segunda-feira, janeiro 30, 2006

EX MACHINA

Taí: depois de ler o review do site Universo HQ, não esperava muita coisa de Ex Machina: Estado de emergência, encadernado com os cinco primeiros números da revista Ex Machina original nos EUA, publicada pela Wildstorm (subsidiária da DC). Nas bancas soteropolitanas já há uns bons 15 ou 20 dias, só parei para lê-la nesse último fim de semana e curti a mistura de super-heróis, política e comentário social da série assinada por Brian K. Vaughan (X-Men Ultimate, Y: The last man) e pelo fantástico desenhista Tony Harris (Starman). O lance é o seguinte: Mitchell Hundred, anteriormente o super-herói Grande Máquina, depois de alguns controversos feitos heróicos em Nova Iorque, abandona o combate ao crime, revela sua identidade secreta e concorre para prefeito, sem partido, de forma independente. O cabra vence a eleição e a história toda, por enquanto, se resume à acompanharmos o dia a dia de Hundred como o primeiro prefeito com super-poderes da história política mundial. Vaughan amarra sua narrativa com flashbacks de diversas fases da vida do protagonista. Ora vemos Hundred guri em 1979, ora em 1999, quando ganhou seus poderes, em 2000, quando começou a agir, 2001, quando ingressou na política etc. Ah, e qual seria o poder da Grande Máquina? Simples: ele é capaz de "falar" com qualquer máquina, analógica, elétrica, digital, mecânica, qualquer máquina. Por exemplo: ele diz "Emperre" para um revólver e pronto, o bicho não dispara. Seu maior feito, e o que garantiu sua vitória ao derrotar Michael Bloomberg (atual prefeito de NY na vida real), foi impedir o segundo avião de bater na torre sul do World Trade Center no 11 de setembro. O autor, infelizmente, ainda não mostrou em nenhum desses primeiros números como Grande Máquina conseguiu faze-lo, mas como a revista continua bombando nos EUA (faturou alguns prêmios Eisner), certamente isso deve ser assunto de alguma edição futura, bem como a verdade sobre a origem dos seus poderes, até agora desconhecida. Outro atrativo de Ex Machina é seu ótimo elenco de personagens coadjuvantes e ocasionais. O vice prefeito é um rasta - caxias como ele só, uma espécie de Grilo Falante para Hundred, sua consciência. Sua secretária de segurança pública é uma ex-chefe de polícia casca grossa que, em seu primeiro encontro com o protagonista, deu-lhe uma paulada nos cornos, destruindo o capacete do herói. Seu segurança é seu melhor amigo, apesar de meio burro. Tem a estagiária sexy, a artista plástica polêmica, o velho imigrante russo cabeça dura e outros, nenhum deles gratuito: todos parecem mesmo pessoas de carne e osso. Os prêmios ganhos pela série são merecidos: além da narrativa enxuta e que absorve o leitor, Vaughan se revelou um excelente redator de diálogos, sempre cheios de ironia e referências históricas e culturais (para salvar o leitor, a Panini incluiu um glossário bem didático nas últimas páginas desta bem cuidada edição). Tony Harris não decepciona quem já conhecia seu trabalho na saudosa série Starman, em parceria com James Robinson (onde anda esse ótimo escritor?). Na verdade, seu trabalho em Ex Machina é uma evolução em relação à sua série anterior: seu traço estilizado e elegantérrimo foge do convencional no que se trata de hq de super-heróis hoje em dia, muito distante daquele ranço infantilóide de mangá japonês, tão em voga nos quadrinhos do mainstream americano. Detalhado, o artista usa seus amigos e parentes como referências em fotos que ele mesmo bate para compor as cenas. Isso é demonstrado no making of que fecha a edição. Conclusão: Ex Machina daria uma puta série na HBO, pois dispõe do mesmo ritmo e inteligência demonstrados em algumas atrações do canal, como Nip/Tuck, Deadwood e The Sopranos. Ex Machina ainda pode ser encontrada nas bancas mais bem servidas da cidade (shoppings, hiper mercados, rodoviária), tem papel de primeira e custa R$ 19,90. Seu único defeito é conter apenas cinco histórias. Por mim seria o dobro. Minha opinião, contudo, não é compartilhada por outros apreciadores. Se interessou, confira outros reviews nos links a seguir:

Universo HQ.
Melhores do Mundo.

