quinta-feira, julho 21, 2011

VIOLA DE ARAME: SHOW GRATUITO PARA LANÇAR PRIMEIRO DISCO, AMANHÃ

Os músicos Júlio Caldas, Cássio Nobre e Ricardo Hardmann são homens em uma missão: mostrar que a viola (e os múltiplos ritmos que se pode tocar com ela) é tão ou mais representativo da cultura brasileira quanto o samba. Admiradores (às centenas e aumentando) e incrédulos podem conferir a viabilidade dessa teoria no lançamento do primeiro álbum do trio, Viola de Arame, amanhã, em show gratuito.

Antes que indignados se levantem, é bom reiterar: a teoria tem fundamento. “A viola é um instrumento português, que chegou ao Brasil ainda na época da colonização. Entrou no Brasil inteiro, inclusive na Bahia”, explica Júlio.

“Cada região do País tem uma forma própria de tocar e pensar a viola. Tem viola em todo canto do Brasil. Por exemplo: no Sul, você tem a viola de fandango. no Nordeste tem uma bem típica do agreste, bem dinâmica, que é a dos repentistas. No Sudeste e no Centro-Oeste tem a viola caipira. A região amazônica não tem tanta tradição, mas também tem sua viola”, enumera.

Ele conta que, “só na Bahia, tem uns quatro formatos de viola. Ela é ligada à chula do Recôncavo, aos repentistas da região de Serrinha e Feira de Santana e às folias de reis”, nota.

O quarto formato da viola na Bahia é o que ele chama de “estética elomariana”, ligada à música de Elomar. “Ele toca violão, mas com uma estética de viola. A forma que ele toca violão é muito parecida com a da viola, e isso influencia até na forma como ele compõe”, diz.

Fruto de pesquisas

Por tudo isso, Júlio, Cássio (que é etnomusicólogo) e Ricardo sustentam a teoria do início deste texto. “Da forma como eu vejo, (a viola) é o instrumento que melhor representa a cultura brasileira, pois está presente em todo Brasil”, aposta Júlio.

A banda e o disco Viola de Arame vem justamente “da necessidade de pesquisa mesmo, tanto das tradições, quanto das inovações, além das músicas que vimos compondo há anos”, prossegue o músico, que iniciou o projeto em 2008.

“Naquele ano eu convidei Cássio para fazermos esse som em formato de duo. Depois evoluiu para trio, com a chegada do Hardmann na percussão, o que deu uma sonoridade muito rica. Hoje já incrementamos ainda mais com o baixo, e já fizemos algumas apresentações com essa formação”, conta.

Barroca e roqueira

Com 13 faixas originais, compostas por Júlio e Cássio, o álbum Viola de Arame é, sem dúvida, um dos melhores lançamentos da boa música baiana em 2011. Há até mesmo um quê medieval no som: “Alguns temas do disco tem uma estética renascentista e barroca”, observa Júlio.

De fato, a sonoridade rica, melodiosa e limpa do trio (e diversos convidados) é um bálsamo para os ouvidos de uma cidade violentada pela gritaria popularesca emitida dos porta-malas dos carros.

E não se trata de música antiga, para velho ou intelectual. “Nosso disco traz as influências da música que a gente gosta: do rock, do progressivo, do jazz, sempre com uma certa mistura com a tradição da viola”, diz.

Não a toa, o Viola de Arame inicia o show mandando ver uma inusitada (e linda) versão de um clássico do rock: Moby Dick, do Led Zeppelin. “Viola e blues tem tudo a ver, né”?.

Vai daí que o trio está estudando uma forma de trazer a Bahia, para um show em conjunto, o duo mineiro Viola Extrema, formado pelos músicos Ricardo Vignini e Zé Helder, que lançou há poucos meses um álbum só com standards de rock executados na viola: Moda de Rock (Tratore).

“O Vignini é meu amigo, e temos a intenção de fazer alguma coisa juntos, já que há um diálogo entre nossos trabalhos. Tínhamos até a intenção de fazer isso, um show só com clássicos do rock, mas eles se anteciparam”, admite.

Show de lançamento: CD Viola de Arame / Com Julio Caldas, Cássio Nobre e Ricardo Hardmann / Amanhã, às 19 horas / Teatro Eva Herz, na Livraria Cultura - Salvador Shopping (Av. Tancredo Neves, 2915. Tel: 3505-9050) / Entrada gratuita

Viola de Arame / Viola de Arame / Independente, viabilizado através do Fundo de Cultura (Secult - BA) / Preço não divulgado

28 comentários:

Franchico disse...

Já vi dois shows desses caras (no Vão das Letras do TCA e no Festival de Jazz do Capão, em fevereiro) e vou dizer um negócio: é lindo. E o CD faz total justiça ao que se ouve ao vivo. É brasileiro, mas ao mesmo tempo tem uma pegada que ora lembra o blues, ora remete a uma coisa renascentista. E ainda abrem o show com uma versão maravilhosa de Moby Dick, do Led. Junto a Orkestra Rumpilezz, é o que se faz de melhor e mais inovador na música instrumental da Bahia. Muito longe daquele coisa sonolenta, o "jazz" sem vigor, a que costumamos associar música instrumental baiana. Recomendadíssimo.

