quinta-feira, fevereiro 12, 2009

ABRAM ALAS PARA OS ALTERNATIVOS

Atrações convidadas e /ou aprovadas via edital pela Secult garantem real diversidade



O que parecia inacreditável até pouco tempo atrás aconteceu: o Carnaval de Salvador 2009 promete ser bem mais democrático do que o que se tem visto nos últimos 20 e tantos anos. Ontem foi divulgado no Diário Oficial o resultado da seleção pública de projetos do Carnaval Pipoca da Secretaria de Cultura (Secult) – e eles são bem animadores.

A começar pela clara intenção de diversificar – de uma vez por todas – a oferta de gêneros musicais da festa para o folião pipoca, esse sofredor espremido entre os cordões dos blocos pra turista ver e os paredões de madeirite dos camarotes para empresários e celebridades da hora.

Haverá rock, reggae, samba, frevo, marchinhas, hip hop, dub e raggamuffin, entre outros ritmos divididos em oito desfiles, compondo um belo painel do que se faz de melhor em termos de música – a de verdade, que não se parece com jingle de refrigerante – na Bahia, hoje.

Além dos contemplados no edital do Carnaval Pipoca, haverá ainda mais doze desfiles escolhidos por curadoria, assinada pelo diretor de Música da Fundação Cultural do Estado da Bahia, Gilberto Monte, e o coordenador de Ações para o Carnaval, Edivaldo Bolagi.

A programação completa dos desfiles contemplados por edital e por curadoria ainda está por ser divulgada, dependendo até de sorteio (no caso das atrações por edital), mas já dá para adiantar alguns pontos altos da festa.

Folia para todos – Por enquanto, o que há de certo mesmo é que, na segunda-feira de Carnaval, dia 23, o Foguetão, o trio dos Retrofoguetes será uma das grandes atrações do circuito Dodô (Barra - Ondina). O trio sai às 21 horas, e ainda contará com convidados superespeciais, como a banda carioca Autoramas e a cantora baiana Érika Martins (ex-Penélope).

O convite para capitanear esse trio não foi a toa. Entusiastas da guitarra baiana e do frevo trieletrizado que outrora foi a marca do carnaval baiano, o grupo promove há anos a festa Retrofolia (veja serviço abaixo), um baile onde resgata este ritmo e o das antigas marchinhas – com a pegada rock / surf music que caracteriza o som da banda.

Mas os roqueiros que se recusam a se isolar da festa ainda terão, no mínimo, outra bela opção com o trio de rock que reunirá o cantor Lobão e as bandas locais Cascadura e Radiola, mais participação especial da cantora Ivana Vivas, da banda Demoiselle.

“Nosso projeto foi aprovado no edital“, comemora Fábio Cascadura, líder da banda que leva seu apelido (ou vice-versa). “Vamos sair com o Casca, Lobão, Radiola e mais alguns convidados. Saiu no Diário Oficial“, disse, ainda no calor do momento.

Outra atração de destaque revelada pelo resultado do edital divulgado ontem é o Trio Terreiro Circular, que se apropria da estética dos sound systems jamaicanos e levará para a avenida o cantor Lucas Santtana mais os coletivos Ministereo Público e Terreiro Circular (trip hop, frevo, afro-beat), com participação do grupo de rap Milicianos, de Plataforma (Subúrbio Ferroviário).

O Trio de Guitarra Baiana reunirá três virtuoses do instrumento: Júlio Caldas, Morotó Slim (Retrofoguetes) e Jackson Dantas para uma apresentação puramente instrumental com muito choro, frevo e marchinhas.

Outro projeto curioso é o Trio na Folia, com as cantoras Claudia Cunha, Sandra Simões e Manuela Rodrigues, que apresentarão repertório baseado nas vozes femininas da MPB, além de um tributo a Carmem Miranda.

Nem a criançada ficou de fora, sendo contemplada com o Trio Galerinha, com as bandas Picolino e Gatos Multicores, mais artistas do Circo Picolino.

