segunda-feira, julho 04, 2005

LIVE 8 > SABADÃO ROCK NA TV

Anotações aleatórias tomadas ao longo do dia.

11:07 > Elton John quebra tudo. Depois de debulhar The bitch is back, põe a casa abaixo com Saturday night is alright for fighting, ambos clássicos rocks em uma carreira marcada pelo estilo baladeiro mela cueca - com grandes resultados, diga-se, até o início da década de 80. Daí em diante foi ladeira abaixo, como é largamente sabido.

11:12 > Surprise, surprise, Pete Doherty,o garoto problema do rock inglês sobe ao palco para cantar com titia Elton Children of the revolution, clássico do T.Rex. Bacana. O rapaz parece um pouco perdido, mas valeu.

11:59 > Meu saco está prestes a estourar. Zucchero, um coroa brau que diz que é astro do rock italiano, por outro lado, parece bem compenetrado enquanto canta uma balada mela cueca fazendo cara de galã de padaria.

12:20 > Depois de uma apresentação bastante correta, o Green Day assassina We are the champions do Queen em Berlin.

17:06 > Celine Dion e seu show aplaudidíssimo por público e crítica - de Las Vegas - animam selvagemente a platéia - conterrânea - canadense. Basicamente, o povo se limita a bater palmas como se tivesse aplicado uma injeção de THC no crânio, tamanha a animação. E pensar que um pouquinho antes teve Joss Stone - de vestidinho salmão - levantando a platéia - e o meu pênis também. Tô brincando, a patroa tava assistindo comigo. (Meu senso de humor, aliás, anda cada dia mais grosso - e o meu p... Esqueça, esqueça).

17:12 > Pet Shop Boys em Moscou. Eu não gosto nem de bicha nova, quanto mais de véia.

17:18 > Scissor Sisters. Bacana, eu gosto, e povo parece gostar bastante também, principalmente com o hit Take your mama, uma das músicas mais alto astral dos últimos anos, fácil. Aliás, no show do Scissor Sisters sobra animação, tanto quanto sobram pelanquinhas na carismática backing vocal gordinha. Legal, gente de verdade no show biz, com pele sobrando dos lados. Gente que faz cocô e sua debaixo do braço.

17:20 > Linkin Park & Jay-Z. Nããão, obrigado.

17:47 > Velvet Revolver em Londres. Em boa forma, Slash & cia, todos macacos velhos, fazem um hard rock com um certo padrão de qualidade, pena eu não ter mais 17 anos. O vocalista Scott Weiland, uma espécie de Ney Matogrosso dos gringos, dada a forma desabrida com que rebola no palco, contudo, não parece muito bem hoje. Magro demais, devem ser a maconha que ele cheira e a cocaína que ele fuma. No final, Weiland pega um megafone e faz soar uma sirene de polícia no microfone. Boa merda, aquele rapaz do Psirico já faz isso por aqui faz tempo.

18:02 > Bryan Ferry e o Roxy Music botam para ver tálba lascar com sua famosa e maravilhosa versão para Jealous Guy, de John Lennon. Lindo.

18:08 > Sting ataca de Message in a bottle. Porra, eu gosto de Police e a porra, mas I Ching já foi, né.

A partir daqui eu dei uma saída. Quando voltei, ainda vi The Who, que achei meio mais ou menos, o Pink Floyd reunido, que foi muito bacana (Roger Waters parecia realmente emocionado por estar ali, enquanto David Gilmour parecia cansado e sem voz), Stevie Wonder, que também foi bala e Paul McCartney, que foi lindo e apresentou um baterista que roubou o show com seu visual à João Gordo e uma mão pesada pra caralho, que fez a diferença em Helter Skelter, alucinante.

Outras apresentações que vi durante a tarde e merecem menção foram o Muse, que detonou bonito o hit Hysteria, ainda que a guitarra do doidão parecesse meio baixa, o Snow Patrol, que eu não conhecia e achei... legal e o The Killers, que não tocou Somebody told me nem nenhuma das outras músicas que eu gosto, mas foi bom, mesmo assim. Teve também Bjork, que fez o seu showzinho ridículo de sempre. De dar sono.

