quarta-feira, março 30, 2011

COLEÇÃO CHICO VENDE UM MILHÃO, ABRIL LANÇA NA SEQUENCIA COLEÇÃO TIM MAIA

Coleções de livros, DVDs e CDs (entre outros diversos objetos) em bancas de revista já não são novidade há muito tempo. O negócio é que, depois do sucesso estrondoso da Coleção Chico Buarque, lançada pela Editora Abril em 2010, a coisa parece que está ficando séria.

“A coleção do Chico está sendo muito bem vendida. Eu acho que podemos divulgar que, com os vinte volumes, já vendeu mais de um milhão de unidades”, revela Beth Klock, coordenadora da Abril Coleções.

Animada com tamanho bom resultado, a mesma Abril lançou, no início de 2011, uma outra série, muito especial: Tim Maia. Nos mesmos moldes da de Chico, a Coleção Tim Maia, porém, conta com alguns atributos especiais.

“A Coleção Tim Maia só foi viabilizada graças ao envolvimento, desde o inicio, do filho do Tim, Carmelo. Ele cuidou muito de perto de tudo: da qualidade dos discos a veracidade das informações”, garante.

Em 15 volumes, ela deverá tirar os fãs do Síndico do sério e provocar uma corrida às bancas, pois, além de recuperar boa parte da adorável discografia do Tim, ainda traz dois discos até então inéditos em CD – só que com uma pegadinha.
O primeiro álbum inédito é o Tim Maia Racional Volume 2 (1976), que é o Volume 5 da coleção da Abril.

O segundo álbum inédito (tão inédito, que nem em vinil ele jamais foi lançado) é Tim Maia Racional Volume 3 (corresponde ao Volume 15 na Coleção).

Engavetado e esquecido há décadas, o Volume 3 da cultuada “Fase Racional” de Tim Maia foi relegado ao esquecimento pelo próprio Tim, quando ele se desiludiu com a seita Universo Em Desencanto e largou as fitas master em uma gaveta qualquer de um estúdio no Rio de Janeiro.

Condição é comprar todos

E aqui é que está a “pegadinha” da Coleção Tim Maia. Para poder adquirir o Racional Volume 3, o consumidor terá de comprar todos os 14 volumes anteriores. Em cada volume, há um código adesivado no encarte.

O consumidor deve se cadastrar no site www.colecaotim.com.br e registrar os 14 códigos. Somente após esse processo, receberá, em sua casa, o inédito Volume 3, como um brinde.

“O disco Tim Maia Racional Volume 3 não será lançado nas bancas”, reitera Beth Klock. “Ele só será acessível através da promoção. A condição é ser fã do Tim e ter comprado todos os 14 volumes da série”, afirma.

Ela conta ainda que “a história do disco é bastante peculiar. Ele foi gravado por Tim e parte da sua banda, mas depois a ideia de lançar foi abandonada quando Tim saiu da seita”.

“Aquilo ficou esquecido na gaveta, mas ainda não estava totalmente acabado. Sobretudo para a qualidade de fita master que se exige hoje em dia”, continua Beth Klock.

Em Salvador, por enquanto, só é possível adquirir os volumes da Coleção Tim Maia na Livraria Cultura do Salvador Shopping devido a distribuição setorizada (o eixo Rio-SP recebe primeiro) mas em breve, ela estará também nas bancas de rua.

“Como não tínhamos nem uma clara noção da gigantesca demanda de venda disso, não fizemos lançamento nacional em nenhum dos dois casos (Chico Buarque e Tim Maia), optando pela distribuição em fases”, admite Beth.

“Mas a partir do dia 13 de maio, a Coleção Tim estará nas bancas de Salvador e de todo o Nordeste. Na primeira fase foi para São Paulo e Rio de Janeiro. Já as livrarias de rede, como é o caso da Cultura, recebem a coleção e distribuem para suas lojas, daí já estar disponível na Cultura de Salvador. Mas também dá para comprar qualquer produto da Abril Coleções pelo nosso site”, lembra Beth.

FILHO DE TIM TEM BAÚ DO SÍNDICO

A história da “Fase Racional” de Tim Maia já é bem conhecida: nos anos 1970, ele se filiou à seita Universo Em Desencanto, para a qual gravou três álbuns para divulgar a dita cuja: Tim Maia Racional Vols. 1, 2 e 3.

