sábado, julho 16, 2016

BRIGANDO COM ETs

FC: Separados por um século, A Guerra dos Mundos e Guerra do Velho tem como tema o conflito com alienígenas

Ilustrações clássicas de Henrique Alvim Corrêa para AGdM
Não é de hoje que autores de ficção científica se valem da metáfora da invasão e do combate aos alienígenas para tratar de mazelas humanas.

O primeiro foi o pioneiro Herbert George Wells (1866-1946), que certamente será lembrado no próximo 21 de setembro, quando se completam 150 anos do seu nascimento.

Sua obra fundadora dessa vertente tão popular, A Guerra dos Mundos (1898), acaba de ganhar uma bela reedição em capa dura da Suma de Letras, com alguns extras preciosos.

Obra mais recente, Guerra do Velho (Editora Aleph), do norte-americano John Scalzi, certamente não existiria sem a base fornecida por Wells.

Apesar disso, Guerra do Velho, uma ficção científica do subgênero militar, dialoga mais diretamente com o clássico fundador deste ramo: Tropas Estelares (1959), de  Robert A. Heinlein, popularizado no cinema pela subestimada adaptação cinematográfica de 1997, dirigida pelo holandês Paul Verhoeven (Robocop).

Marte ataca

Esqueça aquela adaptação rasa e milionária de Steven Spielberg para  A Guerra dos Mundos de 2005 – o livro é bem mais interessante (e assustador)  do que aquela sequência de cenas com Tom Cruise correndo com cara de parvo.

Não a toa, Orson Welles levou milhares de americanos ao pânico com sua  adaptação da obra como um noticiário radiofônico, em 1938.

Narrado em primeira pessoa por um personagem sem nome, A Guerra dos Mundos relata uma invasão marciana à Terra – mais especificamente, à Inglaterra natal do autor.

Meticuloso, o narrador é um alterego de Wells: um homem da ciência e da razão, astrônomo amador, apaixonado pelo seu país e politicamente consciente.

Seu relato da invasão é preciso e, inicialmente, até meio frio. Com o avançar do flagelo marciano, a narrativa ganha contornos dramáticos, tornando o livro difícil de largar antes do ponto final.

Com a roupa do corpo, o narrador foge pelas estradas e bosques ingleses, desviando-se dos raios de calor dos invasores e de refugiados desesperados, em busca de abrigo e alimento.

A edição da Suma é um primor, com prefácio da autoridade brasileira em FC  Braulio Tavares, introdução do cultuado autor inglês (e vice-presidente da H. G. Wells Society) Brian Aldiss, uma rara entrevista com H. G. Wells e Orson Welles juntos e as ilustrações do brasileiro Henrique Alvim Corrêa (1876-1910).

Radicado na Bélgica, Corrêa era fã do livro e entrou em contato com Wells, oferecendo-se para ilustrar sua edição em francês.

Essa edição de luxo publicada em 1906 teve apenas 500 exemplares, numerados e assinados pelo artista.

Ilustração de Alexey Volyinets (Cyberrebic), para edição estrangeira de GdV
Soldados vovôs

Mais recente, Guerra do Velho (lançado em 2005 nos EUA) também tem como ponto de partida o embate entre terráqueos e alienígenas e é a primeira obra do norte-americano John Scalzi a sair aqui.

Demorou, por que é bem possível que este seja o melhor lançamento de FC este ano no Brasil.

No futuro delineado por Scalzi, a humanidade partiu para colonizar e explorar planetas distantes, entrando muitas vezes em disputa com diversas raças alienígenas.

Para entrar em combate, as Forças Coloniais de Defesa recrutam apenas pessoas a partir dos 75 anos, as quais são preparadas para se tornar soldados de elite e enviadas para os confins do universo.

O por que de recrutar apenas idosos e como eles se tornam super soldados é parte das muitas surpresas do livro, portanto não serão contadas aqui.


Quem narra o livro em primeira pessoa é um desses soldados, John Perry, que detalha todo o seu processo, desde sua apresentação voluntária.

Ágil, acessível e bem-humorada, a narrativa de Scalzi se desenrola como um filme na cabeça do leitor, oferecendo um entretenimento de alto nível, enquanto discute temas como o envelhecimento e  prolongamento artificial da vida, militarismo e imperialismo.

O sucesso de Guerra do Velho levou o autor a escrever diversas sequências.

The End of All Things, de 2015, já é o sexto livro da série. A Aleph sinaliza que publicará os próximos livros até 2017.

Em 2014, o canal SyFy anunciou que produziria uma série baseada nos livros de Scalzi intitulada Ghost Brigades (título do 2º livro), mas até agora o projeto não saiu do papel.

A guerra dos mundos / H. G. Wells/ Suma de Letras/ Tradução: Braulio Tavares/ 296 páginas/ R$ 54,90

Guerra do Velho / John Scalzi/ Editora Aleph/ Tradução: Petê Rissatti/ 365 páginas/ R$ 39,90

9 comentários:

Franchico disse...

Na moral, esses militares turcos não sabem nada de golpe.

http://www.diariodocentrodomundo.com.br/essencial/al-jazeera-rebeldes-se-rendem-golpe-na-turquia-aparentemente-fracassou/

Precisava vir pra cá, tomar umas aulinhas com 'os pessoal' do PMDB e do PSDB. Manés.

Franchico disse...