BREVE - Esse fim de semana dei uma (ligeira) atualizada no meu acervo com uns CDs quase recentes (Franz Ferdinand e Weezer novos) e outros nem tanto (Psychedelic Furs, Stray Cats, Beastie Boys instrumental, e a soberba série Atlantic Rhythm and Blues). Depois posto aqui uns comentários sobre alguns deles...

IEMANJÁ ROCK - no Miss Modular, com Cascadura. 02 de Fevereiro, a partir do meio-dia. R$15 (ingresso + caruru).

MÚSICA NO PORTO - Retrofoguetes e Navio Negreiro - Porto da Barra, dia 03, 18h. Gratuito.

ÚLTIMO DIA PARA VOTAR - O Prêmio London Burning de Música Independente 2005 conta com dois representantes baianos entre seus concorrentes: a Soma, na categoria Melhor DEMO/EP/CD-R, com Dramorama, e a Stancia, na categoria MÚSICA DO ANO, com Eu Que Já Roubei tantas Canções. Leiam o que diz no release sobre como votar:

"Para votar é fácil: você só precisa se cadastrar na comunidade London Burning (http://www.orkut.com/CommMsgPost.aspx?cmm=70798) no ORKUT e votar nos seus favoritos. Só lembrando que valerá apenas um voto por cada identidade cadastrada na comunidade. Do dia 20 ao dia 31 de janeiro será o prazo para a votação pela internet nas categorias abertas ao público e para o voto dos jurados escolhidos pela produção do Prêmio London Burning. Em fevereiro os vencedores serão revelados, numa grande festa no Rio de Janeiro. BOA SORTE!!!"

Bom, eu não vou votar por que não sou - nem quero ser - cadastrado em droga de orkut nenhum, não gosto desse negócio, e acho uma pena que haja esse empecilho para pessoas como eu. Também não custa lembrar que nunca ouvi nem o Dramorama da Soma nem a música da Stancia, mas teria o maior prazer em faze-lo (e de quebra, escrever uma resenha para este blog) se recebesse o material. Maiores informações: www.londonburning.com.br.

65 comentários:

Anônimo disse...

bachman turner overdrive!
Banda de bicha!
UMA MERDA!

Mundo Noir disse...

...Ou vc é, ou foi ou em breve será...

artur

Eduardo Luedy disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Eduardo Luedy disse...

chico, onde foi que vc encontrou os cd's da Atlantic Rhythm and Blues?
Outra coisa, vc já sabe algo da adaptação para cinema da série V de vingança de Alan Moore e David Lloyd?
Luedy

Anônimo disse...

vamos acabar com essa polêmica sobre o bto...o único fã mesmo que eu conheço dessa banda é márcio rocks, irmão de cebola...então, com a palavra márcio...
comentário dedicado ao devo

Franchico disse...

Luedy, a série Atlantic Rhythm and Blues vc encontra todinha (7 volumes) para alugar e copiar na Escalpo, que fica na Graça. (http://www.escalpo.com.br/) Muitos anos atrás, esses foram os discos que me iniciaram na soul music, graças às fitas que Márcio B.A. Martinez gravou pra mim, a partir do infindável acervo de vinis do brother Cebola...

A adaptação de V de Vingança já está nas bocas, com trailers e cartazes adoidado pela net. Apesar - e talvez também por causa - da produção "Matrixiana" dos irmãos Bichovski, digo Wachowski, e dos bons Hugo Weaving e Natalie Portman nos papéis principais, minha barba está de molho. Adaptar Alan Moore é sempre um risco muito sério. Saiba mais no Omelete, neste endereço específico: http://www.omelete.com.br/busca/buscageral.asp?palavrachave=V%20de%20Vingan%E7a

Um abraço, maluco...

