terça-feira, fevereiro 08, 2011

FAWCETT E MONDO URBANO: DA INDEPENDÊNCIA PARA UMA GRANDE EDITORA

Ufanismos tolos à parte, o Brasil apresenta ao mundo, geração após geração, artistas de HQ de qualidade e importância inquestionáveis.

Dois lançamentos do fim de 2010 reforçam a tese ao apresentar trabalhos extraordinários de quadrinistas de gerações bem diferentes, ambas brilhantes: Fawcett, do mestre do quadrinho brasileiro Flavio Colin (com roteiro de André Diniz Fernandes) e Mondo Urbano, do trio (ou Powertrio, como eles se definem) formado por Mateus Santolouco, Eduardo Medeiros e Rafael Albuquerque.

Além de serem obras muito bem acabadas, Fawcett e Mondo Urbano compartilham outro ponto em comum bem importante: ambas foram publicadas, previamente, de forma independente, quase artesanal.

Mas chamaram tanta atenção que acabaram sendo republicadas por uma editora grande: a Devir, de São Paulo.

Na selva e na metrópole

Fawcett, publicada originalmente pela Editora Nona Arte em 2000, foi um dos últimos trabalhos de Flavio Colin (1930-2002).

Trata-se de uma especulação fictícia acerca de um dos maiores mistérios da selva amazônica: o que teria acontecido com o explorador inglês Percy Harrison Fawcett (1867-1925) que desapareceu para sempre na imensidão da floresta com seu filho, Jack, durante uma expedição em busca de uma suposta civilização perdida?


Já Mondo Urbano foi publicada em quatro revistas indepentes entre 2008 e 2009: Powertrio, Overdose, Cabaret e Encore.

Reunidas neste encadernado da Devir, elas mostram por que o trio de quadrinistas tem sido saudado pela crítica norte-americano como uma espécie de next big thing a vir do Brasil, depois dos gêmeos Fábio Moon e Gabriel Bá.

Ambas as HQs, cada uma ao seu modo e dentro do seu estilo narrativo – Fawcett é mais tradicional, Mondo é mais modernosa – demonstram a força da arte sequencial brazuca.

Colin deixou marca indelével nas HQ nacionais com seu estilo inconfundível

Em seu sucinto (porém apaixonado) relato biográfico Vida traçada: Um perfil de Flavio Colin (Marca de Fantasia, 2009), o jornalista baiano Gonçalo Júnior não economizou elogios ao artista carioca, dono de estilo próprio, inconfundível e muito peculiar.

“O gigantismo de sua produção e a grandiosidade de sua obra ainda estão por ser mapeados e devidamente estudados, compreendidos e consagrados em obras mais extensas como um acontecimento das artes de um dos autores de quadrinhos mais importantes em todo mundo e em todos os tempos”, derramou-se, com razão.

Morto em 2002, aos 72 anos, Colin teve pouco reconhecimento em vida. “Nos últimos anos, Flavio praticamente implorava por trabalho”, relata Gonçalo.

“Deixou de lado o orgulho e, com lágrimas nos olhos, dizia para os mais próximos que não merecia a humilhação de pedir para que publicassem seus quadrinhos. (...) Com os dois filhos já criados, subsistia ao lado da esposa dona Norma com uma aposentadoria de 1,5 salário do INSS”, revelou o jornalista.

Só comparável aos mestres

Um destino, de fato, profundamente injusto para um verdadeiro estilista dos quadrinhos, como definiu o historiador gaúcho Hiron Cardoso Goidanich.

Defensor apaixonado da cultura e folclore brasileiros, ele deixou marca indelével nos quadrinhos nacionais com sua abordagem brilhante do terror, praticamente reinventando o mito do lobisomem, por exemplo.

Suas páginas exuberantes, só comparáveis as de mestres universais como Jack Kirby, Will Eisner e Joe Kubert, abrilhantou gibis – publicados por editoras já extintas, como Bloch, Vecchi e Grafipar – que embalaram gerações de leitores.

Um resgate do melhor de sua produção entre os anos 1960 e 1980, em um único álbum de luxo que fosse, já seria um belo passo para começar a pagar a dívida que o Brasil tem com este grande artista.

Fawcett / André Diniz Fernandes e Flavio Colin / Devir Livraria / 56 p. / R$ 13,50 / www.devir.com.br

Powertrio: Santolouco, Medeiros e Albuquerque em ascenção

Eles estão começando a surfar a crista da onda. O trio de quadrinistas formado por Mateus Santolouco, Rafael Albuquerque e Eduardo Medeiros tem ganhado cada vez mais visibilidade – lá fora do Brasil, até mais do que aqui dentro.

Albuquerque é o desenhista titular da revista mensal American Vampire, publicada pelo selo Vertigo – por si só, um reconhecimento de qualidade, pelo seu caráter cult e bom nível da maioria dos seus títulos.

Escrita por Scott Snyder, um apadrinhado de Stephen King – que roteirizou algumas histórias curtas para a série, igualmente desenhadas por Albuquerque – Vampiro Americano é publicada no Brasil na revista mensal Vertigo (Panini Comics).

