sexta-feira, outubro 03, 2008

CONSAGRAÇÃO EMO

No VMB 2008, NX Zero sai consagrado com os três prêmios principais, Bloc Party dá vexame e Marcelo Adnet faz seu o número

No que depender dos espectadores da MTV, a moda emo ainda deve demorar um pouco de passar. Considerada a mais popular banda do estilo, a banda paulista NX Zero confirmou o favoritismo e levou para casa os três principais prêmios do VMB 2008: Artista do Ano, Hit do Ano e Melhor Videoclipe (com a música Pela Última Vez, nas duas categorias).

Estranhamente, negaram o rótulo ao subir no palco para receber o último prêmio: “Emo é o caralho!“, vociferou Di Ferrero, vocalista. Antes disso, ele ainda teve que se desvencilhar da desconhecida vocalista do grupo Bonde do Rolê, que, mesmo recém-admitida na banda, não aceitou a derrota, gritando e dando chiliques em rede nacional.

Patacoadas à parte, a MTV realizou mais uma premiação que parecia oscilar o tempo todo entre caótica e divertida. Marcos Mion, o apresentador, chegou ao palco pendurado em balões de gás, no melhor estilo padre voador. Logo no início, Ben Harper e sua banda The Innocent Criminals mandaram bem, tocando uma música do repertório do cantor, que em seguida, recebeu Vanessa da Matta, para cantarem juntos o mega hit Boa Sorte / Good Luck.

A boa performance de Harper, sua banda e da Matta ressaltou ainda mais o vexame absoluto que foi a apresentação da hypada banda inglesa Bloc Party, que fez duas músicas no mais descarado dos playbacks.

Visivelmente desorientado, o vocalista Kele Okereke chegou a cair no fosso no meio de uma música, o que só evidenciou ainda mais a lambança. Resultado: saíram vaiados e ainda foram alvo de chacota de praticamente todo mundo que subiu no palco depois deles.

Quem fez bonito foi o comediante Marcelo Adnet, que, acompanhado do seu companheiro Kiabbo, fechava todos os blocos do programa imitando celebridades e comentando os premiados.

A baiana Pitty, que concorria a três prêmios, levou só um: Melhor Show.

Mais adiante, subiu no palco com os conterrâneos da Cascadura, para homenagearem a banda Úteros em Fúria, uma grande influência para ambos.

Em Web Hit do Ano, o vencedor foi a infame Dança do Quadrado. O anão que aparece no clipe da música, porém, foi na mosca em seu agradecimento: ”Nesta eleição, vamos votar conscientes. Senão, enquanto a gente dança no quadrado, eles botam no nosso redondo”! Na categoria Revelação, levou a banda Strike, um desagradável cruzamento do estilo emo do NX Zero com a marra do Charlie Brown Jr.

Na votação Banda das Sonhos, feita ali na hora e aberta apenas aos artistas na área VIP, os nomes de Pitty e Japinha (baterista do CPM 22) tiveram de ser limados, já que foram eleitos nos últimos quatro anos seguidos.

Resultado: Marcelo D2 (visivelmente enfadado e se fazendo de doidão) no vocal, Chimbinha da banda Calypso na guitarra e os Paralamas Bi e Barone no baixo e bateria. Como seria de se esperar, o resultado foi pífio, com D2 improvisando qualquer bobagem sobre uma base genérica executada pelos músicos.

Outro momento esperado foi a estréia da Nove Mil Anjos, que reúne Júnior (ex-Sandy & Júnior, bateria), Peu (ex-Pitty, guitarra), Champignon (ex-Charlie Brown Jr., baixo) e o desconhecido Perí (vocal). Três egos enormes disputando espaço e um novato nervoso querendo se firmar não poderia dar outra: uma zoeira quase incompreensível no palco. Uma estréia pouco promissora.

Até a apresentação conjunta do Fresno com os sertanejos Chitãozinho & Xororó parecia mais harmoniosa. Pudera: fora a distorção das guitarras, a música dos emos não é muito diferente da dos veteranos cantores.

18 comentários:

Franchico disse...

Para uma análise mais acurada sobre homenagens, playbacks, guitar heros paraenses e que tais, acesse aqui:

http://clashcityrockers.blogspot.com/2008/10/pela-ltima-vez.html#comments

Só um último comentário, ou melhor, uma pergunta: Hey Jude era realmente necessária? Qual o seu sentido ali?

Anônimo disse...

fui famzaço do uteros ia pros shows deles só q os jornais de salvador disseram ontem q eles são a banda mais importante do rock baiano. caraca q é isso??? como é que inventam essa conversa assim na cara dura.

M. R. disse...

>Só um último comentário, ou melhor, uma pergunta: Hey Jude era realmente necessária? Qual o seu sentido ali?

- Nenhum.

Franchico disse...

Olá, anônimo. Olha, posso responder por mim, até por que prefiro não ler os outros jornais (ou sejam lá o que forem aquelas coisas) desta cidade.

Se vc ler com mais atenção a matéria abaixo desta, poderá constatar que, no meu texto (que circulou na edição de quinta 02.10 do periódico da Av. Tancredo Neves), eu me refiro à Úteros como "o grupo baiano mais importante da década passada".

