terça-feira, novembro 25, 2008

DEMOCRACY É ANTICLÍMAX

Chinese Democracy, o "lendário" álbum do Guns 'n' Roses, é lançado hoje no Brasil

Não dava para esperar outra coisa: Chinese Democracy, primeiro álbum do Guns ‘n‘ Roses desde The Spaghetti Incident (1993) – que aliás, era um disco de covers – é uma grande colagem semi-esquizofrênica que reflete a confusão mental do seu único membro original remanescente, o renitente vocalista Axl Rose.

Em processo criativo e de gravação desde meados dos anos 90, o CD poderá até satisfazer aos fanáticos pela banda – e estes, por incrível que pareça, ainda são muitos ao redor do mundo – mas não dá para entender por que um disco tão mediano levou tanto tempo para ficar pronto.

De sonoridade obviamente datada, Chinese Democracy fica no meio termo entre o hard rock que fez sua fama, a eletrônica (com muitas programações) e algumas orquestrações.

Esperto, Axl soube manter, em quase todas as faixas, os timbres vocais (entre o rouco e o agudo) e de guitarras à Slash que caracterizaram o som da banda e fizeram sua fama – até para que as pessoas ainda consigam reconhecer algo do antigo Guns ali.

Dito isso, há que se considerar que o CD apresenta lá seus bons momentos, como nas faixas Riad N' the Bedouins (hard rock tradicional, com refrão empolgante), I.R.S. (no estilo de Use Your Illusion, com muitas subidas e descidas de tom) e There Was a Time (boa melodia vocal, conduz o ouvinte com certa gentileza).

Outro bom momento é a faixa que encerra o álbum, Prostitute, que, apesar da anacrônica programação de bateria introdutória, ganha pela bem resolvida dinâmica entre cordas, peso e a voz bem colocada.

Já a faixa Shackler's Revenge (lançada primeiro no game Rock Band) seria melhor se não fosse tão derivativa (e claramente inferior) de tudo o que o White Zombie já fazia desde meados dos anos 90.

Porém, apesar de ser, no geral, facilmente digerível, falta no álbum o brilho pesado, sujo e suingado que somente o grupo original de 1987 era capaz de gerar.

Afinal, Appetite for Destruction (1987), o clássico LP que catapultou a banda ao estrelato planetário não é chamado por muitos críticos de “O Último Grande Disco de Rock“ à toa.

Faltou – As ausências de membros fundamentais da banda, como os guitarristas Slash, Izzy Stradlin e o baixista Duff McKagan também se fazem sentir, até por que, eles não apenas tocavam, como também eram parceiros de composição de Axl.

Outro ponto fraco são os solos de guitarra. Apesar de seguirem os timbres do velho Slash, soam frios e muitas vezes se perdem em demonstrações olímpicas de velocidade. Faltou sentimento, coisa que nos bons tempos, o ex-guitarrista demonstrava ter de sobra.

Quando dá vazão à sua megalomania e à síndrome de Elton John que o persegue desde Use Your Illusion (1991), aí sim, o CD encontra seus piores momentos, como na mega balada This I Love (uma November Rain muito, muito piorada) e Streets of Dreams, outra baladinha sem graça.

Saldo final: 14 faixas que poderão até agradar adolescentes incautos e velhos fãs, mas que dificilmente entrarão nas listas de Melhores de 2008. Um disco que, em apenas uma faixa (a já citada There Was a Time), conta com seis guitarristas diferentes – só para dar um exemplo – dificilmente primaria pela coesão.

O que fica é o sentimento de anticlímax de um CD que deveria ter saído 15 anos atrás. Espero que os americanos apreciem bastante sua garrafinha de Dr. Pepper, por que nesse CD aqui não há muito o que saborear.

Chinese Democracy
Guns ‘n‘ Roses
Universal
R$ 27,90
www.gunsnroses.com

18 comentários:

Bel Ma disse...

