sexta-feira, maio 18, 2012

AMERICAN HARDCORE DISSECA PRIMEIRO CICLO DO HC IANQUE

Vitória de Ronald Reagan em 1980 foi o estopim para reação brutal em forma de som & fúria produzidos por jovens revoltados
É interessante notar como certos movimentos culturais  parecem intrinsecamente ligados ao momento histórico e ao contexto sócio-político-econômico em que ocorrem.

O documentário American Hardcore - A História do Punk Rock Americano 1980-1986 (EUA, 2006), que acaba de ser lançado em DVD, deixa bem claro como o ciclo punk ianque inicial foi uma reação ao primeiro mandato do Ronald Reagan (1911-2004), presidente Republicano branco, conservador, intervencionista.

Não a toa, as primeiras imagens do filme dirigido por Paul Rachman - uma espécie de Botinada dos gringos - são justamente as de Ronnie jurando solenemente sobre a Bíblia, durante sua posse em 1980.

“No início dos anos 80 havia essa tendência de restabelecimento da ordem. Sabe como é, Ronald Reagan, a ordem do homem branco”, conta Vic Bondi, da banda Articles of Faith, entrevistado no filme.

“Por que antes tinha aquele cara, Jimmy Carter (presidente Democrata 1976-80, considerado fraco), falando de paz, direitos humanos e toda aquela ‘merda’. E havia as feministas, os negros, todos passando ‘por cima de nós’. E aí o país entrou nessa fantasia pueril anos 1950, enquanto nós éramos somente mentiras”, relata.

Dizer tudo em 32 segundos

Com dezenas de entrevistados, o documentário mapeia (literalmente), de modo bastante eficiente, um movimento que, hoje, é difícil de entender como se espalhou Estados Unidos adentro numa época em que ainda não existiam as facilidades da Internet e as rádios não tocavam nenhuma daquelas bandas.

Também, pudera: as pedradas produzidas por bandas como Black Flag, Bad Brains, Minor Threat, SS Decontrol e Millions of Dead Cops, entre outras, ainda hoje soam extremamente agressivas e pesadas.

A primeira geração do punk inglês, como Sex Pistols e The Clash são como canções de ninar perto delas. E a ideia era justamente essa: despir a música de qualquer “gordura” e deixar apenas o centro, o “caroço duro” (hardcore, em inglês).

“Vou dizer exatamente o que está na minha cabeça, e vou fazer isso em 32 segundos”, definiu, de forma definitiva, Ian MacKaye, do Minor Threat.

Com linguagem ágil, American Hardcore recupera dezenas de imagens de arquivos de shows das bandas e explora os diversos aspectos do movimento: as personalidades (HR, do Bad Brains, Henry Rollins, do Black Flag), as garotas, as tretas, as turnês, as diferenças entre as facções e muito mais.

E tudo fluiu, até chegar 1984. “Quando Reagan ganhou da primeira vez, a gente quase não acreditou. Como isso pôde acontecer? Mas da segunda vez que ele ganhou, foi devastador pra mim”, relata Dave Dictor, do Millions of Dead Cops.

“Aqueles primeiros quatro anos de punk rock, de 1980 até 84, era tudo esperança. Depois daquilo ficamos cínicos, o punk rock se fragmentou em muitas cenas diferentes”, conclui.

American Hardcore - A História do Punk Rock Americano 1980 - 1986 / Ideal Shop / R$ 29,50 / Vendas: www.idealrecords.com.br








32 comentários:

Franchico disse...

Rapaz, que povo mala esses meninos Van Halen, vai tomar no cu!

http://omelete.uol.com.br/musica/van-halen-grupo-cancela-shows-sem-explicacao/

Os caras "se odeiam"! Então pra que faz banda junto, pelamor? Rock é amor, amiguinhos!

Franchico disse...

Poucas coisas nesse mundo eu ODEIO mais do que milico torturador restolho de ditadura patética - se essa gente tivesse um mínimo de dignidade, deveriam atear fogo em si mesmos em praça pública pelo mal inominável que fizeram e - ainda fazem - com este país. Se hoje estamos na MERDA, se o sucateamento da educação publica fez esse país retroceder em uns 200 anos, não tenha dúvidas: a culpa é dessa raça de filha da puta.

