quarta-feira, setembro 23, 2009

A INTERNET NA MÃO E NENHUMA IDEIA NA CABEÇA

Web 2.0: Polêmico livro de Andrew Keen é um alerta para a forma como a internet está esmagando a cultura e a economia

Uma caneta – para pegar o mais prosaico e cotidiano dos objetos – é boa ou ruim, intrinsecamente? Nem uma coisa, nem outra. Qualquer pessoa com pelo menos dois neurônios sabe que bom ou ruim é o uso que se faz dela. Da mesma forma que uma caneta pode ser usada para trazer ao mundo um poema capaz de elevar a alma das pessoas, ela pode ser utilizada para furar o olho de um desafeto.

É aí que entra o polêmico livro O culto do amador, do empreendedor americano Andrew Keen.

Um dos primeiros a investir nas empresas do Vale do Silício (Califórnia), Keen acendeu o sinal vermelho para a Web 2.0 em 2007, quando lançou seu livro, causando reações diversas, desde apoio incondicional a pichações de “traidor do movimento“ e até de anticristo.

Lançado no Brasil em 2009, O culto do amador (Jorge Zahar Editor) tem sido visto com reservas mesmo entre aqueles não tão simpáticos à avalanche de conteúdos criados pelos usuários – 99,9% constituído de dejeto digital, como se sabe.

O macaco infinito

Mas por que tanta polêmica? Simples. Para Keen, a Web 2.0 está esmagando, qual um rolo compressor midiático, a cultura, a economia e valores básicos como privacidade e criatividade.

Para ele, sites como Youtube, MySpace, Wikipedia, Google e similares estão tendo um “impacto destrutivo em nossa cultura, economia e valores. (...) É uma mistura de ignorância com egoísmo, mau gosto e ditadura das massas“, adianta, logo na introdução do livro.

Keen se inspirou no “teorema do macaco infinito“ preconizado pelo biólogo evolucionista T.H. Huxley (avô do famoso escritor Aldous), segundo o qual, “se fornecermos a um número infinito de macacos um número infinito de máquinas de escrever, alguns macacos em algum lugar vão acabar criando uma obra-prima – uma peça de Shakespeare, um diálogo de Platão ou um tratado econômico de Adam Smith“.

“Mas o que outrora parecia uma piada agora parece predizer as consequências de um achatamento da cultura que está embaçando as fronteiras entre público e autor, criador e consumidor, especialista e amador no sentido tradicional. A coisa não tem graça nenhuma“, vaticina o autor.

Espelho digital

Esta constatação óbvia – de que a maioria esmagadora do conteúdo criado por usuários de internet (seja em blogs, MySpace, Twitter, Wikipedia, Orkut etc) é puro lixo – é o motor do livro de Andrew Keen, que embasa suas colocações com farta pesquisa e exemplos de deixar qualquer um com vergonha na cara de cabelos em pé.

Nesse sentido, o livro de Andrew Keen é um alerta mais do que válido nesses tempos em que tantos ainda se deslumbram com tanta bobagem, superficialismo e vulgaridade disponíveis “no clique do mouse“.

E antes ficasse só no problema das bobagens digitais. A questão econômica é muito mais séria, visto a devastação causada pela internet nas indústrias da música, cinema, editorial e na imprensa, com jornais fechando ou se achatando mundo afora.

E aí volta a questão da caneta. A Web 2.0 não é boa ou ruim por si só. O uso que se faz da internet apenas reflete, como num espelho digital, o estágio evolucionário do homem do século 21: macacos equipados com computadores, celulares, câmeras – e nenhuma ideia na cabeça.

O Culto do Amador
Andrew Keen
Editora Jorge Zahar
207 p.
www.andrewkeen.typepad.com

16 comentários:

Franchico disse...

Como está claro, o assunto é bem polêmico e rende as mais diversas opiniões. Circulando pela rede, uma análise que achei bem equilibrada é esta aqui:

http://www.tiagodoria.ig.com.br/2009/03/31/em-2009-o-culto-do-amador-nao-fede-nem-cheira/

Gostaria de poder ter feito algo maior, com opiniões de especialistas, artigos de pesquisdores etc. Mas por questões além do meu alcance, não foi possível.

André, valeuzão pelo empréstimo, man! Uma hora dessas vou bater na sua porta pra te devolver o livro.

Pablo Sá disse...

sem as ferramentas da net, estaríamos fadados a depender dos serviçoes de gente como o autor desse livro. o mundo melhorou nos últimos 15 anos.
GLAUBER

Franchico disse...