Retrofolia | Com a banda Retrofoguetes e convidados, mais os DJs Big Brother e Zezão | Sexta-feira, 22 horas | Boomerangue (3334-5577) | Rua da Paciência, 307, Rio Vermelho | R$ 15 até 0h | R$ 20 depois

Foguetão | Desfile do trio elétrico com Retrofoguetes, Autoramas e convidados | 23 de fevereiro, 21 horas | Circuito Dodô (Barra Ondina)

18 comentários:

Mirdad disse...

Tô falando... É só escrever um projeto bem escrito e condizente à realidade possível que a possibilidade de ser aprovado é muito grande.

Parabéns a todos os contemplados!

Mirdad disse...

Putaqpariu. Haja redundância!!! Perdoem-me, meus caros. Isso q dá postar sem revisão. Blergh!

Nei Bahia disse...

De fudeeeeeeeeeeeeeeeeeeee!!!

Anônimo disse...

Muito bom mesmo! Apenas uma correção: a Demoiselle não vai participar como banda, a produção do Cascadura convidou Ivana para fazer uma participação na apresentação. Não sei pq no site da Secult eles erraram e colocaram essa informação tb como se a banda tivesse sido contemplada com o projeto. Só pra esclarecer...parabéns a todos!
Toni Oliveira

Franchico disse...

Valeu a correção, Toni!

Já vou corrigir a informação.

Abç, Chico.

Anônimo disse...

Fabio,o incansavel!!!!!!Deveria ganhar um premio!!!!!PARABENS!!!!!
Carnaval esse ano ta bala!Tem tbm as atracoes dub e mais o trio dos Novos Bahianos!
Muito bom!

Mirdad disse...

Vamos então parar de reclamar à tôa, arregaçar as mangas e trabalhar?

Anônimo disse...

tô fora man. me inclua fora dessa lama

teclas pretas disse...

CARNAVAL ANTOLÓGICO! e é só o começo, meus camaradas. só o começo!

GLAUBER

Marketing Digital disse...

Será que não precisarei contar com 'todo carnaval tem seu fim' pra me sentir feliz, teremos opções então?! Finalmente!

Franchico disse...

Saudades dos velhos "praytaimes" dos anos 70 e 80?

http://www.minutemenarcade.com/uk/

Mais um viral da campanha de Watchmen.

Divertidíssimo, totalmente retrô e facinho de jogar.

Mirdad disse...

Engana-se, man. Nós é que estamos limpando toda a lama dos tempos atrás. E tá na hora de sarar esse cotovelo aí e trabalhar. Chega de conversa fiada.

Franchico disse...

Recebido por email:

