sexta-feira, agosto 10, 2018

SAMBA E POESIA EM FAMÍLIA

Paulinho da Viola e Beatriz Rabello, sua filha, fazem hoje no Teatro Castro Alves show com clássicos do samba e bloco de marchinhas  

Paulinho e sua filha Beatriz Rabello
Artista fundamental da MPB, Paulinho da Viola traz hoje à Sala Principal do Teatro Castro Alves o show conjunto com  sua filha, a cantora  Beatriz Rabello.

Em turnê pelo país, a apresentação tem sido bastante elogiada por público e crítica.

Paulinho, que está sem lançar disco de inéditas desde Bebadosamba (1996), dividirá o repertório do show de hoje  entre seus clássicos de carreira, músicas dos dois álbuns de Beatriz e um bloco especial dedicado aos sambas e marchinhas que marcaram os carnavais de antigamente.

“Tem músicas do disco dela e também minhas músicas. Também peguei algumas que gravei de outros artistas, canções que são conhecidas e outras não tão conhecidas assim, mas que tem a ver com o roteiro que preparamos”, conta Paulinho, por telefone.

”A dificuldade é até essa, às vezes. É tanta música que a  gente acaba indeciso”, ri.

O trecho em que relembram antigos Carnavais é, não por acaso, intitulado Bloco do Amor – mesmo título do disco mais recente de Beatriz.

“Ela canta algumas músicas em um determinado momento em que eu não estou no palco. São músicas de sucesso, um pequeno  pot-pourri de carnaval, de marchinhas e sambas”, conta Paulinho.

Do repertório clássico do sambista, quem for ao TCA hoje terá o prazer de escutar ao vivo pérolas do quilate de Timoneiro, Foi um Rio que Passou em Minha Vida, Pecado Capital, Eu Canto Samba, Coração Leviano e Cenários, além de outras composições de autoria da nata do samba carioca:  Maria Vasco, D. Ivone Lara, Jorge Aragão, Douglas Germano e André da Mata.

Beatriz, foto Livio Campos
No palco, Paulinho e Beatriz são acompanhados pelo grupo Mulato Velho, formado por Fernando Brandão (cavaquinho), Rogério Souza (violão), Sidão Santos (baixo), Flavio Santos (bateria), Daniel Karin e Felipe Tauil (percussão), Whatson Cardoso e Dudu Oliveira (sopros), além da participação especial do violonista João Rabello, outro filho de Paulinho, irmão de Beatriz.

Bloco do Amor

Ele conta que este show começou como um projeto só de Beatriz, mas que, à medida em que foi se envolvendo, acabou se tornando um projeto a quatro mãos.

“Na verdade, este é um show que minha filha tinha preparado porque ela lançou um disco. Foi um trabalho dela, ela escolheu o repertório, eu não me envolvi. Quando estava pronto, ela veio me  mostrar. Achei muito bonito, mas passou”, relata.

“Aí um dia fiquei pensando nesse disco e fiz uma música inspirado nele. Ela nem tinha me pedido nada. Mostrei a ela, que ficou entusiasmada, achou que tinha a ver. O título da música é O Bloco do Amor, que acabou por se tornar o titulo do disco dela”, conta.

Após participar de uns dois shows de lançamento do disco da filha, Paulinho acabou se envolvendo mais no trabalho e o resultado é este show conjunto de pai e filha.

“Começamos a mudar o show, por que comecei a participar mais,  ficou uma coisa da gente. Então acabamos dividindo esse trabalho”, acrescenta Paulinho.

Criolo e cuidado

Paulinho da Viola
Mas esta não é a única parceria de Paulinho da Viola neste momento.

No dia 17 próximo ele faz um show em São Paulo com o rapper Criolo.

O show é na programação do A Noite Veste Azul, série de eventos em comemoração aos 90 anos da Portela, escola de samba de Paulinho.

“Serei eu, a Velha Guarda da Portela, Monarco e como convidado, o Criolo, que além de ser muito querido, fez um disco de sambas (Espiral de Ilusão, 2017). E Elifas Andreato dirige o espetáculo”, conta.

Apesar da boa fase de trabalhos, Paulinho se mostra preocupado com os rumos do país, conforme se aproximam as eleições.

“A ameaça de retrocesso é muito grande, isso está claro. Cabe a nós atenção e cuidado. Temos que estar alertas contra certas coisas que nos ameaçam. É só isso que eu digo”.

Já disse tudo, mestre.

Paulinho da Viola e Beatriz Rabello: Bloco do Amor / Hoje, 21 horas / Sala Principal do Teatro Castro Alves /  filas A a P: R$ 180 e R$ 90 / filas Q a Z6: R$ 150 e R$ 75 / filas Z7 a Z11: R$ 120 e R$ 60 / 14 anos

2 comentários:

Franchico disse...

https://www.pragmatismopolitico.com.br/2018/08/mulher-alcoolizada-sou-limpa-branca.html

Ela esqueceu de acrescentar que é filhadaputa também...

Franchico disse...

https://www.omelete.com.br/musica/aretha-franklin-estado-de-saude-da-cantora-e-considerado-grave

I say a little prayer for you, babe...