Hummm, que mais...

Na Filadélfia parecia que só tinham chamado artistas de hip hop, então deve ter sido o pior palco, de longe. Teve uma hora que Snoop Dogg tava com umas 15 vadias de minissaia rebolando no palco. Se tirasse o som hip hop e colocasse um pagode ou um forró vagabundo desses, dava na mesma. Hip hop hoje é a axé music dos gringos. Triste.

Eu vi Léo Madeira e Penélope anunciarem que ia ter Neil Young, mas deve ter sido em algum horário que eu num tava assistindo. Damn.

E foi.

24 comentários:

osvaldo disse...

Chico < Zucchero é velha guarda do pop italiano, meio como o Joe Cocker deles, que tem boas bandas de hard rock como Litfiba, e velhos baladeiros como Vasco Rossi. o pop italiano é meio meloso, em compensação são excelentes tecnicamente, e são craques em eletronica, principalmente a cena de Florença, e cena de cena tem muita banda gótica.voltando ao live 8 foi um destes eventos que daqui a 10 anos vai se estar comentando.hipocrita (certamente) ou apenas idealista por alguns momentos(culpa cristã?) o establisment do rock deu uma chamada no g-8.Bush já mandou reforçar a segurança.

marciorocks disse...

Na Itália tinha tb uma banda de Rock Progressivo muito boa, "Premiata Forneria Marconi", nos anos 70 até num sei quando, mas de resto, é tudo muito chato mesmo.

marciorocks disse...

Chicaço, cada vez mais vc dá sinais de uma PVC muito forte... Às vezes parece um ranzinza, tipo: "Ah, meus 18 anos não voltam mais", "ah, não tenho mais 17 anos"... PORRA, FODA-SE!!! Tá tudo em sua cabeça de BAGRE, seu merda. Não é querer fugir da realidade de que o tempo passa não, mas só é velho quem quer, caceta!
Ademais, quase chorei com a apresentação do WHO(Mire-se no exemplo daqueles caras e CUIDADO, pois Rust Never Sleeps, afinal de contas)

Franchico disse...

obrigado pelo incentivo, Márcio.

Eloisa disse...

ois franchico!!! na boa? brigada pela visita ao Parababélico, vou dar um pulo no rock loco sempre que der. adorei a idéia do "sábado na TV". de itália, ouvi falar muito bem de um certo franco battiato, mas nunca ouvi... dizem que é gênio, vai saber.

de resto, tu diz que não curte bixa véia nem nova, depois de rasgar a seda pro elton john e dizer que o scissor sisters é bacana... meio gratuito isso, né, mano? em pleno séc. 21? ara... abraço. elô

Franchico disse...

ô Eloísa, num me leve a sério, não, que é sarro puro. afinal, o que seria do rock sem suas bichas véias, de Little Richard a Bowie, Lou Reed e Morrissey?? sabe como é, eu tenho que manter minha fama de mal(a). e quem tem o seu dá a quem quer e ninguém tem nada com isso, perfeito?... no mais, apareça sempre que eu tb vou tá olho lá no Parabélico de agora em diante. aquele abç.

Franchico disse...

errei o nome. ô anta. é Parababélico. desculpe, não vai acontecer mais.

Anônimo disse...

chico, acaba com essa história que hard rock só serve pra os 17 anos...que coisa mais determinista...pelo amor de deus!a coisa começa antes até e pode seguir pela vida...com outros olhos e outra fruição
Cláudio

Anônimo disse...

márcio, premiatta era muito bom...ouvi muito com o filho de madrasta que tinha uns três discos deles...progressivo dos bons!
Cláudio

Franchico disse...

meu senso de humor realmente anda uma bosta, por que ninguém entende minhas piadas. Claudão, mais ou menos o que eu disse pra Eloísa: nã me leve a sério, que é pura tiração de sarro. quer dize, nesse caso, mais ou menos. uma banda como Velvet Revolver, para ficar no exemplo, é uma coisa qdo vc ouve aos 16 e outra totalmente diferente aos 33. mas enfim...

