quarta-feira, julho 01, 2015

TRIO PÓS-PUNK JARDIM DO SILÊNCIO ADERE AO MOVIMENTO SALVE O JANDAIA COM CLIPE. E O FESTIVAL RADIOCA ANUNCIA ATRAÇÕES

O trio nas ruínas (palco?) do Cine-Teatro Jandaia. Foto: Renata Marzola
Pequena, mas resistente e organizada, os góticos (apesar de não curtirem o termo) formam uma sub-cena consistente dentro do rock baiano, com bandas de espectro variado indo do industrial (Desrroche, Modus Operandi) ao pós-punk mais ortodoxo, linha Depeche Mode, The Cure etc.

 Nessa linha, encaixa-se o trio local Jardim do Silêncio, que acaba de lançar um EP bem legal com três faixas: Carmim, Aurora e O Sétimo Dia.

A primeira, inclusive, ganhou um belo clipe gravado no interior do  Cine Teatro Jandaia, monumento arquitetônico baiano reduzido a ruínas pela nossa eterna falta de memória (e vergonha na cara).

“Estamos na ativa desde 2007 e agora preparamos nosso segundo álbum, que vai se chamar Aurora / Depassé”, conta o baixista, Ranniere.

Formado em  2006,  trio mostra no EP Carmim uma boa mão para compor canções de clima soturno: “Esse EP é uma prévia com download gratuito. Com o clipe do Jandaia nós aderimos ao movimento Salve o Jandaia, que pretende, junto ao Ministério Público, fazer com que ele seja tombado”, afirma.

Ele conta que o clipe foi feito com recursos mínimos e que, mesmo arruinado, o Jandaia impressiona: “Eu mesmo fiz o roteiro e minha namorada filmou com uma câmera só”.

“Foi bem underground, mas ficou mais legal do que esperávamos. O teatro é muito bonito e tá daquele jeito. A acústica é surreal. Basta falar que você sente o retorno do som. Um negócio de outro mundo”, garante Ranniere.

Pelos palcos do Brasil

Mesmo fazendo parte de uma cena que está no underground do underground, o trio, que é claro, não depende de música para viver, já rodou pelo Brasil, tocando em festivais e redutos como Alquimia e Treffen (ambos em São Paulo), Woodgothic (São Tomé das Letras - MG), Subterrâneo (Campina Grande - PB), Future Gothic Nights (Recife) e Darktronic Live (Bahia).

“Fazemos aquilo que gostamos de verdade. Não nos preocupamos com reconhecimento ou retorno financeiro. Isso  é o que gente gosta e escuta”, afirma o baixista.

No momento, o trio conclui as gravações do novo álbum e busca local para fazer um show de lançamento.

“Estamos tentando marcar uma data, mas todo mundo diz que tá com a pauta fechada até novembro. Em todo caso, estamos abertos a convites”, conclui.

Download do EP: http://migre.me/pQvC1

www.facebook.com/jardimdosilencio7



NUETAS

Festival Radioca anuncia grade de atrações

Patrocinado pela Natura Musical, o Festival Radioca divulgou sua grade de atrações. Dia 1º de agosto tem Cidadão Instigado (CE), Apanhador Só (RS), Ifá Afrobeat e Pirombeira. Dia 2 tem Siba (PE), Anelis Assumpção (SP), Mulheres Que Dizem Sim (RJ) e OQuadro. Uma programação consistente, variada e  sintonizada com as tendências mais atuais da música brasileira. Tocado pelo trio Luciano Matos, Ronei Jorge e Robertinho Barreto (Baiana System), o festival surge do programa homônimo apresentado pelos três na Educadora FM. Os shows serão no Trapiche Barnabé (Comércio). O preço dos ingressos ainda não foi divulgado.

Paquito no Gamboa

Sexta-feira e sábado tem Paquito no Teatro Gamboa Nova, no show Por Enquanto. No repertório, composições próprias e parcerias com Gerônimo, Ronei Jorge, Arto Lindsay. 20 horas, R$ 20.

11 comentários:

Franchico disse...

A propósito, amanhã, 2 de julho, o periódico da Tankred Snows Avenue trará encartada uma reedição da HQ que eu escrevi, o artista Gentil desenhou e o próprio periódico publicou em 2013.

Quem não leu ou adquiriu na época, caso se interesse, pode faze-lo agora.

Trata-se de uma HQ histórica sobre as batalhas da independência da Bahia, contadas através das cartas que um personagem fictício, sitiado pelos portugueses em Salvador e depois em Cachoeira, escreve a um primo distante.

Até tínhamos preparado um material extra para diferir uma edição da outra, com mini biografias ilustradas de personagens como o Lorde Cochrane, Maria Quitéria, Madre Joana Angélica e Maria Felipa, mas por motivos técnicos, esse material não foi incluído.

Em todo caso, a HQ sai novamente encartada no jornal de amanhã, 2 de julho.

Fica a djica.

Franchico disse...

Gênio:

http://foradobeico.tumblr.com/post/122764126453/encontrada-classe-media-tradicional-brasileira-que

Franchico disse...