O PROCESSO DE DEGRADAÇÃO DE SALVADOR

A cidade de Salvador está em adiantadíssimo processo de degradação. Está ocupada por mendigos, ambulantes, barraqueiros, achacadores, distribuidores de panfletos, vendedores meninos e adultos, assediando as pessoas nas ruas e nas sinaleiras.
Bares, botecos, ambulantes e barracas imundas ocupam os passeios, as ruas, canteiros e praças, sem que os órgãos públicos criados e mantidos para fiscalizar, exigir o cumprimento das leis e posturas municipais e coibir as irregularidades cumpram a sua parte.
A BANDALHA tomou conta de toda a cidade, onde se faz o que se quer, as necessidades fisiológicas são feitas nas ruas e canteiros por todos, de ambulantes a taxistas, a qualquer hora do dia. Todo metro quadrado da cidade tem "dono". Onde há um equipamento público há ocupantes e "donos": Ruas, praças, jardins, passarelas, - em cima e embaixo -, viadutos que se transformaram em abrigos para oficinas mecânicas e residências, como ocorre na Av. Vasco da Gama, para não citar outras. Onde há possibilidade de estacionar um veículo há um "dono da vaga", de qualquer idade, a qualquer hora do dia, cobrando o que quer pelo "uso de sua propriedade". Qualquer vagabundo pode comprar um colete escrito "segurança" e ficar esperando o carro estacionar para cobrar o que quiser.
Parte da Avenida Anita Garibaldi foi invadida por policiais militares de um determinado batalhão, seus parentes e amigos, que ocuparam até as encostas. As "casas" estão lá, penduradas. Num trecho da Vila América há uma casa comercial, um autêntico "cacete armado" que invade a área em frente e que expõe frutas e verduras na rua, protegidas por coberturas de restos de plásticos, madeirite e papelão, sujos e reaproveitados e ladeadas por caixotes e próximos aos contentores para lixo. A parte baixa da encosta já está escavada, já tem barracas funcionando e outras estão sendo construídas para o carnaval e lá permeanecerão. Será que vai haver deslizamento de terras, Sucom?
Como isso ocorre em toda a cidade, tomemos como exemplo apenas a Pituba e o Itaigara, ex-bairros nobres, que hoje de nobres só tem o IPTU, e que são a bola da vez no avançado processo de degradação da cidade.
Noventa por cento da Av. Paulo VI, outrora residencial, foram transformados em comércio, de todo tipo.
A Rua das Hortênsias, que margeia a Praça Ana Lúcia Magalhães está totalmente ocupada por bares e restaurantes. Essa praça, urbanizada na primeira gestão do atual Prefeito e que seria para uso dos moradores, está sendo ocupada pelos donos dos espaços públicos. Bares e restaurantes já ocupam meia pista da rua onde são colocados banquetas e cones para as atividades dos manobristas. O melhor exemplo é o bar "Boteco da Praça" situado nesta rua no nº 652, que já ocupava há tempos metade da rua com mesas e cadeiras, dividindo perigosamente o espaço com ônibus, caminhões e outros veículos, como nas tragédias anunciadas esperando ocorrer o acidente que vai mutilar ou ceifar vidas de seus incautos freqüentadores, e pelo qual ninguém será responsabilizado, passou a ocupar também o canteiro da praça com mesas e cadeiras, numa demonstração de que o proprietário ou tem grande prestígio na SESP (terá alvará?) ou também se convenceu de que pode fazer o que quer, pois sabe que não será incomodado. Provavelmente sua intenção é a "expansão" do bar para a área da praça em frente.
Ainda nesta praça o gramado, passeios e pistas internas também estão sendo ocupados por barracas de grupos profissionais de ginástica e "pula-pulas" de aluguel, também esperando os acidentes.
Aos domingos, chegam os dançarinos, mágicos, palhaços e músicos fantasiados, que se instalam no gramado e arrecadam dinheiro por suas pobres apresentações teatralescas, e ao lado do seu "palco", os "pula-pulas". Junto a estes, e com a natural omissão da Vigilância Sanitária, foram instaladas também sobre o gramado cadeiras e caixas de sanduíches e sucos. Logo haverá cervejas, pasteís, acarajé... Como é normal em Salvador, em breve haverá outros equipamentos como escorregadeiras, balanços, piscina de bolas e outros objetos para completar o parque de diversões informal, que continuará funcionado graças à omissão da SESP.
No lado oposto da praça o espaço também já tem "dono": um grupo já se instalou no gramado com sua "empresa" locadora com cerca de 20 a 30 bicicletas, skates, patins, pequenas motos elétricas e similares, para crianças e adultos, com seus funcionários informais orientando os usuários a ocuparem todo espaço disponível e, nas suas pranchetas, anotam o tempo e o valor do aluguel de cada veículo, que circulam acompanhados pelos pais pelo gramado e pelas pistas internas, inclusive a exclusiva para pedestres, o que prova que a falta de edução e cidadania não é só dos pobres da periferia. Os pedestres, principalmente os idosos, perderam o direito ao esporte e a sua caminhada e estão à espera dos atropelamentos.
