terça-feira, dezembro 22, 2009

Abaixo os defensores da TFP no Roque Baiano

O show de lançamento do DVD Efeito Bogary, no último domingo, lotou a Praça Tereza Batista com uma horda de fãs ávidos pelo Cascadura. Nosso enviado especial Franciel Cruz, rockloquista honorário, quebra o silêncio desde o fim do seu blog Ingresia e diz o que muita gente queria dizer por aqui. Joga, maluco!

Por Franciel Cruz






















A verdade que salva e liberta tem que ser dita. E, cristão ortodoxo, este rouco e religioso locutor a dirá logo neste primeiro e sucinto parágrafo. Maestro, caixa alta, por favor: “NO BRASIL, SUCESSO É OFENSA PESSOAL”.

Touché!

Pois muito bem. Daqui do genuflexório, onde rezo ajoelhado pela mudança na linha evolutiva da música de Pindorama, agradeço penhoradamente os aplausos, mas informo que as palmas devem ser dirigidas ao autor destas palavras da salvação: Tom Jobim, aquele que abriu o gás deste vale de lágrimas há exatos 15 anos.

Sei que pode parecer meio que extemporâneo citar o referido e soberano maestro num espaço dedicado a são roque, porém a reprodução faz-se necessária. Afinal, a frase continua mais atual do que nunca, principalmente na Bahia, que é o Brasil levado às últimas consequências. Aqui, a ojeriza ao êxito, muitas vezes, vem dos próprios amigos e admiradores.

Existe uma turma que acredita que a banda de sua predileção não pode ser admirada por mais do que os 12 escolhidos. É sua única e exclusiva propriedade. E ai de quem tenta fugir desta tradição e se atreve a expandir seus sons para além do quintal da república de descolados do Red River. É choro, lamento, ranger de dentes, um deus nos acuda e o carai aquático.

Bom, estes prolegômenos (recebam, fariseus, um prolegômenos na caixa torácica) são apenas para dizer que de nada vai adiantar neguinho e branquinho procurar chiada, pois a verdade é uma só: Com Bogary, Cascadura fez um pacto com o sucesso que está imune às ofensas porque calcado numa inquebrantável sintonia com a cidade.

Eles não têm vergonha de Salvador. E quando falo isso, é bom deixar claro que não foram feitas concessões aos batuques e outras baianidades. O diálogo da banda com a província foi estabelecido em outras bases, baixo, bateria, guitarra, sinceridade, peso, intensidade, agressividade, barulho e um tanto assim de breguice nas boas composições – até porque brega e caldo de galinha, de quando em vez, não fazem mal a ninguém.

E o melhor de tudo foi que, na noite de ontem, percebi que, quando eu pensava nessa teoria do diálogo da banda com a cidade, não estava viajando (na verdade, até estava sob o domínio de substâncias não recomendas pela Carta Magna, mas não vem ao caso) O fato é que o diálogo era real. Na superlotada Praça Tereza Batista cansada de guerra, havia gente de todos os cantos da cidade, gritando e cantando todas as canções do CD com vontade e emoção: de Pau da Lima ao próprio Rio Vermelho; de São Marcos à Ribeira.

Tanto se podia ver gente com cara de brabo e camisa de Raul e Pink Floyd, como rapazes, digamos, sensíveis com a vestimenta dos Smiths. Havia negona e menino amarelo. E todos curtiam cada uma das músicas de forma quase que desesperada e insanamente feliz. Talvez por conta disso, o próprio Fábio confirmou a disgrama da tese ao fazer um discurso emocionado, dizendo que Salvador é a casa da banda, “é nesta cidade, com suas qualidades e defeitos, que queremos interferir”.

Joga, maluco.

E sobre o show especificamente, Sêo Françuel? Como é que foram as execuções, o timbre da guitarra, o peso da bateria, o vocal e num sei lá mais o quê? Pergunta-me a ansiosa senhora. E eu respondo. Ou melhor, me calo. E digo somente o seguinte: quem foi, viveu. Quem quis ficar no Rio Vermelho ou em casa tomou no velho ás de loscopita e perdeu o melhor show do ano.

36 comentários:

teclas pretas disse...

para fábio cascadura, pelos velhos e novos tempos:

SPIRIT - "NATURE'S WAY"

http://www.youtube.com/watch?v=YsTK2LHZKPQ

GLAUBEROVSKY

osvaldo disse...

hahhaha. francis elvis liberando (epa!) sua porção critico musical.muito bem (d)escrito, e fica valendo como relato dos acontecimentos para quem não foi como eu.e parabens aos cascas que estão tendo um final de ano bacana com lançamento do dvd e shows concorridos.