Tem batata de baiano assando.

http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/244303/Ex-s%C3%B3cio-de-Funaro-negocia-dela%C3%A7%C3%A3o-e-cita-Geddel.htm

Anônimo disse...

Mais um belíssimo texto com informações preciosas sobre assunto do meu interesse. Instigou, quero ler esse A guerra do Velho. Nunca vou esquecer que você foi o responsável por eu ter conhecido o que acabou se tornando um de meus livros favoritos de FC, "Um Cântico para Leibowitz". Nunca mais fui a Salvador, mas quando for te avisarei e, se possivel, te pagarei uma rodada de cerveja - ou do que vc prefira ...

Adelvan disse...

HG Wells é sem comentários, né. Clássico absoluto. Li dele, recentemente, um livrinho bem legal - fui ao médico e esqueci de levar algo pra ler, no caminho passei por uma banca e comprei a edição de bolso da L&PM de uma História do mundo de Wells. Sensacional! Poder de síntese e texto maravilhoso.

PS: O comentário anterior, da cerveja, foi meu também. Acho que esqueci de assinar ...

Franchico disse...

Grato, anônimo!

Guerra do Velho eu comecei na sexta-feira passada e não larguei mais no fim de semana. Acabei na segunda de manhãzinha, antes de levantar pro trabalho.

Melhor livro de ficção da Aleph este ano, arrisco. E olha que eles lançam muita coisa legal.

Recomendadíssimo.

Franchico disse...

Grato Adelvan!

Boa leitura, vc vai curtir COM CERTEZA.

Depois volta aqui pra dizer o que achou, valeu?

Franchico disse...

CHUPEM ESSA, COXINHAS.

http://www.diariodocentrodomundo.com.br/essencial/ex-presidente-turco-diz-a-cnn-que-a-turquia-nao-deve-ser-confundida-com-pais-da-america-do-sul/

Nem se façam de desentendidos, a indireta foi pra vcs mesmos.

Rodrigo Sputter disse...

http://g1.globo.com/pop-arte/noticia/2016/07/morre-alan-vega-vocalista-do-suicides-e-pioneiro-do-punk-nos-eua.html

Rip Mr Vega...nunca pirei no suicide, embora tenha ouvido há milênios atrás, mas gostava de umas faixas...e sei que realmente tem sua importância no rock...o + "legal" é ler os comentários na página..."vale a pena", pra ver como está o nível das "pessoas", dos "humanos"...deve ser um monte de gente que ao invés de tá fazendo alguma coisa de útil pelo menos no computador...faz - e escreve - merda...

Quando eu morrer chico, num deixa ânimos falarem merda de mim não-ehheheeh
num deixa entrar...pq tá dose viu...sei que ninguém falará de mim...graças a deus, num vai ter comentários desse tipo...mas os amigos certamente escreverão uma nota...porque as pessoas perderam a noção das coisas...kd coisa que eu já li nessa net, que fico pensando se eles num tem família, se eles iam gostar de que falassem assim deles e dos familiares...


geddel safadão...meteu pai ni dilma, pq lula apoiou ela na reeleição, mas foi ministro dos dois...um dia eu e brust íamos tocar e ser entrevistados um programa inteirinho na tve, deu alguma merda e ele foi lá falar...de uma hora, ficamos com no máximo 10 minutos, pense numa coisa chata quando ele entrou, dei boa tarde por educação, isso deve ter sido há uns 10 anos...no mínimo 2009...nem lembro...me ferrando desde sempre o sujeito...um monte de direitista votando nele aqui...eu perguntava pra pra eles "vai votar no ex-ministro de lula e dilma??", aí ficavam sem graça...esse nunca viu e jamais verá meu voto...

taí um filme que vi criança provavelmente (viva a tv brazuca das antigas), mas nunca revi, acho que já baixei, mas não revi...e devo ter perdido na casa da namo:

http://g1.globo.com/pop-arte/cinema/noticia/2016/07/william-hurt-homenageia-babenco-o-melhor-diretor-com-quem-ja-trabalhei.html

Hurt escreveu um puta email falando sobre babendo, gigantão...deve ter sido seu único oscar eu creio....

belíssima essa mulher, fez uma boa pergunta ao Karnal:

https://www.youtube.com/watch?v=XFqSVl9hspE

essa atriz sempre foi uma gata...curiosamente o último filme de babenco ela participou...
e que resposta do Karnal hein??
sou mais pra essa praia...embora não tenha a certeza de nada...gostaria até de ter...quer dizer, a dúvida é minha certeza...mas queria ser ateu ou teísta...fico horas mais descrente e outras mais "transcendente"...

chico, vou te escrever uma carta, quem sabe vc num consiga vender e tomar pelo menos uma cerva artesanal caso "venda-a":

http://g1.globo.com/musica/noticia/2016/07/carta-de-paul-mccartney-a-prince-e-vendida-por-us-15-mil-em-leilao.html


falando em FC...tou lendo os contos de Brian Aldiss...os 3 que influênciaram "inteligencia artificial" são bem bons...ele tem um estilo peculiar de escrever...quase nunca li FC em minha vida...livros medievais (a não ser que sejam livros de história, ou melhor, que não sejam romances, novelas), e de FC não sou muito pirado...gosto mais de ver em filmes ou docs...

Rodrigo Sputter disse...

http://www.fotolog.com/teenage_idol/147000000000033018/

já viu o trailer??