Nei Bahia disse...

Chicão, fiz semana passada um "revisão" de V já me preparando para o filme, que parece só Março nos trará a justiça!

Anônimo disse...

Marcio BA né???
Ah tá!

Franchico disse...

B. A., de Baixo Astral, velho apelido que hoje não lhe faz justiça e se encaixaria muito melhor em certos frequentadores desse espaço virtual...

Franchico disse...

Tomara, Nei, tomara...

Franchico disse...

Eeeei, boa notícia para animar essa tarde tediosa: "2 Filhos de Francisco" fica de fora da corrida pelo Oscar. YESSSSS!

Leiam aqui:
http://br.news.yahoo.com/060131/5/11gm1.html

Anônimo disse...

caro anonimo nº 1. pra variar vc está enganado e mal informado. o bachman turner overdrive nunca foi banda de bicha meu velho. esse negocio de rock de viado ganhou força com o surgimento do rock indie. aí vai uma listinha delas: flaming lips, placebo, pavement, my blood valentines, perry farrel & jane´s addiction & porno for pyros & dave navarro, cake, flaming lips, radiohead, mercury rev, stereolab, flaming lips....

Franchico disse...

Caro anônimo nº 2: vc pelo jeito, é quem nada sabe do rock. A viadagem comanda o rock n' roll desde Little Richard, passando pelo casal Bowie & Jagger, Lou Reed etc. Inclua aí o seu adorado Grand Funk (da qual já ouvi altos rumores) e tb o Judas Priest, bandas "de macho-chô". Se for pra ser preconceituoso, melhor ouvir só Robertão, Altemar Dutra, Waldick Soriano...

Anônimo disse...

franchico: sua falta de informação e sua inteligencia limitada é uma coisa assombrosa. vc tem de se informar mais. é claro q little richard, lou reed, david bowie são viados famosos. mas eles sempre fizeram um som vigoroso bem diferente do som frágil dócil afeminado e domesticado dessas bandinhas indie do tipo flaming lips. preste atenção e dê uma descarga (hidráulica) no seu cérebro q vc vai entender do q estamos falando. comentário dedicado a gary numan, gary glitter, marc bolan (viados mas rock and rollers da pesada)

Anônimo disse...

q porra franchico. tô começando a te achar vacilão em ficar respondendo estes idiotas anonimos. fica na sua cara. deixa eles ficarem falando sozinho. se concentra em seu trabalho franchico. q porra. alem de escrever os textos isso de vc ficar postando respondendo todo tipo de comentario dos outros já encheu o saco.

Franchico disse...

Quem não gosta, que não volte. Caguei. Antes minha "nteligência limitada" ao caráter certamente duvidoso dessa gentalha que resolveu infestar isso aqui. Aproveitem que minha paciência tá terminando e a farra dos anônimos tb...

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Franchico disse...

Típico de um merdinha infantil: acabaram-se os argumentos, partamos para a ofensa pueril. Vc é digno de pena, seu moleque. Continue anônimo, por que se eu descobrir quem vc é, não vai ter conversa, não, velho. Preste atenção: isto É uma ameaça, se ligue.

Franchico disse...

OK, o jardim de infância acabou. Me desculpem Mário Jorge, Cláudio Esc e outros não-cadastrados que acessam e gostam do RL, mas minha paciência chegou no limite. Se era isso que os anônimos queriam, conseguiram. Nada de comentários anônimos, até segunda ordem. Atribuam isso à falta de educação doméstica e despeito pessoal de certos fracassados. Quem quiser tirar onda com minha cara agora vai ter que se cadastrar. E quem tiver alguma diferença pessoal comigo, que crie colhões e venha me dizer na cara para ver o que acontece. Caso contrário, continuem recolhidos às vossas insignificâncias. Sem mais...

Eduardo Luedy disse...

