segunda-feira, fevereiro 05, 2007

DE ORELHADA

ALGUNS DISCOS QUE OUVI EM 2006

Diferente do meu chapa e colega de blog Osvaldo Brama, não ouso intitular esta breve listinha como "O Melhor de 2006", por que não tive oportunidade de ouvir muita coisa que teve lá sua relevância entre os chamados "críticos" ao longo do ano, como os Macacos do Ártico, Klaxons, Raconteurs e coisa e tal. Também não vou arriscar elucubrações acerca do futuro da música, da new rave, do i-Pod, CSS, Wii, PAC ou PQP que o valha. Muito menos vou eu dar uma de velha carpideira neste privilegiado espaço da blogosfera rocker local e chorar a morte do CD (preferiria que ele não morresse, é vero. Gosto da idéia de suporte físico para obra - pigarro - de arte). Até por que o texto introdutório (ops) do post de Brama aí embaixo já disse tudo, e disse bem. Para não cansar ainda mais os prováveis 4,7 leitores deste blog espalhados pelo mundo com minha costumeira ladainha auto-justificatória, vamos partir logo para a tal lista, sem números estabelecidos, nem ordem de importância. Apenas impressões sobre alguns CDs que chegaram às lojas (e à internet e aos meus ouvidos) em 2006. Apenas os que mais gostei.

MUSE - BLACK HOLES AND REVELATIONS
Esse eu ainda estou ouvindo com uma certa freqüência. Depois do rolo compressor que foi Absolution (2004?), Matt Bellamy e cia. praticamente se superaram com mais essa gema recheada de canções intensas, febris, pesadas, e muitas vezes, no limite da grandiloqüência. As semelhanças com o Radiohead continuam, mas é como se a influência da banda de Oxford fosse apenas a plataforma, a referência para o Muse criar seu próprio som. Supermassive Black Hole, uma das minhas preferidas, é "Prince encontra Radiohead". Ótima para a pista. Invincible coloca o Queen no lugar de Prince e repete a mistura. O solo de guitarra (solo de guitarra, coisa mais démodé!) é, fácil, o melhor do ano. Arrepia pelos que você nem sabia que tinha. Já Assassin deverá causar urticárias no meu amigo Miguel Cordeiro, pois parece um baião tocado pelo Queens of The Stone Age. City of Delusion vem embalada num invólucro luxuoso de música flamenca (ou árabe - algo assim, já que elas se parecem). Coisa fina.

THE PIPETTES - WE ARE THE PIPETTES
Gwenno, Becki e Rosie, três garotas inglesas reeditam o formato girl group americano sessentista (Supremes, Ronettes) em plena Inglaterra de 2006. O resultado? 14 faixas assobiáveis e muito agradáveis, em pouco mais de meia hora (só uma faixa, a mais longa, chega aos 3 minutos - e 3 segundos). Clima adolescente, uma certa inocência, arranjos vocais elaborados, instrumental quase limpo - às vezes um pouco excessivo em detalhes, beirando a confusão. Mas aí me lembrei de uma resenha de show delas que saiu na última Bizz (capa Pitty) e matou a charada: faltou um Phil Spector. Em todo caso, ainda é um disco é bem bacana, diverte e merece ser ouvido.

WOLFMOTHER - WOLFMOTHER
Esses são os Pipettes do mal: três garotos australianos reeditam Led Zeppelin, Black Sabbath e o que mais você pensar aí de referência de hard rock / metal setentista. Também como as Pipettes, o resultado é bacana, mas ainda ficou faltando "aquele" algo a mais. Talvez um guitarrista / criador de riffs genial como Jimmi Page ou Tony Iommi. Vai saber. Mesmo assim, vale a pena ouvir faixas como Dimension, Joker and the thief, Colossal e Witchcraft bem alto no quarto e fazer de conta que ainda temos 14 anos. Rock como fonte de juventude da mente.

TEENAGE FANCLUB - MAN MADE
Norman Blake, Gerard Love e Raymond McGinley entregam aos fãs mais uma bela coleção de melodias idem. Resenhado pelo Rock Loco aqui.