Anônimo disse...

tem razão...caiu a ficha...devo estar sequelado
Cláudio

Franchico disse...

estamos todos, irmãozinho, estamos todos...

Anônimo disse...

Claudio e Márcio,

podem enxugar as lágrimas porque acabaram de perder a apresentação do tal Premiata que tocou em São Paulo, a nova esquina do Rio Vermelho, essa semana. Procura no Globo.

Abçs,

sora

Lá, pesquei o endereço de dois sites para quem não esquece o progressivo. Rocksyhphony.com.br e rockprogressivo.com.br, no ar desde 1996 - tem até associação - tenha medo.

marciorocks disse...

Porra, Sora, só pra sacanear né?Pesquisei e soube que os caras realmente nunca terminaram a banda, tanto que a prova está aí... ou ali, em Sum Paulo. Na verdade, nem fã deles eu sou. Acho que os conheci justamente através de Cráudio, qd ele retornou a SSA, não lembro bem qual disco, mas lembro que gostei.

marciorocks disse...

E Chico, vc tá sempre se preocupando em explicar certos coments seus, que "é tiração de sarro", "brincadeira", "não é pra se levar a sério", mas já percebeu o quanto isso é constante?
E "incentivo" é o caralho, eu disse exatamente o que penso, não foi pra bancar o Bom Samaritano não, nem Madre Teresa de Calcutá, que eu não sou escritor de livro de auto-ajuda. O problema não é o tempo que passa e sim COMO ele passa, seu bocó! Lembre-se do amigo Borel, o resto é fácil, já disse isso antes pra você.
AH, FUCK-SE!

Franchico disse...

Bom dia pra vc tb, Márcio.

Nei Bahia disse...

Premiatta Forneria Marconi, isso é muito bom, como FORMULA 3, CIRCO DI COURE e outros menos votados do progressivo Italiano.
No Brasil a cena é forte, respeitada no mundo todo, ponto de ter um festival anual no Rio de janeiro, onde bandas europeias são trazidas, tocando inclusive em cidades do interior fluminense.Mais é uma coisa que a gente acha até meio estranho, sabe por que ? Por que ficamos presos a contemporaneadade!

Franchico disse...

de rock italiano eu só conheco o W.O.M.P., mesmo.

marciorocks disse...

Cês querem parar de colocar dois "t" no Premiata? É um só porra!

Anônimo disse...

obrigada sora, minha musa, olha só nei...lá no rio convivi, por conta do filho de minha madastra (ô nome), com amantes do progressivo....uma galera pra lá de bem informada nem um pouco alienada e bastante fiel e crítica sobre o próprio gênero...conheci bandas boas da alemanha, itália, japão, chile, eua, inglaterra, brasil e o caralho...
não tenho medo de dizer que gosto sim do bom progressivo e foda-se quem fica só naquele papo de que eles negam a essência original do rock e são pretensiosos (tem coisa boa no gênero, É SÓ SABER ONDE MORAM AS COBRAS)
Cláudio

Anônimo disse...

ah, e a meca dos malucos do prog é em petrópolis, sabia?!
Cláudio

Luís disse...

vixe, que é que isso?! tô até vendo de novo rick wakeman em wembley 1975 vestido com aquela patética capa prateada pra tocar o empolado "mitos e lendas do rei artur". orquestra de 45 músicos e 48 vozes no coro. sai pra lá, ou melhor, vai pra petrópolis! richard hell neles!

marciorocks disse...

Adoro Richard Hell, adoro Dead Kennedys, Ramones, Patti Smith, Television e os cambáu... Mas adoro Yes, King Crimson, Genesis e os cambáu tb... e na mesma proporção!

BEKKO disse...

Porra de cultuar só o obscuro!
Velvet Revolver foi FODA!