Realmente, é uma merda isso de alguém que fica nos detonando se esconder no anonimato. Com quem estamos discutindo, afinal de contas? Com um, com dois, com quantos? Olha, eu retiro o que disse acerca da graça que estava achando nos comments anônimos. Porra, se querem discutir, mostrem a cara, tenham coragem. Ficar ofendendo os outros na segurança do anonimato é uma atitude covarde.
E isso não tem nada a ver com as discordâncias em si - sempre defendi a possibilidade do dissenso como algo que enriquece nossas vidas. E é uma pena, porque até a discussão sobre as questões que envolvem a sexualidade estavam começando a ficar interessantes. Mas tô com Franchico: abaixo a covardia.

Franchico disse...

Obrigado, Luedy, pela compreensão e apoio.

osvaldo disse...

Finalmente.

cebola disse...

o clashcity, ja a algum tempo, eliminou os anonimos. Um blog não é praça pública público, não, tem dono (s), este por exemplo é de chico e dos outros colaboradores, voces deixariam qualquer palhaço nojento entrar em sua casa?? acho que é por aí. Cadastrem-se ou morram patifes covardes dos inferno! (sem concordância mesmo, que eles merecem).

miwky disse...

então, voltando à sadia discussão, com nomes e rostos, pergunto: qual é a boa do carnaval?? pra mim, recife e olinda me perderam este ano. salvador, nem pensar. então sugestões são bem-vindas ai!

Franchico disse...

Achei o festival de Maceió, que Luciano postou no blog dele, interessante. Tem Mopho (que acho muito boa), Cidadão Instigado (elogiado por todo mundo, mas nunca ouvi), Wado (que acho legal), Living in The Shit (banda das antigas, tocou até com a Úteros em Fúria em Recife uma vez, em 1993, reativada) e outros. Mas nada tããão assim... para quem não conhece Maceió, deve ser uma boa.

miwky disse...

mas é em março, chico. eu vi lá. é legal, mas nada tão assim, como vc mencionou.

ah, propósito. qual é a formação atual da cascadura, mesmo. todo dia muda, owsh!

Franchico disse...

ih, é? pensei que fosse no carnaval mess...

O Casca deve ser com Paulinho Oliveira e o baixista dele, imagino... seja como for, showzaço.

miwky disse...

é uma coisa incrível: ninguém nunca vai conseguir me dar a formação atual da cascadura. tô em vias de desistir.

Franciel disse...

Chico,
em relação aos anônimos, não posso lhe aconselhar. É uma praga, mas, às vezes, dá uma leveza e deixa o blog engraçado. Como diria Vicente Mateus, é uma faca de dois legumes.
Agora, quanto ao Carnaval, desfaça suas malas. Eis a notícia que você tanto esperava. Como diria Bento XVI: "Receba pelas caixa dos peitos".



"Xuxa confirma presença no trio de Ivete Sangalo


Rogério Lorenzoni/Terra

Xuxa vai levar a filha para desfilar no trio da amiga Ivete


A apresentadora Xuxa aceitou o convite feito pela amiga Ivete Sangalo e vai passar o carnaval em Salvador.

Xuxa e a filha Sasha vão desfilar no trio com Ivete na terça-feira gorda, último dia o carnaval, segundo a assessoria de imprensa da cantora baiana.

Franchico disse...

Francis, concordo com vc: com os comments liberados, o blog ganha mais vida e fica mais movimentado, mas tb é que nem deixar a porta de casa aberta: nunca se sabe quando vai aparecer um chato entrão sem noção. Me dói muito que as circunstâncias tenham me levado a fechar mais uma vez a porta da casa do Rock Loco para os não cadastrados. Coisas do ser humano, infelizmente. Mas tem problema não, tudo na vida tem volta.

Quanto à Xuxa e Sasha, realmente, devo confessar que a notícia me animou tanto, que já mandei comprar meu abadá para pular atrás (beeem atrás) da Rainha dos Baixinhos. Mas bem atrás, juntinho mesmo. Beeeem juntinho. Dando aquele cheiro no cangote. Isso, claro, se os 600 seguranças que cercarão as duas deixarem, né?