Chiquito,
Desculpa mudar o assunto...você que é um cara bem informadao, me diz que é mentira que proibiram o "Pineapple Express" aí no Brasil...
Se esse absurdo for verdade, podexá. A gente descola uma cópia pra uma sessão "inspirada" aí.

Franchico disse...

Belzita, num sei de nada disso, não. Até dei uma googlada no assunto antes de te responder e não subiu nada.

Agora, com proibição ou sem proibição, essa session já tá marcada, hein! Tô doido pra ver esse filme.

O trailer é muito hilário. Essa é a galera (Rogen, Apatow, etc) que tá renovando a comédia americana.

Beijo!

Nei Bahia disse...

Não é proibição Bel, a distribuidora não achou "viavél" lançar nos cinemas e ainda estuda se vai sair em DVD. Decisão de algum marketeiro, censura interna.

Franchico disse...

Sabe tudo de cinema, esse pessoal das distribuidoras brasileiras.

Bel Ma disse...

pois é, filme de maconha no brasil não tem público mesmo, né?(...)
valeu nei, já tava aqui lembrando de jô soares: "vc não quer que eu volte". mas a session tá de pé!

Franchico disse...

Salvador não tem um único produtor cultural (de garnde porte, bem entendido), com um mínimo de visão. Colocando de forma mais direta, SÃO TODOS UMAS ANTAS!

Duvidam? Então veja isso e chorem:

Banda anuncia um espetacular retorno ao país, como parte do encerramento da turnê mundial “Somewhere Back In Time”

Nova passagem pelo país inclui uma apresentação especial em São Paulo, no Autódromo de Interlagos, além de passagens por Manaus, Rio de Janeiro, Recife e Brasília


Dando sequência ao espetacular sucesso da turnê internacional Somewhere Back in Time, o Iron Maiden anunciou a última etapa das apresentações internacionais, que inclui o retorno da banda ao país para cinco shows.

A banda se apresentará em Manaus, no dia 12 de março; no Rio de Janeiro, dia 14 de março; no Autódromo de Interlagos, em São Paulo, no dia 15 de março; em Recife, no dia 18 de março; e Brasília, dia 20 de março.

Os ingressos para a apresentação de São Paulo estarão à venda a partir de 00h00 do dia 2 de dezembro pelo site http://www.livepass.com.br. Para as apresentações nas outras cidades, o anúncio do início das vendas será feito posteriormente.

A nova vinda da banda ao país marca a primeira passagem do Iron Maiden pela capital do país, Brasília, pela cidade de Manaus, e também por Recife. Também marca o retorno aos palcos cariocas após cinco anos de ausência.

Nei Bahia disse...

"Provavelmente o DVD mais esperado da história da música brasileira recente, eis que chega às suas mãos, enfim, o DVD de estréia da cantora e multiinstrumentista Mallu Magalhães, tesouro pop de 16 anos (vou repetir 16 anos) que é considerado um fenômeno em várias vertentes sonoras."

Hype é isso, o resto é pilha!

ME BATA UM ABACATE!!

cebola disse...

como diria um grande brother nosso: Malu, folk you!!

miguel cordeiro disse...

vcs são uns radicais, uns ressentidos. abram a cabeça. mallu é liiiinda... mas aqui pra nós: ana carolina é mais FÓK do que mallu e mais rock tb.

mallu tá namorando com marcelo camelo. e agora imagina os dois na cama, hein? deve ser a transa mais politicamente correta de toda história da música pop...

teclas pretas disse...

se o chinese democracy fosse um EP com umas 4, 5 faixas sería perfeito.

"IRS" e "MADAGASCAR" são as melhores, acho. axl ta cantando com feeling, aquela voz de caos L.A. rolou um pro-toolzinho e tals, mas dá pra ver que ele ta bem, cantando.

gosto do disco ser um crossover total, não podería ser diferente com axl, pela vida dele e o tempo que levou pro disco sair.

abraço, moçada!