Somente os dois primeiros foram lançados – mas logo renegados – pelo próprio Tim, quando se desligou da UED.

Ao capturar Tim no auge da musicalidade, os discos em vinil ganharam status de cult e, ao longo dos anos, se tornaram raridades valiosas. Em 2006, a gravadora Trama lançou em CD o Volume 1, mas parou aí.

Com o lançamento dos Volumes 2 e 3 (mesmo que sob a promoção citada), bem como de boa parte de sua discografia, em bancas e a preço acessível (R$ 14,90, cada) seu filho Carmelo Maia comemora: “Foi um trabalhão. Só o contrato demorou seis meses para ficar pronto”, conta, por telefone.

Em meio às notícias de mais uma filha requerendo direito à legitimidade e exumação do corpo do Síndico, Carmelo a princípio ficou desconfiado, mas depois baixou a guarda: “Da obra dele, eu falo”.

“Minha maior preocupação é que as pessoas não pensem que eu tô fazendo isso por oportunismo”, diz. “A ideia (da Coleção) é resgatar a obra do meu pai e dar oportunidade à quem ainda não conhece de ouvir o que há de melhor na música preta brasileira”, afirma.

Para que o inédito – e inconcluso – Volume 3 pudesse ser lançado, foi necessário todo um trabalho de produção, inclusive para gravar instrumentos que estavam faltando. Para isso, Carmelo convocou duas feras dos estúdios: Lincoln Olivetti e Kassin.

“Minha exigência é de que os arranjos teriam de ficar exatamente como estariam se ele estivesse vivo. Afinal, essa herança não é só minha”, diz.

Carmelo ainda adianta que tem mais coisa para sair do Baú do Tim, em breve: “Achamos uma gravação dele com o (guitarrista carioca) Celso Blues Boy chamada A Colheita, que é sensacional. Também acabamos de achar 4 canções dele gravadas em Nova York na época do (grupo) The Ideals. Talvez no ano que vem a gente consiga lançar esse material”, espera.

Carmelo diz que não foi criado pelo pai, mas mesmo assim, ele estava sempre presente. “As vezes ele ia me buscar na escola, aí ele começava a cantar ali mesmo na porta. O trânsito parava, era uma loucura”, diverte-se.

RBS entra na onda e lança a série Grande Discoteca Brasileira

Atenta ao sucesso da Coleção Chico Buarque, os gaúchos da poderosa Rede Brasil Sul (RBS) lançaram no fim de 2010 a coleção Grande Discoteca Brasileira, mais ou menos nos mesmos moldes de suas antecessoras: livros-cd em capa dura, com fotos e textos com informações que contextualizam a importância de cada volume (são 25).

Eclética, a coleção abre com o emblemático Tropicália ou Panis et Circensis (1967), com Gil, Gal, Caetano e Mutantes e fecha com Zé Ramalho (1978), estreia solo do músico paraibano que traz clássicos como Avohai, Dança das Borboletas e Chão de Giz.

Entre um e outro, dá para destacar volumes absolutamente imperdíveis, como A Tábua de Esmeraldas (1974), de um Jorge Ben no auge da sua genialidade, Acabou Chorare (1972), o manifesto bossa-novista dos Novos Baianos e Cinema Transcendental (1979), LP que marca o salto para o mainstream de Caetano e confirmou sua condição de hitmaker.

O rock brasileiro marca presença, com clássicos da Blitz, Lulu Santos, Cazuza e Titãs.

Em Salvador, alguns volumes também estão disponíveis na Livraria Cultura, mas também dá para comprar pelo site grandediscotecabrasileira.com.br.

LINKS:

http://www.colecaotim.com.br

http://www.grandediscotecabrasileira.com.br/

http://www.colecaochico.com.br/

17 comentários:

Franchico disse...

Gotta hate huge corporations.

http://www.omelete.com.br/quadrinhos/superman-lois-lane-da-vida-real-pede-solucao-para-os-direitos-do-personagem/

Franchico disse...

Eu tava me segurando para não ficar citando mais o Barcinski aqui toda hora, mas o post do Cocolino é um clássico instantâneo. Quase fiz Cocolino nas calças de tanto rir.

http://andrebarcinski.folha.blog.uol.com.br/arch2011-03-27_2011-04-02.html#2011_03-29_01_11_36-147808734-0

Franchico disse...