(Pô, meu humor voltou. Tudo bem, é um humorzinho pobre, chulo e vagabundo, mas pior é quem não tem nenhum.)

Franchico disse...

Por falar em humor, confiram o Top 5,5 Cenas Estúpidas de Stalonne Cobra, feito pelo pessoal do site Melhores do Mundo. Muito engraçado. Taí, não sabia que se tratava de uma comédia, pensei que era só um filme ruim do Stallone, por isso não vi. Mas acho que vou faze-lo na próxima vez que passar no SBesTeira...

http://www.melhoresdomundo.net/arquivos/002558.php#more

Eduardo Luedy disse...

realmente é uma faca de dois legumes. ficaria, contudo, com a opção de liberar a coisa. afinal, é só não dar corda quando os covardes partirem para a baixaria (é, eu sei que deixar passar batido as cretinices é mesmo difícil...). mas, pô, o clash city mesmo ficou uma aridez só. e, discordando de cebola, se um blog for um lugar em que se tenha que pedir sempre licença para entrar, acho que a gente tende a perder justamente o que há de mais rico, que é o dissenso (e as saudáveis molecagens, né?).
no final das contas, acho que o coletivo tende a se auto-regular e a coibir os excessos. enfim, prefiro com a participação anônima (e olhe que eu já fui vítima de gente que escrevia m meu nome). mas respeuto a decisão de franchico.

cebola disse...

Miwki, por que não me perguntou? O casca atual é fábio e Tiago (batera ). Quem está tocando guitarra e baixo interinamente nos shows é Paulinho Oliveira e Renato ( da banda de Paulinho ). Melhorou?

cebola disse...

quer dizer que não há dissenso se ouver identificação? Assim, prefiro que não haja mesmo. Dissenso entre covardes é briga de galinha louca, estou fora.

cebola disse...

e lá no clashcity, pode ter ficado "árido" sim, é verdade. Mas o povo acessa tanto quanto antes, só comenta menos, mas e daí? pra ler coisas como: Cebola é gay, o cascadura é uma merda, ablu ablueeeeee, no thanks.

Eduardo Luedy disse...

mas cebola, o risco é não haver mais debates, e boa parte dos atritos tende a ser produtiva. corre-se o risco de ficar uma coisa assim: cebola fala para chico, chico para osvaldo, luedy fala para sora. e o círculo se fecha, não há mais baixarias (inevitáveis, vez que são parte da coisa mesmo) mas não há mais nenhum risco também.
ser xingado de gay (alguém ainda se ofende com isso?) ou, no meu caso, de "axezeiro" (como se isso tb fosse ofensivo) não é nada. chato é não entender porque alguns anônimos partem para a agressão pesada e sem sentido. mas acho que é só não dar corda - afinal, o silêncio pode ser muito violento também.
comentário dedicado a sora, claudio esc e a mario jorge.

osvaldo disse...

luedy, o problema é que é impossivel discutir serio com um anonimo.na teoria é bonito, vamos liberar comments anonimos ect. e tal, mas na pratica vira esculhambação, e quase sempre com ofensas pessoais.por mim tudo bem, dou boas risadas, mas eu evito assuntos mais serios.se correr o bicho pega...

marcos rodrigues disse...

O Clash City Rockers é árido, seco e caceteiro. Um blog assumidamente elitista, preconceituoso (com axé e derivados, sobretudo), fechado, sectário e de 'panelinha'. Assim que a blogspot implantar uma opção de só permitir comentários de quem previamente aprovarmos estaremos implantando. Comentário dedicado à Pedro de Lara, Jece Valadão, Paulo Francis e Nelson Rodrigues.

