domingo, fevereiro 24, 2013

UMO: A MELHOR BANDA DO MUNDO, HOJE (ao menos para o blogueiro...)

Comentei sobre essa banda, a Unknown Mortal Orchestra, nos comments (DUH!) há algum tempo e, desde que a descobri, por puro acaso, não consigo parar de ouvir.

Só isso já é motivo o bastante para este post estritamente pessoal e extraodinário aqui no blog.

Por que? Por que acho que a última vez que isso aconteceu comigo foi em 2009 (ou 2010?), quando topei com o Brothers, do Black Keys.

São duas bandas de perfis TOTALMENTE diferentes, mas as duas me pegaram pelo pescoço, coisa cada vez mais rara hoje em dia - especialmente para alguém como eu, que tem como parte de suas funções profissionais diárias ouvir música e descobrir coisas novas.

O que me impressionou foi o total acaso com que topei com a UMO. Tava fazendo minha ronda diária por aqui, checando a seção Indie, a fim de arriscar. Fui atraído pura e simplesmente por esta imagem:



Uma moça em um campo com uma espada em um traje diáfano esvoaçante (que viadagem), sem nada por baixo (uhú!).

Sem nome na capa, sem título, porra nenhuma. Movido pela curiosidade pura e simples, cliquei no vídeo do You Tube logo abaixo, com o áudio da segunda faixa do álbum, Swim And Sleep (Like A Shark).

Foi paixão fulminante à primeira audição. Despojada, a música começa com uma simples virada de caixa na bateria, tão elegante quanto exata. O riff de guitarra que segue a reboque é outro primor melódico de simplicidade desconcertante.

Aí vem o vocal, uma voz suave, ainda que ligeiramente rouca, cantando a delícia que deve ser "nadar e dormir como um tubarão".

Psicodélica, mas sem excessos, Swim And Sleep (Like A Shark) parece algo vindo de outra dimensão, alguma banda psicodélica dos anos 60 que nunca existiu nesta realidade e sim, em um mundo paralelo, e que caiu aqui por alguma fenda dimensional entre este mundo e algum outro (é, ando assistindo muito Fringe).

Entusiasmado, baixei o disco imediatamente e, que grata surpresa, o nível do resto do álbum é o mesmo - não é mais uma banda de um hit só.

Olha aqui o clipe sensacional para a terceira faixa, outra obra-prima intitulada So Good At Being in Trouble:



O clipe é ótimo, tem o ator norte-americano Christopher Mintz-Plasse (os inesquecíveis McLovin', de Superbad e Red Mist, de Kick-Ass), como um sujeito que tenta livrar sua namorada de um culto hippie fanático estilo Charles Manson. E a música é melhor ainda.

II, o álbum em questão, é o segundo desta banda, que vem a ser um trio, formado por Ruban Nielson (voz e guitarra), Jake Portrait (baixo)e Riley Geare (bateria).


Nielson, segundo o Wikipedia, postou uma música em seu perfil no Bandcamp, chamada Ffunny Ffrends.

Não tinha nenhuma informação no post. Mas a música era tão interessante que blogueiros começaram o burburinho em seu torno, até que o rapaz intitulou sua banda como Unknown Mortal Orchestra.

O primeiro disco, autointitulado, saiu em 2011 foi de imediato elogiado pelo Pitchfork e demais sites e blogs de música independente.

O segundo disco, o II, que me chamou atenção, saiu em setembro de 2012. De lá para cá, excursionaram com darlings indies como Grizzly Bear e Foxygen.

É uma banda em ascenção, que acredito (ser uma das poucas a) valer a pena acompanhar, para ver no que vai dar.

Espero que vocês também curtam. Abaixo, o II completo, no You Tube.


9 comentários:

Franchico disse...

De encher os olhos: os desenhos originais de Jack Kirby para Argo, o filme de FC de mentirinha:

http://omelete.uol.com.br/argo-ben-affleck/quadrinhos/argo-confira-os-desenhos-de-jack-kirby-para-o-filme-original/

O homem era um gênio.

Lembra bastante os conceitos de Galactus, Os Eternos (ambos para a Marvel) e Os Novos Deuses (DC), que ele mesmo criou. Só que ainda mais aprofundados. Ja imagicou se esse filme sai mesmo?

Franchico disse...

Por que a literatura brasileira contemporânea, é, quase sempre, de uma chatice insuportável. Sério, é resultado de pesquisa da professora Regina Dalcastagnè, da UNB:

http://noticias.r7.com/blogs/andre-forastieri/2013/02/20/por-que-escrever-ou-o-escritor-brasileiro-esse-chato/

(Por isso que não tenho nenhuma vergonha de dizer: não troco a boa literatura de gênero - policial, terror, ficção científica - por nenhum novo escritor brasileiro incensado).

Franchico disse...

O que é pior? Essa palhaçada de ficar matando personagens que vão ressuscitar um ou dois anos depois ou essa putaria do departamento de marketing das grandes editoras, que entregam o final das histórias para a grande mídia, estragando qualquer possibilidade de surpresa para os leitores habituais de quardinhos?

http://www.bleedingcool.com/2013/02/25/new-york-post-spoils-batman-inc-8-big-time/

Seja qual for a resposta, de uma coisa eu tenho certeza: este é o pior dos mundos.

Franchico disse...

George Romero e a Marvel dos Mortos:

http://www.universohq.com/quadrinhos/2013/n25022013_05.cfm

Franchico disse...

A banda Jato Invisível divulga seu clipe novo, para a música Desconfio, com letra (e aparição surpresa) do Reverendo T.

http://www.youtube.com/watch?v=CajqZeR79cs

Franchico disse...

E a banda Os Jonsóns divulga suas músicas recém-gravadas, no Soundcloud:

https://soundcloud.com/osjonsons

Legal pra caramba, essa banda.

Franchico disse...

Maaaaaais um misterioso Marvel teaser....

http://www.bleedingcool.com/2013/02/25/marvel-1-first-coming-soon/

rodrigo sputter disse...

http://vimeo.com/60293119
teaser da faixa nova do novo dos stooges

Franchico disse...

A Marvel tira um sarro com os Novos 52, com a DC, com a cara da gente....

http://www.bleedingcool.com/2013/02/26/marvel-counts-to-a-new-52/

Porra, Marvel! Não fode!