Por isso fico feliz pra caralho quando vejo algo assim:

http://noticias.r7.com/blogs/andre-forastieri/2012/05/17/a-comissao-da-verdade-e-o-monstro-que-mora-aqui-perto-de-casa/

Conhece algum torturador? Um filho da puta velho desses que acha que pode dormir em paz depois de ter cometido atrocidades em nome da própria doença mental travestida de bem da nação? DENUNCIE, esculache, HUMILHE PUBLICAMENTE. Essa gentalha merece isso e muito, mas muito mais mesmo!

osvaldo disse...

bastante interessante este documentario. note que os caras se referem ao punk nos estados unidos como uma coisa do inicio dos anos 80, coisa que na pratica foi. a repercussão dos ramones e da cena CBGBs foi extremamente restrita na epoca, muito restrita mesmo, e a formatação do que veio a se chamar punk rock se deu na inglatera, como ja se falou "n" vezes" por aqui. por isso é preciso contextualizar, nesses tempos de internet neguinho fica pensando que as informações circulavam de forma instantanea, coisa que não acontecia, a começar nos proprios estados unidos.

Franchico disse...

Pois é, Bramis. No filme, um dos entrevistados fala justamente isso, que o punk de Londres e NY era coisa de artista, de "drogados niilistas" (definição que cito de memória). O punk HC só começou por volta de 1979 / 80, através de jovens de Washington DC e cidades como Baltimore, Boston, Los Angeles etc, que não tinham nada de "artistas" - e inclusive repudiavam as drogas, dando origem ao straight edge. O punk via Lou Reed, Ramones e no outro lado do Atlântico, via Sex Pistols, Clash era uma parada muito restrita aos limites de suas cidades - só começou a se espalhar depois, com os discos, os escândalos, os hits etc. Essa galera do HC não tinha hits - e os escândalos deles iam direto para as páginas policiais, graças as pancadarias generalizadas que os shows acabaram se tornando - o que contribuiu para os fundadores abandonarem o movimento, já em 1984, 85. Como todo movimento radical, o punk HC dos EUA tinha prazo pra acabar, via autocanibalismo (metafórico, claro).

Bramis, vamo se bater, que eu te passo uma cópia!

Franchico disse...

RIP Ernie Chan.

http://omelete.uol.com.br/quadrinhos/ernie-chan-morre-um-dos-grandes-desenhistas-de-conan/

Mais um grande artista filipino revelado nos anos 1970 que se vai, uma semana depois do incrível Tony de Zuñiga.

rodrigo sputter disse...

O HC não usava drogas?
e Jello Biafra?
até onde sei cheirava um pó do caralho...a rapaziada do circle jerks tem cara de que curtia tb uma marijuana, uma cerva...
e o cigarro?
eu conheço aristas de blues e rockabilly (pra nem chegar ao garage rock dos 60´s) que eram chamados de punk...
Agora uma estética de roupas e pensamento, veio depois da cena inglesa...+ ligada a "política" e endrumentárias...apesar que tem bandas como o crass (que conheço pouco) que chamavam a cena de punk inglesa, como clash e pistols, de posers...
Gostaria MUITO de ver esse doc...soube que em NY os skinheads foram os 1os a fazer a cena...bandas como iron cross...
e de todas essas bandas a que + gosto são os DK...pela musicalidade e sarcasmo...gênios...e ainda tocavam pacas...e nem tavam nem aí pro fato...e olha que os caras já eram "velhoS" na época, na faixa dos 30...e ouvi dizer que jello fazia um som meio fusion, mas quando ouviu os ramones pirou no som da guita e queria fazer isso...e fez do jeito dele!