Eduardo Luedy disse...

marcos, queria te dizer que acho massa quando vc revela as posturas reacionárias que eu sempre critiquei e apontei desde a bahiabeat - dentre elas a pouca disposição para conviver com a diferença. e agora, mais recentemente, a disposição para a censura. se o consenso da panela te deixa tranquilo, tudo bem. sé espero que o rockloco não caminhe para isto, mas se caminhar, tudo bem. eu nunca quis tirar minha carteirinha de rocqueiro mesmo.

marcos rodrigues disse...

Diferença, Luedy, se respeita. Não se obriga à convivência. Mas a desrespeito facilmente todas as vezes em que tentam me forçar a conviver com que não quero, como por exemplo insistir em baianidades nos blogs de rock.

miwky disse...

valeu, cebola!! então a formação da cascadura é como eu suspeitava, fábio e quem mais estiver à mão, correto?? falando nisso a monstro discos vai relançar o vivendo em grande estilo e a outracoisa de março tem novíssimo da casca, não é massa??

tb tô com cebola, o anonimato da lugar a covardia e se alguém sente falata das baixarias, pode ser o priomeiro a levantá-las aqui.

Eduardo Luedy disse...

marcos, para mim não há congruencia alguma em afirmar que se respeita a diferença mas pode-se não permiti-la. quem é que vai decidir? no clashcity eu respeito o conservadorismo - nem passo mais por lá para não aborrecer vcs (e para não me aborrecer também). mas aqui, marcos, é vc quem vai dizer o que e quem pode escrever em "blogs de rock"?
sempre me considerei respeitado por franchico, dono deste blog, mesmo quando discordávamos de tudo. do mesmo modo, nunca achei que estava ofendendo ninguém por afirmar minhas diferenças. espero poder continuar assim.
miwky: há baixarias e baixarias. há algumas muito engraçadas e outras não. nunca me senti ofendido por beto bahia, por franciel, por janjão de aratuípe, por sora. pelo contrário, dava muitas risadas. respeito a decisão de franchico, acho que ela pode até se fazer necessária agora, mas lamento que a coisa tenha chegado novamente a isto.

cebola disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
cebola disse...

Quase Miwki, Tiago ( o batera ) é permanente. (não o cabelo, mas seu lugar na banda.)

cebola disse...

Luedy, esses caras que vc citou assinavam, não?

cebola disse...

me refiro à sora, janjão, beto bahia, franciel...

cebola disse...

Foi mal, é que sempre lembro de alguma merdinha pra escrever depois que termino um comentário...é lerdeza mesmo.

Eduardo Luedy disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
cebola disse...

de Mário, desconfio de váááários, inclusive aqui neste post mesmo. Eu mesmo já me utilizei desta artimanha, só não revelo quando ( hehe ). Mas, quando os bebuns começam a ficar violentos, é melhor o dono fechar a budega antes que seja tarde, como diria o velho Bigs: NÉ NÃO??

Eduardo Luedy disse...

cebola, algumas vezes não (caso de alguns conhecidos nossos que se divertiam à beça escrevendo traquinagens sob anonimato. mas eramsempre divertidas e nunca algo baixo-astral. Mário Jorge desconfio que se valia do anonimato. E quem é Beto Bahia, vc conhece? Só pelo fato de ele assinar, isso garante a certeza de que ele, assim como janjão, não eram pseudônimos - aliás, tanto quanto os annonymous?)
não tô querendo pôr nada em votação aqui, tô apenas externando meus pontos de vista. aqui, com ou sem anônimos eu pretendo ficar acompanhando.

cebola disse...

tá invertido esses coments aí de cima é o meu antes o de luedy depois, deu a louca nesta biboca!

cebola disse...

na minha gramática também, mal aí, é pressa...ou inguinorança mesmo.

miwky disse...

olha, com ou sem anônimos, o tópico está igualmente movimentado. o povo só se educa pelas restrições mesmo. vcs não conhecem a alma humana?

sim, alguns eram engraçados, mas não justifica o anonimato. de jeito nenhum.

marcos rodrigues disse...