Anônimo disse...

enquanto isso na sala de justiça:
MUSTANG!
cláudio moreira
O novo e quinto trabalho da banda carioca Mustang é um disco duplo que
se chama Mustang V. Como este é o quinto disco de carreira, e o quinto
algarismo romano lembra um V, o símbolo da paz (simbolizado pelos
dedos indicador e médio levantados), a arte do CD faz diversas
associações com o número cinco.

O novo trabalho começou a ser gravado no Rio de Janeiro na semana do
natal em dezembro de 2009. V é um disco através do qual a banda
expande sua musicalidade para além dos trabalhos anteriores. O
repertório do álbum, composto em menos de um mês, mescla country,
baladas, soul, rock e MPR (música popular roqueira). O funk e o soul,
que se manifestaram nos CDs anteriores, agora se expandem com uma nova
batida calcada nos ritmos de umbanda e candomblé. Baião e marchinha de
carnaval fazem parte do novo repertório, que liberta a banda de vez da
possibilidade do Mustang ser visto, apenas, como parte de grupos que
idolatram o que vem do exterior sem olhar para o Brasil. Beatles são
uma influência constante, mas dessa vez o tropicalismo e os primeiros
discos de Caetano Veloso e Gilberto Gil são influências reconhecíveis,
assim como os Afro-Sambas de Baden Powell. E todas essas delícias
musicais estão muito bem mescladas com o pulsante rock do Mustang.

Em 2010, o trio carioca comemora sua primeira década de vida e V
mostra que a banda cresce com uma corajosa e necessária desenvoltura.

alan disse...

texto chato de francel com as piadinhas sem graça. e é proibido achar cascadura pop e paricida com jota quest é?

Franchico disse...

Bwah-ah-ah-ah-ah-ah-ah-ah-ah-aaaahhhhhh!!!!!!

Ai, ai...

Faz-me rir.

Anônimo disse...

"Alan",

Você tem todo o direito de achar o texto chato, as piadas sem graça e até mesmo que Cascadura é um cover do Jota Quest.

Se Deus não existe, tudo é permitido.

Aqui, só não vale é dançar homem com homem e escrever "paricida" desta forma.

Assim vou começar a achar que você não entendeu porra de nada e está escrevendo PARECIDO com alguém que eu conheço.

Antes de ir à porra, faça-me um caldo de cana contaminado, por favor.

Franciel Cruz

Anônimo disse...

o texto é mais um dele no estilo "joão ubaldo" mas sem a precisão do nosso mestre...
erra feio em ver o cascadura nos braços do povo, qdo a banda foi mesmo na direção de uma versão baiana do rock que agrada a nova safra de ouvintes de rock brasileiro (leia-se rock dos jardins a afins)...se no "vivendo" a banda tinha "faca e queijo" na mão para caminhar para posteridade, no "bogary" resolveu guiar pelo caminho mais fácil de agradar os emos e afins, mesmo que o talento de fábio como compositor ainda faça a diferença...
cláudio moreira

Nei Bahia disse...

Menino Franciel botando fedendo, só pra variar!!
Prometeu e meteu!!!
Quanto a chico e Cebola, passem na vendinha da esquina e comprem um Mad Dog ( pra valorizar o produto regional!!), tomem de gut-gut e DEIXEM DE FRESCURA!!!

Logan disse...

Dá-lhe sêo françuel, Dando (lá ele) uma de critico musical (só falta o oclinhos do thallesgoto)!!

Falta agora tirar as teias de aranha do vitoriaquae....

Aliás, você como critico musical dá um otimo CRONISTA DESPORTIVO


ahueuaeheauaeh, só falta a carteirinha da abcd.

Franchico disse...

A gente merece, né Cebola?

Pô, Nei, cê tá falando isso por que não tava na Boomerangue, sexta passada, né? Foi ACABAÇÃO, man! Foi brincadeira, não!

Anônimo disse...

Na moral, pelas fotos da pra ver qual banda é mais honesta. Enquanto uma posa de emo, a outra se diverte com o enquadramento... Parece pouco, mas isso também é música. E Tiago nas duas fotos...

Jah.