Ou seja, da década de 1990.

Repetindo: "o grupo baiano mais importante da década passada."

Isso, eu realmente acho. Opinião minha.

Jamais cometeria a estupidez de alardear por aí que a Úteros foi mais importante que Raul ou o Camisa de Vênus.

Á César o que é de César.

(Não o Vieira. Esse só merece, no máximo, um peba).

;-)

cebola disse...

sim, conceitualmente pode não ter tido nenhum sentido mesmo, mas achei massa, bonito, pelo menos, havia uma coincidência harmônica ali que achei bem aproveitada, uma citação, uma coda. Precisa todo esse mau humor por causa de um detalhe besta? Mas de resto, as análises em ambos os blogs foram certeiras. Que bosta foi esse vmb, eim??!!

Franchico disse...

Quolé, Cebola! Man, até entendo que encaixava direitinho na melodia e tal, mas acho que meter Hey Jude ali é misturar alhos com bugalhos. Desnecessário, simplesmente.

Não era a hora, nem o lugar, mas normal. Foi lindo, de qualquer jeito. Pitty & Cia e os Cascas estão de parabéns, e, como um cara que acompanhou a Úteros do início ao fim, devo confessar que fiquei com um nó na garganta ao ver / ouvir Cândido esmerilhar aquela Fender vermelha.

Não é uma crítica. Só uma observação.

cebola disse...

bom, mau humor realmente não é a expressão correta. seria mais preciosismo estético...ou detalhismo conceitual...ou vai ver o mau humor é meu mesmo, heh ;)

Jan Balanco disse...

Alguém podia disponibilizar o disco do Úteros pra download, né?

Franchico disse...

Jan, Nei Bahia ficou de botar o CD da Úteros na net. A primeira metade, no myspace e a segunda metade, no Trama Virtual.

Acho que a segunda parte ele ainda não botou.

http://www.myspace.com/uteros

De qualquer forma, no post abaixo, vc pode ver o comentário que retirei do blog de Camilo Fróes (ou pelo menos, acho que é dele), que conseguiu baixar o CD inteiro por aí. Com certeza, alguém já jogou esse disco na net.

Mas um site da Úteros, documentando toda sua história e disponibilizando suas mídias (gravações, fotos, vídeos), com certeza seria muito bem-vindo...

Anônimo disse...

:)ihhh com janocide na parada ek pq a coisa tah virando hype e naum eh legal isso ai

Franchico disse...

(Vou fingir que não li isso...)

Vejam aqui um mini documentário de sete minutos sobre o livro The Vertigo Encyclopedia, sobre o famoso selo de HQs adultas da DC!

http://www.omelete.com.br/quad/100015547/Vertigo.aspx

Ivan disse...

Chico, também achei meio esquisitão Hey Jude ali... vai ver que foi porque tem citação de Stones na música, quiseram colocar Beatles também... Mas preferia sem.

Link para o disco (em wma): http://rapidshare.com/files/37072412/_teros_Em_F_ria_-_Wombs_In_Rage.rar.html

teclas pretas disse...

chicão,

1] sua resenha do vmb foi certeira. fiz exatamente os mesmos comentários com minha namorada antes de lê-la.

2] hey jude eh musica perfeita para criar um clima apoteotico/romantico [romantico no sentido mais amplo] numa apresentação como a do vmb.
alem disso, os beatles estao sempre presentes em tudo q a cascadura, os ex-cascadura e afins [eu incluso] fazemos. eh um lance afetivo, nao há logica nisso.

3] vou adicionar a uteros no myspace, eles foram muito importantes pra mim no inicio dos 90s, me mostraram que eu poderia fazer o que eu quizesse. livre.
e mais tarde, maurão python se tornou um grande amigo pra todas as horas...muitas historias hilarias e neuronios a menos. saudade dele.

4] visite a pagina do meu ultimo projeto musical com solovera, flash, tadeu mascarenhas e heitor dantas, o TECLAS PRETAS. ta bacana.
falar nisso, alem das minhas musicas, tem uma versão de "a day in the life" dos...beatles!

www.myspace.com/teclaspretas

aqui tem uma entrevista pra tramavirtual em que explico um pouco o teclas:

http://tramavirtual.uol.com.br/noticia.jsp?noticia=7415

abraço a todos por aí,
GLAUBER GUIMARÃES

cebola disse...

Assino aí embaixo de tudo que Glauber falou...E Teclas Pretas já ouvi e é de phoder!, recomendo muito!

Nei Bahia disse...

Glauber, sai da toca seu sacana!!

teclas pretas disse...

haaaaaaaaahahahahahahaha
hora dessas, apareço. devo ir no mudhoney.

Franchico disse...

Grande Glauber Moskabilly, é uma honra vê-lo, ou melhor, lê-lo no meu humirde blog!

Te vi no Soterópolis! Mandou bem, sacana!

E faço minhas as palavras de Nei Bahia: SAI DA TOCA! Queremos ver vc no palco, que é o seu lugar, velho!

Grande abraço!

teclas pretas disse...

poo, chicao, valeu. fiz uma musica com solovera uns 2 anos atras, pensando em borel. um dia gravo-a.

GLAUBEROVSKY