ ROCK QUARTET - Segunda: ALEX POCHAT E OS 5 ELEMENTOS - Horário: 23h30Vá. Abra sua mente e presencie um verdadeiro delírio sonoro.
A Banda Stereossomos - fará mais uma apresentação neste sábado. Com muito Rock'n Roll. Bar Tangolomango(Pituba - Próximo ao Tênis) 19.08 Sábado Ingresso: 6,00 -Horário: 21:00 hs
"ENQUANTO ISSO, NA SALA DE JUSTIÇA..." - I Festa a Fantasia no Zauber Multicultura. Use a imaginação e saia da normalidade... + Retrofoguetes + ZecaCurydamm + DJ Mangaio (Lampirônicos) + Chill Out (2º andar) + VJ - Projeção de filmes E mais: Malabaristas e Pirofagistas Decoração e iluminação estilizadas As primeiras 40 mulheres fantasiadas ganham um drink flambado. Dia 26 de agosto, às 22hLocal: Zauber Multicultura, Comércio Ingressos a R$ 12 e R$ 15 depois da meia noite. Realização: Líbelula Produções.

domingo, agosto 06, 2006

Chez Sora

Quando o podcast do rockloco "goes mobile"*. Estrelando Vandex e Rogerio Big Brother,no www.rockloco.podomatic.com

*copiraite Pete Townsend circa Who's Next

terça-feira, agosto 01, 2006

A AREIA GROSSA DA PRAIA DE BOGARY

Um dos clichês mais imbecis sobre a Bahia - e mais largamente disseminados pelos meios de comunicação locais, oficiais ou não - é que aqui, se mescla muito - e bem - tradição com modernidade. Fico sempre meio atônito quando neguinho vem com essa conversa. Não sei de onde essa gente tirou essa noção, tamanho o disparate. Será que é dos discos do genial Carlinhos Brown? Das experimentações eletrônicas de Daniela Mercury? Bom, viagens alucinantes à parte, que agradável é constatar que o talento de Fábio Cascadura, provavelmente o maior nome do rock baiano desta década (e da passada também?), só amadurece e se cristaliza com o passar dos anos. E mais agradável ainda é perceber com que destreza, inteligência e talento genuínos ele consegue fazer o cruzamento - a mescla, enfim - do rock setentista que norteou seus dois primeiros discos (ainda nos anos 1990), com as influências contemporâneas que ele vem agregando à banda, de Vivendo em grande estilo (2003) para cá. Ouvindo Bogary, o fã mais esperto e escolado percebe perfeitamente que as generosas e tradicionais doses de Thin Lizzy, Humble Pie, James Gang e Allman Brothers agora convivem em deliciosa harmonia com fartas porções de Queens of the Stone Age, Teenage Fanclub e Strokes, entre outros sons de anos mais recentes. Isso sim, senhoras e senhores, é mesclar tradição com modernidade à vera. Imagino que valiosos pontos nessa concepção exata - e enxuta - de Bogary devem também ser creditados aos parceiros de Fábio: os produtores andré t e Jô Estrada e seu baterista e parceirão Thiago Trad. O negócio tá tão bom e redondo, que não fiquei nem um pouco surpreso de não encontrar, ao longo de todo o álbum, a exceção à regra, aquela faixa de que não gostei - Vivendo em grande estilo tinha Sparkle girl, confesso. Aqui, isso não há. Claro que tem aquelas que a gente sempre gosta mais e outras, que gosta menos, mas, neste aqui, de um modo geral, dá pra pirar com todas as faixas. Como não se render à pegada beatle-byrdiana de Mesmo eu estando do outro lado, que ainda conta com o auxílio luxuoso de Morotó Slim na steel guitar? À melodia pegajosa (no melhor sentido da palavra) com levada irresistível de 12 de outubro? Ao romantismo deslavado e absolutamente sedutor de Juntos somos nós? Ao melotron de andré t em Onde aprendeu a andar (que eu jurava que eram cordas de verdade, só sei que é um melotron por que tá na matéria da Outracoisa, já que essa edição do disco veio sem encarte), uma outra pérola de melodia celestial. Claro que Bogary não é só balada. O nível se mantém nas faixas de andamento mais agressivo, sem quedas bruscas na qualidade geral do disco.Se alguém o ver parado abre Bogary com uma paulada na orelha do ouvinte. Senhor das moscas e Ele, o super-herói são outros coices nos colhões. O que dizer do drive épico de Desconsolado, com seu coro final à la Brian Wilson e letra perfeita: "Mas há um Deus / que muitos tentam me vender / e que não nos conduz / Justo por que / quase nunca ele nos vê / cego com a própria luz / Como acreditar nisso / que castra / que pune / que mata (...) Deus de medo e castigo / E o medo pra mim é a danação"? O fecho com o dixieland de Adeus, solidão! é a cereja do bolo, um derradeiro e melancólico brinde (de uísque, claro) com o feliz ouvinte. Diante de Bogary, mentes mais simples (como a minha) ficam a divagar: como é possível: a) alguém fazer rock tradicional, sem mistura de ritmos, b) na Bahia, a meca do pagode rasteiro, c) nos dias de hoje, d) muitas vezes, falando de amor e e) ainda soar maravilhosamente bem? Talvez a resposta - nem gosto muito de ficar citando jornalista, mas foda-se, isso aqui é só um blog - esteja neste trecho da matéria de Luiz César Pimentel na Outracoisa - que é bom lembrar, botou essa jóia nas bancas de todo o Brasil, a preço justo: "Quando as canções terminam, parece que elas sempre existiram. E na realidade, sempre existiram mesmo - compositores com esse talento apenas as extraem do inconsciente coletivo, qual fenômeno sobrenatural".