Hoje tem Persépolis na TV Cultura. Filmaço, que não viu, fica a dica.

http://www.universohq.com/quadrinhos/2011/n29032011_01.cfm

Anônimo disse...

impossível não respeitar tim maia e sua loucura criativa...
cláudio moreira

osvaldo disse...

a rede bahia podia se inspirar na rbs e lançar a coleção do é o tchan, da companhia do pagode. e podia lançar o game axé hero.

Franchico disse...

Brama, em vez da guitarrinha de brinquedo, o game poderia vir com uma bunda gigantesca para o jogador acoplar na... própria bunda. Ia ser o maior sucesso nos (milhões de) camelôs (que enfeiam praticamente todas as ruas dessa cidade horrorosa). Nhé!

Franchico disse...

Enquanto isso, diz que Ozzy fez um puta show do caralho em PoA.

http://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/896359-ozzy-osbourne-surpreende-fas-e-faz-show-energico-em-porto-alegre.shtml

Estou com inveja do meu amigo Cake, que vai assisti-lo em SP...

Franchico disse...

A incrível e triste história de Ernesto, o macaco do Lucas Mendes, que hoje, ele calcula, renderia milhões no You Tube. Assim tipo Rebeca Black.

http://www1.folha.uol.com.br/bbc/896349-youtube-e-ernesto-o-inconveniente.shtml

osvaldo disse...

estava quase descartando o collapse into now do rem quando na ultima faixa do disco, blue, entra patti smith.foda.iguamente foda é o blessed de lucinda williams.mas o mais foda continua sendo o let england shake de polly jean harvey.

Franchico disse...

Márcio, tenho uma má notícia pra vc:

A produção do U2 anunciou as atrações locais que dividirão o palco com a banda durante uma música no show. No Brasil, a honra caberá a Daniela Mercury, Carlinhos Brown e Ivete Sangalo.

http://u2br.virgula.uol.com.br/portal/u2-anuncia-os-convidados-para-os-shows-no-brasil

Espera-se, claro, que seja uma pegadinha de 1º de abril, mas até agora ninguém desmentiu...

Franchico disse...

Ozzy, por outro lado, continua o mesmo Prince of Fucking Darkness que amamos. Entrevista coletiva dele em SP: “Olha, eu não ouço Justin Bieber, não acho que ele estará aqui em 40 anos como estou hoje. Eu gostava da... Esqueci o nome daquela p.... Lady Gaga! Mas agora ela está chata pra c...”.

http://g1.globo.com/pop-arte/noticia/2011/04/se-sobreviver-ja-sera-uma-surpresa-diz-ozzy-sobre-turne-pelo-brasil.html

Márcio A Martinez disse...

Chiquito bacana, meu velho, se Bono não me vier com "Thoupa Thouda" durante o show, já tamo no lucro... mas deve ser 1º de abril mesmo, senão o que vai ter de vaia mermão...

Mas antes disso, neste fim de semana, vamos é pro IRON FUCKING MAIDEN in Recife City, me and Mr. Nei Baêa Minha Porra!
Lá sim, é uma cidade rock'n'roll e não esse cu daqui...

O mesmo deverá preencher este espaço rockiloquista com uma resenha do evento, espero...

Até segunda, cara, que o show é no domingo!!!

Metaaaaaaaaaaalllllll!!!!!!!!!!!

Franchico disse...

Aguardo vossas impressões, então! O Rock Loco adora publicar outros textos que não apenas os meus!

M.R. disse...

TAZ | New York Sounds.

Nessa terça, inaugurando a série "O som das metrópoles". Nas pickups, Bazarov, Bramz, Almirante Nelson e Cebola.

http://bit.ly/fsTSas

On The Rocks disse...

pegadinha capitalismo selvagem - rs

abs

Franchico disse...

No Vandex TV de amanhã tem....

Amanhã! Terça 05/04/11 às 20:30 hs - VandexTV "Ao Vivo" com Maglore

e mais uma entrevista especial com o pessoal do PCULT .

Curta pelo site: www.vandex.com.br

Franchico disse...

Oi?

http://br.omg.yahoo.com/blogs/pitty-vira-coco-chanel-em-campanha-da-cavalera-id_omg_abafa-46.html