quarta-feira, julho 09, 2008

WERCHTER FESTIVAL DIA 4: QUASE À MORTE NO BLONDE HEAVEN

Devagar, devagarinho, nosso correspondente no Rock Werchter Festival vai assistindo os melhores shows, passando o serviço e encerrando o expediente

4 dia e o cansaço começa a bater um pouco.

Chegamos mais cedo ainda e pegamos o meio pro fim do show do kooks, mais uma banda da nova safra inglesa que nao tem nada demais, porém faz um show com o gás aberto e nao faz feio.

Dá tempo de chegar no Palco 2 e ver metade do show do Mark Ronson, queridinho hitmaker da parada inglesa com um white soul eletrônico. Aliás, o hit parade ingles(ou o que resta dele, nestes tempos pós-internet) é dominado por hip hop (principalmente)e eletronica faz tempo.

Depois a grande sacanagem: Racounteurs e Grinderman (side project de Nick Cave) no mesmo horário. Pra mim não tem duvida: é o senhor Caverna na cabeça no palco 2!!! Fodaço o show; este eu vejo do gargarejo e tenho um grande prazer em assistir. foda.

Depois veio o Kaiser Chiefs, outra bandinha inglesa que está no palco 1 graças ao hit Ruby, Ruby, estourado nas paradas daqui. Banda copeira, nada demais, mas agita a galera.

Depois Beck faz bacana, com vários hits de Odelay e Midnite Vultures, toca as do novo disco, mas parece estranho e distante.

Depois carteirada belga no encerramento. Estou quase à morte? Mas se morrer aqui, morro no blonde heaven.

TEXTO POR OSVALDO BRAMINHA

4 comentários:

Yara Vasku disse...

não esqueça meus rótulos... que inveja... Bj!

Franchico disse...

Rapaz, vcs já viram a mulher gaga de Ilhéus, a nova sensação do You Tube?

http://www.youtube.com/watch?v=3_XuQWCdOog&eurl

Recomendo o uso de um fraldão geriátrico ao assistir esse vídeo.

Franchico disse...

William Shatner (o capitão Kirk, para leitores non-trekkies) canta, digo, recita, Common People, do Pulp.

http://www.youtube.com/watch?v=KXWEM4gZhg4

O clipe, feito em cima do desenho animado de Star Trek produzido nos anos 70, é simplesmente genial.

Greice disse...

brama,
achei o quarto dia do festival um dos melhores. era o que trazia menos nomes de destaque - a banda mais esperada da noite era a local dEUS - mas, na média, teve um nível de shows excelente.
o show do mark ronson é de incendiar qualquer festa. cheio de amigos fazendo participações especiais, o superprodutor abriu o set com uma vinheta de eleanor rigby e seguiu com versões pop-big-band pra canções do radiohead, britney spears, smiths...incrível. gostei do show do grinderman e do bardo voltando pro rock-tosqueira bem primitivão - embora ache que ele tenha feito coisa melhor na época do blixa.
kaiser chiefs, pra mim, foi a grande surpresa, porque a banda nunca me disse nada e fez um show foda. é a terceira vez seguida que eles tocam no festival, então acho que o cara se sentiu em casa. sei lá. o fato é que não tinha como ficar imune ao contágio da banda.
também achei o show do beck inesperado, mas gostei. eu esperava um desses shows cheios de arranjinhos e firulinhas de produtor, mas ele invocou o roqueiro indie anos 90 low-profile e tocou todos os hits em versões bem cruas. (e ele tava com visual meio gessinger grunge).

não tive gás pra ver dEUS