terça-feira, agosto 14, 2018

SEGUNDO PÁREO

Amanhã, o Sertanília estará na disputa de mais um Prêmio da Música Brasileira

Sertanília, foto Leonardo Monteiro
Banda que faz um belíssimo trabalho de pesquisa e difusão das diversas sonoridades do sertão baiano, a Sertanília está de dedos cruzados esta semana.

Razão: pela segunda vez, foram indicados ao Prêmio da Música Brasileira (28ª edição), categoria Grupo Regional, pelo seu segundo álbum, Gratia (Natura Musical, 2017).

Com eles, concorrem ao mesmo prêmio dois gigantes do gênero no Brasil: Trio Nordestino e Quinteto Violado, ambos de Pernambuco.

A cerimônia de premiação é amanhã, no Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Transmissão ao vivo pelo You Tube e Canal Brasil.

Ou seja, não é pouca coisa. “Essa indicação, assim como a primeira, traz muita confiança no trabalho e no grupo. Atesta que estamos no caminho certo na busca da nossa sonoridade”, afirma Anderson Cunha, diretor musical do projeto, violeiro e compositor.

“A indicação foi uma grande surpresa para o grupo inteiro e talvez por isso seja ainda mais gratificante recebê-la. Todos nós temos trabalhado muito individualmente e coletivamente e Gratia, nosso segundo disco, é resultado disso”, acrescenta a cantora Aiace, que divide a linha de  frente do Sertanília com Anderson e o percussionista Diogo Flórez.

Volta aos palcos

Apesar do trabalho de qualidade artística indiscutível e do reconhecimento de crítica e do público apreciador da música de raiz, o Sertanília faz bem menos shows do que gostaríamos.

“Não é tão simples tocar ao vivo e viajar devido complexidade da formação. Não é fácil soar bem com tanta coisa acústica no palco, exige tempo pra solucionar os problemas com o som. Além de ser caro pra viajar”, diz Anderson.

“Apesar de termos fãs cativos, o público de Salvador aceita melhor uma sonoridade com elementos ligados ao litoral. Independente disso, estamos buscando nosso melhor formato e sonoridade para retomar nossas apresentações”, acrescenta.

A boa notícia é essa: neste momento, o trio – e seus músicos de apoio – preparam um novo espetáculo para breve: “Para os próximos meses, planejamos tocar mais por Salvador e por outros cantos, mesclando o repertório dos nossos dois discos, Ancestral e Gratia, e músicas novas. Estamos preparando um espetáculo novo e devemos divulgá-lo em breve, assim que finalizarmos nossas pesquisas”, adianta Aiace.

Fica a torcida da coluna pela vitória do trio, único representante baiano da nova geração na disputa (os outros baianos indicados são Gal Costa e Novos Baianos).

“Pra uma banda independente, que teve que abrir seu caminho na marra e construir sua história com as próprias mãos as indicações com certeza são um prêmio”, conclui Anderson.

www.sertanilia.com.br



NUETAS

Malgrado no Bardos

Sábado tem a banda Malgrada (rock alternativo) lançando seu primeiro trabalho no  Bardos Bardos.  16 horas, pague quanto quiser / puder.

Buster, Rosa, Anti

Grande banda do HC local, a Buster lança seu novo álbum (Still on The Road) com a rapaziada da  Rosa Idiota e Antiporcos. Sábado, 18 horas, no Casarão Estúdios (Bonocô, 381, salte na estação Brotas do metrô). R$ 10.

Andaluz no Gamboa

Mais conhecido como baterista de bandas como Lo Han e Cavern Beatles, Thiago Brandão retoma sua banda solo Andaluz em show domingo, no Teatro Gamboa Nova. Acústico, o som segue a linha Clube da Esquina. A coluna recomenda. 17 horas, R$ 20.

Um comentário:

Franchico disse...

https://www.omelete.com.br/musica/aretha-franklin-morre-aos-76-anos

O céu dos músicos deve tá uma festa danada nesse momento...