Franchico disse...

Por falar em música instrumental...

http://www.gazetadopovo.com.br/cadernog/conteudo.phtml?tl=1&id=1149270&tit=A-forca-do-rock-experimental-baiano

Franchico disse...

É, rapaz, parece que obscurantismo e intolerância são as palavras de ordem no Brasil do século 21. Duvidam? Basta ver os comentários desse artigo:

http://terramagazine.terra.com.br/interna/0,,OI5250800-EI16410,00-O+moderno+reacionario+e+a+porta+de+entrada+do+velho+fascismo.html

É assustador. Bem-vindos a nova idade média.

Márcio A Martinez disse...

É com imensa alegria que comunico a quem interessar possa que esta sexta feira, 22/07/2011, é o dia do nascimento do mais novo ROQUEIRO TRICOLOR DE AÇO!!!

MARCELINHO ROOOOCKS MINHA PORRA!!!

Beijos e Abraços a todos os manos e minas aqui presentes!

Anônimo disse...

taí, gostei dessa viola de arame...parece ser um passo além em termos de resgate e de inventividade como música instrumental brasileira...amo a arte de elomar...led zeppelin na viola?!tudo que os "beatles do rock pesado" sempre sonharam pois nunca foram típicos músicos ingleses...eram internacionalistas na arte...mentes abertas longe na criação das engrenagens mesquinhas da indústria capitalista musical
cláudio moreira

Franchico disse...

Agora é oficial: Beavis & Butthead estão de volta!

http://www.omelete.com.br/comic-con/series-e-tv/grande-cornholio-assista-volta-de-beavis-butt-head/

cebola disse...

Yeah! Marcelo está chegando. Quero o meu charuto...(oooooopzzzzzzzz!)

cebola disse...

Este "na criação" aí é beeeem entre parênteses né isso, Clavdivs Máximvs? Muito messmo?!

Franchico disse...

Felicidades à família Barbosa-Martinez! Longa vida a Marcelinho!

E longa vida também ao meu xarazinho Francisco T., que nasceu anteontem!

Que Jah os ilumine e jamais os deixem se embrenhar por inglórios caminhos pantanosos e sem volta, como rock baiano, jornalismo baiano, futebol e contabilidade...

cebola disse...

Hehe. E banco também Chicvz, não esqueça! Olha só. Acabou de nascer. Marcelo acaba de assumir posição na tripulação terráquea.

Franchico disse...

Preview do segundo volume de Century, intitulado 1969, nova aventura da Liga Extraordinária de Moore & O'Neill...

http://www.omelete.com.br/comic-con/quadrinhos/liga-extraordinaria-1969-confira-o-preview-da-nova-hq-de-alan-moore/

Franchico disse...

Bem-vindo, meu garouto!

Franchico disse...

Nascido numa sexta-feira... Humph! Esse menino vai dar trabalho. Se cuidem, Márcio e Poliana!

Anônimo disse...

felicidades ao pai e a mãe e toda sorte do mundo ao pequeno marcelo, que com certeza vai conhecer thin lizzy e alceu valença pelas mão do tio aqui...
márcio: sua farra agora vai ser dentro de casa e o "virote" é certo nesses primeiros seis meses...segura a onda maluco!!!!!!!!!!
cláudio moreira

Franchico disse...

Tô sentindo cheiro de filmaço aqui...

http://www.omelete.com.br/comic-con/cinema/drive-assista-ao-estiloso-trailer-do-filme-de-perseguicao-premiado-em-cannes/

Franchico disse...

O ex-Dead Easy Arthur Caria e sua senhora, Renata, daqui de Salvador, passaram alguns dias entre junho e julho de 2011 (sim, agora mesmo) percorrendo a Inglaterra atrás de Morrissey, que estava em turnê.

A viagem foi registrada em alguns vídeos, intitulados "England Is Moz", que a dupla está postando no You Tube.

Parte 1:

http://www.youtube.com/watch?v=VIxTElQ173E

Parte 2:

http://www.youtube.com/watch?v=S2Ew-sRyOrE&feature=channel_video_title

Os vídeos também vão fazer parte da dissertação de mestrado de Renata no Instituto de Letras da Ufba, que será justamente sobre Moz, suas letras influenciadas por Oscar Wilde e seus seguidores....

Franchico disse...

Ainda demora um pouco, mas a segunta temporada de The Walking Dead vem aí....

http://www.omelete.com.br/series-e-tv/walking-dead-assista-ao-teaser-da-segunda-temporada/

O chato é que a série vai voltar, vai ter mais num sei quantas temporadas e a editora brasileira não termina de lançar a excelente HQ original (estacionada no volume 4 há uns dois anos).... Depois reclamem de quem baixa tudo...