THE RAPTURE - PIECES OF THE PEOPLE WE LOVE
Basicamente, um disco de pista. Mais dançante ainda que o debut de 2004, é o disco para se ouvir antes, a caminho e durante a, uh, "balada" (nunca na volta). Pode ficar cansativo em algum momento, talvez por isso tenha a devagarzinha Callin' me no meio. Get myself into it, The devil e Don gon do it são pista cheia. E Whoo! Alright-yeah? Uh huh também, e ainda leva o troféu de "título mais pica tonta do ano".

THE FLAMING LIPS - AT WAR WITH THE MYSTICS
Tenho tudo o que quero, menos a cabeça fresca e viajante de Wayne Coyne e seus parceiros freaks. Resenhado pelo Rock Loco aqui.

SUPERGUIDIS - SUPERGUIDIS
Boa estréia da banda gaúcha de - tirem as crianças da sala - indie rock. Wander Wildner é fã. Resenhado pelo Rock Loco aqui.

WALVERDES - PLAYBACK
Mais uma pérola desovada pelo rock gaúcho em 2006. Um pau na oreia aliado à técnica publicitária de redação nas letras (sintéticas até o osso), a serviço das idéias budistas de Gustavo Mini. A gravação é um primor de clareza e volume. Resenhado pelo Rock Loco aqui.

HOUR CONCOUR: CASCADURA - BOGARY
Pô, até eu já cansei de babar nesse disco. Resenhado pelo Rock Loco aqui.

(19)88 FM NO AR - É com gáudio e de esperanças renovadas que recebemos a notícia de que Salvador volta a ter uma rádio voltada para o segmento pop rock. A 88 FM (87.9 no seu dial!), parece ter entrado no ar há poucos dias e é, segundo nosso companheiro Luciano el Cabong Matos, uma "rádio livre legalizada". Ou seja: uma rádio comunitária (acho) - só que com um belo e potente transmissor, pois parece que pega pela cidade quase toda. Não tive tempo para ficar ouvindo muito, mas já deu para perceber que não há anúncios, nem locutores. Diz que toca Cascadura, mas ainda não tive o prazer. Quase o tempo todo que ouvi, o repertório foi dominado por hits dos anos 80. Bons hits: U2, The Cure, Men at Work na pior das hipóteses. Quando chegou no Uns & Outros eu desliguei - por que aí também já é demais pros meus sofridos culhões. Ótima notícia termos uma rádio pop na cidade - ainda mais tocando Cascadura, mas uma modernizada no set list não faria mal. Ninguém quer sair chamando a rádio, que mal começou, de 1988 FM, né? Em tempo: também dá para ouvir pela internet.

NOSTALGIA DO TERROR - E quem diria: o interior da Bahia abriga o melhor site especializado em quadrinhos de terror do Brasil. No Nostalgia do Terror, fãs do gênero têm um vasto conteúdo de atrações para fuçar adoidado, entre capas de coleções inteiras de Krypta, Capitão Mistério, Mestres de Terror e diversas outras revistas que tiravam o sono da molecada nos anos 70 e 80, algumas HQs escaneadas, biografias etc. Um verdadeiro baú onde está conservada a memória dos quadrinhos de terror no Brasil e um belo serviço em prol da HQ nacional.

O site é gerado a partir de Itiúba, a 380 km de Salvador e é editado pelo batalhador Ulisses Pinto de Azeredo e seu parceiro Caveirinha Sombrio, que, "apesar do cognome, existe", garante Ulisses, um soteropolitano ex-bancário e ex-gerente de loja de departamentos. Hoje ele é dono de uma pequena escola de informática na cidade. Colecionador criterioso ("Não tenho tantas revistas de terror assim não. Mas as que tenho são importantes para o cenário de HQ de terror em nosso país, pois muitas são antigas e viraram até preciosidades do gênero"), o rapaz de 36 anos mantém o site com dinheiro do próprio bolso, pelo puro prazer de fazer algo relacionado aos quadrinhos. "Coloquei alguns banners do Google, mas só rende algo se clicarem, e até agora só rendeu $1,95, acredite se quiser!". Claro que a gente acredita, Ulisses.

