quarta-feira, novembro 25, 2009

RODADA DE LANÇAMENTOS NA QUINTA: ELIPÊ E RICARDO PRIMATA



Apesar de todas as dificuldades, 2009 tem sido um bom ano para o rock baiano. Houve ótimos discos de veteranos (Ronei Jorge, Retrofoguetes), mas também de bandas mais novas, como a Elipê, que, aos cinco anos de atividades, lança amanhã seu segundo CD, Indústria da Felicidade Humana, com um show no Teatro Acbeu.

Produzido por andré t. (à essa altura, já uma griffe no rock local), o álbum deixa clara uma certa evolução nas composições e arranjos da banda desde seu primeiro álbum, A Tela (2007).

A começar pela sonoridade bem contemporânea, mais próxima ao rock brasileiro mainstream, com evidentes influências de Los Hermanos e Pitty.

“São artistas talentosíssimos, é ótimo ser comparado à eles“, diz Mateus Lopes (guitarra e violino). “Mas, conscientemente, eu só assumiria a influência dos Los Hermanos. Eles revolucionaram a forma de fazer música no Brasil ao abrir novos caminhos para as pessoas que fazem rock, mas também tem influências de MPB“, acrescenta.

“De Pitty, admito que tem semelhanças na sonoridade. Mas eu tenho uma influência forte de MPB e poetas brasileiros, gosto de Mário Quintana, Cazuza, Renato Russo e Arnaldo Antunes é meu ídolo. Mas, na hora que isso cai para o estúdio, a (nossa) linha é rock. Aí pode haver semelhanças na parte musical, até por que essa é a parte do trabalho dela que eu admiro muito“, reflete Mateus.

Certamente, contribuiu para isso a experiência recente do produtor como engenheiro de som no CD mais recente da cantora, Chiaroscuro.

Essencialmente romântico e singelo, o CD novo da Elipê tem um quê melancólico que se reflete muito nas letras, quase sempre focadas em relacionamentos.

“Pelo próprio conceito da Indústria da Felicidade Humana, tentamos colocar no repertório musicas que refletissem diversos estados de espírito. Aí termina com uma faixa alegre (Musiquinha Idiota), senão ficaria sem sentido“, explica o músico.

Essa última faixa, aliás, é quase um We Are The World do rock baiano. Reúne os cantores Enio (Enio & A Maloca), Theo Filho (Irmãos da Bailarina), Fábio Cascadura, Danny Nascimento (Lou), Laís Souza (Autoreverso), Roberta Simões (Aguarraz) e Pietro Leal (Pirigulino Babilake). No show, todos já confirmaram presença. Além de Mateus, a Elipê conta com Paula Noyb (vocal), Thiago Colares (guitarra), Didhio (baixo) e Dudu Lopes (vocal e bateria).

Lançamento do CD Indústria da Felicidade Humana / Elipê / Amanhã, 20h30 / Teatro Acbeu (Corredor da Vitória. Tel.: 3444-4423) R$ 20

UM ESPELHO PARA RICARDO

Oriundo do cenário heavy metal baiano, o guitarrista virtuoso Ricardo Primata lança Espelho da Alma, seu primeiro CD solo cheio (com doze faixas) com um workshow amanhã, na loja mídialouca, com entrada gratuita.

Professor requisitado – tem aluno em fila de espera! – Primata ainda deve ser o músico mais procurado pelas empresas ligadas ao universo da guitarra para figurar como endorser (algo entre garoto-propaganda e representante para os eventos da indústria da música). Atualmente, ele tem nada menos que oito contratos, entre fábricas de guitarra, pedais, cordas, cases etc.

Por conta disso, viaja pelo Brasil e interior da Bahia fazendo workshows e workshops. Em 2010, espera chegar ao exterior.

Bule Bule e Armandinho

Em Espelho da Alma, Primata refinou suas influências, temperando seu rock / metal progressivo com ritmos brasileiros, especialmente o baião.

Na faixa Repentes, contou com a participação de duas lendas baianas: o repentista Bule Bule e o guitarrista Armandinho. “Foi uma honra ter esses dois no meu disco. Bule Bule é um senhor de 62 anos, e o tanto de vida que ele exala... É um cara super alto astral, aprendi muito com ele. E Armandinho é um ídolo, não precisa nem falar“, diz.

Workshow de lançamento do CD Espelho da Alma / Amanhã, 20 horas / MídiaLouca (Rua Fonte do Boi, Rio Vermelho) / Entrada Franca
Workshop de guitarra / Sábado, 11 horas / Loja Toque Musical (3378-9723) / Entrada Franca

21 comentários:

Anônimo disse...

esse guitarrista aí sabe das coisas
gostei!
cláudio moreira

Franchico disse...

