segunda-feira, setembro 09, 2013

MUNDO LIVRE E NAÇÃO ZUMBI MEDEM SUAS PUÃS

Mundo Livre S.A. e Nação Zumbi gravam repertório uma da outra em disco

Foto: Rodrigo Valença
Um furioso embate de caranguejos gigantes, em pleno mangue recifense: isto é o álbum Mundo Livre vs. Nação Zumbi, no qual os dois titãs do mangue beat (ou bit, vai saber) gravam músicas um do outro.

 Pensado como uma comemoração para os 20 anos do primeiro LP de Chico Science & Nação Zumbi (Da Lama ao Caos, 1993), o álbum dá prosseguimento ao projeto da gravadora Deck Disc de gravar dois grandes nomes do rock nacional interpretando o repertório um do outro: em 2012 foi lançado o CD Ultraje a Rigor vs. Raimundos.

“Rafael (Ramos, da Deck Disc)  nos disse que (o projeto) era meio de farra, tiração de onda”, conta Fred Zero Quatro.

“Acabou que eles mesmos se surpreenderam com a resposta ao CD com Raimundos e Ultraje – até em termos comerciais, já  que eles não esperavam muito. Ai viram que  dava caldo para fazer outro”, acrescenta.

Com a Nação já integrando o cast da Deck e o Mundo Livre em semi-independência (o último CD saiu via Coqueiro Verde), foi só questão de convidar os combatentes: “Nos surpreendemos com a proposta. Quando Rafael disse que a Nação já tinha aceitado, achamos maravilhoso, até pela oportunidade de celebrar os 20 anos do primeiro disco das duas bandas”, lembra Fred.

(Samba Esquema Noise, estreia do Mundo Livre, foi gravado em 1993 e só lançado em 94).

Gravar algumas  músicas da Nação foi um elixir para o líder do Mundo Livre: “Rapaz, me revigorei uns vinte anos. Me fez lembrar do Zero Quatro mais maloqueiro de 1993, quando a gente não perdia um show da Nação ali, do gargarejo, levantando a galera e curtindo junto. Sério, eu era o principal lider de torcida nos shows da nação”, diverte-se Zero Quatro.

Resgates anti-fuleiragem

Para ele, regravar músicas como A Cidade e A Praieira foi uma oportunidade de “resgatar a força que lançou a banda no Brasil. Especialmente a segunda. Se tem uma música que foi avacalhada, principalmente nos Carnavais fora de época, foi A Praieira, vítima da forma  folclórica e desrespeitosa de trio elétrico, o que desvirtua o sentido original da música”, observa.

“Fizemos um contraponto a fuleiragem das releituras sem emoção que fizeram dessas músicas,  buscando seus aspectos mais líricos.  Outra que está no DNA do Mundo Livre é Rios, Pontes e Overdrives, da  qual sou coautor”, lembra Fred.

“A ideia foi pegar músicas emblemáticas como Samba Makossa, outra que também foi degradada em versões baratas”, reitera Zero Quatro.

Mas nem só dos clássicos 90’s de Chico Science foi feito este disco. Canções mais recentes da Nação também entram no ringue: “Gravamos Meu Maracatu Pesa Uma Tonelada, que ajudou a Nação a superar o momento de transição (pós-morte de Chico S.)  e No Olimpo, com a pegada lírica mais sutil de Jorge du Peixe, que às vezes passa  batida, dada a  intensidade habitual da Nação Zumbi”, conclui.

Preocupação era ficar “à altura dos originais”, conta Dengue, da Nação

Da parte da Nação Zumbi (foto: André Fofano), o baixista Dengue conta por telefone, de São Paulo, que a banda escolheu suas faixas “por afinidade".

"Pegamos músicas de vários discos, inclusive do último (faixa O Velho James Browse Já Dizia). Não pensamos em hits. Não teria nem fundamento, em se tratando de Nação Zumbi”, diz.

O curioso é que, no momento, a Nação está em hiato: alguns músicos estão acompanhando Marisa Monte, enquanto outros tocam projetos solo.

“Não pensávamos em voltar com a Nação agora. Mas adoramos o  convite da Deck. Nos reunimos no estúdio e gravamos tudo em dois dias, não houve ensaio. A única preocupação era ficar a altura”, conta.

Hoje, com Du Peixe no vocal há mais tempo do que Chico Science, a banda já superou o trauma da perda do mentor original.

“Foi doloroso, mas não tivemos  muita opção. Nem parece que faz vinte anos. Parece tudo uma mesma coisa”, vê.

Mundo Livre S.A. vs. Nação Zumbi / Deck Disc / CD: R$ 29,90 / Download: USD 9.99 (iTunes) 


9 comentários:

Franchico disse...

Olha só, dona Mythos, HQ a este preço não é para quem gosta de HQ: é para quem gosta de livrinho de arte descolada para decorar mesinha de centro, tá?

http://omelete.uol.com.br/juiz-dredd/quadrinhos/juiz-dredd-especial-com-origem-do-personagem-sai-no-brasil/

Me deixe, viu?

Franchico disse...

Não, Brad, na moral. Vc já fudeu o bastante com esse grande livro. Parta pra outra aí.

http://omelete.uol.com.br/world-war-z/cinema/guerra-mundial-z-2-brad-pitt-fala-sobre-sequencia

Márcio A Martinez disse...

