sábado, agosto 20, 2011

O SOM DA METAMORFOSE

Trinta anos atrás, uma banda traumatizada pela amputação de seu membro mais importante se reinventou de forma extraordinária, como nenhuma outra antes ousou fazê-lo.

Foi em 1981 que os três rapazes remanescentes da banda inglesa Joy Division resolveram que já tinham curtido suas depressões o bastante após o suicídio do vocalista Ian Curtis e decidiram seguir em frente com uma nova banda: New Order.

Esta história, já contada em zilhões de artigos, matérias, documentários e um filme (o ótimo Control, de 2007) é recontada novamente, agora a partir da música produzida pelas duas bandas, na recém-lançada coletânea Total - From Joy Division to New Order (Warner).

Com dezoito faixas, o álbum traça a metamorfose empreendida por Bernard Sumner (vocais e guitarra), Peter Hook (baixo), Stephen Morris (bateria) e a namorada deste último, Gillian Gilbert (teclados e programações): da emblemática música pós-punk do Joy Division (sombria, deprimida e tristonha, ainda que genial e pungente na essência) para o “fervido” som eletrônico para clubes noturnos do New Order.

Não foi uma operação simples ou espontânea. Houve um tempo de maturação, uma busca do caminho a seguir.

Uma esquisita disco music

O fato é que, depois de pagarem tributo a Ian, gravando sua última canção, Ceremony, e lançarem um primeiro álbum macambúzio, Movement (1981), os membros do New Order estavam de saco cheio da sombra do mártir suicida e seus fãs, posers de sobretudo preto.

“Ian só usou sobretudo uma vez!”, declarou Stephen Morris, em entrevista para a revista inglesa Mojo, de julho último. “Aí pensamos: ‘vamos fazer algo que esses bastardos vão odiar, vamos nos distanciar o máximo possível e fazer disco music esquisita (weird disco)’”, relatou.

O resultado, após adquirirem toneladas de aparelhos up to date – sequenciadores, moduladores de tempo e isoladores de frequência –, foi uma nova arquitetura sonora, não só para eles próprios, mas para a música pop como um todo.

O divisor de águas foi o single Blue Monday, um dos mais vendidos de todos os tempos.

Daí para obras-primas como Perfect Kiss, Bizarre Love Triangle e outras foi um pulo. Ou um beat.

Total / Joy Division & New Order / Warner Music / R$ 29,90

9 comentários:

Franchico disse...

Alice In Chains e Stone Temple Pilots confirmados no SWU.

http://whiplash.net/materias/news_848/136510-velvetrevolver.html

Legal, mas nada ainda que me faça pegar um avião p/ SP e depois um ônibus para Paulínia e depois um transporte (sabe lá qual) para a tal fazenda aonde vai rolar o festival. O qual, não custa lembrar, demonstrou ser uma bela roubada no ano passado, conforme inúmeros relatos de comida e bebida cara, ruim e de difícil acesso, num frio de lascar e que ninguém sabe como voltar para casa (ou seja lá em que tipo de acomodações Paulínia ofereça) depois de exaustivas seis, oito ou dez horas de shows. Sem contar a odiosa conversinha ecológica e politicamente correta (que não corresponde com a realidade, já que o festival do ano passado estava imundo de lixo em tudo que é canto) que permeia tudo o que é relacionado a este festival, conversinha aliás, bem típica de publicitário e que só engana mané. Não, obrigado. E boa sorte pra quem vai...

Franchico disse...

Trailer de quase cinco minutos para a segunda temporada de The Walking Dead:

http://www.youtube.com/watch?v=1OZ0mu8Ey6A&feature=player_embedded

O que posso dizer? Estou sem fôlego aqui!

Franchico disse...

Frank Miller, tenha dignidade e se aposente de uma vez!

http://www.omelete.com.br/frank-miller/quadrinhos/holy-terror-poster-trailer-e-paginas-da-nova-hq-de-frank-miller/

Franchico disse...