Como é de praxe em nosso país, esforços pessoais pela cultura (ainda mais cultura pop, como HQs de terror), são pouco valorizados. Sabe como é, santo de casa não faz milagre. Nos meios nerds e quadrinísticos, porém, o NdT já é comemorado como o melhor do gênero no Brasil. Sites como o Universo HQ e o respeitado Blog dos Quadrinhos, do jornalista Paulo Ramos, noticiaram a existência do site com entusiasmo e o recomendaram aos leitores. Mas e quanto à repercussão local? "A cultura aqui não é valorizada. Eu não sei o que realmente eles dão valor. Sábado (27 de janeiro) e hoje (30) é que comentaram em duas rádios - isso porque eu insisti em passar a nota". É um terror, mesmo.

FOFÃO - E essa nova geração de bandas do rock Brasil mainstream, hein? O entusiasmo nas gravadoras é tanto que a MTV vai fazer um especial só com elas pra lançar na velha dobradinha CD / DVD ao vivo. Saquem só a escalação: Fresco, Ratinho, Fofão, Floptop e NX Zero à Esquerda. Salve-se quem puder!

55 comentários:

Franchico disse...

Meio sem tempo agora pra ilustrar as matérias... mais logo dou um upgrade nela.

Cláudio Moreira disse...

chico...determinismo cultural é foda! pela sua linha argumentativa gostar de hard rock é ainda está na adolescência...que coisa mais limitada....pelo amor de deus, posso gostar tanto da banda mais indie ou pós punk, ou do pop africano, e amar sem culpa algo como o wishbone ash ou o thin lizzy...pelo amor de deus, se liberte desse pensamento...
viva angus young!

Franchico disse...

aonde vc leu isso, Cláudio? vc pode citar o trecho?

Franciel disse...

Chico,
quanto à 88 FM, alguns seguintes.
No alto do morro do NE de Amaralina pega muito bem, na Pituba começa a chiar e na Paralela fica inaudível.
Ao contrário do que voc~e afirmou, tem anúncio, sim. Atende lá pelo nome de apoio cultural. Hoje mesmo vi um de uma tal clínica do cabelo.
Em relação à programação, toca Cascadura direto. Na verdade só ouvi O Centro do Universo.
E quanto ao "oitentismo", os 30 e poucos minutos que ouvi hoje pela manhã desmentem esta tese. Tocou o já falado Cascadura, Pitty,Cake, Raul, New Order, Nirvana...

Bom. Pois bem. Toda esta enrola é pra na verdade dar uma sugesta. Por que vocês do Rock Loco não entram em contato com o cara para tentar botar o programa no ar novamente?

Franchico disse...

Porra, Francis Bacon, vc tem aparecido pouco por aqui, mas qdo aparece...

Devo estar com azar com essa rádia, por que juro que nos momentos que ouvi foi exatamente como descrevi no post.

Mas sua sugesta é oportuna e bem vinda, na verdade, até já tinha pensado nisso, mas a correria que se tornou minha vida nos últimos dias me deixou com pouco tempo para tentar colocar isso em prática...

Brama! E aí? vc teria o contato desse cara?

osvaldo disse...

chico , pippetes é bem legal, e o at war with the mystics é um excelente disco, poderia ta na minha lista tb. e franciel, vamos levar adiante a ideia de voltar com o rock loco.agora nao tenho os contatos da radio.alguem tem?

osvaldo disse...

em tempo, excelente a materia de franchico hoje no caderno 2 da tarde falando do palco do rock, com direito a declaraçoes do venerando nei bahia. nei colocou(la ele!) muito muito bem. ninguem aqui é contra o palco do rock por si, mas ele seria bem melhor fora do periodo do carnaval.

Franchico disse...

Valeu, Bramis. Não poderia perder a oportunidade de discutir a questão do PdR no periódico da av. Tancredo Neves. Espero ter sido justo e imparcial na medida do possível...

Humildemente cobrindo férias....