Parece que Bradd ta zumbizando, man! Realmente o filme é sofrível, criei uma grande espectativa e me senti incrivelmente frustrado... tomara que ele use o soro pra despertar e fazer coisa que presta com esse gênero tão difudê...

Franchico disse...

Discos espetaculares de agora (sim isso existe!), para serem baixados AGORA:

Sina, o segundo disco dos incríveis sergipanos The Baggios:

http://site.thebaggios.com.br/

(Deixa uns trocados lá pros caras!)

Elvis Costello & The Roots – Wise Up Ghost And Other Songs

http://newalbumreleases.net/57957/elvis-costello-the-roots-wise-up-ghost-and-other-songs-2013/#more-57957

Mark Lanegan – Imitations

http://newalbumreleases.net/57902/mark-lanegan-imitations-2013/#more-57902

(Só releituras, incluindo a genial Mack The Knife, uma das canções mais espetaculares de todos os tempos).

E OS CRÁSSICOS ABSOLUTOS DO CLASH, que se resumem em TODA a sua obra (fora o Cut The Crap, claro):

http://newalbumreleases.net/57994/the-clash-sound-system-remastered-2013/#more-57994

Boa safra!

Franchico disse...

Márcio, o negócio de Guerra Mundial Z é o livro. Leia o livro, esqueça o filme, que foi uma cagada diarreica das piores...

Ernesto Ribeiro disse...

Francis, Rodrigo, meu conselho urgente de ação imediata pra todos nós irmãos Rockers:

ACESSE — DOWNLOAD — GRAVE — COPIE :

Elvis Presley, Jerry Lee Lewis, Carl Perkins & Johnny Cash tocando juntos em 1956 — Million Dollar Quartet — O ALBUM INTEIRO
https://www.youtube.com/watch?v=MCg2HMXiATE

Sex Pistols — O Lixo e a Fúria --- O FILME INTEIRO
http://www.youtube.com/watch?v=rELliDFYr5A

Runaways — Filme do SHOW INTEIRO em Tokyo 1977
http://www.youtube.com/watch?v=fPwO_SrVclg

Runaways — ao vivo na TV japonesa — várias canções em todos os canais
http://www.youtube.com/watch?v=TIaeVzDgYMQ

Dead Kennedys — ao vivo em San Francisco, 1984 — O SHOW INTEIRO
https://www.youtube.com/watch?v=32NtcTf3HUc

Camisa de Venus — SHOW INTEIRO no Estádio em São Paulo em 1987
http://www.youtube.com/watch?v=nfwFzgaeDF4

Camisa de Venus — Trecho do Show em Salvador no Teatro Vila Velha em 1982
http://www.youtube.com/watch?v=u03DGxiyt84

L7 — ao vivo no Brasil, 1993 — O SHOW INTEIRO
http://www.youtube.com/watch?v=7lIUMwYWelk

Rammstein — O SHOW INTEIRO no Estádio Volkerball em Ninmes, França, 2005
https://www.youtube.com/watch?v=rG-Xuk4gcbs

Rodrigo Sputter disse...

tem muita coisa boa de show inteiro no youtube Ernesto, vou lá dar um saque...

falando em albuns inteiros, dá um saque nos meus, pra ver se vc gosta ou odeia:


The Honkers:

* Between The Devil And The Deep Blue Sea (2003):

http://www.youtube.com/watch?v=OenkCbwC_P8

* Underground Music For Undergorund People (Covered By One Overground Band) {2003}:

http://www.youtube.com/watch?v=EW1-ElnfOGo&feature=youtu.be

* Roll Up Your Sleeves And Help Us Rock Up This Honker World (2007):

http://www.youtube.com/watch?v=qGWhQ441Gqs&feature=youtu.be

* Thirty-Six Hours (Single - 2010):

http://www.youtube.com/watch?v=mtPTNGVR-ck&feature=youtu.be

The Futchers:

* 10 Songs That Will Not Change The World (2009):
http://www.youtube.com/watch?v=rBlzWWdX7MA&feature=youtu.be


* The Futchers Live @ Downtown Klub (2010):

http://www.youtube.com/watch?v=FAl2r4g--gI&feature=youtu.be

Ernesto Ribeiro disse...

adopeirmã. Vou confei.

Já conheço a sua obra nos Honkers e Futchers desde o início. Cumpadre Felipe Brust meu amigo de fé e irmão camarada desde os tempos da faculdade de Comunicação --- e lá se vão 18 ANOS quando ele foi presidente do Diretório Acadêmico, editando o nosso jornal "La Bolseta de Pandora" patrocinando as calouradas e festivais de rock no convento da Lapa...

Brust é nosso herói.

Ernesto Ribeiro disse...

Obrigado pels links, irmão Sputter. Vou conferir.

Já conheço a sua obra nos Honkers e Futchers desde o início. Graças a você e seu fiel guitarrista:

Cumpadre Felipe Brust é meu amigo de fé e irmão camarada desde os tempos da faculdade de Comunicação...


... e lá se vão 18 ANOS quando ele foi presidente do Diretório Acadêmico, editando o nosso jornal "La Bolseta de Pandora" patrocinando as calouradas e festivais de rock no convento da Lapa...


...e então ele largou tudo pra começar carreira musical nos The Cents.

Brust é o meu, o seu, o nosso herói.