Até já vi na locadora esse filme, que não levei muita fé. Mas acho que fiquei com vontade de pegar depois de ver esse trailer:

http://www.omelete.com.br/cine/100022313/District_13_Ultimatum__Assista_ao_trailer_da_producao_de_parkour_de_Luc_Besson.aspx

Franchico disse...

Atenção, punksters da minha Bahia:

TEM SHOW DO CÓLERA NESTE SÁBADO (26.09) EM SIMÕES FILHO.

SE LIGUEM:

O "I Água Comprida UndeRock" é um evento destinado a promover a música independente na cidade de Simões Filho visando uma maior difusão das bandas locais e da região metropolitana. Também tem o objetivo de resgatar valores culturais enraizados na história do município não apresentados para o conhecimento popular, assim como valorizar a diversidade criando novos meios de acessos a movimento ideológicos e artísticos.
O evento acontecerá no dia 26 de Setembro de 2009 às 18h e constará 09 bandas dentre outras manifestações culturais como stand de artesanatos e livros de autores independentes..
As bandas presentes no evento serão:

Alienados do Subúrbio(Salvador)
Cama de Jornal(V. da Conquista)
Cidadão Dissidente(F. de Santana)
Orelha Seca(Salvador)
Pastel de Miolos(L. de Freitas)
Pés de Frieira(Salvador)
Última Quimera(Salvador)
Último Grito(S. Filho)

O evento também contará com a presença da banda Cólera de S. Paulo, que está em tunê comemorando 30 anos de carreira. Segue aqui um resumo do release da banda:

A banda Cólera é um dos primeiros grupos de punk rock brasileiros, formada em 1979 a banda completa seus 30 anos de estrada. A banda tem em seu histórico diversars tunês dentro e fora do país, com um reconhecimento inegável de seu trabalho já chega a mais de 10 álbuns (CD's), 2 EP's, participação em 10 coletâneas e um split com o Ratos de Porão. Desta forma percebemos a importância da banda para a música independente no Brasil, assim como sua grande capacidade de arrastar o público e uma energia no palco inconfundível.

Site: www.colera.org

Franchico disse...

A rediviva Automata divulga música nova no MySpace, Finda Firmamento:

www.myspace.com/automata1

teclas pretas disse...

chicão, vi "district 9". gostei! espero que role o 2.
GLAUBER

Franchico disse...

Glauber, esse eu tô doido pra ver no cinema!

On The Rocks disse...

tô instigado. vou correr atrás.

abs

Franchico disse...

Não é nenhum segredo que meus cornos não batem muito com os do tuíter. Mas só há poucos dias atrás uma verdade óbvia me atingiu que nem uma tijolada na testa: o BlipFm, que fiz há algum tempo, não passa de um tuíter - com música, mas a mecânica é a mesma! Armadilhas da internet... É cada vez mais difícil ser da resistência ranheta hj em dia. Hunf.

teclas pretas disse...

experimentei o twiter e não gostei. saí. usava pra colocar links pra coisas legais, mas com 1 mês ali, não suportava mais. as pessoas usam a ferramenta muito mal. e o twiter ainda é pesado, inexplicavelmente.
outra coisa: por que o myspace é tão feio?? o do teclas pretas, até dei uma ajeitada, mas...
GLAUBER

teclas pretas disse...

alguém me falou que viu um programa da mtv indicar o primeiro disco do king crimson. fiquei até surpreso...ói que coisa mais linda essa música, bicho:

http://www.youtube.com/watch?v=fpr0qoDI-cI

GLAUBER

Franchico disse...

Já viram o clipe novo dos Lips? Tem uma garota de biquíni fazendo mímica. Não digo mais nada!

http://caderno2mais.atarde.com.br/

teclas pretas disse...

moçada,
beatles remasters stereo [FLAC]:

http://beatoasis.blogspot.com/2009/09/beatles-stereo-box-set-remastered-flac.html

mas bom mesmo é ter o CD original, pelos encartes.
GLAUBER

teclas pretas disse...

chicão,
houve atraso, mas finalmente, EP novo do TECLAS PRETAS, "nó dos mais gravatas". espero que a moçada goste tanto quanto eu e solovera [o teclas é um duo, agora] gostamos de fazê-lo:

http://www.4shared.com/file/135356230/5c9fb9b8/teclas_pretas_n_dos_mais_gravatas_09.html

GLAUBER
http://www.myspace.com/teclaspretas

Anônimo disse...

pô moscabilly se ligue veínho.
parece q só vive fazendo comennt. dá um tempo

teclas pretas disse...

ok. ta anotado, paspalho.
GLAUBER