Franchico disse...

Em homenagem ao primeiro ano de atividades do site Pop Balões, com o qual colaboro aqui e ali, fiz a indefectível listinha Top Five Melhores Aniversários nos Quadrinhos. Quem tiver a fim de conferir, o linque é este:

http://www.popbaloes.com/boteco/tp44.htm

Franchico disse...

Lembrete do Ulisses do Nostalgia do Terror:

"Vc só esqueceu de dizer que tem capas da década de 50 e 60 e hq da
década de 30, omo é o caso da "A Garra Cinzenta", mas também, mas tá
valendo.

Brigadão e abraços

Ulisses"

Pô, mal aê, Ulisseeeees!

Franchico disse...

Versões inéditas dos clássicos do "Disco da Banana", do Velvet, provenientes de "um acetato com uma versão preliminar", caíram na rede. Para ler a notícia vá aqui:

http://www.omelete.com.br/Conteudo.aspx?id=100003834&secao=musi

Para baixar as músicas agora, vá aqui:

http://returntotaste.multiply.com/music/item/58

Nei Bahia disse...

Novidade no ar Virtual!!!

O Terceiro programa digital do Clash City Rockers está rolando, com Marcos Rodrigues inaugurando uma série especial.De antemão os cabeças da máfia ( Oswaldão, Chico, Sora, Franciel, Miguelito, Cebola etc.)já estão convocados para os próximos.
Mais detalhes, deixem de preguiça e ouçam.

Obs: Chicão, que dia saiu a matéria?

Franchico disse...

Ontem, Nei: segunda, 6 de fevereiro. E podem contar comigo para participar do próximo podcast.

Franchico disse...

A propósito, Nei, Cebola e cia, nos mantenham informados sobre esse possível rock sábado de tarde, em Gílson, beleuza?

Nei Bahia disse...

Chicão, confirmem até umas 2 horas se vão poder fazer a parada pra eu me organizar.

Franchico disse...

Hoje? Aonde, Nei?

marcos rodrigues disse...

Pelo menos dá pra ouvir a 88 pela net, em belo streaming. É clicar e ouvir.

marcos rodrigues disse...

Bom, é verdade que estou me sentindo 'back to 1986'. Mas é melhor que todas as outras rádios juntas.

Franchico disse...

Ah, qto a isso, não há dúvidas!!!!...

miwky disse...

felizmente o cd é uma mídia que nasceu com os dias contados.

Nei Bahia disse...

Chicão, Bramis sugeriu o escritorio onde eu fiz aquele primeiro rockloco, mais falou que me ligaria.
Estou esperando, se não deixa pra sexta...

Franchico disse...

Beleza, Nei. Pra mim até melhor, mas veja aí...

osvaldo disse...

nei, ficou pra sexta. e a radio, se continuar, è a melhor noticia dos ultimos tempos nesta area aqui em salvador.nao importa se è 1986,ou 1996.pra gente que nao tem nada ha muitos anos, nao da pra reclamar mesmo. e tem mais,a radio, para sobreviver tera que ter apelo comercial, e o rock no brasil parou no guns e no u2 ha muito tempo.mesmo em sampa, as radios rock sao bem conservadoras em suas programaçoes, e nao èe so por culpa das gravadoras,a maioria do jovem brasileiro, mesmo o roqueiro, tem um gosto conservador.

miwky disse...

uma coisa me ocupa a cabeça: quem vai ouvir essa rádia?

Franchico disse...

Uuh... você?

miwky disse...

e quem mais??

osvaldo salientou o pré-requisito da longevidade do esquema, mas tem gente pra preencher a lacuna??

Franchico disse...

O problema é esse: depois de mais de uma década sem tocar no sintonizador do rádio (salvo durante a época do programa Rock Loco na Primavera FM), vai ser difícil voltar a ter o hábito de ligar o rádio. Até por que, na primeira música que desagrade, eu desligo logo, que não tenho mais paciência pra ouvir qualquer coisa. Uns & Outros mesmo, nem por decreto! Mas... se for pela sobrevivência da 88 FM, vale um esforçinho...

miwky disse...

pois é, fora que a gente é velho (uns mais que os outros, mas é isso ai!)
agora, a meninada que que domina o rock e o mercado, diga-se de passagem lá tem hábito de ouvir rádio??