Já Santolouco está prestes a ver um dos gibis que ele desenha para o mercado americano, 2 Guns (Boom! Studios), ser adaptado para o cinema pela Universal Pictures, com a dupla de atores Vince Vaughn e Owen Wilson (vista na comédia Penetras Bons de Bico) no elenco.

Juntos, os três ainda preparam Mondo Urbano Vol. 2: Edu em apuros, que espera-se, seja lançado ainda em 2011. Publicada nos EUA pela Oni Press, o volume 1 colecionou elogios.

Mondo Urbano / M. Santolouco, E. Medeiros e R. Albuquerque / Devir / 128 p. / R$ 25 / www.mondourbano.com.br

17 comentários:

Franchico disse...

Recebido por email, para quem puder / quiser conferir, de repente é uma boa:


Show de Dão e a Caravanablack, no Sankofa African Bar.

Dão se prepara para suas apresentações no carnaval e para a gravação do seu novo disco. Neste show Dão apresenta músicas do seu último álbum "Para Embelezar a Noite" e músicas do próximo CD "Trampo de Samba", além da participação especial de Stacie Aamon (www.myspace.com/stacieaamonsongs), cantora novayorquina, que está gravando algumas canções pro seu novo trabalho. Será uma noite de muito balanço, R&B, soul e funk.

Dão e a Caravanablack
Participação de Stacie Aamon (NY)
Sankofa African Bar- Pelourinho
12 de fevereiro
Entrada R$ 15,00
www.daoblack.com
www.myspace.com/daoeacaravanablack

Franchico disse...

Fica vermelha, cara sem vergonha.

http://bahiaempauta.com.br/?p=36381

Franchico disse...

Sabe aquele papo de "vá ao teatro mas não me chame"?

No que me concerne, não valeria para essa peça:

http://www.omelete.com.br/cinema/frankenstein-de-danny-boyle-sera-transmitido-no-cinema/

Franchico disse...

Leiam matéria sobre um dia no estúdio t com Cascadura, o disco Aleluia! em gestação e o balanço da temporada 2011 de Sanguinho Novo:

http://bandacascadura.com/a-ponte/estudio/aleluia-em-gestacao-obra-quer-dialogar-com-a-cidade/

A matéria foi publicada ontem vcs sabem aonde.

marciorocks disse...

...na Tackred Snows Avenue... Ah se tivesse uma avenida com esse nome em NY... eu ia adorar...
Chicaço, meu velho, não quero ficar cobrando nada não, mas tá faltando meeeeesmo sua presença no TAZ, viu mermão? Acho-a imprescidível, importantíssima e até necessária para você ver como está funcionando que é uma beleza!

Franchico disse...

Recebido por email:

A Yamaha Musical do Brasil lança o Yamaha Brazilian Beat, um festival de bandas independentes que acontece pela primeira vez no Brasil com o objetivo de revelar novos talentos, apoiar a musicalização e levar a banda finalista para tocar em um dos maiores festivais da Ásia, o Asian Beat.

A banda vencedora também terá a oportunidade de se apresentar no stande da Yamaha na Expomusic 2011, e tocar ao lado de grandes feras e endorsees da marca.


Mais informações e inscrições através do site: http://www.yamahamusical.com.br/brazilianbeat/

Franchico disse...

RIP GUITAR HERO

http://www.omelete.com.br/games/guitar-hero-novo-game-e-cancelado/

Já vai tarde essa merda!

Na semana em qua lamentamos a morte de um verdadeiro Guitar Hero, Gary Moore, a morte desse game de punheiteiro vem em boa hora.

Franchico disse...

Márcio, tô querendo ir lá. Só me falta oportunidade (e mais um pouquinho de ânimo para sair de casa nesse dia e horário....).

marciorocks disse...

A questão do horário não tem desculpa não, Chicochato!
É na Hora Feliz, porra!
Dá pra voltar cedo pra casa pra nanar...

Anônimo disse...

E aí Franchico, tá de greve, é?
Mario

Anônimo disse...

vou aparecer em breve de mala e cuia nessa taz para ver os velhos amigos e nao vou deixar pedra sobre pedra...como nos velhos tempos...
claudio moreira

Franchico disse...

AGORA FUDEU TUDO!

Franchico disse...

As adoráveis modelos Suicide Girls (arf! arf!) viraram HQ.

http://www.omelete.com.br/quadrinhos/suicide-girls-mais-imagens-da-hq-das-modelos/

Por incrível que pareça, não é de caráter erótico.....

Franchico disse...

Mário, esse assunto, só pessoalmente, velhinho. É cabeludo demais, cabeludo nível Claudia Ohana, man.....

Franchico disse...

Mas ainda hoje (segunda, 15) ou amanhã no máximo, tem novo post por aqui.... JURO!

Franchico disse...

Cabelo! Cabeleira, descabelaaaada!

http://www.politicalivre.com.br/index.php/2011/02/crise-de-a-tarde-ganha-ate-pichacao-na-cidade-2/

Franchico disse...

Queridos amigos, talentosos amigos, que muito me dão orgulho:

http://revistamuito.atarde.com.br/?p=6275

Procurem a Muito de ontem para ler a matéria!