"Conservadorismo, reacionário". São palavras suas, Luedy, e me lembram um passado recente de uma esquerda caduca e fracassada que as usava contra os adversários na falta de argumentos mais consistentes para a habitual inoperância. De qualquer maneira os textos do Clash City Rockers são assinados pelos seus colaboradores e nem todos devem concordar com minhas posições, então tome cuidado quando generaliza.

Vou só te lembrar que um blog não é uma concessão pública nem mídia estatal, é meio segmentado. Cada um monta um blog pra falar do que der na telha e, da mesma forma, discutir com os seus pares. No caso do CCR, são todos aqueles que gostam de rock'n'roll (ou estão começando a gostar), o vivem diariamente como expressão das suas existências (ou enxergam isso como caminho inevitável) e lutam para que o espaço do gênero em Salvador avance além das limitadas e violentas barreiras que a máfia do dendê o impõe, controlando verbas públicas, redes de comunicação, espaços e mentes. Que a música que vc defende tenha se tornado a trilha sonora desse contexto não deve lhe causar espanto - cada um enxerga o que lhe convém - mas, acredite, em muitos causa repugnância (meu caso) e não se admite nem mesmo tentar procurar qualidades artísticas, técnicas ou de alcance social/popular e cair nessa cilada do discurso do PPP (preto pobre da periferia). A velha culpa pequeno-burguesa. Os 'fracos e oprimidos' são outros. Tome a pílula vermelha e saia do lado negro da força.

Quanto à questão da 'diferença' parece mesmo que vc não acatou a minha sugestão de ler Baudrillard, o que não me espanta. Os carros queimados em Paris, o Hamas no poder, as charges alemães sobre Maomé etc etc etc são só fragmentos da impossibilidade de se entender o mundo contemporâneo pelas lentes embotadas dos Estudos Culturais, esse marxismo requentado para leitores do caderno Mais! da Folha.

Bom, já me estendi demais (de novo). Paro por aqui, estamos voltando a discussões antigas e, na verdade, vc não é meu inimigo embora insista nesse papel de 'inocente útil'.

ps. só relembrando, o livro se chama 'A Transparência do Mal'.

Eduardo Luedy disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Eduardo Luedy disse...

Marcos, não deixa de ser interessante que eu, tendo parado de participar da bahiabeat assim como do clashcity, tenha novamente a sua nobre companhia por aqui - falo de você estar, de algum modo, respondendo às minhas provocações, aos meus posicionamentos. Não deixa de ser um atestado de que o que penso, escrevo, desperta a sua atenção e vontade de retrucar - que eu reconheço e admiro, por mais que você goste de desqualificar o que eu gosto-penso-escrevo, e por mais que eu não concorde com quase nada.
Você sabe que eu gosto de discutir, mas não gosto de violência (não obstante aquela velha história tornada mítica por você). Podemos nos exaltar (o que pra mim sempre revela o que há de mais humano na gente, até nos que têm sangue de barata), mas não gosto mesmo de venenos, ironias "finas", sarcasmo etc. Isso para não mencionar agora a sua vontade de coibir e contriolar o que se pode dizer num blog. Olha, eu tenho todo o interesse em discutir as questões de "diferença" - seja por que óticas forem, seja a partir de que leituras forem que a gente se disponha a colocar na mesa. Mas não me venha com essa, "vá ler Baudrillhard". Por que você acha que eu "tenho" que ler o tal Baudrillard? Isso fará de mim alguém "à sua altura". Voltaremos ao velho bordão "vão ler Baudrillhard, Deleuze, Derrida etc para poderem discutir comigo"? . O pior é que eu fui, gastei meu parco dinheirinho comprando aquela edição barata da papirus e achei chato, chato, convencido que só, o tal do Baudrillhard. Não é meu tipo. Sou mais para a antropologia e para o ?marxismo requentado? (na sua ótica) dos Estudos Culturais. Mas respeito, Marcos, isso pra mim é uma das funções do que considero como "diferença". Uma outra, que vc parece menosprezar, é a humildade. Humildade que encontro inclusive em gente muito mais importante, tal como em Foucault.
Grande abraço,
Luedy

ps. enquanto os donos deste blog (alguém mais além de franchico?) não me proibirem de falar aqui daquilo que eu considero relevante, em música e comportamento, vou continuar ignorando sua exortação à censura dos assuntos em "blogs de rock" (afinal, o que é rock mesmo?).