Cláudio Moreira disse...

brama...vc é meu guru (sem rima!), man...falou tudo: o jovem brasileiro (assim como em outros países, como nos Eua) é um bando de conservador mesmo...
obrigado pela sua sabedoria
e espeírito crítico aceso porque se fosse eu quem escrevesse isso aí todos ficariam contra mim, inclusive os amigos...

Franchico disse...

Lobão tá cachorro louco de novo. Segura o home!

http://oglobo.globo.com/blogs/jamari/

Cláudio Moreira disse...

ele sempre achou os paralamas uma coisa fraca, coisa que eu também acho

Franchico disse...

Na boa? Se for comparar a obra de um e de outro, acho que seu Herbert não deve nada ao João Luís, não... Ambos têm músicas legais(zinhas) (a maioria dos anos 80) e derrapadas terríveis. No fim das contas, acabam se equivalendo, mas ainda com uma ligeira vantagem para Herbert, pela constância com que conseguiu manter sua banda sempre no topo, coisa que Lobão não teve competênca para fazer.

Cláudio Moreira disse...

topo para vc são vendas e mais visibilidade midiática bancada por esquema de gravadora e do puxa saquismo histórico dos normalóides de plantão que enxergam no grupo uma referência de vida...claro, quando a banda queria ser police tupiniquim virou referência para os popeiros de plantão e ouvintes de fms babacas brasil afora...viraram ícones do rock brasileiro...agora, quando fizeram seu disco realmente mais ousado...severino...venderam bem menos...

Franchico disse...

Que seja, que seja....

osvaldo disse...

Claudio, não sou guru(sem rima please) nem nada, apenas como vc e outros tenho uma dedicação ao rock que ja nem sei mais porque. Voltando a radio, tem gente que vai ouvir sim, apenas, como de resto todos os veiculos de comunicação, a forma de se ouvir ( ou de consumo, se preferirem), é diferente nos tempos de internet. O formato escolhido pela 88, parece ser o consagrado nas radios pop-rock Brasil afora. Porque? porque este é o formato que o mercado anunciante formatou e consagrou. Esperamos que o "mercado" deixe algumas brechas, para que este mesmo mercado se oxigene. No mais, é impressionante o apartheid cultural no qual vivemos, qualquer cidadezinho tem uma radio neste formato há anos. Aqui ainda é novidade.Vida longa aos caras!

Cláudio Moreira disse...

pois é osvaldo, eu penso muitas vezes o motivo dessa paixão...fico vendo todo essa situação...a mercantilização extrema da música enquanto produto é inevitável, eu sei, mas as mentalidades pioram a cada ano...tenho conversado com a nova geração...tirando uns e outros, tá foda! falo isso até existencialmente...e os mais velhos no fundo estão presos a certos padrões intelectuais que reforçam o poder de tudo que não gostamos...

osvaldo disse...

Esta questao é uma das mais discutidas em mercados "maduros", como o americano e europeu.sem a receita da publicidade a radio nao paga as contas, salarios ect. Sem uma programaçao que seja ao mesmo tempo popular e de boa qualidade, inclusive em apostas em novos artistas, a radio perde relevancia, e consequentemente, anunciantes.portanto nao se deve apostar apenas no obvio, pois o indie de hoje é o mainsteam de amanha.mas este papo é para mercados "maduros", aqui na bahia ainda é na lei do tacape.

osvaldo disse...

quanto a paixao pelo rock, duas frases, uma atribuida a Lester Bangs:
- Voce nao escolhe o rock, o rock escolhe voce.
A outra de Ian Hunter, no Ballad of Mott The Hoople:
- Rock'nRoll is a loser's game, it mesmorizes me and I can't explain, except for the feelings and the sound.