A incógnita do ano:

http://www.loureedmetallica.com/

Será que vai prestar? Façam suas apostas!

teclas pretas disse...

chicão,
o teclas é que lançará algo até fim do ano. a dupla com murilo [chama-se TANPURA], já tá na rua, mermanito:


TANPURA | "zero onze"

http://tanpura.bandcamp.com/track/zero-onze

TANPURA | "anônimo"

"anônimo"
http://tanpura.bandcamp.com/track/an-nimo

baixar o ep:
http://www.mediafire.com/?qrkh1k0y8yzk3id

coloquei no ytube também:

http://www.youtube.com/watch?v=ROuCHTk6Hgg

http://www.youtube.com/watch?v=wkVmLsH1hv4&feature=related

heheeeeeiiiii...

GLAUBEROVSKY

Franchico disse...

Vejam quem história!

moradores de Plataforma pedem socorro.

Prezadas (os) Amigos (as),

Plataforma é um bairro operário, pobre e negro de Salvador, situado à
margem da Bahia de Todos os Santos (e Orixás), Subúrbio Ferroviário.
Desenvolveu-se a partir de uma fábrica têxtil (1875), onde trabalharam
quase todas as famílias: homens, muitas mulheres e crianças exploradas
das mais diversas formas. A fábrica construiu uma vila operária à sua
volta, como era hábito à época em usinas têxteis; quando a fábrica
fechou, a proprietária, Companhia Progresso União Fabril, passou a
viver de taxas abusivas cobradas sobre os terrenos e casas da antiga
vila operária. A fábrica foi abandonada e apenas as suas ruínas
sobrevivem até hoje. Os moradores, ao longo do tempo, praticamente
reconstruíram as casas de taipa da antiga vila operária. A empresa
alega propriedade dos terrenos que estranhamente só registraram em
1932, documento contestado por irregularidades observadas na
escritura, em processo ainda sub judice. A União Fabril tem
arbitrariamente tomado as casas construídas pelos moradores, expulsado
de forma cruel famílias que ocupam as casas há mais de 100 (cem) anos
e mantém as ameaças de mais expulsão até hoje.
Por tudo isso, a Associação dos Moradores de Plataforma (AMPLA) que
luta pelo bairro desde 1977, está em campanha pela REGULARIZAÇÃO DAS
TERRAS E A REVITALIZAÇÃO DA ANTIGA FÁBRICA PARA PROJETOS EDUCACIONAIS,
CULTURAIS, ECONÔMICOS, etc, que ajudem a melhorar a vida do povo. Por
esta razão vimos pedir seu valoroso apoio para esta causa tão justa,
inclusive enviando para sua lista de e-mails. Para assinar acesse:
http://www.peticaopublica.com.br/?pi=P2011N9064. A melhor forma de
mandar para a lista é copiando a mensagem com o link. Por favor, não
esqueça de confirmar a assinatura.
Obrigada pela solidariedade!

--
Antonia dos Santos Garcia
Socióloga, doutora em Planejamento Urbano e Regional/IPPUR/UFRJ e
pesquisadora CNPq

Franchico disse...

Depois da parceria Loutallica, vem aí Brian Wilson com Slayer, Paul Simon com Celtic Frost e Joan Baez com Corpsegrinder! Aqui:

http://introvertedloudmouth.blogspot.com/2011/07/lou-reed-and-metallica-record-album.html

Franchico disse...

Depois de cometer alguns dos piores filmes de TODOS OS TEMPOS, com Moulin Rouge encabeçando a lista, Baz Luhrmann agora vai tratar de estragar um dos romances mais bonitos de todos os tempos:

http://omelete.uol.com.br/cinema/o-grande-gatsby-adaptacao-vai-comecar-e-elenco-tem-reforco/

Por que esse cara não para? Na moral, véio, pare de trabalhar! Pare, peloamordedeeeeeeusssss!!!!

Márcio A Martinez disse...

OBA! Finalmente vou ter um disco do Metallica!!!