Clash City Rockers disse...

Ok, então vc leu Buadrillard? Tá bom :)Tenho certeza que Chico vai ficando em boa companhia. E, mesmo que não queira contar a ninguém, passe de vez em quando lá no CCR. Conseguir se aborrecer é sinal de vitalidade. Abç.

Marcos

cebola disse...

Luedy, sou advogado de ninguém não, mas não acho que Marcos deseje realmente coibir ou censurar o que se diz em um blog. Nos coments fala-se o que quiser, nos posts também, são assinados e representam opiniões individuais. Insiste nesta pilha não que tá vazia, vazia. Ninguém lá no clash remove os coments alheios, isso sim seria censura. É só encarar o debate, manter o nível e seguir adiante. Relaxe, cara.
Ah, sim... rock é rock mesmo.:)

miwky disse...

quem não for lá no retrofoguetes na barra daqui a pouco é mulher do padre e usa melissas, viu??

Eduardo Luedy disse...

tranquilo, cebola. a gente tende a generalizar, admito.
marcos, o "passar por lá" a que me referia era mais no sentido de "participar". de fato, de vez em quando dou uma olhada no que tá rolando pelo clashcity. e vejo que o número de comments diminiu consideravelmente - por isso que falei em "aridez". acho que um blog precisa tanto de participação em forma de comments quanto uma banda de rock (pode ser de axé também) precisa da participação de sua audiência.

Eduardo Luedy disse...

acabei de chegar do porto. os meninos do retros arrebentaram - como de costume. e nancyta idem. pô, eles deviam efetivar ela logo na banda. muito bom. o encerramento com o hino ao sr do bonfim é de arrepiar.
comentário dedicado a sora, franciel e janjão de aratuípe.

miwky disse...

porra, perdi a retrofoguetes. tb é um inferno sair do cab pra barra.

miwky disse...

deu zebra:
Misfits cancela show no Brasil

Segundo a Toplink Music, produtora brasileira responsável pela vinda da banda. O grupo cancelou a turnê brasileira porque teve problemas no embarque para o Brasil, feito na Colômbia, onde a banda se apresentou.

Segundo comunicado, o grupo não pode embarcar para o país por não terem tomadovacina contra Febre Amarela, com isso o grupo resolveu voltar para os Estados Unidos diretamente de Cali.

A Toplink ainda tentou acertar um vôo dos Estados Unidos para o Brasil, possibilitando que a banda se apresentasse por aqui, mas não houve acordo.

Se você já comprou seu ingresso, poderá reaver seu dinheiro diretamente na bilheteria do CIE Music Hall a partir de segunda, dia 6 de fevereiro.

DropMusic - 04/02/2006

miguel cordeiro disse...

qualquer blog que queira passar informação (qualquer que seja ela) não pode dar mole prá anonimo. chico se prepara e escreve um texto bala como esse ex-machina cheio de toques e aí vem uma porrada de gente e foge ao assunto do texto postado e tudo se torna um grande desperdicio (da parte de quem escreve o texto). número de comentários não é parametro para um blog e sim o numero de acessos. o resto é picuinha de demagogo...

Franchico disse...

Obrigado, Miguel, pelo elogio. Vindo de vc, sei que não é por mera gentileza...

Tenho estado um pouco ocupado e tb um pouco chateado - com um monte de coisas, não apenas com os últimos eventos por aqui - daí o atraso nos posts. Mas prometo que até terça 07.02 (amanhã) tem post novo na área.

Luedy, Marcos, Cebola, Miwky (e quem mais quiser), sintam-se livres para discutir o que quiserem por aqui - mesmo que fuja do assunto do post. No problems, estamos aqui para isso mesmo...