terça-feira, maio 17, 2011

ENTRE O COUNTRY ROCK DE JOHNNY CASH E O WESTERN-SPAGHETTI DE ENNIO MORRICONE

Produzido por um baiano, o cantor paulista Caio Corsalette estreia em disco com um country rock vigoroso e bem longe do falsete irritante dos sertanejos radiofônicos

Caio Corsalette, cantor paulista nascido e criado no interior, é, por si só, uma boa notícia: sim, é possível fazer country-rock no Brasil com dignidade e voz de macho, longe do falsete irritante que caracteriza os sertanejos que se aventuram no gênero.

Com sua pinta de jovem Clint Eastwood, ele está lançando seu primeiro CD, A História da Estrada Longa, com um country rock vigoroso e uma pegada que deve muito não só a mestres como Neil Young, Johnny Cash e Hank Williams, mas também as trilhas sonoras dos western- spaghetti de Sergio Leone.

“A maior inspiração veio da literatura e do cinema. As histórias do Guimarães Rosa e toda barra pesada do livro As Flores do Mal, do (Charles) Baudelaire”, diz, demonstrando ser também letrado – uma coisa rara.

“Do cinema, me inspiro nos filmes de western spaguetti do Sergio Leone com suas trilhas grandiosas compostas por Ennio Morricone. E, é claro, moro em São Paulo, mas nasci e cresci no interior, literalmente no mato”, conta Caio.

Surpreendentemente, a ótimo estreia do rapaz tem participação decisiva de dois baianos: o produtor Tomás Magno e o guitarrista Peu Sousa (ex-Pitty), que co-assina duas faixas: Mulher da Cidade (com guitarra também de Peu) e Nesses Dias (climática, estilo Chis Isaak).

“O Peu tem uma responsabilidade muito grande por eu estar lançando este trabalho. Fomos vizinhos em São Paulo e foi ele quem mais me incentivou. O cara é um monstro na guitarra e também um grande produtor. Acho que ele é pouco valorizado”, elogia o músico.

Som grande, explosivo

“Quanto a produção, procurei alguém que não temesse o novo, que não se importasse de revirar o som quanto fosse necessário, até soar original. Só pedi que ficasse um disco com sonoridade grande, explosiva e que, apesar das ideias inusitadas, não soasse estranho, caso tocasse numa FM. Nesse sentido, o Tomás arrebentou”, descreve Caio.

Inquieto, Caio sabe exatamente o que quer – e afagar ouvidos preguiçosos passa longe de suas intenções: “Gosto muito dos cancioneiros americanos – Lou Reed, Neil Young, Johnny Cash,Bob Dylan etc. No Brasil, não gosto de quem escreve coisas como se as estivesse tudo bem, isso é um saco”.

Com declarações como essa, também não causa espanto seu repúdio ao esquemão viciado das rádios comerciais: “Quero me comunicar, mas não através do jabá. Minha estratégia é lançar discos e fazer shows. Uso o Twitter e Facebook, mas não tenho talento para administrá-los. Tenho feito todo tipo de shows pelo interior, inclusive no meios rock e sertanejo”, conta.

Fosse o Brasil um País que valoriza artistas em lugar de autômatos, esse rapaz já estaria nas paradas, com canções bacanas como Espora, Mulher da Cidade e Ferradura.

“Fiquei muito satisfeito com o disco. Ele traduz exatamente o que eu queria dizer. Carrega histórias para se ouvir a beira do rio e ao mesmo tempo trás toda a inquietude do homem moderno, de metrópole, atormentado”, conclui.

A História da Estrada Longa / CAIO CORSALLETTE & DOLLAR FURADO / R$ 24,80 / Coqueiro Verde Records / www.coqueiroverderecords.com/caio

15 comentários:

Franchico disse...

Ainda tem outro baiano bem conhecido da galera rocker nesse disco: Lefê, o bom e velho Aquático, toca teclado na faixa Ferradura. Lá no site tem o disco todo em streaming para ouvir e mais um mp3 para baixar. Rrrrecomeindo!

Franchico disse...

Vote for Pedro!

http://www.omelete.com.br/series-e-tv/napoleon-dynamite-assista-ao-trailer-da-serie-animada/

Uhú! Melhor notícia do dia, no mínimo!

Franchico disse...

The Black Keys no Planeta Terra?

http://dmusicb.wordpress.com/2011/05/16/the-black-keys-no-planeta-terra/

Acho que já tinha comentado essa possibilidade de por aqui. Se rolar mesmo, é o show de rock do ano no Brasil. (Pelo menos, de banda contemporânea, não medalhão, tipo Paul ou Eric Clapton).

