sexta-feira, maio 06, 2011

RONEI JORGE MOSTRA MAIS CANÇÕES NOVAS HOJE, NO PELOURINHO

Sem afobação, como sugere seu estilo caymmiano de ser, o cantor e compositor Ronei Jorge (em foto de Florian Boccia) vai sedimentando as bases para sua carreira solo pós-Ladrões de Bicicleta. Hoje, fãs e apreciadores podem conferir mais um capítulo desta nova etapa, em um show gratuito no Pelourinho.

“É, eu agora tô nessa fase de transição, de repertório antigo para um novo”, admite, a voz pausada e tranquila de sempre.

“Desde o (festival) Baianada, no final de 2010, estou fazendo isso. Ali eu já apresentei três músicas novas. Na (Livraria) Cultura, em março, já fiz mais uma. E agora vou chegar com mais duas. Serão seis canções novas no show”, contabiliza.

Uma delas é parceria com o ex-Ladrões Edinho Rosa. “Ganhei um presente dele, uma música que ele fez e eu coloquei letra. Chama-se Eu Te Vi. Na verdade, temos feito algumas parcerias e talvez role um projeto futuro nosso”, adianta.

Apesar de compor mais sozinho, Ronei tem assinado trabalhos com uma infinidade de parceiros. Com Camilo Fróes (DJ), ele criou trilhas para espetáculos cênicos (Dança Em Quadrinhos, Enamorados).

Múltiplas parcerias

Já com Jarbas Bittencourt e Pietro (da banda Pirigulino Babilake) ele está preparando um show, fruto do Encontro de Compositores do Teatro Vila Velha, que será apresentado lá mesmo (e depois, no Rio de Janeiro), no próximo dia 19.

E com Luciano Pajé Simas, seu guitarrista desde os tempos da banda Saci Tric (anos 1990), ele assinou trilhas para Miúda (peça e animação) e de Borboletas, um espetáculo de dança.

Como se não bastasse, gravou participação em Aleluia!, aguardado novo disco da Cascadura. E ainda há um projeto com a atriz e cantora Lia Lordello.

“Tudo isso me dá mais prazer do que estar a frente do trabalho Ronei Jorge”, revela.

“A satisfação vem de todas essas atividades ligadas a música”, acrescenta Ronei, que de qualquer jeito, começará a gravar disco solo até o fim do ano.

”Eu vejo tudo isso junto. Aí, quando você me pergunta dos meus planos é tudo isso junto, mesmo”, conclui. Que Deus o conserve assim.

Ronei Jorge / Show na Praça Pedro Archanjo (Pelourinho) / Hoje, 21 horas / Grátis

OUÇA: http://www.myspace.com/roneijorge/

10 comentários:

Franchico disse...

Os caras de Big Bang Theory estão no Brasil. Mas o papo com jornalistas é tão dirgido e limitado pela assessoria de imnprensa da Warner que praticamente não falaram nada. Um saco.

http://br.omg.yahoo.com/news/quem-%C3%A9-charlie-sheen-ironiza-ator-de-the-big-bang-theory-amkb-2011050519470220.html

Franchico disse...

Ô INVEJA!

http://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/911839-venda-de-novo-lote-de-ingressos-para-teenage-fanclub-em-sp-comeca-hoje.shtml

Anônimo disse...

ronei jorge...talento nato e simplicidade em pessoa...em carreira solo vai virar ícone da mpr...música popular roqueira...
cláudio moreira

teclas pretas disse...

sou da MBB [musica bipolar brasileira], rsrsrs. abraço pra ronei!
GLAUBEROVSKY

teclas pretas disse...

chicão, se ligue

http://jerryseinfeld.com

a cada dia, eles uploadam um pouco.

GLAUBEROVSKY

Franchico disse...

Ui...

Hein? Quê? Quando?

andre__mendes: se isso for motivo pra ser preso(a), vai faltar cadeia!RT@bahianaticias Serrinha: Mulher é presa com fumo no ânus http://bit.ly/m50LQr

Sid disse...

Só um comentário off-topic aqui, porque não sei se vão ver no tópico "velho"do QOTSA:
Na verdade, pelo que eu sei, QOTSA não é mais "Stoner rock", esse termo era aplicado a bandas como Kyuss, Monster Magnet, Fu Manchu, que faziam um som "chapadão", pesado, lento e psicodélico, com influênciade Black Sabbath e Blue Cheer, entre outros.
Um dos pioneiros do stoner foi mesmo o Kyuss, no qual Josh Homme tocava guitarra. ao sair da banda ele formou o QOTSA, que, é claro, tem influência do Stoner, mas tem sua sonoridade própria, e que no decorrer dos seus discos vai se afastando cada vez mais do Stoner e desenvolvendo cada vez mais seu estilo particular - eu diria que QOTSA não se enquadra em estilo nenhum, Josh Homme conseguiu mesmo criar uma sonoridade própria (porque ele é o verdadeiro homem-banda, já que a formação do QOTSA vive mudando).
Desculpem esse comentário atrasado, eu só queria deixar minha contribuição a essa discussão sobre o Stoner. Até mais.

Franchico disse...

Muito bem observado, Sid, valeu! Abraço e volte sempre!

Anônimo disse...

Aproveitando a deixa do Sid, essa história de stoner é apenas mais um rótulo criado com a intenção de "departamentalizar" estilos musicais. O termo stoner se refere a um cara "chapado", que faz uso frequente de cannabis. Quanto ao estilo em si, um exemplo clássico de "stoner" é o álbum de 1971 "Master of Reality" do Black Sabbath, considerado o primeiro nesse segmento, apresentando músicas mais lentas, pesadas e sombrias, incluindo a canábica "Sweet Leaf" com a famosa introdução de Tony Iommi tossindo após dar um tapa na pantera.
Marcelo

Franchico disse...

Sweet Leaf é o próprio protótipo do stoner, Marcelo! Nóis gosta - e como!