Já viu essa, Cebola?

Stephen King já tem ideia para continuação de O Iluminado

Escritor falou em Toronto sobre o possível livro

http://www.omelete.com.br/cine/100023670/Stephen_King_ja_tem_ideia_para_continuacao_de_O_Iluminado.aspx

cebola disse...

O homem está a toda, Chicvs. Está com Spelberg não produçaõ de uma série de tv baseada em seu último livro, Under the Dome e ainda falou que é possível que ele escreva também um oitavo (!!) livro continuando a Torre Negra (sim, li os sete, sensacionais), sem contar o filme (ou os filmes) sobre a mesma Torre negra que seria dirigido pelo cara de Lost. Entre outros projetos...

Franchico disse...

Será que Cláudio Escória continua vivo?

Digo, depois do show do AC/DC?

Cê tá vivo, maluco?

Anônimo disse...

deprê total, pois não consegui ingresso para esse show
logo eu que vi o ac/dc em 85
hj foi dia de vasculhar you tube para senti clima de show de ontem
na argentina, seria apenas um show, mas a demanda fez com que fossem agendados mais duas noites
essa empresa que trouxe ac/dc para o Brasil deveria ter agendado mais uma data em sp
lamentável...
mas pelo menos o ac/dc mostrou que a música qdo corre nas veias não interessa a idade, moda e tocar em rádio e mtv
eu considero o angus youong um exemplo de músico que se entrega de corpo e alma à música orgânica que faz...suas composições junto à seu irmão e, principalmente, bon scott, serão sempre um exemplo vivo da alma rebelde daquilo que se convencionou chamar de rock and roll...
lembro até hj qdo, aos 13 anos, ouvi os riffs de guitarra de problem child sairem da vitrola e o impacto me jogou para trás...nunca mais fui o mesmo...bela iniciação...isso está além de qualquer modismo e atravessa os anos...
ave angus!!!!!!!!!!!!quero ser enterrado ao som de "shot down in flames"!!!!!!!!!
cláudio moreira

Old School disse...

Parabens,muito bom guitarrista!!!Se o rock for a sua,entao vaza dai de SSA,meu velho,pois vc e eu sabemos q nada serio acontece de verdade no rock em SSA(MTV pra mim nao eh coisa seria).Tu tem talento pra encarar gigs de rock na Europa e nos EUA e sair de la com uma boa banda de rock montada ou uma vaga em alguma grande banda de rock.E so lembrando q tecnica sempre eh muito bem vinda,mas criatividade e feelin' sao mais importantes,e quando o cabra tem os tres juntos,ai ninguem segura!Boa sorte e 'keep on rocking in a free world'.

cebola disse...

Deve ter se matado por não ter ido. Considero desde já, top 3 da minha lista de arrependimentos eternos. Não fui também.

Old School disse...

Sera q tive 1 comentario barrado pela censura local?Se foi,nao disse nada demais,pelo contrario,elogiei o guitarrista q achei bom pra caramba mas se ele realmente quiser fazer algo maior em termos de rock deve esquecer SSA e vazar dai hoje,o cara tem nivel tecnico pra tocar com muita gente grande no rock mundial ou ter sua propria banda.E sempre lembrando q criatividade e feelin' sao mais importantes q habilidade tecnica(q tambem eh muito bem vinda).Boa sorte Ricardo!

Anônimo disse...

mandei um texto anterior sobre ac/dc
se não entrou não entendi
mas ac/dc debaixo de todo aspecto atual de show bussines é ainda rock and roll...grito primal...rock and roll para mim ainda é algo anti-colonizado, existencialista, libertário...foda-se a indústria...hj tirei o dia para ficar doidaço ouvindo blue cheer
cláudio moreira

Franchico disse...

Teve censura não, Old School. É que o administrador aqui não checa o blog quando não trabalha - já que, deliberadamente, não dispõe de acesso à internet em casa, por questões políticas de fóro íntimo e pessoal.

Inclusive, concordo com tudo o que vc disse em relação à Ricardo, um talento local maior do que "o local", se é que vc me entende.

Só não entendo por que sempre sobra uma farpa para a MTV, seja de vc, Cláudio Esc ou anônimos. Será para atingir nosso bravo companheiro rockloquista responsável pelo escritório local da emissora?

Soa estranho, no mínimo suspeito, especialmente da parte de Cláudio, que sabe quem é a pessoa e é amigo dele. Já se tocou disso, Cláudio? Ou o delírio cotidiano já se apossou dos seus miolos de uma vez? Vamos dirigir melhor essa agressividade toda?