E Sharon Jones no TCA, hein? Fácil, fácil o show do ano em Salvador, por que com certeza, nada melhor do que isso vai por os pés por aqui ainda em 2011. Fiquem atentos para adquirir vossos ingressos quando abrir a bilheteria...

Franchico disse...

Vejam que ducaralho!

Sama lança "A Balada de Johnny Furacão" pela editora Flâneur e divulga animação com trilha dos Retrofoguetes

Vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=XjeCyhWVJFA

Franchico disse...

Saiu o trailer do Tintim de Spielberg e Peter Jackson.

http://www.omelete.com.br/cinema/aventuras-de-tintim-o-segredo-do-licorne-ganha-seu-primeiro-poster/

Franchico disse...

Uhú, o episódio da 2ª Guerra de Paintball em Community vai ao ar quinta-feira agora!

Release:

JOSH HOLLOWAY PARTICIPA DE EPISÓDIO INÉDITO DE COMMUNITY

O próximo episódio inédito da 2ª temporada de Community vai ao ar no Sony Entertainment Television na próxima quinta-feira, dia 19, às 23h30 e, para alegria dos fãs saudosos do elenco de Lost, contará com a participação especial de Josh Holloway, o James Sawyer Ford na famosa série.

Em “A Fist Full of Paintballs”, durante o piquenique de fim de ano dos alunos de Greendale, Dean Pelton anuncia um jogo rápido e seguro de paintball. Quando as coisas esquentam, as alianças são formadas – e quebradas - e as amizades são postas à prova. Quando uma figura misteriosa e ameaçadora surge no campus, fica evidente que aquele não será um jogo normal de paintball.

O Sony Entertainment Television exibe Community toda quinta-feira, às 23h30. Replay na mesma noite 0h, e sábados às 8h e 13h .

Conheça o nosso site: http://br.canalsony.com

Siga-nos: http://twitter.com/canalsony http://www.facebook.com/CanalSonyBR

Franchico disse...

Recebido agora há pouco por email:

Olá Amigos

Devido algumas mudanças aqui no estúdio estamos passando uma lista de equipamentos disponíveis.

Quem se interessar por favor responda para nosso email ( estudioazul29@gmail.com ).

Instrumentos:

- Guitarra Gibson Les Paul
- Guitarra Fender Stratocaster American standard
- Baixo Fender 05 cordas (JazzBass)
- Placa M-Audio profire 2626 - Sem uso !
- Placas digidesign 002 para Pro tools (baratíssima)
- Cabeçote Marshall JCM 900 ( Todo valvulado para guitarra)

Microfones:

- SHURE SM57
- Neumann TLM 103 (par)
- AKG C414 (par)

Outros:

- IPAD2
- Macbook Pro Aluminium (Core2 Duo 2.2 com 4 Gb ram)

Por favor Repassem!

Abraço!!

estudioazul29@gmail.com

Franchico disse...

Saiu o primeiro poster do filme Pé na Estrada, de Walter salles.

http://www.omelete.com.br/cinema/road-veja-o-primeiro-poster-do-pe-na-estrada-de-walter-salles/

ME-DO!

Do que? Desse mala meloso e pretensioso ter estragado a oportunidade de fazer um clássico. Espero que não, claro, mas...

Franchico disse...

Fãs de Uma Familia da Pesada, essa é de enlouquecer:

http://www.omelete.com.br/series-e-tv/os-flintstones-voltarao-tv-pelas-maos-de-seth-macfarlane/

osvaldo disse...

o trabalho de caio é bem interessante mesmo chicovsky. e tomás realmente arrebentou na produção do disco.

Nei Bahia disse...

Chicão, esse cara não era o vocalista da banda que Aquático tava tocando ?

Franchico disse...

Pô, Nei, pode até ser mesmo, viu? Mas eu num lembro nem do nome da banda para procurar e ver se bate com esse cara. Vc lembra?

Franchico disse...

É verdade, Brama! Tomás é fera! O disco tá com uma sonoridade da pesada, de quem ouviu muita coisa, de quem tem as referências certas, mesmo. Fiquei com vontade de assistir o show desse cara. Mas acho difícil de rolar por aqui...

teclas pretas disse...

lefê tocava na portnoy. mas acho que não é o mesmo cara não.
G.

osvaldo disse...

quem tocava na portnoy era conrado, irmão de caio. caio tocava na barramundo.os irmãos corsalette são duas das figuras mais gente fina do rock em sampa.