Por que sabe como é, é crime não conhecer todos os cantorezinhos de axé sertanejo que surgem a cada dia.

Cuidado com o que diz, senão o Delegado Hermano te enche de catiripapo no pau de arara, seu infiel!

Ernesto Ribeiro disse...

.

Eu li sua HQ na época (digo, no A Tarde) e devo tê-la guardado em meu acervo, Mestre Francis. Masterpiece.


Desde criança, conheci vários pretensos quadrinistas profissionais ex-colegas de escola. Mas, vejam só, a MELHOR graphic novel soteropolitana é um trabalho didático de um jornalista musical.


O coelho só sai da moita onde ninguém está olhando.


Parabéns. Vou guardar a reedição de amanhã e recomendar a todos os meus contatos para que comprem esta edição histórica do maior jornal do Nordeste.

Ernesto Ribeiro disse...

.

Esse Marcelo Marchi merece um troféu de Melhor Articulista Comediante do Mundo. Gênio mesmo.

Recomendo a todos:

Melhor Site de Humor Brasileiro :


Fora do Beiço


http://foradobeico.tumblr.com


Verdadeiro Humorismo Verdade / Jornalismo Mentira como só as melhores piadas do Casseta & Planeta nos anos 90 conseguiam ser...

Ernesto Ribeiro disse...

.

rararara


Quem for fã do Camisa de Vênus, levante a... cabecinha:


http://foradobeico.tumblr.com/post/118738830813/so-a-cabecinha-com-apenas-dois-membros-originais

Franchico disse...

Olha que interessante, um macaco treinado em digitação!

https://br.noticias.yahoo.com/blogs/claudio-tognolli/dilma-cai-no-conto-de-obama-e-vai-congelar-nosso-163037647.html

E o macaquinho conhece até Neil Young, citado no final do texto.

Nossa, que macaquinho mais culto. Gracinha, fofo!

Franchico disse...

Digita macaquinho, digita macaquinho!

Êêêêêê! Vai, joga pipoca nele!

Bang!

Franchico disse...

Dica de Mister Nei Bahia:

SEGUE RELEASE:

Boa notícia para quem não pode colaborar!

Ver imagem
Mais uma ótima notícia!

O Kickante investiu em atualização e melhorias na segurança do site e acabou gerando uns "apagões" nas campanhas, o que acabou gerando mais 15 dias do nosso financiamento coletivo.

Esqueceu? Deixou pra cima da hora e estava sem grana? Rolou mais uma oportunidade!

Sua colaboração pode ser via boleto, cartão (em até 6 vezes) e paypal, e a contribuição começa em R$ 20,00. Aguardamos o seu kick.

E fique tranquilo: os kits e a campanha estão garantidos:

http://www.kickante.com.br/campanhas/euthanasia-primeiro-disco-da-mercy-...

Para quem colaborou segue o link (abaixo) para baixar o álbum digital. Ainda assim teremos mais novidades, aguardem!

https://mega.co.nz/#!7BMmhSQJ!EL-RdSjEFA4RpiUWPUPcuc21_8t-WAAtWoMEk_LZEy8

Faça parte! Contribua com nossa campanha hoje mesmo.

Se já fez sua contribuição, que tal nos ajudar hoje na divulgação no Facebook e Twitter? Vamos fazer barulho juntos!

Comente e veja a campanha aqui

Vamos kickar!
Leonardo Barzi

Ernesto Ribeiro disse...

.

Caro mestre Chico Castro Jr,


Acabo de reler a sua obra-prima dos quadrinhos, a graphic novel 2 de Julho — a Independência do Brasil na Bahia. Estou admirado com a eloquência poética do seu texto, casado perfeitamente com a arte espetacular das ilustrações de Gentil — no qual eu notei a forte influência do estilo de Alex Ross, principalmente no uso da luz e nos enquadramentos cinematográficos grandiosos.


Mas a força de suas palavras imortais é algo inédito na Oitava Arte brasileira. Guardarei para sempre na memória esta passagem, sem dúvida a mais poderosa do enredo, ilustrada pela imagem do soldado visto de costas diante da paisagem fumegante, enquadrando a mão empunhando uma corneta de guerra, digna dos melhores filmes e romances épicos, numa cena de reflexão após o triunfo:


“Nunca antes soube de uma virada de mesa tão espetacular em pleno campo de batalha. Graças ao Lopes, o corneteiro atrapalhado. Ou será que ele tocou a chamada errada de propósito? Talvez jamais o saibamos.”


Sim: esse enigma envolto em mistério torna a História de nossa Libertação uma narrativa fascinante. Graças ao talento narrativo do escritor Chico Castro Jr, que levantou essa dúvida, lançando um novo olhar a um personagem antes subestimado, e tornando um simples corneteiro em um vulto heróico que mudou os rumos da luta e com isso moveu em outra direção as próprias engrenagens do processo histórico.


Parabéns, mestre! Você é um herói das Letras.


Nós, leitores do ATarde, imortalizamos a sua lenda.
Tenho orgulho de assinar esse bravo jornal.

Stefano disse...

você já ouviu Plastique Noir ?