(E antes que me chamem de inocente útil, aviso: sim, sei que a emissora é parte de um gigantesco e esmagador conglomerado global de comunicações. Sim, sei que ela joga o jogo dos grandes e poderosos, mas cá pra nós, vcs ainda esperam mesmo alguma coisa dela, para ficar reclamando desse jeito? "Ah, a MTV não passa as bandas que eu gosto, a MTV não me dá atenção, a MTV não passa o clipe da minha banda..." Cresçam, crianças! Acordem! O jogo acabou e nós perdemos de goleada. Zé finí.)

Anônimo disse...

chico,
a palavra mtv pode trocar por indústria cultural de massa (segmentada ou não) em si...é só um ícone...
sobre brama: esse é um verdadeiro senhor dos anéis da cultura pop...pessoa de todo mérito...gosto muito dele...
agora não sabia que vc era também psiquiatra para falar da sanidade mental das pessoas...ou vc agora virou normalóide?!
cláudio moreira

Franchico disse...

Rapaz, ser normal hj é que nem NÃO TER tatuagem: é a última moda, maluco. De "muito doido" tatuado o mundo já tá saturado. O "in" é ser normal. O resto é rebeldiazinha de perua e playboy pra fazer pose em fotolog, orkut e outras excrescências. O sistema já cooptou, embalou e colocou nossa loucura na prateleira do supermercado há décadas e 99.9% dos doidões nem notou... Insisto: ACORDEM!

Franchico disse...

A propósito, ainda hj posto alguma coisa nova nessa bagaça.

Anônimo disse...

quem disse que me referi a tatuagens e similares? nada contra elas também...
me refiro mesmo ao mundo das idéias...ter um trabalho, pagar imposto e viver disninamente em sociedade não obriga o cidadão a ter o "sistema" (sim, ele mesmo! pode me chamar de anarcodelirante) guiando sua mente, corpo e espírito...
cláudio moreira

Franchico disse...

A propósito 2, Escória: sinto muito vc não ter conseguido ir no show do AC/DC. Sei o quanto significa pra vc.

teclas pretas disse...

gostei muito disso!

KASABIAN - "UNDERDOG"

http://www.youtube.com/watch?v=OqwDz-rwE7w

GLAUBER

Franchico disse...

Vc não falou em tatuagem não, Esc. Fui eu mesmo. É apenas uma constatação que vem me assombrando nos últimos anos.

Mas vc está certo.

"ter um trabalho, pagar imposto e viver disninamente em sociedade não obriga o cidadão a ter o "sistema" guiando sua mente, corpo e espírito..."

Anônimo disse...

viver dignamente, corrigindo...hehehehe
é isso aí chico
vc está no "olho do furacão" do maior jornal do norte/nordeste e pode ser, sem dúvida, a mente "perigosa" inserida dentro na grande imprensa baiana...pelo menos é assim que te vejo...analisando numa perspectiva existencial além da sua carreira (ops!) profissional em si...
cláudio moreira

Franchico disse...

I love you, man!

Anônimo disse...

inserido dentro...outra sensacional redundância...hehehehe
i love you too!
pronto, agora vamos trabalhar e acabar com essa rasgação de seda porque não combina com minha ressaca...
cláudio moreira

osvaldo disse...

no problemo chivosky em se falar mal da mtv. não levo pro lado pessoal.alias meu gosto musical pessoal nao tem nada a ver com o que rola na mtv, nem mesmo nas bandas novas.
a mtv é dirigida para adolecentes, e ha muito tempo que foca mais em comportamento de jovens urbanos do que em musica. é natural que os jovens gostem de novas bandas e novos artistas, afinal eles vivem o tempo deles, e nada mais natural que tenham os idolos(fabricados ou não) deles. so não consigo entender é como macacos velhos do rock não saquem que o rock e o pop são principalmente a industria do "novo". se o assunto interessa leiam a criação da juventude de jon savage.
e historinha que os mais intimos sabem, ao contrario do que algumas pessoas pensam, meu forte envolvimento com a musica rock vem bem antes da mtv.e me dedico até hoje a fundo. leio muito e escuto muito.tem nada a ver com mtv, é coisa minha. se o momento de epifania de claudio foi ouvindo ac/dc o meu foi com o who tocando we´re not gonna take it no disco gravado ao vivo em woodstock aos 11 anos.momentos semelhantes ao ouvir o led zed II, o dark side do floyd, o houses of the holy (zep de novo!), depois neil young e dylan. e depois de alguns anos o nevermind the bollocks dos pistols, e o primeiro do clash.