Ps.: Porra, acho que as pessoas merecem um "perdão", mas quando "pagam" pelos seus crims...mas no caso desse torturador/estuprador/escondedor de cadávares é difícil viu...feladaputa...como é que dorme em paz?

rodrigo sputter disse...

xico...falando em canibalismo...tinha muitos lá que praticavam literalmente...não sei se isso é abordado no filme...mas é interessante falar, ativismo gay, hoje em dia no HC é uma das grandes bandeiras...e até onde sei jello, henry rollins eram gays, pelo menos o henry assumi há pouco, coisa que muita gente sabia ou desconfiava...
acharia interessante que o tema seja abordado no doc...ainda + com essa coisa de que rock pesado e sujo é coisa de machão...se bem que o cara pode ser gay e macho, mas enfim...vc entendeu...e pra não dizer da cena lesbica que eu não conheço nada...mas o HC "atualmente" tem batido nessa tecla...às vezes com pessoas chatas demais...quase facistas, mas acho super válido...não a parte chata, mas a parte dos direitos de liberdade sexual d@ indivíduo...

rodrigo sputter disse...

ah! note que na excelente foto que ilustra a matéria tem um garoto segurando uma garrafa de cerva...budweiser eu acho...

Franchico disse...

Não generaliza, Sputter (ou fui eu que generalizei no meu comment?)!

O straight edge surgiu ali, com o Minor Threat e talvez uma ou outra banda seguidora. O rastas do Bad Brains, por exemplo, com certeza fumavam unzinho (ou unzões), até por que faz parte da religião deles.

O que eu queria dizer é que a atitude dos caras do HC era tão contrária a tudo, que eles (ou pelo menos, uma facção deles) não queriam nem saber de drogas, por que remetia à "decadência" do classic rock, que eles odiavam.

Alguns entrevistados falam isso no filme. Os garotos que eram "pegos" fumando maconha no show eram postos pra fora - imagine!

Curiosamente, o DK é citado de passagem no filme - talvez seu maior defeito. Possivelmente, por que o DK (e Jello) merecem um doc inteiro pra falar só deles....

Quando rolar uma oportunidade, te passo uma cópia tb - se vc não baixar ou arrumar por aí antes...

Franchico disse...

Ah! "endrumentárias" não, né veio?!? Não me decepcione! Me diga que isso foi erro de digitação, diga?

Franchico disse...

Ah, sim! O homocore é abordado sim - não muito, mas a galera fala abertamente. Dave Dictor (MDC) diz que fazia "shows homocore". E tem um outro cara que conta uma história ótima, que quando machões brancos bundões republicanos (tipo jogadores de futebol americano) começaram a frequentar os shows, o vocalista de uma dessas bandas começou a esculachar. Dizia que gostava de dar a bunda, que tinha metido no cu de um careca em pleno palco e tal. Os machões ficavam "hã?". Sensacional!

Franchico disse...

Nada a ver com o papo aqui, mas uma das coisas mais engraçadas que eu vi nos últimos dias foi comercial de TV daquele iogurte que bota as mulher pra cagar. Aí aquela atriz lá faz um "desafio" pra uma consumidora, dando uma bandeja do tal iogurte e uma câmera pra mulher! UMA CÂMERA! Pra filmar o que? O tamanho do tolete? Caralho!! Aonde é que esse povo publicitário tem a cabeça? "Olha o tamanho do cocozão que eu fiz hoje, Dira! Vc tinha razão, esse iogurte é bom mesmo! Nunca caguei tanto! Olha que toletão lindo!" Aaaaahhhh!!!!!

andremendesmusica disse...

perfeito o que vc falou sobre militares desgraçados de 64 e o atraso da educação do país.muita gente não faz esse link.e é exatamente do jeito q vc falou.abs,chico.

andremendesmusica disse...

chico...dá uma olhada nisso: http://rollingstone.com.br/guia/livro/geracao-superficial/ abs.

Franchico disse...

Já tinha visto sobre esse livro, André! Mas é isso, assim caminha a humanidade, né? Meio de lado, as vezes pra trás....

Franchico disse...