Ieda disse...

Júlio e Cia. Com água na boca aguardando o horário. Sei, de antemão, que está um lindo trabalho. Quero ver de perto!!!
Até mais tarde na Cultura

Márcio A Martinez disse...

Uáááááááá... são seis e trinta da noite de sábado, 23/07 e não, essa onomatopéia aí não é Marcelezazinho chorando, e sim eu bocejando... o minino é tranquilo que é uma beleza! Bunito igual ao pai (sem piadinhas bestas por favor...).

Trouxe o note books de Poli pra cá pra não ficar em tédio completo (acreditem, isso pode ocorrer se seu filho recém nascido não dá trabalho, pelo menos nos dois primeiros dias, e sua esposa for gente fina te poupando de ficar acordado a noite toda...)

Audição 100%, visão 100%, culhões 100%, tudo no lugar, tudo pronto pra dar moches e ouvir rocks nas alturas, gritar BBMP! em Pituaço ou em casa e encher o saco dos tios e tias deste universo rocklokista, entre outros!

Obrigado galera pelas mensagens de felicitação e apoio!

Franchico disse...

Depois da animação Batman - Ano Um (ainda não vi), a DC está preparando um outro longa de animação em longa metragem direto para DVD, baseada na melhor HQ do MOrcegão de todos os tempos:

http://www.omelete.com.br/batman/dvd-blu-ray/o-cavaleiro-das-trevas-animacao-do-batman-de-frank-miller-e-oficial/

Franchico disse...

Quem quiser curtir rock 'n' roll na sexta-feira (29/07), sem sambinha de moleque amarelo, o caminho é esse aqui:

Acord e The Honkers no Pelourinho
Grupos apresentam rock inspirado nos anos 60 e 70

Encerrando a sua temporada de shows em comemoração ao mês do rock, o grupo Acord se apresenta com a banda The Honkers, na próxima sexta, 29 de julho, às 21h, na Praça Tereza Batista, Pelourinho, com entrada franca.

Influenciados pela sonoridade das décadas de 60 e 70, os grupos dividem o palco pela primeira vez e apresentam em seus repertórios canções autorais e clássicos do rock. Para este evento, a Acord conta com as participações especiais de Eduardo Scott (Camisa de Vênus) e RB (Lo Han).

Acord – Influenciados pela música dos anos 60 e 70, Pedro Caetano (guitarra e voz), Samir Carvalho (guitarra), Diego Cerqueira (percussão e vocais), Thiago Brandão (bateria e vocais) e Henrique Duarte (baixo) promovem um resgate do rock clássico para produzir uma sonoridade moderna. O grupo acaba de lançar o seu disco de estreia, "Não Há Mais Tempo Pra Ficar Parado", que conta com a produção de andré t. Em suas canções, a Acord alia peso e melodia, com doses de experimentalismo, certo clima psicodélico e um destaque à presença percussiva que garante ainda o groove dançante.

The Honkers - Grupo de rock formado em Salvador no final da década de 90, o The Honkers possui uma música influenciada pelo rock sessentista, mas sem perder a contemporaneidade. Embora melódica, também é capaz de abranger o rock mais pesado. A banda engloba ainda em suas sonoridades o honkabilly bop, um balanço melódico e barulhento, além do garage punk, indie, ska, surf e rockabilly, entre outros.

SERVIÇO:

ACORD E THE HONKERS
Quando: 29 de julho de 2011, sexta, às 21h
Onde: Praça Tereza Batista, Pelourinho
Quanto: Entrada Franca

www.bandaacord.com.br

teclas pretas disse...

parabéns, marcio!!!!!!!!!!
GLAUBER

Franchico disse...

Link para a entrevista que fiz com o escritor pernambucano, ativista da literatura independente e figuraça Marcelino Freire, que estará em Salvador esta semana, para lançar seu novo livro Amar é Crime e ministrar oficina. O serviço também está no post linkado abaixo. "Recomeindo!"

http://www.atarde.com.br/caderno2mais/

osvaldo disse...

parabens marcio e poliana e bemvindo marcelo rocks!

teclas pretas disse...

pooo, quero esse disco do viola de arame! e a capa ficou jóia, rapaz...
GLAUBER

Márcio A Martinez disse...

Batchico meu velho, excelente notícia sobre as animações do Morcegão! Mas acho que você não viu ainda o ANO UM porque só será lançado em outubro pelo que li, não é isso?!?

Franchico disse...

É, Márcio. Na euforia da notícia, não li a nota toda logo. Essas animações da DC são anunciadas num dia, e no outro, já estão no pirateiro da esquina, como aconteceu com A Nova Fronteira, All Star Superman, A Morte do Superman e outros...

Denize Avlis disse...

Lindo e contagiante o show, amei a viola de arame, tanto que estou à construir uma! E olha que honrra, vou aprender a tocar a viola de arame (machete) com o Cassio Nobre.