Celeste Lélles disse...

bem...fico emocionada de ter achado este BLOG,falando deste show...tambem saí do RED RIVER e naõ me arrependi, tanto que fiz na mesma noite (JÁ NA MADRUGA) mais pra lá do que pra cá..rs esta humilde homenagem, posso colocar?

Dança eufórica
Musica no ar
Ah! como fui feliz
Onde, ontem encontrei
Minha banda preferida
Ouvindo pesadas melodias
Letras que soam poesia
Eles tocam rock’n roll
Amor na atmosfera
É quase terapia
Agradeço e me esqueço
Os males que já passei
Que presente fim de ano
Toca toca Cascadura
que eu sempre vou te seguir
sua musica que embala
me faz novamente sorrir!
Celeste

Nei Bahia disse...

Chicão, fique tranquilo, não discuto obrigações religiosas!!!

Nei Bahia disse...

Chico, da manhã de sábado para a tarde de domingo é tempo até pra Keith Richards espantar a ressaca, seja ela de que substância for, natural ou sintética, quanto mais vcs 2, criados com Toddy e educados em Fausto e tradicional Liceu soteropolitano.

Franchico disse...

Amigo Jah, eu estava me abstendo de entrar na discussão - ando cansado e de saco cheio de tantas palavras inúteis. Mas acusações infundadas e sem noção me tiram do sério.

Vem cá, vamos jogar o jogo dos sete erros?

1. Vc está vendo alguém com cabelo de chapinha na foto do Casca? Não, né?

2. Vc está vendo alguém de calça skinny na foto do Casca? Não, né?

3. Vc está vendo alguém com uma lágrima pintada junto ao olho, na foto do Casca? Não, né?

4. Vc está vendo alguém segurando uma câmera digital apontada para si mesmo na foto do Casca? Não, né?

5. Vc está vendo alguém de cinto de tachinhas e viadagens de metal na foto do Casca? Não, né?

6. Vc está vendo alguém com menos de 15 anos na foto do Casca? Não, né?

7. Vc está vendo alguém com lápis no olho? Não, né?

Então, meu caro, me desculpe, mas, ou vc não sabe o que é emo, ou é um puta sacana mal-intencionado.

Tudo o que há nessa foto são quatro caras no escuro, vestidos de preto.

Mas cada um vê o que sua mente lhe sugere. Talvez o emo na verdade seja vc. Talvez seja esse o seu desejo secreto - mas aí vc tem que acusar o outro, para tentar se desviar do que realmente quer.

Já parou para pensar nisso?

Melhor sorte na próxima vez.

Franchico disse...

Celeste, legal sua homenagem! Tenho certeza que os meninos vão gostar. Seja bem-vinda e volte sempre.

Nei, a idade é cruel, acredite (ainda mais prum sedentário descarado como eu).

Fora que o batente me esperava de mañana cedinho.

No rest for the wicked...

teclas pretas disse...

grande abraço pra messias. quero meu vinyl triplo!

CHRYSALIS - "FATHER'S GETTING OLD"

http://www.youtube.com/watch?v=nDpOg219NHE

GLAUBER

Anônimo disse...

Este negócio de banda boa e ainda por cima que faz sucesso em Salvador tá muito por fora.

Também prefiro as bandas "honestas" e que brincam de fazer enquadramento. Isto, sim, é que música. O bom mesmo é enquadramento e honestidade. O resto é besteira que coloca em minha pasta rosa.


Ângelo Calmon de Sá.

Anônimo disse...

Chicão, na moral deixe esses caras acharem qualquer coisa... ou emo, ou homo... Tem diferença o que as pessoas acham? O que é legal é que estamos falando de duas bandas com 20 anos de estrada, que fazem o que bem entendem e estão felizes da vida.
Franciel, fico muito feliz de voltar a ler seus textos, falô?
Queria documentar também o show Vandex for babies que deixou os futuros (maus) elementos em contato com o rock sujo.
abços e boas festas aos amigos.
Mario

cebola disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Franchico disse...

Mas que papelão, hein?!?

Coisa mais feia, deselegante.

Tsc, tsc, tsc.