Falando em ditadura etc...

http://omelete.uol.com.br/musica/racionais-mcs-veja-o-grupo-cantando-nova-musica-marighella/

Parece que o assunto tá quente, volta e meia topamos nele hj em dia - e tá certo, tem muitas contas a serem acertadas aí. Muitas mesmo.

Franchico disse...

Agora, eu acho engraçadíssimo como a gentalha uniformizada (e a gentalha velha de pijama) se ouriça toda quando se fala em comissão da verdade etc e tal. Por que eles sabem que se for botar na balança o número de corpos do lado de cá (nós, os civis) e os do lado de lá (dos militares), eles ganham de lavada.

E outra: todo mundo sabe que os que caíram do lado de lá, caíram em combate, trocando tiro, fosse na guerrilha urbana ou no Araguaia etc. Já a imensa maioria que morreu (ou simplesmente "desapareceu") do lado de cá foi capturada na covardia, em casa, no trabalho, arrancada dos braços da família para nunca mais foi vista.

Não tem comparação o estrago que foi feito do lado de cá com o que foi feito do lado de lá. Era o Estado com suas tropas do exército, tanques e viaturas contra um punhado de cidadãos.

"Ah, os terroristas tem que ser investigados"! OK, que sejam. Ainda assim, tem muito mais, muito mais sangue na mão dos militares do que na mão dos civis. Eles é que tem contas altíssimas a prestar a toda a sociedade brasileira. Eles. Não nós ("nós" lá eles, claro).

Foram eles, fascistas canalhas filhos da puta gentalha ignorante uniformizada que FUDERAM com esse país. Isso não tem perdão. Mesmo que qualquer um deles não seja preso (por que não serão mesmo). Jamais essa gente merecerá perdão. Por isso que eu acho que aí deve prevalecer a tal "justiça das ruas". Essa gente deve ser exposta, execrada e humilhada publicamente como as pústulas que elas são. Não sou a favor de estado policial nem de caça as bruxas nem de clima de paranoia, mas tem muita gente nesse País que cometeu atrocidades absurdas contra homens e mulheres apenas por que eles ousaram pensar diferente.

E essa gente tem posto a cabeça no travesseiro e dormido em paz por décadas. Isso é inadmissível. Essa gentalha não pode ter direito a dormir em paz. Não pode. Eles tem que sofrer, tem que pagar aqui, nesta vida. De um jeito ou de outro. Por isso eu digo: se vc souber de um torturador /assassino morando na sua rua ou no seu bairro, denuncie. Não precisa se envolver na atividades. Apenas denuncie aos grupos de parentes dos mortos / torturados e eu tenho certeza que eles vão ter o que merecem.

Franchico disse...

..."para nunca mais ser vista", corrigindo.

Franchico disse...

Nick Cave perde a paciência com jornalista em Cannes:

http://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/1092762-musico-nick-cave-xinga-jornalista-em-cannes.shtml

rodrigo sputter disse...

porra chico, parece bão mermo essa porra de doc...apesar de num ser meu gÊnero favorito...prefiro + na linha do DK, que acho ser uma banda de um som único, acho que depois do 1o disco que eles até ficaram + pro hardcore...acho que as bandas citadas estavam + pra um som homogêneo..o circle jerks tb tem umas faixas fodas...na verdade eu conheço pouco mesmo desse hc...que pro q veio depois é até "levinho"...

eu posso estar errado, mas não acho que essa geração seja tão superficial quanto as outras...o que eu já conheci de gente superficial em minha vida...e só tenho 33 anos...de gente tacanha que existia no passado...muita gente vive dizendo que na época da ditadura era melhro...então daí vc tira...e não tou dizendo que quem falou isso foi a galera de agora...entendo perfeitamente o que o Carr fala, eu mesmo não consigo ler tanto quanto outrora, mas já tinha computador e net a cabo, no meu caso, creio que seja um motivo pessoal em minha vida...o que eu não gosto é esse papo que essa geração é pior que a outra...pq se formos parar pra pensar isso sempre foi dito, no rock então, uma década nova vinha com um som "novo" pra substituir o "velho"...ou vc acha que restart é pior que locomia, menudo, dominó e por aí vai? lembrem do metal farofa e outras bizarrices que sempre existiu no meio musical...fora o racismo e conservadorismo de gerações passadas que repassam pras atuais...que ao me ver parece estar menos do que antes ligada a esses temas conservadores...apesar que existem muitos ainda por aí...
talvez agora saibamos de tudo mais rápido, tenha 10 menudos, 10 locomias, 20 dominós...mas em compensação creio que deve ter o mesmo número de bandas legais tocando por aí nesse mundão...né pussive...