GLAUBER

osvaldo disse...

la como aqui. a veneranda revista britanica mojo acaba de anunciar que suspedera a programacao de radio ( radio mojo) que mantinha em ... londres! eh isto mesmo, nem numa das cidades tidas como uma das mecas do rock o formato radio rock encontra vida boa. a verdade eh que a preferencia da garotada das grandes metropoles mundiais vem migrando para a nova musica pop mundial que eh uma mistura de pop com hip hop e eletronica, ha bastante tempo. o rock e as radios rock ainda sao predominantes em cidades medias ou menores, o que em paises desenvolvidos significa cidades com alto padrao economico, maior que os das capitais.o mais engracado eh o chororo nos comments no site da mojo, tipo onde estao paul mccartney e os irmaos gallagher para bancar a parada, lembrando um choro q conhecemos bem.
http://www.mojo4music.com/blog/2008/11/mojo_radio_2.html

Anônimo disse...

Praticamente o Radiohead da favela, só que aqui vc nao tem nem a opção de pagar...

O disco de estreia do Pessoas Invisíveis - vencedor na categoria disco do ano do Prêmio Bahia de Todos os Rocks - inteiro pra download!
Pra quem gosta da banda, pode baixar:
http://www.4shared.com/dir/6796836/86eeb5e2/sharing.html
abração!

miguel cordeiro disse...

tudo bem que o Guns já não tem essa importância toda e o Chinese Democracy perdeu o pedal do tempo.

mas só por essa notícia já valeu a pena:

"The Chinese Communist Party doesn’t approve of Guns N’ Roses’ new album. In a recent newspaper article titled “American band releases album venomously attacking China,” the Party deemed Chinese Democracy an attempt to “grasp and control the world using democracy as a pawn.”

ou seja: as "otoridades" do partidão comunista chinês publicaram um anúncio oficial e mandam avisar que não gostaram nem um pouco do álbum e dizem que a banda (?) "quer atacar a soberania do país com o título Democracia Chinesa, numa tentativa venenosa e provocadora ao usar o nome democracia...”

é a velha história: mesmo que no mundo ocidental o rock se tornou inofensivo, em alguns lugares ele ainda pode ser uma coisa perigosa

será???

Franchico disse...

Galera, saí de férias. Digito estas das escadarias de um templo budista encrustado no sopé de uma montanha próximo a fronteira do Nepal com a Índia. Vim para cá em busca d iluminação para compreender melhor a própria coisa do Glauber em relação ao rock baiano e aquela coisa toda, pá.

A atualização do blog deverá sofrer as consequências. Mas não comprem ainda suas passagens para Blumenau.

Tô de volta antes que vcs consigam dizer antiinconstitucionalísssimamente.

osvaldo disse...

a dr. pepper prometeu um lata gratis do (hororroso) refri pra todos os fãs da banda se o (pessimo) guns 'n'roses botasse o(indigente)chinese democracy na praça antes do final de 2008.como o guns botou o bloco na rua o dr. pepper montou um site mequetrefe para cadastrar os fãs.ta dando merda . o guns ameaçando processar a dr. pepper.unfuckingbelievable.
http://edition.cnn.com/2008/SHOWBIZ/Music/12/02/gunsnroses.soda/index.html?iref=mpstoryview

Nei Bahia disse...

Calma Oswaldão!!!

O guns tem seu lugar, pode não ser no primeiro escalão do rock, mais tem sua história.
Até por isso, lá no www.meusom.wordpress.com , sem querer ser simplesmente do contra, digo pq o "Chinese democracy" é bem legal!!
Qunta feira já vai estar lá!!

osvaldo disse...

R.I.P Odetta.
Uma das vozes mais marcantes e originais da musica folk norte-americana . artista seminal( de verdade) da musica folk. voz extremamente potente, tambem uma presenca forte no movimento dos direitos civis na decada de 60.
http://www.nytimes.com/2008/12/03/arts/music/03odetta.html/partner/rssnyt?_r=1

artur disse...

A "Vivendo do Ócio" levou o prêmio Gas Sound.
Parabens a galera!