Anônimo disse...

em nenhum momento achei que o bogary macula a imagem da banda, mas não se pode negar que ele foi uma guinada, na minha opinião, na linha estética evolutiva errada
cebola...qto vezes vc me disse que não tinha coragem de falar as coisas que digo aqui porque vc tinha banda e não queria magoar os colegas???!!!!
chico, vc não percebe que franciel vem com papo de esnobismo de se querer que uma banda fique cult qdo nunca se falou sobre isso aqui...apenas que a popularidade deve vir acompanhada da construção de um público ao longo do tempo sem modismo???!!!!...se fosse um público povão mesmo seria algo lindo, mas não foi o que vi na última vez na boomerangue que estava mais para neo patrícias e neo maurícinhos e modistas diversos afins...franciel foi??!! agora soube que no pelô foi legal, público cantando junto e quase nenhum solo de cândido...sinal dos tempos...
cláudio moreira

teclas pretas disse...

minha gente...é natal!

http://fabiolascully.files.wordpress.com/2008/08/comunismo_beer1.jpg

GLAUBER

Anônimo disse...

texto mais chato que li em minha vida...pulei da segunda frase pra última...porra...
parabens cascadura e brincando de deus!passaram-se 20 anos e as 2 bandas estão botando pra fuder!2010 promete!faltou pandora no show da bdd.

Anônimo disse...

ah, sim cebola...respeito qdo se referi a mustang porque ela segue na estrada com motores roncando com inventividade rock, liberdade na alma e distância de qualquer aspecto colonizado na sua arte...cada cd dela foi bem diferente um do outro, mas a banda nunca perdeu a essência orgânica visceral...tenho orgulho de ter cunhado a expressão que definiu o som da mustang no cd "santa fé": música popular roqueira...
cláudio moreira

Anônimo disse...

chico e cebola,
a entrevista foi feita na época do lançamento do "bogary" e enaltece o conjunto da obra, mas coloca o "vivendo" como ponto alto da sua trajetória...já o site www.omartelo.com e a banda mustang são de meu amigo carioca carlos lopes, figura muito além da mesmice do rock brasileiro...
chico não separa crítica musical das amizades e cebola, perdeu o senso depois do retorno do irmão à banda...francamente...
cláudio moreira

Nei Bahia disse...

Mudando de assunto..e de planos;

Johnny Winter tem confirmados shows no Brasil:

Fri 05/14/10 Manaus, Brazil Studio 5

Sat 05/15/10 Brasilia, Brazil Centro De Convencoes Brasilia

Sun 05/16/10 Recife, Brazil Teatro Guarapapes

Thu 05/20/10 Rio De Janeiro, Brazil Canecao

Fri 05/21/10 Belo Horizonte, Brazil Chevrolet Hall

Sat 05/22/10 Sao Paulo, Brazil Via Funchal


Nada de TCA, mais nunca levei fé de verdade,só que um dia antes do show de São Paulo, tem ZZTOP.
Resumindo; perdesse umas, ganhasse outras...e lá vamos nós!!!

Anônimo disse...

qdorir, corrigindo
ROCK!!!!!!!!
cláudio moreira

Franchico disse...

Cláudio Escória, pra vc eu só tenho duas palavras:

Feliz Natal.

Aproveito e estendo os votos de Boas Festas a todos os leitores e amigos do blog.

Anônimo disse...

Chicão, esse seu blog é muito loco.

Feliz Natal, meu rei.

Cury.

cebola disse...

Nem vem. Grana agora só pra mestre MCcartney em Abril. Contando as horas já!!;)

osvaldo disse...

A lista do mestre Robert Christgau para os 00. o cohen live in london de 2009, esta na miha lista tb.

http://www.robertchristgau.com/xg/list/rs00.php

osvaldo disse...

mais listas 00.

UNCUT'S 150 ALBUMS OF THE DECADE


http://www.uncut.co.uk/music/uncut/special_features/13805

Franchico disse...

Que lixo essa lista da RS, hein?

Nos cinco primeiros, pelo menos três são hip hop. (O tal do Wussy eu não sei do que se trata e tenho raiva de quem sabe). Dois de Kanye "Chiliquenta" West.

Que bela década!

Anônimo disse...

Chicão,

parabéns pelo texto do #1. Muitos personagens imaginários daquela época ainda perambulam por aí. Você e eu também fizemos parte daquele equívoco de Natal. Um dos seguranças da Kripton tava pensando em lançar um livro sobre aquela noite. Caso você se antecipe a ele lembre de creditar o patrocinador Sound&Vision apesar de que, por agora, a concorrencia no comércio de ilusão seja grande.

De qualquer forma seu texto, apesar de virtual, é bastante real.

cebola disse...

excluí um texto "maldoso" que botei la em cima. So quis ofender e falei umas besteiras sobre um cara que não tinha nada a ver c essa merda toda. peço desculpas pela auto-censura. E pelo coment ofensivo e vazio. Abss