sempre gosto de falar sobre as coisas como uma possibilidade e não uma verdade absoluta...

rodrigo sputter disse...

rapá que "colega" de profissão seu babaca é esse Xico??
táquepariu...
eu largaria "não existe narração em off em western? então sou um gÊnio, acabei de criar".

tou dizendo que as pessoas são quadradas...ontem mesmo tava no irish pub, conversando com uns guris gente boa, sobre rock, vem um babaca, 10 anos + velho (de uma outra geração, q não a nova, que tava ali querendo falar de música) e vem me xingar, querer confusão, eu obviamente não queria brigar, mas tb num tava ali pra ficar levando desaforo pra casa...o cara me chamando de menino, q ele ouvia led zeppellin, se eu sabia o q era aquilo...eu falei "eu sou menino e vc um velho, vai embora...". ainda enchendo o saco que ele ouvia essa escola de música e me chamando de menino eu ainda falei que a minha era dos 50´s e pedi pro segurança retirá-lo do local...
E ele insistindo nisso...babacas sempre existirão na face da terra...sorte dele q tava num lugar pacífico...se fosse em outro lugar tava fudido...iam almoçá-lo todinho...e o cara ainda tava com a esposa, namorada ou sei lá o que...na moral, tenho pena não quando uns babacas desses tomam um sapeca iáiá por aí...

Franchico disse...

Que mala, hein, Sputter? Mas me diga uma coisa. Foi alguém conhecido? Não precisa dizer o nome, apenas diga se é alguém conhecido.

rodrigo sputter disse...

foi não bicho...se fosse eu ia perguntar se tava maluco...apesar q uma vez quase meti a zorra num conhecido nosso por conta de não entender o q eu escrevi na net e ao invés de perguntar como bróder o que rolou, veio falar umas merdas do meu lado, eu não ouvi, mas miha ex ouviu e falou comigo...eu me segurei, ficava de bobeira pela madrugada chapado...mas depois ele viu q entendeu mal e veio me pedir desculpas e conversar...não sou valentão e nem bom de briga, mas falar coisa q eu não disse, ficar de disse-me-disse com meu nome me deixa pirado...e últimamente deixei de ser o cara zen q eu era...infelizmente...agora, eu não conheço o babaca de ontem, mas se vacilar já o vi por aí...cara de 43 anos bebado, vem me chamar de menino, manda eu me fuder,tomar no cu,falar q é + macho, homem pq ouve led zeppelin é realmente digno de dar pena...o pior é q ele não sabia q tinha um bróder meu atrás dele já preparado pra dar uma na nuca dele...outro quase do meu lado (q + cedo tava bêbado e cheio de raiva com a vida, cheguei a sair na rua procurando ele pra num fazer maluquice, mas na hora da confusão ele tava lúcido e não foi pra ver a merda q o cara tava flando pra num piorar a situação, e falou q eu fiz o certo, colocando ele no lugar de velhaco com as palavras), fora q ainda tinha 2 amigões meus da ribeira dentro do show...fora uns camaradas q tavam lá dentro tb...
ou seja, se fosse uma papota maldos, o q faria? almoçava o cara...q ao invés de curtir o som e tomar a cerva dele com a namorada, fica falando maluquice...e eu já tava estressado + cedo com umas chateações da minha vida, piradaço, ainda bem q eu sou um cara q num gosta de agir por impulso...

vai ver tb q eu podia levar era pau-ehehheheh

mas acho q ia ser pior pra ele, uns 5 x 1 e ele não era bruce lee...não q eu fosse na covardia com ele...mas a gente sabe q nessas horas, quando vemos nossos amigos em encrenca sabe-se lá o q pode ocorre...

mas deixa isso pra lá...o lnce aqui é falar de rock e positividade...e tou eu expondo minha vida pessoal num blog popzaço que p mundo inteiro lê...