Cláudio Moreira disse...

pronto, a citação do artista certo e canção perfeita...

miguel cordeiro disse...

peraí, grande chico!!! comparar lobão com hebert viana é covardia e das grandes. hebert é muito menino amarelo e molinho molinho de ser meio marionete do esquemão. lobão paga um preço existencial e artístico alto por ter e assumir as posturas (até contraditórias) q tem.
é isso aí mestre osvaldo, rock´n´roll is a loser´s game, já declarou ian hunter (cláudio o CD do mott q te presenteei, e q tem esta música, ainda tá em boas condições?)
e é bom lembrar tambem da música do kinks, rock´n´roll fantasy, que diz:
Hello you, hello me, hello people we used to be
Isnt it strange, we never changed
Weve been through it all yet were still the same
And I know its a miracle, we still go, and for all we know
We might still have a way to go

Hello me, hello you, you say you want out
Want to start anew, throw in your hand
Break up the band, start a new life, be a new man
But for all we know, we might still have a way to go
Before you go, theres something you ought to know

Theres a guy in my block, he lives for rock
He plays records day and night
And when he feels down, he puts some rock n roll on
And it makes him feel alright
And when he feels the world is closing in
He turns his stereo way up high

He just spends his life, living in a rock n roll fantasy
He just spends his life, living on the edge of reality
He just spends his life, in a rock n roll fantasy...

Look at me, look at you
You say you´ve got nothing left to prove
The king is dead, rock is done
You might be through but Ive just begun
I dont know, I feel free and I wont let go
Before you go, theres something you ought to know

Dan is a fan and he lives for our music
Its the only thing that gets him by
Hes watched us grow and hes seen all our shows
Hes seen us low and hes seen us high
Oh, but you and me keep thinking
That the worlds just passing us by

Dont want to spend my life, living in a rock n roll fantasy
Dont want to spend my life living on the edge of reality
Dont want to waste my life, hiding away anymore
Dont want to spend my life, living in a rock n roll fantasy...

miwky disse...

manifestei a preocupação da audiência para rádia, frente a opinião da massa que seria provável consumidora. eles não tem saco de ouvir rádio.

de resto, é muito achismo.

eu tô falando da rádio, divulgando o site brasil afora. mas não tenho tel e nem endereço de lá. alguém sabe onde funciona ou o esquema pra mandar material??

miwky disse...

do blog do lúcio ribeiro, a disputa:

http://z001.ig.com.br/ig/61/02/929602/blig/lucioribeiro/2007_06.html#post_18767101

Franchico disse...

Fala, Miguel! Bicho, o lance é este: eu não tô aqui para defender Herbert Viana e condenar Lobão e muito menos vice-versa. Por mim, um pelo outro eu não quero troco. Ambos têm mais ou menos a mesma quantidade de hits insossos. Porém, acho que Lobão não tem mais nem um pingo de moral pra falar nada de Herbert. Depois de passar dez anos detonando a indústria do CD e esculhambando com os acústicos da vida (que eu tb acho uma merda, claro), o cara deu uma bela duma virada de casaca gravando o seu unplugged bunitinho, do jeito que a dona Sony Music mandou. Igualzinho uma marionete.

miguel cordeiro disse...

e igualzinho a kurt cobain & nirvana, a dylan, a neil young, ao ira que tb têm sua posturas críticas ao sistema. o fato de um musico ou artista ser anti-estabilishment não elimina as possibilidades dele tb fazer o jogo. fora do brasil as coisas são bem mais democráticas em relação a posturas e liberdade de expressão. o problema é q no nosso patropi o cara q é anti-estabilishment tem de ser meio hippie, não pode gravar por majors, não pode ganhar grana e tem de cagar em cima da televisão, etc. o paralamas tem até umas coisas legais mas é muito ralo frente a produção de lobão. o rock errou

Franchico disse...