Os passeios e canteiros da AV. ACM, no trecho do Shopping Itaigara até o Tropical Center estão totalmente ocupados por ambulantes, desde vendedores de mingau a jogo do bicho. Há barracas que expõem e vendem cachaça, uísque e conhaques vagabundos abertamente, durante todo o dia. No início da noite são espalhados pela pista da avenida mesas e banquinhos para atender os frequentadores.
Nos canteiros em frente à Petrobrás e a OI Atende, há vendedores de tudo, de café e mingau que começam a partir das 6 horas da manhã, e a partir das 11 horas são montados os restaurantes volantes que, com as vistas grossas da Sucom e Vigilância Sanitária, sem atender às mínimas normas sanitárias servem refeições a céu aberto, cujas comidas, de procedência incerta, são acondicionadas em vasilhames e transportadas por velhas kombis. Os pratos e talheres são lavados em bacias e caldeirões e a água suja com resíduos é despejada nos canteiros e na rua.
A passarela que iria resolver os engarrafamentos do local e dar mais segurança e agilidade aos pedestres e que ligaria a sede da Petrobrás ao Pituba Parque Center, resolveu o problema pela metade, pois não atravessa toda a avenida, e é um verdadeiro centro comercial, que vende de mingau a jogo do bicho e onde as Kombis e outros carros dos ambulantes são estacionados para guardar as vagas de suas barracas, com a conivência da SET. Até uma carrocinha-reboque é usada com esse objetivo. Está tudo lá para quem quiser ver.
O canteiro em frente ao supermercado existente no Shopping Itaigara é uma feira-livre, com as sujas e fedorentas barracas "padronizadas" pela Prefeitura colocadas nos passeios onde são espalhados restos de tudo e lixo, que se misturam com as barracas de acarajé, carrinhos de picolé e coco, reduzindo a passagem de pedestres a um estreito corredor imundo e fedorento.
O gramado ajardinado que havia foi transformado em depósito de caixotes de frutas e verduras onde estas são lavadas com água suja e arrumadas para a venda e se misturam com os restos apodrecidos espalhados na rua e sob as barracas e com os dormitórios e mictórios dos vendedores. Os restos enegrecidos de dendê usado para fritura de acarajés são também despejados no passeio e na rua, criando uma crosta suja e escorregadia.
A entrada do citado supermercado é a mesma que é usada como saída do seu estacionamento e fica em cima de uma faixa de pedestres sem sinaleira e ao lado de um retorno para ônibus. Junto ao portão de acesso, o passeio está bloqueado por cestos colocados no chão por vendedores de aipim e frutas, obrigando os pedestres a se locomoverem pela rua, no meio dos carros que passam. Esse passeio é totalmente irregular, enladeirado e esburacado.
Esse trecho, caótico, é uma das maiores demonstrações de incompetência ou permissividade administrativa criminosa.
Pouco mais adiante, há várias barracas que vendem bebidas, comidas e coco verde, cujos restos e cascas se espalham pelo chão e é também ponto de taxistas. Pela ineficiência da fiscalização da Limpurb, o local fede, não só pela presença de recipientes para lixo, inclusive os da prefeitura, como pelos restos de comida espalhados pelo chão e pela água suja das bacias que lavam os pratos e copos e que é despejada na rua onde ficam empoçadas evaporando lentamente.
Apesar do banheiro químico existente no local, muitos taxistas e frequentadores preferem urinar atrás das árvores e dos recipientes de lixo. Estes mesmos brindam os pedestres e moradores com gritaria, palavrões e som alto, deleitando-os com pagodeiros, arrocheiros e outras maravilhas da belíssima música baiana.
Os achacadores de veículos, sindicalizados ou não, usam seus apitos ininterruptamente, infernizando as vidas de empresários, comerciantes, profissionais liberais, clientes e os empregados que trabalham nos edifícios comerciais do bairro.
No Boulevard 161 há dois restaurantes, um dos quais funciona 24 horas por dia, e uma boate. Os flanelinhas se apoderaram das ruas, passeios e canteiros e seus estridentes apitos são usados a qualquer hora da noite e da madrugada. Os frequentadores, geralmente jovens consumidores de bebidas e outras coisas, saem aos gritos e as brigas entre si são rotineiras, com agressões morais e físicas, perseguições e "cavalos-de-pau".
As leis e códigos municipais são ignorados, pois não são cobradas porque não há fiscalização e não se exige dos proprietários dos estabelecimentos o seu cumprimento. Bebidas são abertamente vendidas a menores.
As reclamações feitas à Sucom, atendidas com má vontade por funcionários grosseiros e mau humorados são simplesmente ignoradas. Por determinação superior?
A SET criou o sistema de multas "arrastão": Se um carro atravessa o sinal vermelho e aciona o sensor, todos os demais que aparecem na fotografia são multados, mesmo aqueles que passaram antes do sinal vermelho e já estão adiante das faixas ou os que estão parados, presos em engarrafamentos e é insensível aos recursos apresentados, mantendo as multas fraudulentas, já que a JARI tem demonstrado que não usa critérios de justiça para analisar e julgar os recursos apresentados.