Franchico disse...

De fato, Sputter, é melhor deixar pra lá... Eu ando tb muito PUTO com zilhões de coisas e as vezes deixo isso me contaminar aqui, que não tem nada a ver.

Mas "blog popzaço que p mundo inteiro lê" é foda! Menos, menos...

Franchico disse...

Grant Morrison: escritor de HQs psicodélicas de super heróis, guru de autoajuda, traz a pessoa amada em três dias, promete mudar sua vida.

http://omelete.uol.com.br/quadrinhos/morrisoncon-grant-morrison-promete-fazer-convencao-que-vai-mudar-vida-das-pessoas/

Tudo por módicos R$ 1.500, fora passagem / traslado até o Hard Rock Hotel Las Vegas....

Márcio A Martinez disse...

Vamos lá cambada, WARM UP desta sexta pluuus aniversário de Marquinhos = Farra da boa até às 23:00h. Vejam aí:

SEBO PRAIA DOS LIVROS - PORTO DA BARRA
Sexta, 25 de Maio de 2012

19:00 até 22:00.

Salvador, BA, BR


Theatro de Séraphin
http://​www.reverbnation.com/​theatrodeseraphin

Theatro de Séraphin acústico.

Tickets: R$10
All Ages

Full Details: http://​www.reverbnation.com/show/​7614718

Franchico disse...

Valeu, Marcionílio! Tava precisando desses detalhes (tão pequenos de nós dois - ui) para complementar minha coluna de amanhã!

Franchico disse...

Rock imperdível, diga-se de passagem!

Franchico disse...

Viva! A editora Abril parece que vai reativar o seu Estúdio Disney, desativado há quase 20 anos, para criar novas HQs do Zé Carioca - personagem Disney que eu mais gosto (juro que não é só por que ele é brasileiro)!

http://www.universohq.com/quadrinhos/2012/n21052012_01.cfm

A expectativa agora deve ser que talentos do rico mercado brasileiro de quadrinistas eles vão convocar para esta missão....

Vale lembrar que o Estúdio Disney Abril fez História nos anos 1970 / 80, produzindo HQs de primeiríssima qualidade, sendo considerado um dos melhores do mundo, ao lado do italiano, além de ter revelado gigantes como Ivan Saidenberg, Renato Canini, Euclides Myaura e muitos e muitos outros. Gente talentosíssima.

Old School disse...

Rapaz,essa volta do VH foi muito alem do q eu esperava.Ja quando anunciaram a primeira tour eu pensei q nem iriam ate o fim da mesma.Fizeram a tour toda(com uma interrupcao tambem ,lembra?) e ainda por cima 1 disco novo,e mais a metade de uma segunda tour,foram longe ate demais.Mas justica seja feita,o show dos caras ta bom pra caraio!Vale muito a pena.Eddie ainda tem muita lenha pra queimar,principalmente tocando o repertorio classico dos tempos do Lee Roth.

Chico,entendi o q vc quis dizer,mas vc sabe q em algumas bandas a relacao amor-odio entre os integrantes chegava a ser algo insano.Acho q o pior caso foi o do The Who.Naquele documentario 30 Years Of Maximum R&B chega a ser comovente o relato dos caras falando sobre isso.E ali,mais ainda,eu me tornei fan do John Entwistle,q antes mesmo de ver o video sempre foi meu baixista favorito no rock.

Franchico disse...

A bruxa tá solta pros disco coroas...

http://omelete.uol.com.br/musica/robin-gibb-dos-bee-gees-morre-aos-62-anos/

Nunca mais esse cara vai cantar Stayin' Alive...

Márcio A Martinez disse...

Falooou Chicaço! You know you can count me in...

(agora, "detalhes tão pequenos..." - olhe a veadagem viu? Me inclua fora dessa!)