É diferente, Miguel. Nunca vi o Ira! (nem Neil Young, nem Bob Dylan ou Kurt Cobain) esbravejando nos meios de comunicação, dando nome aos bois, como Lobão fazia - citando especificamente os acústicos, assumindo posturas ultra-radicais como ele fazia, contra as coletâneas de sucessos e coisa e tal. Do caralho a iniciativa da revista Outracoisa, muito bonito o discurso dele - eu vibrava com suas entrevistas. Mas, no fundo, no fundo (lá dele) eu acho que o João Luís não passa mesmo é de um grandessíssimo canalha, que gosta é de tirar onda de revolucionário, mas a cada dia só mostra sua verdadeira face de moleque sem caráter. (Tá lá o relato do Jamari das atitudes do cara, prova mais do que eloquente). Nunca soube de Bob Dylan ou Neil Young tendo atitudes tão lamentáveis. Lobão pra mim já era - na verdade, nunca foi, mesmo. Só gostava do discurso. Agora, nem isso se salva mais. Perdeu toda a moral.

E digo mais: Lobão igualzinho aos políticos brasileiros, que em campanha são a própria encarnação da honestidade, até ganhar o cargo e começar a roubar, como todos fazem. Hoje, Lobão e um Aldo Rebello da vida, pra mim, é a mesma coisa.

miguel cordeiro disse...

ok, chico. respeito sua opinião musical e o seu enfoque, mas discordo totalmente. porque é engraçado ver as gravadoras despejando grana em nulidades do rock brasileiro (e até o alternativo) e por picuinha deles não existe relançamentos dos albuns de lobão em CD.
parece q hoje a lei é: seja bonzinho e irá para o céu e na verdade tem muita postura "do bem" muito mais canalha e hipócrita.mas concordo totalmente em relação a aldo rebelo e os politicos brazucas. é tudo picareta mesmo. a começa pelo presidente "torneiro-mecânico"...

Franchico disse...

Essa é boa: Patti Smith regrava Everybody wants to rule the world, do Tears for Fears em álbum de covers. Ainda tem Neil Young, Jimmi Hendrix, Stones, Beatles e etc. Mas nada me deixou mais curioso para ouvir esse disco que o TFF.

http://www.omelete.com.br/Conteudo.aspx?id=100003891&secao=musi

Franchico disse...

Jesus voltou, e revelou à revista Bizz a nova formação de sua banda.

http://bizz.abril.com.br/barulhoonline/34031_comentarios.shtml

Brama, acho que teremos problemas para postar por aqui, pelo menos até conseguirmos fazer a mudança compulsória para o Blogger Beta, exigência do Blogger para acessar o Painel de Controle do Rock Loco.

Nei Bahia disse...

Chicão, dá pra dar um "by pass" fácil, nessa exigência no blogger.

Quanto a Lobão, ele já gravou seu acústico, vai ao ar quando acabar a programação de verão da MTV.

Quanto a Cláudio Moreira:
Por favor, renove sua retórica!!!

Cláudio Moreira disse...

me cansa chico ficar reverberando colunas de formadores de opinião do eixo rio-sp...lia jamari nos anos 80 no jb...nada contra, mas essa puxação com o paralamas me cansa...não sou do fã clube de lobão nem de wander wildner também
então fica muito à vontade

Cláudio Moreira disse...

com relação ao mott, miguel
ele vai morrer de velho na minha coleção

Cláudio Moreira disse...

por falar nisso, soube que a tal fm 88 mandou ver sábado à tarde e só colocou pérolas do heavy metal inglês do início dos anos 80...bom, vou retornar a ouvir rádio e virara ouvinte...é muita coragem em tempos tão modistas às claras e de forma enviesada

osvaldo disse...

é claudio, rolou kiss ao vivo por 1 hora, fora maiden e outros durante.e miguel, ray davies é um poeta.

Franchico disse...

Cláudio Escória, estou muito ocupado agora para te dar atenção, viu? Tente de novo mais tarde...

Ernesto Ribeiro disse...

Franchico, MEUS PARABÉNS por ter jogado no ventilador toda a merda sobre Bobão, ops, Lobão.


Aquele playboyzinho poser perdedor nunca me enganou, assim como o similar dele rapper, o filho da marajá jornalista comprada pelo governo Collor, o filho da puta hipócrita do Gabriel Emburrecedor.