quinta-feira, fevereiro 09, 2012

OSBA E RUMPILEZZ FAZEM ENCONTRO INÉDITO NO TCA

Nem só de encontros de trios vive Salvador.

Um encontro inédito entre a Orquestra Sinfônica da Bahia (Osba, foto de Adenor Gondim) e a Orkestra Rumpilezz no Teatro Castro Alves, sexta-feira, promete se tornar uma ocasião  histórica.

As duas orquestras iniciam o concerto tocando em separado, cada qual com seu repertório tradicional. Na terceira parte do concerto, elas se unem para executar juntas o (cavalo de batalha) Bolero de Ravel.

O convite partiu da Osba, atualmente regida por Carlos Prazeres. Segundo o maestro, este concerto é o pontapé inicial de uma série de atividades ao longo de todo o ano.

“Temos um plano audacioso denominado Osba 30 anos, que vai levar para toda a Bahia uma programação  diferenciada de nivel internacional. Para isto, contamos  com um olhar diferenciado do governo do estado para esta instituição”, conta.

Prazeres detalha que este concerto com a Rumpilezz é o primeiro de uma série de quatro, chamada Osba+.

“Será  uma de nossas  séries mais ousadas. Ela soma a irreverência da música popular com a tradição da erudita”, acrescenta.

Por não ter nomes confirmados, ele não abriu com quem seria os outros três concertos Osba+, mas dá pistas: “Não nos restringiremos à Bahia, pois a ideia é fazer parcerias com ícones  populares do mundo todo. Mas de início, creio que parceiros como Margareth Menezes e Carlinhos Brown  estarão conosco nessa empreitada”, conta.

Programação consistente

Do lado da Rumpilezz (foto de Leonardo Nova), o maestro Letieres Leite parece igualmente entusiasmado: “Para nós,  tem um significado subjetivo muito grande: o fato de a música ancestral-sacra-baiana ir para a sala de concerto dividindo o espaço com uma orquestra sinfônica de tradição europeia mostra para mim que os paradigmas acadêmicos estão caindo mesmo”, observa.

 “O maestro Prazeres foi extremamente gentil e entende a importância da música de origem popular. As fronteiras estão caindo, a academia  deve estudar música, ponto. Não importa de onde ela venha”, acredita.

Prazeres assina embaixo e acrescenta: “O maestro Radamés Gnatalli (1906-1988) dizia que ‘não existe música erudita e música popular. Existe música boa  e música  ruim’. E tudo o que for bom, merece ser feito“.

“Como poderíamos fazer parte de um dos estados mais ricos de cultura musical e ficar imunes a isto? Um estado com tantas influências diferentes, que produziu ícones como Caetano, Gil, a questão do axé. Não podemos ficar imunes a isso. A Osba tem que ter o tempero da música da Bahia e do mundo”, afirma.

Para Letieres, o concerto é uma boa oportunidade para uma nova visão de ambos os lados: “Que o público erudito passe a olhar com cuidado a música popular feita com seriedade. E que os músicos populares contemplem a música erudita, por que  ela representa a evolução da humanidade”.

Mas nem só de parcerias viverá a Osba 2012. Uma programação “pesada e complicada” (palavras de Prazeres) vem aí.

“Críticos vão dizer que ‘o Prazeres está transformando a Osba numa orquestra popular’, mas não é verdade. Temos uma programação consistente, com  peças de (Gustav) Mahler, sinfonias de (Anton) Bruckner, o poema sinfônico Uma Vida de Herói, de Richard Strauss. Vamos inserir a Osba no cenário nacional e internacional”, diz.

Orquestra Sinfônica da Bahia & Orkestra Rumpilezz / Teatro Castro Alves / sexta-feira,  20 horas / R$ 20

10 comentários:

Franchico disse...

Uhú! Digo, u-Who!

http://omelete.uol.com.br/doctor-who/series-e-tv/doctor-who-comeca-ser-exibido-na-tv-cultura/

Demorô! Pena que vai ser dubrado....

Franchico disse...

Sinto um forte cheiro de safadeza por aqui...

http://omelete.uol.com.br/marvel-comics/quadrinhos/marvel-comics-editora-vai-cortar-paginas-em-2012/

teclas pretas disse...

doctor who?? que jóia, bicho!
G.

Franchico disse...

Filmaço, vi ontem, recomendo:

http://omelete.uol.com.br/cinema/o-espiao-que-sabia-demais-critica/

E sexta estreia Motoqueiro Fantasma 2! Uhú!

Nei Bahia disse...

O ritmo é sufocante Chicão, mais vale a pena...Millennium - Os Homens que Não Amavam as Mulheres é totalmente excelente, vale se jogar!


Obs: continuo ouvindo o Van Halen novo sem parar, ainda da tempo Oswaldo!!!

Nei Bahia disse...

Alguém, por favor, traduza para o português:

"O projeto MiscigenaSom traz para o Carnaval de Salvador os músicos Moreno Veloso, Tamima Brasil e Xis, acompanhados pela banda Itapuã Beat. O trio, selecionado pelo projeto Carnaval Pipoca 2012, sai dia 19, no circuito Osmar (Campo Grande), a partir das 22h.

As três vertentes representadas por Tamima, Xis e Moreno têm em comum a proposta de apresentar sons de contexto contemporâneo que dialogam com tendências ancestrais, principalmente de origem africana. Na obra de cada um dos três artistas, é possível perceber uma grande miscigenação sonora e cronológica de pensamento, em muitas instâncias, com um resultado sempre ricamente mestiço."

osvaldo disse...

Vou fazer uma tentativa Nei com o novo do Van Halen. Quem sabe se com o tempo eu fiquei mais tolerante com o som absolutamente mediano que eles se propunham a fazer, em que pese a execução virtuosa de Eddie Van Halen, varias vezes eleito na epoca aurea deles como o melhor do mundo. Mas aí é que ta, se virtuosismo fosse o parametro definitivo na musica, não existiria rock n roll.

Franchico disse...

Nei, vi em dvd o original sueco Os Homens que Não Amavam as Mulheres e tava na pilha para ver essa versão americana, mas ainda não consegui. Mas vou ver com certeza. Tava querendo ver tb os dois outros filmes suecos da trilogia, mas ainda não sconsegui achar. Ontem até vi anunciando que vai passar na TV, em um dos canais Max. Foi no intervalo de Inferno Sobre Rodas (Hell on Wheels), nova série do AMC (Walking Dead, Breaking Bad). Que tb é do caralho, diga-se de passagem.... Continuemos ligados.....

Franchico disse...

O Van Halen novo eu tô esperando para ver se pinta na mão do papai aqui. Se não pintar, baixo depois... Mas vou conferir com certeza....

Franchico disse...

Nei, o texto é intraduzível. Intraduzível nível Carlinhos Brown...