Ou se faz um "choque de legalidade e moralidade" como está sendo feito no Rio de Janeiro ou se perderá o controle total da cidade. Será que alguma autoridade terá coragem para fazer cumprir as leis e códigos de postura municipais ou prefere não perder os votos dos bandalheiros?

Em discurso no início deste mês, o Exmº prefeito perguntou o que "cada um poderia fazer por Salvador". A melhor resposta é perguntar a Sua Exa. e sua equipe por que não fizeram e nem estão fazendo a sua parte, isto é, bem administrar!
Se entregar a cidade à bandalha é o meio de eleger e reeleger indefinidamente seus vereadores, prefeitos, deputados, governadores e nomear diretores de órgãos públicos, certamente Salvador está no caminho certo e em muito boas mãos: As mãos dos "manés"! E será apenas uma cidade governada e ocupada por "manés". Se o problema são as "desigualdades", que se libere tudo, principalmente o rendoso tráfico e comércio de drogas, o crime organizado, o jogo etc, para, como diz o chavão demagógico, gerar "emprego e renda" e aí cairá a máscara das autoridades incompetentes ou comprometidas com o populismo reles, ágeis e rigorosas apenas para aumentar e cobrar os impostos dos que moram e trabalham legalmente. O plano de "reclassificar" os imóveis urbanos é apenas mais um punhal cravado nas costas desses cidadãos decentes.
Ou se começa a trabalhar seriamente e se faz o "choque de legalidade e moralidade" que está sendo feito em outras cidades ou o "manezismo" será o estilo político-administrativo dominante, e o marco cultural definitivo desta cidade, que será conhecida nacionalmente como a cidade dos "manés".

Pedro Silva – Pituba

Anônimo disse...

olha pedro silva. deixe de ser baixo astral. não está vendo que a gente tá achando tudo maravilha? tem rock no carnaval, a cidade tá bombando e vem voce com conversa de traíra. vá embora da bahia por que seu lugar não é aqui não. salvador está mudando histórica com a boa vontade do governo. acabou o tempo do coronel. está tudo uma beleza. e vá procurar o que fazer por que a gente vai atrás do trio elétrico do rock que é fodástico. seu mané.

osvaldo disse...

É Burkina-Faso? É a Guiné-Bissau? Sirra Leao talvez?Ou mesmo Mumbai?Não. Esta é a verdadeira Salvador Shitty.Mas relaxe Pedro, o carna tá vindo aí.

osvaldo disse...

Sirra Leao é Sierra Leoa no mondo do Super-Homem bizarro .

leandro disse...

indelizmente tem gente como esse pedro silva que quer passar imagem errada da bahia. não tem amor por nossa terra e vive só de reclamar reclamar. então faça alguma coisa. a cidade está maravilhosa, muita coisa acontecendo, veja essa atraçoes do carnaval. nunca teve isso antes e a secretaria de cultural está fazendo um trabalho excelente. essas pessoas como pedro silva envorgonha a bahia por que não fala a verdade. estamos felizes com certeza com tudo que est´acontecendo e vai melhorar mais depois.

Anônimo disse...

Pois é... Problemas tipicos de uma cidade do terceiro mundo... Acho que se voce se mudar para o RJ não vai encontrar coisa diferente, mesmo com o suposto choque de moralidade... Bom mesmo é se mudar para Bruxelas, aí sim...
Mario Jorge