segunda-feira, agosto 20, 2007

ROCK BAIANO NA VEIA - E NO VÍDEO TAMBÉM

Estrada Perdida lança registro histórico e vigoroso do underground baiano com o DVD Estilo CDR, gravado ao vivo na Zauber e lançado na raça

O proscrito rock 'n' roll baiano, de vez em quando, aparece com umas novidades bem interessantes. Uma das últimas é a banda Estrada Perdida, que recentemente lançou, de forma independente, um DVD intitulado Estilo CDR, gravado ao vivo na Zauber. Acompanhando o DVD ainda vem um CD com mais oito faixas de estúdio, apresentando outro repertório.

De cara, o grupo lançou um registro do underground local que já nasce histórico - tanto pelo ineditismo de ser o primeiro DVD independente do rock baiano, quanto pela visceralidade que transborda de suas imagens, e principalmente, do seu som. Formado por Cebola Elétrica nos vocais, Tico Ceará na guitarra, Nuno Ricardo (ou Chuck Norris) no baixo e Fernando Fernandes na bateria, a Estrada Perdida pratica um rock vigoroso, enfurecido, veloz e primitivo, ainda que lírico e até mesmo poético nas letras.

Com sua voz grave e cavernosa, muito semelhante à de Iggy Pop, Cebola é quem concentra as atenções no show, assumindo uma persona quase messiânica, algo entre o hedonismo rastejante do líder dos Stooges e a pajelança alucinada de um Nick Cave. Não a toa, o próprio vocalista assume que os dois (Pop e Cave) são suas principais influências.

Já os riffs da guitarra de Tico, longe do minimalismo punk o qual muitos erroneamente atribuem à banda, evocam o mais faiscante hard rock setentista, à beira do heavy metal canônico de um Judas Priest ou mesmo do estilo serra-elétrica do Motorhead, fato confirmado pelo band leader: "O pessoal diz que somos punks, mas nosso lance é misturar a batida primitiva do rock com riffs de hard rock anos '70, como Motorhead", confirma.

Surgida em 2004, das cinzas da antiga banda de Cebola, Penetration, a EP ainda é pouco conhecida mesmo dentro do restrito mundinho do rock baiano - o que é uma pena. "A Estrada toca no máximo, 3 ou 4 vezes por ano. Não fazemos exatamente parte do chamado 'núcleo do Rio Vermelho', pois nunca somos convidados pelas outras bandas para tocar. Só tocamos quando nós mesmos produzimos o show - o que dá uma trabalheira danada", desabafa o cantor.

Gravado com três câmeras na base do improviso e da brodagem, o DVD em si apresenta uma boa qualidade técnica - dentro das limitações óbvias que uma produção de rock independente baiana enfrenta, claro. "Mais de 60% desse DVD foi feito na camaradagem. O iluminador mesmo, só chegou no dia e quase entrou em pânico. Foi tudo no risco, e por isso mesmo, muito prazeroso", conta Cebola.

Realmente, Cebola deve agradecer pelos amigos que tem. Numa das câmeras, contou com ninguém menos que Marcondes Dourado, o premiado videomaker. Os outros foram Andrigo de Lázaro (apontado pelo vocalista como o idealizador do vídeo), Márcio Zore e Gustavo Calazans. O som foi gravado separadamente por Salomão Hage e mixado posteriormente por Jorge Solovera. "A edição do vídeo e a mixagem do som foram feitos separadamente. Depois pegamos os dois e sincamos", explica.

Tudo dentro do espírito da banda e da sua produtora, a Cão Errante Produções, que em breve lançará o CD do rapper Preto Seda e um livro de prosa filosófica do escritor Humberto Sansa - além de um novo CD / DVD da Estrada em 2008.

Articulado e bem falante, Cebola demonstra ter muito mais a oferecer do que o estereótipo de rockeiro doidão que ignorantes costumam colar nos músicos do estilo. "O recado da Estrada Perdida é que a gente não aborda os problemas urbanos por exigência de direitos, tipo música de protesto. Falamos da selva urbana, do fracasso e da solidão. Fazemos da dor um estilo, e o júbilo é exatamente conseguir viver com a ferida. Não fazer dela uma música triste, e sim, errante, hedonista. É uma tentativa de manter o espírito livre de ideologias, moral, inclusão social. Por mais incluído que esteja, o espírito da Estrada sempre será marginal, outsider", define Cebola.

http://www.myspace.com/estradaperdida

"No mar de outdoors só se salva / Quem tem um seguro contra a liberdade da alma / No mar de outdoors só não naufraga / Tudo que é servil, feio, banal, escroto"
Trecho de O frio, faixa do CD Estilo CDR

Matéria publicada no Caderno 2 do jornal A Tarde do dia 20 de agosto de 2007.

10 comentários:

Franchico disse...

Fotos de Daniela Leal e Gustavo Calazans.

Franchico disse...

O jornal Estadão, seus podcasts, blogs, ou o que quer que sejam estão definitivamente banidos deste humilde blog.

http://www.interney.net/blogs/inagaki/2007/08/10/estadao_contra_os_blogs/

O conservadorismo quatrocentão paulista mostra sua cara feia.

miwky disse...

Ligue não, man!

Eles acabam cavando a própria sepultura e ainda não satisfeitos: jogam merda em cima do cadáver.

Parabéns a vc, que tb dentro de um veículo conservador, coloca o rock soteropolitano nas paradas.

Orgulho aqui, com licença.

Franchico disse...

Vc é corrente, Miwky! Beijo!

cebola disse...

A melhor coisa da rolling stone nova: A notícia de que terá estréia NACIONAL nos cinemas, o documentário SHINE A LIGHT, de Mr. Scorcese, sobre os Rolling Stones, provavelmente pondo os pingos nos buracos certos daqueles que acham que a banda já foi e que o que importa são os novos quem??? Já foram??? cadê?????

cebola disse...

ah!! A Estrada Perdida Ruuuules!! e merece cada linha deste seu texto massa, chiquitita!!!

cebola disse...

AHH!! pt. 2 - lá no www.oculosdecebola.blogspot.com tem novidades sobre nosso (Berlinda) show de sexta night, visitem.
e AAAAHHH! pt -3 - essa estréia nacional de que falei aí em cima é dia 21 de setembro, guardem esta data que marquem comigo que eu vou assistir umas 297 vezes, beleza??

Franchico disse...

Que mané Shine a light o quê, Cebola! O que vai ligar nos cinemas dia 21 de setembro é a estréia de Resident Evil 3: Extinction, com Mila Jovovich de shortinho detonando milhares de zumbis muertos vivos!

http://www.sony.com/ResidentEvil

Peraí, Cebola, eu só tô brincando... O que vc vai fazer com esse saca-rolha? Como assim, cara? Vc é muito engraçado. Cebolaaaa! Peraí! Rolling Stones, Scorsese, amigo, amigo...

sora disse...

Bom ver uma banda de rock e sua galera, bem perfilada no jornalzão.Bjs e Keep moving.



Ps.:mete a mão Cebola

Franchico disse...

Até vc, Soritcha?!?!?