PS: E quanto àqueles que ainda confundem mescla com merda, meu conselho à eles é que sigam o dito do mestre Wilson Melo escondido no finalzinho do disco e façam bom proveito da areia grossa da praia de "Bugary". Areia grossa por que fica na península, na baía. Na costa oceânica, a areia é mais fina...

CASA DOS HORRORES É PINTO - Pilha total pra assistir esse novo filme da dupla Robert Rodriguez / Quentin Tarantino, Grind House. Para quem ainda não sabe, trata-se de um filme de duas horas dividido em dois médias metragem de cerca de uma hora cada, sem nenhuma ligação entre as duas histórias. O de Tarantino chama-se Death Proof, e é um "terror com psicopatas". Já Planet Terror é um "horror com zumbis" (YESSSSS!!!), dirigido por Rodriguez. E é dessa metade do filme o espetacular pôster aí do lado, com a atriz Rose McGowan envergando a prótese mais invocada de todos os tempos. Entre um episódio e outro, diz que vão rolar alguns trailers fictícios, que dependendo da recepção do filme, podem (ou não) serem transformados em novos filmes para os Grind House 2, 3... A onda, como não poderia deixar de ser, é retrô total, com aquela estética suja dos filmes de terror dos anos 70. Grind House estréia dia 6 de abril nos EUA. Ainda não há data de lançamento no Brasil. Leia mais detalhes sobre Grind House aqui.

AGENDÃO

Todas as Terças - Noites de Blues - Agora o fiel público de Blues já tem um encontro marcado todas às terças feiras a partir do dia 1º de agosto de 2006.O Objetivo do projeto é trazer com força total a cena do blues baiano, onde contaremos semanalmente com a presença da Banda do gaitista Luiz Rocha e a proposta é trazer semanalmente um convidado para dividir o palco, os melhores e os mais conceituados cantores de Blues de Salvador Horário : 21:00hs, Bond Canto (Travessa Lídio Mesquita - Nº51), Ingresso:10,00(Mulheres) e 15(Homens) - Consumação mínima R$10,00

ZecaCuryDamm - banda baiana que está conquistando uma legião de fãs apaixonados pela boa música, pelo rock, pela sonoridade flower.Depois da apresentação, DJ e festa sem hora para acabar. 05.08 Sábado, Horário: 21:30 hs. Ingresso: R$ 10,00, com direito a uma cerveja. Casa da Dinha, (Lgo. de Sant'ana, Rio Vermelho)

Terreiro Circular - Lampirônicos, Mosiah e participações de Vjs e Djs, SÁBADO, 05.08, Horário: 22:00 Ingressos: R$ 15,00 (R$ 20,00 depois de meia noite), Horário: 22h00, Ingresso: R$ 15,00 (até meia noite) e 20 (0:01h), Záuber (Ladeira da Misericórdia, atrás da prefeitura).

Brinde, Starla e Matiz - sábado, 05.08, Dublinners? Irish Pub (Porto da Barra).

OTTO (e banda) DE GRÁTIS - Domingo, 06.08, no Parque da Cidade, 11h.